Abrir menu principal

Santiago do Escoural

vila e freguesia de Montemor-o-Novo, Portugal
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde Agosto de 2011).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Portugal Portugal Santiago do Escoural 
  Freguesia  
Brasão de armas de Santiago do Escoural
Brasão de armas
Santiago do Escoural está localizado em: Portugal Continental
Santiago do Escoural
Localização de Santiago do Escoural em Portugal
Coordenadas 38° 32' 24" N 8° 09' 56" O
País Portugal Portugal
Região Alentejo
Sub-região Alentejo Central
Província Alto Alentejo
Concelho MMN1.png Montemor-o-Novo
Administração
- Tipo Junta de freguesia
- Presidente Duarte Manuel Vicente da Luz (PCP-PEV)
Área
- Total 138,93 km²
População (2011)
 - Total 1 335
    • Densidade 9,6 hab./km²

Santiago do Escoural é uma freguesia rural portuguesa do concelho de Montemor-o-Novo, na região do Alentejo, com 138,93 km² de área e 1 335 habitantes (2011). A sua densidade populacional é de 9,6 habitantes por km².

Foi elevada a vila pela lei n.º 555 de 5 de Junho de 1916, sob a designação de Escoural.

Fica situada na Serra de Monfurado.

Índice

PopulaçãoEditar

População da freguesia de Santiago do Escoural [1]
1864 1878 1890 1900 1911 1920 1930 1940 1950 1960 1970 1981 1991 2001 2011
1 784 2 053 2 303 2 285 4 100 3 978 5 090 4 586 4 017 3 584 1 791 2 301 1 935 1 659 1 335

No censo de 1864 figura Escoural. Nos anos de 1911 a 1930 tinha anexadas as freguesias de S. Romão, S. Cristóvão e S. Brissos. Pelo decreto-lei nº 27 424, de 31/12/1936, foram extintas as freguesias de S. Cristóvão e S. Brissos, sendo os lugares que constituíam a primeira incluídos nesta freguesia e os que constituíam a segunda incluídos na de S. Romão, que passou a ser freguesia autónoma. No censo de 1940 ainda aparecem como freguesias distintas. Pelo decreto-lei nº 35 927, de 01/11/1946, foi desanexada a freguesia de S. Cristóvão, que passou a ser autónoma.

HistóriaEditar

Santiago do Escoural nasceu entre 1423 e 1427 foi seu fundador o Condestável Cavaleiro que construiu em suas terras a primeira casa e uma capela, pertencendo esta à ordem de Santiago. Provavelmente foi este o motivo porque lhe chamaram Santiago. Os recenseamentos oficiais até 1828 indicam que a sua população era de 40 fogos e 112 habitantes. Em 1836 já tinha mais de 1 200 habitantes. Mais tarde acrescentaram-lhe o nome (do Escoural), tirando esta ideia das escoriações dos minérios, descobertos em seus arredores. Está protegida pela Serra do Monfurado, com todo o aglomerado de espécies raras em via de extinção. Tem como Património a gruta com arte parietal. Do Homem de Neanderthal desde o paleolítico Médio (cerca de 50 000 anos) até ao Neolítico Final(Homo Sapiens Sapiens), descoberta em 1960, é única da Europa. No Escoural há ainda o Centro Interpretativo da Gruta, Igreja Matriz, Anta de Nossa Senhora do Livramento, Capela de São João Baptista e de São Brissos, Convento de Nossa Senhora do Castelo das covas infernais de Monte Furado, Quinta da Torre do Carvalhal e Quinta de Nossa Senhora do Rosário.

Lugares da freguesia: Caeiras, Biscaia, Enxaras, Casa Branca e São Brissos. Em 1930 tinha cerca de 6 000 habitantes e uma rede comercial bastante avançada. Tinha 11 salsicharias, 3 latoeiros, 2 lojas de roupa, 17 sapateiros, 16 costureiras, 2 bordadeiras, 1 ferrador, 5 queijarias, 10 carpinteiros, 8 padarias de cozer pão, 4 pensões, 3 azenhas, 5 moinhos, 5 vacarias, 5 oficinas de ferreiro, 5 oficinas de abegãos, 20 adegas, 12 mercearias e padarias de venda de pão, 6 frutarias, 3 doceiras e 9 barbeiros. Actualmente é vila, embora muito mais pequena que então.

Com aproximadamente 2 000 habitantes, mantém a mesma beleza. Com uma gastronomia de grande valor que se encontra em qualquer um dos restaurantes aqui existentes: migas de carne de porco, cozido à Portuguesa Alentejano, açorda, gaspacho, sopa de cação limado, sopa de tomate, ensopado de borrego, borrego assado no forno, doçaria conventual e tradicional: Bolo de mel dos monges, assim como o pão de rala, os pasteis de grão, as filhoses, o londrino, o bolo de requeijão, a delícia dos monges, tarte do Escoural. [2]

LocalidadesEditar

  • Afilhardeira
  • Amieira
  • Anta
  • Azenha
  • Azenha de Baixo
  • Barbosa
  • Biscaia
  • Boavista
  • Caeiras
  • Canas
  • Capela
  • Carneiro
  • Casa Branca
  • Casas de Baixo
  • Casas de Cima
  • Casões
  • Castelo
  • Catarina Vaz
  • Courela da Azenha
  • Courela da Bota
  • Courela da Casa Nova
  • Courela da Misericórdia
  • Defesa
  • Enxaras
  • Escoural
  • Lagar
  • Lagar de Cima
  • Majufa
  • Malavesins
  • Monte da Carvoeira
  • Monte da Casinha
  • Monte da Courela
  • Monte da Majufa
  • Monte da Moagem Velha
  • Monte de Telheiros
  • Monte do Pomar Guarda
  • Monte dos Cagulos
  • Monte dos Hectares
  • Monte Flores
  • Monte Racha Capelos
  • Mouzinhos
  • Poço da Rua da Prata
  • Quinta de Santa Maria
  • Quinta do Balão
  • Quinta Nova
  • Ribeiro
  • Rocha
  • São Brissos
  • Serrinha
  • Tapada
  • Torre de Monges
  • Valinha

PatrimónioEditar

Referências

  1. Instituto Nacional de Estatística (Recenseamentos Gerais da População) - https://www.ine.pt/xportal/xmain?xpid=INE&xpgid=ine_publicacoes
  2. Ecosdomonfurado.blogspot.com http://ecosdomonfurado.blogspot.com/  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  Este artigo sobre freguesias portuguesas é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.