Abrir menu principal

TSF Rádio Notícias

TSF Rádio Notícias
País Portugal Portugal
Frequência(s) 89.5 Lisboa

105.3 Porto

(Ver restantes coberturas a nível nacional)

Sede Lisboa
Slogan A paixão da rádio/ Tudo o que se passa passa na TSF/ Por uma boa história vamos ao fim da rua, vamos ao fim do mundo.
Fundação 1988
Proprietário(s) Global Media Group
Formato Rádio de Informação
Idioma Língua Portuguesa
Cobertura Cobertura Regional Norte (quase nacional)
Página oficial http://www.tsf.pt/

TSF Rádio Notícias é uma rádio portuguesa, de cariz informativo, com notícias de meia em meia hora. A primeira emissão ocorreu a 17 de junho de 1984 era "pirata", ou seja, não estava legalizada à época em que, durante cerca de 4h de emissão vão para o ar cerca de 60 depoimentos de personalidades portuguesas (entre as quais o então Primeiro Ministro, Mário Soares e Presidente da República, General Ramalho Eanes) defendem a abertura à iniciativa privada.

Os concursos para atribuição de licenças para operadores privados de radiodifusão apenas se realizaram em 1989, e a TSF foi uma das vencedoras de uma licença para uma rádio local em Lisboa. De 2008 a fevereiro de 2016 TSF teve como director o jornalista Paulo Baldaia[1], tendo sido substituído por David Dinis. A partir de 1 de agosto de 2016, Arsénio Reis assumiu o comando da rádio.

HistóriaEditar

Fundada em 1981, a cooperativa original composta, essencialmente, por um grupo de 15 profissionais, a maior parte oriundos da então Emissora Nacional (Adelino Gomes, António Jorge Branco, Armando Pires, David Borges, Emídio Rangel, Fernando Alves, Jaime Fernandes, João Canedo Berenguel, João Duarte Soares, Joaquim Furtado, José Videira, Mário Pereira e Teresa Moutinho) e ainda Albertino Antunes e Padre António Rego. Foi liderada por João Duarte Soares, Teresa Moutinho e Albertino Antunes desde a primeira hora, exceto num mandato de 3 anos, na década de 80 do século XX, em que foi legitimamente liderada por Emidio Rangel que, logo a seguir, vIria a mergulhar a Cooperativa, apoiado por um pequeno grupo de cooperadores, num longo conflito interno num processo de legitimidade que se arrastou por muitos anos nos tribunais e culminou com a expulsão deste grupo ainda na década de 90, pelos elevados danos económicos e de reputação causados. O rescaldo judicial deste longo conflito prolongou-se, sem consequências, até à segunda década do século XXI, mesmo depois da extinção jurídica da TSF - Cooperativa de Profissionais de Rádio, CRL, por estar esgotado o seu objeto social estatutário. A designação TSF, proposta por João Duarte Soares remetia a matriz programática deste primeiro projeto de rádio saído da fase pós ditadura, para a retoma da importância da Rádio, como um dos mais fascinantes e insinuantes meios de comunicação da história da humanidade, por analogia com a designação tradicional abreviada de Telefonia Sem Fios,[2] que era como se chamava a rádio nos seus primórdios. O seu objetivo essencial era adoptar um formato de informação ágil, instântaneo, altamente profissional e independente que fosse transversal ao conjunto do território e da população, assente no slogan que ainda hoje adopta, tendo sempre presente que, seria sempre a primeira a explicar, mesmo que não fosse a primeira a anunciar. Vicissitudes e atavismos de natureza política impediram-na administrativamente de ter uma cobertura nacional coerente e homogénea, prejudicando gravemente os interesses dos cidadãos e da sociedade, em detrimento de jogos de poder espúrios.

A estação de rádio, a princípio designada TSF-Rádio Jornal, teve como sócios fundadores a Cooperativa TSF, um grupo de O Jornal e a FNAC - Fábrica Nacional de Ar Condicionado. Tem a classificação de rádio regional, mas cobre em FM o norte e centro do país, além de deter várias rádios locais no sul, chegando a grande parte do território continental português. Pode também ser escutada pela internet em todo o mundo. Possui uma razoável rede de correspondentes internacionais e já foi propriedade do grupo Controlinveste Media, em consequência de Joaquim Oliveira ter adquirido partes da holding Lusomundo à PT Multimédia. Actualmente pertence à Global Media Group cujo capital em março de 2014 o passou a distribuir-se pelos empresários António Mosquito (27,5%), Joaquim Oliveira (27,5%) e Luís Montez (15%) e pelos Banco Comercial Português (BCP) e Novo Banco (NB), ambos com 15% tendo passado desde então a ter uma estrutura de capitais reforçada.

ProgramasEditar

De manhã, o programa mais carismático é o chamado "Fórum", onde diariamente a seguir ao noticiário das 10 horas e de segunda a sexta-feira, se discute um problema da actualidade e onde os ouvintes podem participar, através do telefone. Este programa é tão popular que muitas outras rádios como a rádio Antena 1, canais de televisão como a SIC Notícias, a RTP3 e a TVI24 imitaram o modelo, criando também programas em que os ouvintes participam, comentando o tema do dia.

Ao fim da tarde, depois das notícias das 19 horas, no programa "Pessoal e Transmissível",[3] Carlos Vaz Marques entrevista figuras públicas de diversas áreas, com destaque para gente da cultura (escritores, músicos, pintores) e da ciência. Ao sábado, de manhã, tem lugar o programa Terra a Terra transmitido directamente de um determinado lugar do país.

Ricardo Araújo Pereira, Pedro Mexia e João Miguel Tavares – num programa moderado por Carlos Vaz Marques – são o "Governo Sombra".[4] "Um governo que não decide. Uma equipa ministerial sem consenso. Um conselho de ministros que convive bem com as fugas de informação." Governo Sombra, o programa de debate da actualidade na TSF, vai para o ar todas as sextas-feiras ao fim da tarde, depois das 19h00, com repetição aos sábados, à uma da manhã e ao meio-dia. Tem como lema: "Eles querem, podem, mas não mandam." Ainda no âmbito do humor, todos os dias na antena da TSF temos Bruno Nogueira com o seu "Tubo de Ensaio".

Programas antigosEditar

Existiu na antena da TSF, até Maio de 2009, um programa de humor "Denise e Maria Delfina" em que participaram Ana Bola e Maria Rueff conhecida esta última, pela sua personagem "Zé Manel Taxista".

Entre outros programas, à noite a partir das 22 horas a TSF emitiu o programa A Idade da Inocência em que eram transmitidas canções de décadas já passadas em especial a década de 70 e de década de 80 apresentado por Margarida Pinto Correia e Luís Ferreira de Almeida.

ReferênciasEditar

Ligações externasEditar