Telemundo

rede de televisão americana de língua espanhola
Telemundo
Sede da emissora na cidade de Miami.
Tipo Rede de televisão comercial aberta
País Estados Unidos
Fundação 1984 (37 anos)
Pertence a Comcast
Presidente Cesar Conde[1]
Sede Miami, Flórida
Estúdios Telemundo Television Studios
Miami, Flórida
Slogan Juntos imparables
Formato de vídeo
Quota de mercado 45% (2019)[2]
Receita US$ 930,8 milhões (2018)[3]
Canais irmãos
  • NBC
  • Universo
  • Telemundo Puerto Rico
  • TeleXitos
Cobertura 94% do território nacional
Cobertura internacional ver Telemundo Internacional
Nome(s) anterior(es) NetSpan (1984–87)
Página oficial www.telemundo.com
Disponibilidade aberta e gratuita
Retransmissoras do canal[nota 2]
Lista de emissoras próprias e afiliadas
Disponibilidade por satélite
Dish Network
  • Canal 835 (leste; SD)
  • Canal 836 (oeste; SD)
  • Canal 2 (Porto Rico)
DirecTV
  • Canal 406 (leste; SD)
  • Canal 407 (oeste; SD)
  • Canal 162 (Porto Rico)
Disponibilidade digital
AT&T U-verse
Canal 3007 (SD)[nota 3]

Telemundo (pronúncia espanhola: [teleˈmundo] (Sobre este somescutar ); anteriormente conhecida como NetSpan) é uma rede de televisão comercial aberta norte-americana de língua espanhola, pertencente à Comcast através da NBCUniversal. É a segunda maior rede de televisão em espanhol do país, atrás da concorrente Univision, com programação distribuída mundialmente para mais de 100 países em mais de 35 idiomas.

O canal transmite programas e conteúdos originais voltados para o público latino-americano nos Estados Unidos e no mundo, consistindo em telenovelas, esportes, reality shows, noticiários e filmes — com áudio original ou dublados em espanhol. Além disso, a Telemundo opera a NBC Universo, um canal separado direcionado ao público jovem latino-americano;[4] a Telemundo Digital Media, distribui os conteúdos originais da programação da rede, pelos meios de comunicação social, da Telemundo e NBC Universo; pela emissora de televisão aberta, WKAQ-TV em Porto Rico; e pela Telemundo Internacional, divisão de distribuição internacional da rede. Opera também na África, pela Telemundo Africa, um canal de televisão a cabo fundado em 2013 e transmitido em mais de 48 países na África subsariana,[5] disponível em língua inglesa é portuguesa.[6]

A Telemundo está sediada em Miami, com um estúdio de produção no subúrbio de Beacon Lakes, e conta com 1,900 funcionários em todo o mundo.[7][8] A maioria das produções da Telemundo é filmada em seu próprio estúdio — a Telemundo Center — onde 85% das telenovelas da rede foram filmadas durante 2011.[9] As produções fictícias custam em média 70 mil dólares para ser produzidas.[10]

HistóriaEditar

Originalmente lançada como NetSpan em 1984, a rede foi renomeada como Telemundo em 1987, depois que os proprietários da rede compraram a WKAQ-TV (Telemundo Canal 2), uma estação de televisão em San Juan, Porto Rico, com a marca Telemundo no ar. A WKAQ-TV foi fundada em 28 de março de 1954, por Ángel Ramos — proprietário do então principal jornal de Porto Rico, El Mundo, e da primeira estação de rádio porto-riquenha, a WKAQ.[nota 4] Ramos quis manter um perfil consistente para suas propriedades de mídia com base na palavra "mundo", e optou por nomear sua nova propriedade televisiva como "Telemundo". Em 14 de abril de 1983, Ramos vendeu a WKAQ-TV para a John Blair & Co.

Lançamento como NetSpan (1984–1987)Editar

Em 1984, os proprietários da WNJU em Linden, Nova Jérsei (servindo a área de Nova Iorque) e KSTS em San José, Califórnia, fundaram a NetSpan, a segunda rede de televisão de língua espanhola nos Estados Unidos, atrás apenas da Univision. Estas estações juntaram-se à KVEA em Los Angeles, dirigida pelo seu gerente-geral e co-proprietário Joe Wallach, em 1985.[11] No ano seguinte, a Reliance Group Holdings, proprietária da KVEA, adquiriu a marca Telemundo quando comprou a John Blair & Co., que também era proprietária da WSCV, além da WKAQ-TV. No final de 1986, a Reliance também comprou a WNJU.

Em 1987, os executivos do Reliance Capital Group, Saul Steinberg e Henry Silverman, fundiram todas essas estações no Grupo Telemundo.[12] A nova corporação rapidamente tornou-se pública e, em 1987, a Reliance decidiu renomear a NetSpan como Telemundo. No final daquele ano, a empresa adquiriu as estações em São Francisco, Houston (KTMD) e San Antonio (KVDA).

Relançamento como Telemundo (1988–1997)Editar

Entre 1988 e 1993, a Telemundo adquiriu ou afiliou-se a emissoras de televisão no Texas (KFWD, em Dallas e Fort Worth – atualmente filiada da SonLife), no Novo México (KTEL-CD, em Albuquerque), no Arizona (KHRR, em Tucson) e em Washington, D.C. (WZDC-CD). Em maio de 1992, a Telemundo passou por outra mudança de gerenciamento, nomeando o ex-presidente da Univision Joaquin Blaya — que se demitiu dessa rede depois de descobrir, em um aviso da Comissão Federal de Comunicações, que Jerry Perenchio compraria a rede da Hallmark Cards, e a Univision expandiria sua programação com programas da Televisa e da Venevision a níveis que o levaram a crer que haveria menos oportunidades para a adição de programas locais nas estações da Univision, a que se juntaram subsequentemente outros quatro executivos da Univision — para administrar a rede.[13]

No ano seguinte, em 1993, a Telemundo passou por uma extensa rebranding, introduzindo a assinatura emoldurada com o logo "T", e uma campanha promocional usando o slogan "Arriba, Telemundo, Arriba". A rede também começou a produzir suas próprias telenovelas originais, entre elas, Angélica, mi vida, Marielena, Guadalupe, Señora tentación e Tres destinos.[14] Algumas distribuidoras internacionais logo se aproximaram da rede para obter os direitos de sindicação para transmitir estes programas em outros países. Posteriormente, a Telemundo enfrentou um revés inicial quando a principal empresa mexicana, Televisa, comprou a produtora Capitalvision, que vinha produzindo as telenovelas em conjunto com a rede. A empresa matriz Telemundo Group passou por grandes desafios financeiros durante esse período, tendo apresentado um pedido de proteção falimentar no Capítulo 11 em 1994,[15] devido a uma dívida de mais de 300 milhões dólares que a empresa devia a seus credores.[16] Em uma tentativa para aumentar a sua audiência, e diminuir as críticas da National Hispanic Media Coalition, que criticou ambas as redes por não apresentarem conteúdo relatável aos latino-americanos, a Telemundo delineou uma nova estratégia para competir melhor contra a Univision. Em 1995, sob a direção do vice-presidente executivo de programação Harry Abraham Castillo, a Telemundo inaugurou na Costa Oeste, seu primeiro estúdio de produção. Situado no Raleigh Studios em Hollywood, a rede iniciou a produção de três progamas naquele ano: La Hora Lunática, um talk show apresentado por Mario Ramirez Reyes; El y Ella, um talk show focado em questões relacionadas ao gênero que foi criado e produzido por Gigi Graciette e Dando y Dando.[17]

LogotiposEditar

ProgramasEditar

 Ver artigo principal: Lista de telenovelas da Telemundo

ControvérsiasEditar

SAG-AFTRAEditar

Em 9 de fevereiro de 2016, a NBC Universal, empresa matriz da Telemundo, enfrentou reivindicações da SAG-AFTRA de operar sob um padrão duplo entre seus atores hispânicos e norte-americanos na NBC e Telemundo.[18] Em sua resposta, a rede divulgou uma declaração afirmando que eles estão "comprometidos em fazer da Telemundo um ótimo ambiente de trabalho para seus funcionários e continuarão a investir neles para garantir que seus salários e condições de trabalho sejam competitivos com o resto da indústria de radiodifusão, de acordo com o tamanho do mercado e as receitas da estação".[19]

Prêmios e indicaçõesEditar

Ano Prêmio Categoria Resulto
2012 Miami Life Awards
Melhor canal de TV do ano Venceu[20]
2013 Miami Life Awards
Melhor canal de TV do ano Venceu[21]
2014 Miami Life Awards
Melhor canal de TV do ano Venceu[22]
Emmy Internacional Melhor programa no Horário Nobre em língua não-inglesa para El Señor de los Cielos Venceu

Notas e referências

Notas

  1. Redimensionado para este formato para alguns canais afiliados.
  2. A Telemundo possui ao todo 17 emissoras próprias e 54 afiliadas.
  3. Afiliadas disponibilizadas gratuitamente em determinadas cidades.
  4. Também conhecida como "Rádio El Mundo".

Referências

  1. Jasinski, Nicholas. «Telemundo's Chairman on the Network's Rise, Streaming, and the U.S. Latino Audience» 
  2. Enterprises, NBCUniversal Telemundo. «For Third Consecutive Year Telemundo Retains Its Lead As The #1 Spanish-Language Network In Weekday Primetime Among Adults 18-49» 
  3. «Competition, regulation, pricing weigh on potential Univision sale» 
  4. «Breaking News - In Landmark Move, NBC Universal Television Group Signs Development Deal With Galan Entertainment For Production Of Telenovelas In English Across Its Many Networks». The Futon Critic (Nota de imprensa). 27 de fevereiro de 2006 – via NBC Universal Television Group 
  5. «DSTV Sage: Choose the right DSTV package». Dstv package. Consultado em 3 de março de 2019 
  6. «telemundo channel in africa celebrates its first anniversary». Telemundo. 18 de agosto de 2014. Consultado em 4 de março de 2019 
  7. Meg James (26 de julho de 2007). «NBC tacks on Telemundo oversight to Gaspin's tasks». Tribune Publishing. Los Angeles Times. Consultado em 14 de maio de 2010 
  8. «Legal corporate english». Telemundo. Consultado em 3 de fevereiro de 2009. Cópia arquivada em 1 de março de 2009 
  9. Zachary S. Fagenson (23 de junho de 2011). «Telemundo Plans To Tape 1100 Hours Of Telenovelas In Miami». Miami Today 
  10. Cynthia Littleton (30 de julho de 2013). «How to Build a Better Telenovela». Variety. Penske Media Corporation 
  11. Felix Gutierrez (1 de junho de 1986). «Spanish Media in L.A. on Upswing». Times Mirror Company. Los Angeles Times. Consultado em 14 de outubro de 2014 
  12. «TELEMUNDO - The Museum of Broadcast Communications». Museum of Broadcast Communications. Consultado em 27 de abril de 2010 
  13. Claudia Puig (27 de maio de 1992). «Univision President Bolts to Rival Telemundo». Times Mirror Company. Los Angeles Times. Consultado em 7 de novembro de 2015 
  14. «Las novelas en la Televisón de Puerto Rico». www.prfrogui.com. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  15. «Creditors Force Telemundo to File for Chapter 11 : Television: Rapid expansion by America's No. 2 Spanish-language network strained its cash flow, leaving broadcaster $300 million in debt.». Los Angeles Times (em inglês). 31 de julho de 1993. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  16. Reuters (31 de julho de 1993). «Company News; Telemundo Files for Chapter 11 Bankruptcy». The New York Times (em inglês). ISSN 0362-4331 
  17. «New Focus for Telemundo Network : Television: A ratings slump and dwindling access to novelas force a change in programming philosophy. There's a renewed effort to serve the Mexican American audience.». Los Angeles Times (em inglês). 3 de junho de 1995. Consultado em 1 de setembro de 2020 
  18. «New SAG-AFTRA, Telemundo Deal Takes Hold With Minimums, Residuals and Benefits». www.hollywoodreporter.com. Consultado em 27 de agosto de 2020 
  19. McNary, Dave (26 de agosto de 2016). «SAG-AFTRA Blasts Telemundo's 'Double Standard' Treatment of Talent in TV Spot». Variety (em inglês). Consultado em 27 de agosto de 2020 
  20. Lino Ferrer. «Miami Life Awards ganadores de 2012». Consultado em 17 de agosto de 2014 
  21. Lino Ferrer. «Miami Life Awards ganadores de 2013». Consultado em 17 de agosto de 2014 
  22. Lino Ferrer. «Miami Life Awards ganadores de 2014». Consultado em 17 de agosto de 2014 

Ligações externasEditar