Abrir menu principal
The Bishop's Wife
(Cary and the Bishop's Wife)
O Mensageiro do Céu[1] (PRT)
Um Anjo Caiu do Céu[2] (BRA)
 Estados Unidos
1947 •  pb •  109 min 
Direção Henry Koster
Produção Samuel Goldwyn
Roteiro Leonardo Bercovici
Robert E. Sherwood
Billy Wilder (sem créditos)
Charles Brackett (sem créditos)
Baseado em The Bishop's Wife de Robert Nathan
Elenco Cary Grant
Loretta Young
David Niven
Gênero comédia romântica
fantasia
Música Hugo Friedhofer
Cinematografia Gregg Toland
Edição Monica Collingwood
Companhia(s) produtora(s) Samuel Goldwyn Productions
Distribuição RKO Radio Pictures
Lançamento Estados Unidos 9 de dezembro de 1947 (premiere em Nova Iorque)[3]
Estados Unidos 16 de fevereiro de 1948 (Estados Unidos)[3]
Idioma inglês
Receita US$3 milhões (aluguel noa EUA)[4]

The Bishop's Wife, também conhecido como Cary and the Bishop's Wife,[5] (bra: Um Anjo Caiu do Céu; prt: O Mensageiro do Céu) é um filme de fantasia estadunidense de 1947, do gênero comédia romântica produzido por Samuel Goldwyn, estrelado por Cary Grant, Loretta Young e David Niven em uma história sobre um bispo que na véspera de Natal pede ajuda aos céus para continuar sua missão e acaba recebendo auxílio de um anjo que se transforma em rival pelo amor de sua mulher. O filme foi adaptado por Leonardo Bercovici e Robert E. Sherwood a partir do romance de 1928, de mesmo nome, por Robert Nathan, e foi dirigido por Henry Koster.

Foi refeito em 1996 como The Preacher's Wife, estrelando Denzel Washington, Whitney Houston e Courtney B. Vance.

SinopseEditar

O bispo Henry Brougham (David Niven), preocupado com o financiamento da construção de uma nova catedral, faz uma oração por orientação divina. Seu apelo é aparentemente respondido por um anjo gentil chamado Dudley (Cary Grant), que revela sua identidade apenas ao clérigo.

No entanto, a missão de Dudley não é ajudar a construir uma catedral, mas guiar espiritualmente Henry e as pessoas que o cercam. Henry ficou obcecado em arrecadar fundos, em detrimento de sua vida familiar. Seus relacionamentos com a esposa Julia (Loretta Young) e sua jovem filha Debby (Karolyn Grimes) são prejudicados por seu foco na catedral.

Todos, exceto Henry, ficam encantados com Dudley, mesmo o professor não religioso Wutheridge (Monty Woolley). Dudley convence os paroquianos ricos, particularmente a viúva Agnes Hamilton (Gladys Cooper), a contribuir com os fundos necessários, mas não a construir a catedral. Ele persuade a sra. Hamilton a doar seu dinheiro para alimentar e vestir os necessitados — para grande desgosto de Henry. Para economizar tempo, Dudley também redecora a árvore de Natal dos Broughams em alguns segundos, salva uma igreja antiga restaurando o interesse no coro dos meninos e dita a uma máquina de escrever para produzir magicamente o novo sermão de Henry — sem o conhecimento de Henry.

Quando Dudley gasta tempo animando Julia, porém, ocorre um desenvolvimento inesperado: Dudley se sente fortemente atraído por ela. Percebendo isso, Henry fica com ciúmes e ansioso por seu hóspede indesejável terminar e partir. Ele revela a verdadeira identidade de Dudley ao professor Wutheridge, que pede que ele se levante e lute pela mulher que ama.

Dudley indica uma vontade de ficar, mas Julia, sentindo o que ele quer dizer, diz a Dudley que é hora de ele ir embora. Dudley diz ao bispo que é raro um anjo invejar um mortal. Henry quer saber por que seus planos para a catedral foram descarrilados. Dudley lembra o bispo que ele orou pedindo orientação, não um edifício.

Com a missão cumprida e sabendo que Julia ama o marido, Dudley sai, prometendo nunca mais voltar. Toda a memória dele é apagada e, mais tarde, na véspera de Natal, à meia-noite, Henry faz o sermão que acredita ter escrito. Dudley observa da rua, satisfeito por seu trabalho estar concluído.

ElencoEditar

Niven foi originalmente escolhido como anjo, Dana Andrews como bispo e Teresa Wright como sua esposa. No entanto, Wright teve que sair devido à gravidez. Segundo Robert Osborne, Andrews foi emprestado à RKO para obter Loretta Young. Koster então trouxe Cary Grant, mas ele queria interpretar o anjo, então o papel do bispo foi dado a Niven.

ProduçãoEditar

Produção não foi sem problemas. O produtor Samuel Goldwyn substituiu o diretor William A. Seiter por Henry Koster para criar um filme completamente novo. Nas primeiras visualizações, o público não gostou do filme, então Billy Wilder e Charles Brackett fizeram reescrições não creditadas. Mesmo assim, e mesmo que a estreia de The Bishop's Wife tenha sido acompanhada por um sucesso crítico, o filme não se saiu muito bem nas bilheterias a princípio. Pesquisa de mercado mostrou que os espectadores evitavam o filme porque pensavam que era religioso. Então, Goldwyn decidiu renomeá-lo como Cary and the Bishop's Wife para alguns mercados dos EUA, enquanto adicionava uma caixa de texto preta com a pergunta "Você já ouviu falar sobre CARY AND THE BISHOP'S WIFE?" em pôsteres em mercados onde o filme manteve o título original. Ao adicionar o primeiro nome de Grant ao título, os negócios do filme aumentaram em até 25%.[5][6]

As filmagens foram feitas em Minneapolis, Minnesota. Na cena em que Dudley conduz o coro dos meninos, a composição de Charles Gounod 'Noël: Montez à Dieu' foi apresentada pelo Coral de Meninos de Robert Mitchell[7] A música "Lost April" apresentada no filme teve letras escritas por Nat King Cole, que também a gravou.

Principais prêmios e indicaçõesEditar

O filme ganhou o Oscar de melhor som (Gordon E. Sawyer), e foi indicado para melhor diretor, melhor montagem, melhor trilha sonora de filme dramático ou comédia: e melhor filme.[8]

O filme é reconhecido pelo American Film Institute nestas listas:

Adaptações a outras mídiasEditar

The Bishop's Wife foi dramatizada como uma peça de rádio de meia hora na transmissão de 1 de março de 1948 do The Screen Guild Theater com Cary Grant, Loretta Young e David Niven em seus papéis originais no cinema. Também foi apresentado no Lux Radio Theater três vezes como uma transmissão de uma hora: primeiro em 19 de dezembro de 1949, com Tyrone Power e David Niven, segundo em 11 de maio de 1953, com Cary Grant e Phyllis Thaxter[11] e terceiro em 1º de março de 1955, novamente com Grant e Thaxter.

A trilha sonora foi lançada em CD.[12]

Referências

  1. O Mensageiro do Céu (em português) no CineCartaz (Portugal)
  2. Um Anjo Caiu do Céu no CinePlayers (Brasil)
  3. a b «The Bishop's Wife: Detail View». American Film Institute. Consultado em 8 de maio de 2014 
  4. "Top Grossers of 1948", Variety 5 January 1949 p 46
  5. a b The Saturday Evening Post, February 19, 1949; page 22: How Grant Took Hollywood acessado em dezembro de 2013
  6. Peter E. Dans: Christians in the Movies: A Century of Saints and Sinners, page 93 acessado em dezembro de 2013
  7. Boys' Choir scene from The Bishop's Wife no YouTube
  8. «The 20th Academy Awards (1948) Nominees and Winners». oscars.org. Consultado em 18 de agosto de 2011 
  9. «AFI's 100 Years...100 Passions Nominees» (PDF). Consultado em 18 de agosto de 2016 
  10. «AFI's 100 Years...100 Cheers Nominees» (PDF). Consultado em 18 de agosto de 2016 
  11. Kirby, Walter (10 de maio de 1953). «Better Radio Programs for the Week». The Decatur Daily Review. p. 50. Consultado em 27 de junho de 2015 – via Newspapers.com   
  12. «The Bishop's Wife (1947)». SoundtrackInfo. Consultado em 10 de outubro de 2009 
  A Wikipédia tem os portais: