Abrir menu principal
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde março de 2016). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Wikitext.svg
Esta página ou seção precisa ser wikificada (desde março de 2016).
Por favor ajude a formatar esta página de acordo com as diretrizes estabelecidas.
Ambox important.svg
Este artigo ou seção parece estar escrito em formato publicitário ou apologético
Por favor ajude a reescrever este artigo para que possa atingir um ponto de vista neutro, evitando assim conflitos de interesse.
Para casos explícitos de propaganda, em que o título ou todo o conteúdo do artigo seja considerado como um anúncio, considere usar {{ER|6|2=~~~~}}, regra nº 6 da eliminação rápida.


Searchtool.svg
Esta página foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.

Walney Costa (Triunfo, Rio Grande do Sul, Brasil, 21 de setembro de 1961) é um encenador brasileiro.

Sua peça de estreia em Porto Alegre foi " O Maravilhoso Mundo do Circo" de Euclides Dutra de Morais em 1981. Foi indicado ao Prêmio Açorianos e considerado o melhor ator do ano pelo Jornal Zero Hora. No ano de 1982 protagonizou a peça de Marat-Sade de Peter Weiss, que ganhou em Montevidéu o prêmio de Melhor Espetáculo Internacional do Festival Florêncio.

Mudou-se para o Rio de Janeiro e em 1985 atuou na montagem da peça Bailei na Curva, de Julio Conte, que recebeu o prêmio Mambembe de "Melhor Espetáculo Representante do Brasil no FITEI, Portugal.

No ano de 1992 durante o congresso América 92 realizado na UFRJ , foi diretor de A Tragédia do fim de Atawallpa , (uma peça Inca de 1508 encontrada em 1955 pelo escritor Boliviano Jesus Lara) com Joãozinho Trinta e Grande Otelo elenco.

Nos anos 1993/94, Atuou no Teatro Oficina em São Paulo e no Parque Lage no Rio de Janeiro, aonde interpretou Rei Cláudio em Ham-Let, de Shakespeare, direção de Zé Celso Martinez Corrêa. Anos depois em 2001 participou da re-encenação desta mesma pela para o Festival Teatro Oficina.

No texto 60 & Over teve parceria com Elisa Lucinda e direção de Maurício Abud.

No ano de 2002, durante as comemorações de 20 anos do grupo Cemitério de Automóveis, atuou nas peças; Ovelhas que Voam se Perdem no Céu, Nossa Vida Não Vale Um Chevrolet dirigido por Mário Bortolotto.

Ao lado de Paulo Autran conduziu a cena do projeto Espetáculo Som e Luz, da Fundação Roberto Marinho, no Museu Imperial de Petrópolis, em um filme de direção de Ricardo Nauenberg.

Em 2004 dirigiu e atou em São Paulo a sua peça intitulada " Reator " (Reactor), que teve a Co-Produção William Gavião(Portugal) diretor grupo C.A.I.R - TE também de Portugal.            

Índice

Alguns trabalhos em televisãoEditar

1987/88 -[1] Mandala (novela) direção de Roberto Talma. Personagem: Sinésio.

1988-[2]O Primo Basílio (mini-série) autoria de  Gilberto Braga e Leonor Bassères, direção de Daniel Filho. Personagem: Visconde Reynaldo.

1989-[3]Vale tudo (novela) Autoria: Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Bassères, direção Dennis Carvalho. Personagem:Detetive Veiga

1996/97-[4]Xica da Silva(novela) Autoria :Walcyr Carrasco ( Adamo Angel) direção de Walter Avancini. Personagem: Dr. Lourenço.

2007-[5]Paraíso Tropical (novela) Autoria: Gilberto Braga e Ricardo Linhares.Direção: Dennis Carvalho, José Luiz Villamarim Personagem: Policial Uchôa

2009-[6]Uma Noite no Castelo (especial) Argumento de Renato Aragão e Direção de Marcus Figueiredo. Personagem: Calimero

Além de diverso comerciais.

Ministrante de teatroEditar

Walney Costa foi ministrante dos cursos de artes cênicas no MAM (Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro),

e na CAL (Casa de Artes de Laranjeiras) e na Escola de Teatro Martins Pena.

Em 1997 foi criador do Grupo Teatro de Areia - Companhia CenAcumulada de Revolução Solar e Biodiversidade da Biomassa Comum e Presente - Um Em 1997 no Rio de Janeiro, dirigindo diversas peças de sua autoria como: Sêmen Etéreo e Me Ama.

Em 2012 foi o primeiro profissional convidado a ministrar as novas salas do Multipalco Teatro São Pedro com o Curso "Oficina de Atuação".[7]

Em 2013 ministrou o curso "A Vontade de Poder na Atuação,"[8] também no espaço Multipalco de Teatro São Pedro.

Trabalhos em PortugalEditar

As peças "Me Ama" e "A União faz a Farsa" foram encenadas pelo grupo Cair-Te de direção de William Gavião na Cidade do Porto em Portugal.

Também em Portugal teve publicado seu texto para teatro REATOR na revista de arte AGUAS FURTADAS.

Atualmente estão em progresso os trabalhos de SPYRAL-MAN, um show com canções.

Referências

  1. http://memoriaglobo.globo.com/, globo (2013). «Mandala Ficha técnica». http://memoriaglobo.globo.com/. Consultado em 5 de fevereiro de 2016 
  2. memoriaglobo.com, globo (2013). «O PRIMO BASÍLIO ficha técnica». memoriaglobo.com. Consultado em 5 de fevereiro de 2016 
  3. memoriaglobo.com, globo (2013). «Vale Tudo Ficha Técnica». memoriaglobo.com. Consultado em 5 de fevereiro de 2016 
  4. Nilson Xavier, Nilson (2015). «Xica da Silva». http://www.teledramaturgia.com.br/. Consultado em 5 de fevereiro de 2016 
  5. «PARAÍSO TROPICAL - FICHA TÉCNICA». memoriaglobo.globo.com. Consultado em 5 de fevereiro de 2016 
  6. memoriaglobo.com, globo (2013). «Uma noite no Castelo». memoriaglobo.com. Consultado em 20 de maio de 2016 
  7. Machado, Maringêla (29 de junho de 2012). «Salas Múltiplas do Multipalco Theatro São Pedro serão inauguradas com oficina de atuação». Secretaria de Estado da Cultura. Consultado em 5 de fevereiro de 2016 
  8. clicrbs, rbs (6 de janeiro de 2013). «Cursos de verão em Porto Alegre ensinam de Nietzsche a fotos de viagem». http://zh.clicrbs.com.br/. Consultado em 5 de fevereiro de 2016