Abrir menu principal
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde maio de 2019).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde maio de 2019). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde maio de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)


Sarah Sheeva
Nome completo Sarah Sheeva Cidade Gomes
Pseudônimo(s) Sarah Sheeva
Nascimento 10 de fevereiro de 1973 (46 anos)
Rio de Janeiro, Brasil
Nacionalidade Brasil brasileira
Progenitores Mãe: Baby do Brasil
Pai: Pepeu Gomes
Parentesco Zabelê (irmã) Nãna Shara (irmã)
Filho(s) Rannah Sheeva (n. 1991)
Ocupação
Outras ocupações
Período de atividade 1997—presente
Carreira musical
Gênero(s)
Instrumento(s) Vocal
Gravadora(s)
Afiliações
Religião Cristã, Evangélica
Página oficial
www.sarahsheeva.com.br

Sarah Sheeva Cidade Gomes (Rio de Janeiro, 10 de fevereiro de 1973; é uma pastora, escritora, cantora, compositora, arranjadora, figurinista, e palestrante brasileira [carece de fontes?][1]

BiografiaEditar

Filha primogênita de dois grandes nomes da música popular brasileira, Pepeu Gomes e Baby do Brasil,[2][3] (ex Baby Consuelo), seus pais levaram oito meses para lhe dar um nome, e quando decidiram, lhe deram o nome de ‘Riroca (escreve com um apóstrofo antes do ‘R) que em língua indígena Tupi-guarani significa “Casa do Amor”. Nasceu em 10 de fevereiro de 1973 e passou os primeiros anos de sua vida no sítio do vovô, comunidade criada pelos Novos Baianos em Vargem Pequena. [4]

Começou a compor músicas aos três anos, quando seus pais ainda faziam parte do grupo Novos Baianos.  No LP “Caia na Estrada e Perigas Ver” (Novos Baianos) cantou (aos 3 anos) a faixa de sua autoria “Porto dos Balões”. Continuou compondo com seus pais nos anos seguintes, sendo co-autora de sucessos como “Planeta Vênus” e “Barrados na Disneylândia”. [5]

Em 1987, seus pais mudaram oficialmente seu nome para Sarah Sheeva, sendo o primeiro nome “Sarah” inspirado no nome da personagem da Atriz Jennifer Connelly no filme Labirinto, filme protagonizado também pelo Cantor e Ator David Bowie, por quem Sarah nutria grande paixão e admiração. O segundo nome “Sheeva” sugerido por sua mãe, foi inspirado no segundo nome de Cosma Shiva Hagen, filha da atriz e cantora Nina Hagen, que Sarah havia conhecido quando ambas eram crianças, nos bastidores do primeiro Rock in Rio em 1985. Apesar de ter se inspirado no segundo nome de Cosma, Sarah decidiu mudar a grafia do nome “Shiva” para “Sheeva” para que não fosse associada a uma religião indiana. [6]

Sarah começou a desenhar ainda na adolescência, e começou a trabalhar em 1991 como Figurinista nos bastidores da música, depois se tornou Desenhista de Alta Costura e aspirante à Estilista. Também em 1991 Sarah teve sua filha, Rannah Sheeva. [1] [7]

Em 1994 começou oficialmente sua carreira como Cantora, atuando como backing vocal de Pepeu Gomes e Baby do Brasil, juntamente com suas duas irmãs Zabelê e Nãna Shara. [8]

Em 1997, começou a formar o grupo SNZ, junto com as irmãs Nãna Shara e Zabelê, na qual atuou por cinco anos. O primeiro álbum do grupo, intitulado SNZ, foi lançado em 2000 pela Warner Music, produzido por Tom Capone e Plínio Profeta. o primeiro single "Longe do Mundo", também foi escolhido como trilha sonora do filme O Trapalhão e a Luz Azul.[9] O segundo single e carro-chefe do álbum "Retrato Imaginário", foi escrito por Nãna Shara (irmã de Sarah Sheeva) em parceria com a cantora brasileira Deborah Blando. A música rapidamente se tornou um sucesso e ganhou muito apoio das rádios e das emissoras de TV. Um remix da música também foi feito para o vídeo da mesma e também lançado nas rádios. A terceira música de trabalho, uma sofisticada releitura R&B do hit"Dancin' Days" de Nelson Mota (gravada pelas As Frenéticas na década de 70) também recebeu prestígio das rádios, sendo lançada como terceira música de trabalho do grupo, e teve seu vídeo clipe dirigido e produzido pelo diretor Alex Miranda, sendo na época, um grande sucesso na MTV brasileira. [10]

O segundo álbum de estúdio lançado pelo grupo, em 2001, levou o título de Sarahnãnazabelê Produzido por Paulo Jeveaux, o álbum foi um grande sucesso, começando pelo dueto com o cantor americano Richard Lugo na música "Nothing's Gonna Change My Love For You"/"Nada vai Tirar Você de Mim", de George Benson, canção que foi um grande sucesso nas rádios, e teve seu vídeo clipe dirigido por Preta Gil e Caio Blat, sendo um outro grande sucesso na MTV brasileira. Essa música também foi incluída na trilha sonora da novela Um Anjo Caiu do Céu.[11] (Rede Globo). A gravadora tentou trazer o formato de single físico ao Brasil, sem bom sucesso. A segunda música de trabalho desse álbum, considerada o maior sucesso do grupo SNZ foi a música "Se Eu Pudesse" de autoria da própria Sarah Sheeva, chegando a ficar por meses em #1 e #2 lugar nas paradas de sucessos das rádios de todo o Brasil, e tendo seu vídeo clipe entre os top 10 da época na MTV brasileira. [12]

Em 2002, a banda recebeu o Prêmio Multishow de Música Brasileira na categoria "grupo revelação".[13] No mesmo ano, Sarah Sheeva anunciou que deixaria a banda e trabalhar por tempo integral como missionária e pregadora da Bíblia. Contudo, um álbum de remixes, contendo os sucessos da banda em versões remixadas e uma faixa inédita foi lançado no mesmo ano, acompanhando o possível final do grupo. Deixou a banda definitivamente em 2003. [1]

Em 2005, lançou seu primeiro álbum gospel, chamado "Tudo Mudou".[carece de fontes?] Em setembro de 2007 Sarah ingressa na carreira de Escritora e lança seu primeiro livro, "Defraudação Emocional"[14] e, no ano seguinte, em setembro de 2008, lança o segundo livro, chamado "Onde foi que eu errei?". [1]

LançamentosEditar

DiscografiaEditar

SNZEditar

Álbuns

SinglesEditar

Eu Decido Confiar (2012, Gospel, Letra e Música: Sarah Sheeva) [2]

Com o SNZEditar

Lista de singles, com posições nas paradas selecionadas
Título Ano Posições Álbum
BRA
Hot 100
[15]
"Longe do Mundo" 1999 5 SNZ
"Dancin' Days" 2000 9
"Retrato Imaginário" 1
"Venha Dançar" 17
"Nothing's Gonna Change My Love For You"
(com Richard Lugo)
2001 3 Sarahnanazabele
"Se Eu Pudesse" 2002 14
"Já Foi" 37
"DNA do Som" 15 Remix Hits
"—" denota singles que não entraram nas paradas ou não foram lançados no país.

SoloEditar

  • Tudo Mudou (2005)

BibliografiaEditar

  • Defraudação Emocional (2007)
  • Onde Foi Que Eu Errei? (2008)

Referências

  1. a b c Sheeva, Sarah (4 de maio 2019). «Biografia de Sarah Sheeva». Site Oficial Sarah Sheeva. Consultado em 4 de maio 2019 
  2. «Pepeu Gomes», Dicionário MPB .
  3. Dicionário MPB  Texto " contribution Baby do Brasil " ignorado (ajuda).
  4. Sheeva, sarah (4 de maio 2019). «Biografia de Sarah Sheeva». Site Oficial Sarah Sheeva. Consultado em 4 de maio 2019 
  5. Sheeva, sarah (4 de maio 2019). «Biografia Sarah Sheeva». Site Oficial Sarah Sheeva. Consultado em 4 de maio 2019 
  6. Sheeva, sarah (4 de maio 2019). «Biografia Sarah Sheeva». Site Oficial Sarah Sheeva. Consultado em 4 de maio 2019 
  7. Sheeva, Sarah (4 de maio 2019). «Biografia Sarah Sheeva». Site Oficial Sarah Sheeva. Consultado em 4 de maio 2019 
  8. Sheeva, sarah (4 de maio 2019). «Biografia Sarah Sheeva». Site Oficial Sarah Sheeva. Consultado em 4 de maio 2019 
  9. Trilha sonora de O Trapalhão e a Luz Azul, Pacific music, consultado em 7 de novembro de 2010, cópia arquivada em |arquivourl= requer |arquivodata= (ajuda) 🔗 .
  10. Sheeva, Sarah (4 de maio 2019). «Biografia Sarah Sheeva». Site Oficial Sarah Sheeva. Consultado em 4 de maio 2019 
  11. Trilha sonora de Um Anjo Caiu Do Céu, Teledramaturgia .
  12. Sheeva, Sarah (4 de maio 2019). «Biografia Sarah Sheeva». Site Oficial Sarah Sheeva. Consultado em 4 de maio 2019 
  13. «Jornal Hoje», G1, Globo .
  14. Detalhes no site Globo.com
  15. «SNZ Singles Chart History». Top 40 Charts. Consultado em 28 de maio de 2011 

Ligações externasEditar