Abrir menu principal

Tomás Gomes de Almeida

Disambig grey.svg Nota: Para outros Tomás de Almeida, veja Tomás de Almeida (desambiguação).


Dom Tomás Gomes de Almeida
Bispo da Igreja Católica
Bispo de Diocese de Angola e Congo, Bispo-auxiliar de Goa e Bispo da Guarda
Ordenação e nomeação
Ordenação presbiteral 2 de Junho de 1860
Dados pessoais
Nascimento 25 de novembro de 1836
Morte 3 de janeiro de 1903
Bispos
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Tomás Gomes de Almeida[nota 1] (São Pedro de Castelões, Vale de Cambra, 25 de novembro de 1836Guarda, 3 de janeiro de 1903) foi um prelado português, que foi bispo de Angola e Congo, Bispo-auxiliar de Goa e Bispo da Guarda.

BiografiaEditar

D. Tomás foi ordenado padre a 2 de Junho de 1860.[1]

Teve a sua apresentação de cónego da Sé de Viseu em 25 de Maio de 1863.[2]

Foi apontado para bispo de Angola em 4 de Agosto de 1871 e foi ordenado em 21 de Janeiro de 1872, contemplando também o bispado do Congo[desambiguação necessária].[1] Fez a sua entrada solene na Diocese de Angola e Congo no dia 3 de Junho de 1872; havia chegado a ao porto de Luanda no dia 1 desse mês, viajando a bordo do barco a vapor Dande.[3]

Foi apontado como Arcebispo auxiliar de Goa, na Índia, e de Teos, em 22 de Setembro de 1879.[1]

Nomeado Bispo da Guarda, seleccionado em 12 de Julho de 1883 e confirmado em 9 de Agosto do mesmo ano.[1] Governou este bispado, até à sua morte, no meio de graves convulsões clericais e sociais.

Em 25 de Junho de 1884 publicou uma Pastoral[desambiguação necessária], divulgando a encíclica papal Humanum Genus contra a Maçonaria, e isso foi o bastante para acender uma acesa polémica e a perseguição política por parte do ministério da Justiça invocando que não lhe tinha sido dado o beneplácito régio. Este demorou mais de dois anos a ser dado.[4]

Hipólito Raposo teve com ele um muito bom relacionamento, com quem trocou correspondência e seu admirador.[5]

D. Thomaz d’ Almeida teve o conto "Os que não deviam viver", cujo tema é a miséria e o roubo, publicado no jornal O Académico (1902–1903).[6]

Foi nomeado Par do Reino, tomando posse a 19 de Dezembro de 1893. Na Câmara dos Pares fez parte de duas Comissões em 1890[7][8] e teve duas Intervenções, a 29 de Março de 1884[9] e a 19 de Maio de 1890.[9][10]

Está sepultado na da cidade da Guarda.

Seu irmão o Dr. José Gomes de Almeida foi Presidente da Câmara Municipal de Vale de Cambra de 1905 a 1907 e de Fevereiro a Novembro de 1908.[11] Sua sobrinha paterna Luciana Rosa Gomes de Almeida casou com Bernardo Coelho e foi mãe do Dr. António Bernardo Coelho, Presidente da Câmara Municipal de Vale de Cambra de 1945 a 1946.[11]

Referências

BibliografiaEditar

  Este artigo sobre Episcopado (bispos, arcebispos, cardeais) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


Precedido por
José Lino de Oliveira
 
Bispo de Angola e Congo

18721879
Sucedido por
José Sebastião de Almeida Neto
Precedido por
 
Arcebispo Auxiliar de Goa

18791883
Sucedido por
Precedido por
Manuel Martins Manso
 
Bispo da Guarda

18831903
Sucedido por
Manuel Vieira de Matos