Abrir menu principal

Tomás Coelho (bairro)

bairro do Rio de Janeiro
Tomás Coelho
Tomás Coelho.svg
Bairro do Rio de Janeiro Bandeira do Município do Rio de Janeiro.png
Área: 174,75 ha (em 2003)
Fundação: 23 de julho de 1981
IDH: 0,802[1](em 2000)
Habitantes: 22.676 (em 2010)[2]
Domicílios: 8.220 (em 2010)
Limites: Vicente de Carvalho, Vila Kosmos,
Engenho da Rainha, Pilares,
Piedade e Cavalcante[3]
Subprefeitura: Zona Norte
Região Administrativa: Inhaúma

Tomás Coelho é um bairro da Zona Norte do município do Rio de Janeiro. É de estância residencial, um bairro suburbano não oferecendo aos seus moradores, opções de cultura e esportes com praias, parques, shoppings, museus e teatros apesar de seu potencial em função da fácil localização e de diversos prédios de fábricas atualmente abandonados. No bairro funcionam um estação de trem e de metrô. Seu IDHM, no ano 2000, era de 0,802, o 91º melhor do município do Rio de Janeiro, dente 126 bairros avaliados.[1]

Índice

HistóriaEditar

 
Conselheiro Tomás Coelho, fundador do Colégio Militar, diretor do Banco da República, membro do ministério que decretou a abolição da escravatura. Falecido em 19 de setembro de 1895.

A região pertencia ao antigo Engenho do Mato, junto ao Engenho da Rainha. Lá se encontravam as estradas Velha e Nova da Pavuna (atuais Ademar Bebiano e Av. João Ribeiro), que prosseguiam juntas em uma só via, atravessando a garganta entre o morro do Juramento e a serra da Misericórdia, rumo a Irajá. Essa passagem foi aproveitada pela Estrada de Ferro Rio D’ Ouro, quando de sua construção, no ano de 1876, e nela foi instalada a estação Engenho do Mato.

A E. F. Rio D’ Ouro foi extinta na década de 1960, mas o bairro continuou servido pelos trens da antiga Estrada de Ferro Melhoramentos do Brasil (atual linha auxiliar), com sua estação Tomás Coelho. Seu nome é uma homenagem ao Conselheiro Thomaz Coelho, Ministro da Guerra no 2º reinado (Dom Pedro II), que instalou o Colégio Militar na Tijuca, em 1889.

Com a construção da Linha 2 da Companhia do Metropolitano do Rio de Janeiro – Metrô, foi inaugurada a estação de Tomás Coelho no dia 23 de setembro de 1996. Aí foi construído viaduto ligando a estrada Velha da Pavuna (Ademar Bebiano) a avenida Automóvel Clube (Pastor Martin Luther King Jr.) e a rua Silva Vale, que faz o acesso do bairro à Madureira.

Tomás Coelho é majoritariamente um bairro residencial, com algumas indústrias na rua Silva Vale. Sua área se estende entre os morros dos Urubus, do Juramento e a serra da Misericórdia. Nessas encostas localizam-se favelas como o Parque Silva Vale, Juramento, Nova Maracá e Juramento II, próximas a conjuntos habitacionais.

O bairro possui o Viaduto Francisco dos Santos que liga os dois lados da Avenida João Ribeiro, que são separados pela linha férrea. Facilita o acesso para a Avenida Dom Hélder Câmara, além de ser uma alternativa à Avenida Pastor Martin Luther King Jr., reduzindo o fluxo de veículos desta via.

DadosEditar

O bairro de Tomás Coelho faz parte da região administrativa de Inhaúma. Os bairros integrantes desta região administrativa são: Tomás Coelho, Del Castilho, Engenho da Rainha, Higienópolis, Inhaúma e Maria da Graça.

A denominação, delimitação e codificação do bairro foi estabelecida pelo Decreto Nº 3158, de 23 de julho de 1981 com alterações do Decreto Nº 5280, de 23 de agosto de 1985.

Ligações externasEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Categoria no Commons

Referências