TV Jornal (Aracaju)

TV Jornal foi uma emissora de televisão brasileira localizada em Aracaju, capital do Estado de Sergipe. A emissora entrou no ar em 1987 até 1997 e era sintonizada através do canal 13 VHF.

TV Jornal
Radio e Televisão Jornal Ltda.
Rua Cláudio Batista, 334
Cidade de concessão Aracaju, SE
Canais
13 VHF analógico
Slogan A TV da nossa terra!
Rede Rede Bandeirantes (1993-1997)
Rede(s) anterior(es) Rede Manchete (1987-1993)
Proprietário(s)
  • João Alves Filho
  • Maria do Carmo
Fundação 6 de novembro de 1987
Extinção agosto de 1997
Sucessora TV Canção Nova Aracaju
Prefixo ZYB 833
Cobertura Parte de Sergipe e Grande Aracaju

HistóriaEditar

A TV Jornal entrou no ar em 6 de novembro de 1987, retransmitindo a programação da Rede Manchete, sendo portando umas das primeiras afiliadas da Manchete na Região Nordeste. A TV pertencia ao ex-governador e ex-ministro João Alves Filho e se juntava a outros veículos da Rede Jornal de Comunicação: a Rádio Jornal AM 540 (existente desde 1958), a Jornal FM 98,1 (vendida no ano 2000 para a Rede Aleluia) e o Jornal da Manhã (que deu lugar em 2001 ao Correio de Sergipe, hoje em circulação)

Em 1993], deixou a Rede Manchete para se afiliar a Rede Bandeirantes, devido a crise que a emissora carioca enfrentava desde 1992.

Um dos principais programas locais da emissora foi o Batalha na TV, apresentado às tardes pelo jornalista Carlos Batalha, sendo um programa de entrevistas. Desde a venda da emissora em 1997, o programa passou a ser exibido pela recém criada TV Cidade, fundada em 1998, e saiu do ar por volta de 2015, quando Batalha foi para a TV Atalaia.

No jornalismo, um dos programas de destaque foi o noticiário Rede Cidade, produzido com o mesmo padrão da Rede Bandeirantes e que ia ao ar antes do Jornal da Band. Era apresentado por Victor Amaral (falecido em 2017, também foi diretor comercial da TV Sergipe e da Rede Amazônica) e, em outras ocasiões, David Leite (hoje assessor parlamentar), Rísia Rodrigues (hoje assessora de comunicação). Na época em que a Jornal era afiliada à Manchete, o noticiário se chamou Repórter Jornal e Jornal na TV. Outro noticiário, que ia ao ar pela manhã, era o "Isto é Sergipe", com entrevistas e reportagens, ancorado por André Barros (hoje nas rádios CBN Aracaju e Nova Brasil FM Aracaju).

Entre os repórteres que atuavam na época, estavam Adelson Barreto (hoje deputado federal), Anna Fontes (hoje na TV Sergipe), Anselmo Tavares (que também era repórter de rede, atua hoje no interior do estado), Nivaldo Cândido (atualmente na Aperipê TV), Eduardo Abril (apresentador das rádios Jornal, Liberdade e FM Sergipe, falecido em 2016), Eron Ribeiro (repórter da Rádio Jornal AM), Rivando Góis (ex-TV Sergipe), Avelar Mattos (então editor-chefe do Rede Cidade, hoje assessor) e Otoniel Amado, o "Bareta" (hoje no programa Tolerância Zero, da TV Atalaia). Foi no Rede Cidade em que Bareta ficou mais conhecido pelas coberturas de casos policiais, entrevistas com presos em delegacias e bordões como "A cana é dura", "O caso é sério", "Quando a cabeça não pensa..." e "Bota na cara dele, Zé Mário!" (que foi um dos principais cinegrafistas da Jornal na época - hoje no núcleo de rede da TV Sergipe).

A TV Jornal também tinha programas de entretenimento, como o "Parabólica", que apresentava clipes musicais e era apresentado às tardes pelos comunicadores Tony Xocolate e Mequinho Carvalho, à época da Jornal FM. A dupla também apresentou o programa "Kantaokê da Jornal", que era apresentado ao vivo nas noites de sábado, depois das novelas Pantanal e Ana Raio & Zé Trovão, ainda na fase da Manchete. Outra atração do início da década de 1990 foi o programa de auditório apresentado nas tardes de sábado pelo cantor, ator e comunicador Hugo Santana (falecido), que fez longa carreira no sul do país. A Jornal se destacou ainda pelas amplas coberturas de carnaval, São João e Pré-Caju, comandadas pelo comunicador Antônio Valadão. Este, inclusive, chegava a ficar quase sete horas no ar de forma ininterrupta, transmitindo programas da Rua São João, principal local das festas juninas em Aracaju nas décadas de 1980 e 1990.

No esporte, transmitiu campeonatos amadores de futsal, com narrações de Andrade Lima, Antônio Barbosa e Carlos Magalhães. E outros programas também se destacaram, como a revista social eletrônica "Pedrito Barreto em Companhia"; o programa de entrevistas "Saúde & Companhia", com a jornalista Paula Oliveira; o "De Coração a Coração", com o professor e comunicador Jácome Góes; e "Salto Quântico", com o médium espírita Benjamin Teixeira. Com o fim da Jornal, estes programas passaram a ser exibidos pela TV Aperipê.

Em agosto de 1997, após 10 anos da fundação da emissora, os proprietários da emissora anunciam a venda da TV Jornal. Houve uma proposta de alto valor da Rede Record, mas a dona da emissora, a atual senadora Maria do Carmo Alves, já havia prometido venda a rede de TV católica TV Canção Nova, até então pouco conhecida na maioria dos estados brasileiros. Então, com o envolvimento direto de pessoas ligadas à Igreja Católica, os proprietários da TV Jornal vendem para a Canção Nova, que após a compra, procede ao fim da afiliação com a Bandeirantes e o novo nome: TV Canção Nova Aracaju, virando emissora própria da Canção Nova na Região Nordeste.

Precedido por
Emissora inexistente
Canal 13 VHF de Aracaju
1987 - 1997
Sucedido por
TV Canção Nova Aracaju