Vale Tudo

telenovela brasileira produzida e exibida pela Rede Globo
Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre uma telenovela brasileira. Para outros significados, veja Vale tudo (desambiguação).

Vale Tudo é uma telenovela brasileira produzida pela Rede Globo e exibida originalmente de 16 de maio de 1988 a 6 de janeiro de 1989, substituindo Mandala e sendo substituída por O Salvador da Pátria. Teve 204 capítulos originais,[nota 1] sendo a 39ª "novela das oito" exibida pela emissora.

Vale Tudo
Informação geral
Formato Telenovela
Gênero
Duração 50 minutos
Estado finalizada
Criador(es) Gilberto Braga
Aguinaldo Silva
Leonor Bassères
País de origem Brasil
Idioma original português
Produção
Diretor(es) Dennis Carvalho
Ricardo Waddington
Câmera multicâmera
Elenco
Tema de abertura "Brasil", Gal Costa[2]
Composto por Cazuza
Exibição
Emissora original Rede Globo
Formato de exibição 480i (SDTV)
Formato de áudio stereo
Transmissão original 16 de maio de 1988 – 6 de janeiro de 1989
Episódios 204
Cronologia
Programas relacionados Vale todo (versão hispânica)

Escrita por Gilberto Braga, Aguinaldo Silva e Leonor Bassères, teve direção de Dennis Carvalho e Ricardo Waddington, e direção geral de Dennis Carvalho. A trama abordou a corrupção, a inversão de valores e a falta de ética no Brasil do final dos anos 1980.[4][5]

Contou com as participações de Regina Duarte, Antonio Fagundes, Glória Pires, Carlos Alberto Riccelli, Beatriz Segall, Renata Sorrah, Reginaldo Faria e Cássio Gabus Mendes.[1]

Em 2016, foi eleita (junto com Avenida Brasil) pela revista Veja a "melhor telenovela brasileira" de todos os tempos.[6]

ProduçãoEditar

A telenovela teve como título provisório o nome Pátria Amada ou Bufunfa.[7] No dia de sua estreia, as personagens da então novela das 19h, Sassaricando, comentavam sobre o primeiro capítulo de Vale Tudo. Na ocasião, Lucrécia, personagem de Maria Alice Vergueiro, diz que não quer perder o primeiro capítulo da nova novela de Gilberto Braga.[4] Foi a primeira novela dos atores Adriana Esteves, Cláudia Rangel, Humberto Martins, Lu Grimaldi, Edson Fieschi, Marcos Oliveira (todos em participação especial), Marcello Novaes, Paulo Reis, Renata Castro Barbosa,Otávio Müller, Lala Deheinzelin, João Camargo e Flávia Monteiro.[8][9]

Vinheta de abertura

A novela teve abertura criada pela equipe de Hans Donner. A canção Brasil, do álbum Ideologia, composta por Cazuza, Nilo Romero e George Israel, interpretada por Gal Costa,[2][10] era acompanhada por um mosaico de imagens que procuravam compor um retrato do país. Em um contexto econômico de hiperinflação no Brasil, com o fracasso do Plano Bresser no final dos anos 80, a trama tinha como temas principais a corrupção, a falta de ética e a inversão de valores no país. Ao final da vinheta, as imagens formavam a bandeira brasileira.[4]

ReexibiçõesEditar

Foi reexibida pelo Vale a Pena Ver de Novo de 11 de maio a 6 de novembro de 1992 (no ano em que ocorria o conturbado impeachment de Fernando Collor acusado de escândalos corrupção do Esquema PC Farias), substituindo Fera Radical e sendo substituída por Bebê a Bordo, em 129 capítulos.[1]

Vale Tudo foi escolhida para ser uma das primeiras tramas a serem exibidas no recém-inaugurado Canal Viva, de 4 de outubro de 2010 a 13 de julho de 2011, às 00h45, com reapresentação no dia seguinte às 12h30, [11] sendo substituída por Roque Santeiro.[12]

Em comemoração aos trinta anos da trama, o Canal Viva voltou a apresentá-la de 18 de junho de 2018 a 8 de fevereiro de 2019, às 15h30, com reapresentação às 00h00, substituindo Bebê a Bordo,[13][14] e sendo substituída por Porto dos Milagres.[15]

Outras mídiasEditar

Em outubro de 2014 foi lançada em DVD pela Globo Marcas.[16][17][18]

Em 20 de julho de 2020 foi disponibilizada na íntegra no Globoplay, serviço de streaming da Globo.[19]

Exibição internacionalEditar

Vale Tudo foi exibida em mais de 30 países, entre os quais Alemanha, Angola, Argentina, Bélgica, Canadá, Chile, Cuba, Espanha, Estados Unidos, Itália, Peru, Polônia, Turquia e Venezuela.[4] Seu primeiro capítulo foi transmitido no dia 16 de maio de 1988, e o último, no dia 6 de janeiro de 1989, com reapresentação no dia 7 de janeiro, totalizando 204 capítulos.[4]

Foi exibida em Portugal pela RTP1, em substituição da novela Sassaricando, no horário das 20 horas. Teve o seu primeiro capítulo exibido em 6 de dezembro de 1989, e o último, no dia 22 de junho de 1990, totalizando 140 capítulos.[20][21]

Em 26 de setembro de 2011, Vale Tudo estreou no horário das 17 horas na TV Globo Internacional da África. Terminou em 6 de abril de 2012, totalizando 136 capítulos.

EnredoEditar

Raquel Accioli[22][23] está separada de seu marido, Rubinho, há cerca de dez anos, época em que, depois de uma violenta discussão, ela decidiu abandoná-lo e ir viver com a filha, a ambiciosa Maria de Fátima, na casa do pai, Salvador, em Foz do Iguaçu, no Paraná. O único bem da família é uma casa modesta que Salvador passou para o nome da neta, de modo que, quando este morresse, nada lhe faltasse. Raquel vive como guia de turismo e, quando Salvador morre, Fátima, sem dizer nada à mãe, vende a casa[22] e parte para o Rio de Janeiro em busca de ganhar a vida, não importando como. No Rio ela se envolve com César Ribeiro, um ex-modelo que teve o mundo das passarelas aos seus pés, e que atua como garoto de programa. Raquel parte para o Rio à procura da filha. Maria de Fátima é apresentada por César a Solange Duprat, produtora de moda da revista Tomorrow, passando a atuar como modelo e morar em sua casa, usando-a para se aproximar de Afonso Roitman, namorado da jornalista, e se casar com ele.[4]

A trama passa então a mostrar a dualidade: Maria de Fátima buscando ficar rica com o casamento arranjado, enquanto Raquel, vendendo sanduíches na praia, acaba subindo na vida e, de maneira honesta, vira dona de uma rede de restaurantes industriais.[22][24] Raquel inicia um namoro com Ivan Meireles, porém ele acaba se casando com Heleninha Roitman, o que opõe Raquel a Odete Roitman, já que esta quer afastar, de qualquer forma, Raquel de Ivan. Como o casal acaba se reaproximando, Odete dá sua última cartada: manda Ivan subornar um agente da alfândega brasileira para liberar equipamentos retidos, só que a empresária filma a cena e passa a chantagear Raquel e Ivan, o qual acaba sendo preso por corrupção.

 
Beatriz Segall afirmava que depois de mais de 20 anos da exibição da novela ainda a chamavam de Odete Roitman.[25]

Paralelamente, outros temas foram abordados:

  • A pintora Heleninha Roitman (Renata Sorrah), filha de Odete, luta contra o alcoolismo e conhece o amor com William (Dennis Carvalho), que a encaminha aos Alcoólicos Anônimos para livrar-se do vício.
  • Bartolomeu (Cláudio Correia e Castro), pai de Ivan, fica desempregado, e tem dificuldade em arranjar emprego por não saber utilizar computador.
  • Ivan (Antonio Fagundes), ao perder o emprego na empresa de Odete, passa a ser subgerente de um hotel graças às influências de Odete Roitman que não permite que ele consiga outro emprego no ramo da aviação.
  • Marco Aurélio (Reginaldo Faria), vice-presidente da empresa de aviação de Odete Roitman, a TCA, comete diversas irregularidades e desvia o dinheiro da empresa para a sua própria conta.
  • A irmã de Marco Aurélio tem um caso com outra mulher.[4]
  • À época, considerava-se que devido a polêmica acerca das personagens homossexuais, Gilberto Braga teve de eliminar da trama a irmã de Marco Aurélio, Cecília (Lala Deheinzelin). Mas segundo a atriz Cristina Prochaska, a morte da personagem já estava prevista pelo autor.[26]
  • Tiago (Fábio Villa Verde), o filho de Marco Aurélio, é tímido, virgem, não tem namorada e seu pai desconfia de que seja homossexual, pois ele fica ouvindo música clássica com seu amigo André (Marcello Novaes) no quarto.
  • No último capítulo, Marco Aurélio foge do país com a mulher Leila e dá uma "banana" para o Brasil de dentro da cabine de seu jatinho.[27]

Quem matou Odete Roitman?Editar

No capítulo 193, que foi ao ar no dia 24 de dezembro de 1988,[28] sábado, véspera de Natal, a vilã Odete Roitman (Beatriz Segall) foi assassinada com 3 tiros. Apesar do mistério do assassino ter durado apenas 13 dias, o assunto dominou as conversas pelo país, lançando a pergunta "Quem matou Odete Roitman?".[29][30][31][32][33]

No último capítulo, revela-se que Odete Roitman (Beatriz Segall) havia sido morta, por engano, por Leila (Cássia Kis), que pensa estar atirando em Maria de Fátima (Glória Pires), a qual havia se tornado amante de seu marido, Marco Aurélio (Reginaldo Faria), ex-genro de Odete.[32] A cena do disparo foi gravada no dia em que o último capítulo foi ao ar. A identidade do assassino foi revelada na sexta-feira, dia 6 de janeiro de 1989, nem os próprios atores tiveram acesso ao verdadeiro final, que foi gravado em cinco versões diferentes.[34]

ElencoEditar

 Ver artigo principal: Elenco de Vale Tudo

MúsicaEditar

A trilha sonora de Vale Tudo foi cuidadosamente elaborada e trouxe grandes nomes da música brasileira e internacional. As trilhas foram lançadas originalmente em 1988, sendo que somente a trilha nacional foi remasterizada e relançada em CD pela Som Livre em 2001. A produção do álbum nacional ficou por conta de Max Pierre e Aramis Barros, incluindo canções inéditas ou versões gravadas especialmente para a trilha sonora, enquanto a trilha internacional foi selecionada por Sergio Motta.[4][10]

RepercussãoEditar

Na época, o bordão O sangue de Jesus tem poder falado por Raquel (Regina Duarte) virou marca da sua personagem.[carece de fontes?] O maior destaque da trama foi Odete Roitman, interpretada pela atriz Beatriz Segall, considerada a maior vilã da história da teledramaturgia.[4] Outro destaque foi Glória Pires interpretando Maria De Fátima, sendo considerada uma das maiores vilãs de todos os tempos, também eleita "a filha mais ingrata da TV",[35] que chegou a vender seu próprio filho e deixar sua mãe no olho da rua.[34] Renata Sorrah interpretou uma das personagens mais populares de sua carreira: a alcoólatra Heleninha Roitman. O nome da personagem virou referência para quem bebia demais.[36]

Vale Tudo é marcada por várias cenas antológicas, como a cena do primeiro capítulo, em que Raquel, personagem de Regina Duarte descobre que a filha, Maria de Fátima, personagem de Glória Pires, vendeu a casa e sumiu com o dinheiro; a cena do capítulo 14, no ar em 31 de maio de 1988 em que Fátima encontra Raquel vendendo sanduíche na praia; a cena em que Raquel rasga o vestido de noiva de Fátima quando ela se casa com Afonso, personagem de Cássio Gabus Mendes; a cena em que Fátima rola as escadarias do Teatro Municipal; o acerto de contas entre Fátima e a jornalista Solange, personagem de Lídia Brondi, quando esta descobre a traição do marido Afonso. Bem como o acerto de contas entre Fátima e Afonso, quando este descobre a traição de Fátima com o bon vivant César, personagem de Carlos Alberto Riccelli, além das cenas de barraco homéricas protagonizadas por Heleninha Roitman, personagem de Renata Sorrah.[37] E as cenas finais do último capítulo, quando Leila, personagem de Cássia Kis, revela ser a assassina de Odete Roitman, personagem de Beatriz Segall. E Marco Aurélio, personagem de Reginaldo Faria, deixando o país, dando uma banana para o Brasil.[38]

AudiênciaEditar

Sua média geral no IBOPE foi de 56 pontos, ocupando a 8.ª colocação entre as novelas de maior audiência da história da Rede Globo.[39][40] Com a morte da vilã Odete Roitman no capítulo 193, no dia 24 de dezembro, marca 81 pontos.[41]

PrêmiosEditar

Troféu APCA (1988)[42][42]

Troféu Imprensa (1988)[4]

Versão hispânicaEditar

 Ver artigo principal: Vale Todo

Em 2002, a Rede Globo regravou Vale Tudo em espanhol (com o nome Vale Todo) para ser exibida para o mercado hispânico dos Estados Unidos.[43][44] A nova versão foi exibida no canal Telemundo, que foi parceira na produção.[45] A versão hispânica da novela teve direção de Reinaldo Boury e adaptação de Yves Dumont. Diferentemente do que ocorreu no Brasil, o remake não obteve empatia com o público.[46][47]

Notas e referências

Notas

  1. Foram 204 capítulos escritos e exibidos, apesar de terem sido 203 dias de exibição de 16 de maio de 1988 a 6 de janeiro de 1989. Isso porque no dia 26 de agosto de 1988 (uma sexta-feira), a Globo exibiu dois capítulos seguidos da novela (90 e 91).[3]

Referências

  1. a b c Xavier, Nilson. «Vale Tudo». Teledramaturgia. Consultado em 22 de fevereiro de 2011. Arquivado do original em 24 de fevereiro de 2019 
  2. a b Catania, Fernanda; Colombo, Patrícia (7 de julho de 2010). «20 anos sem Cazuza». Rolling Stone Brasil. Consultado em 1 de julho de 2010 
  3. Xavier, Nilson. «Vale Tudo». Seção Bastidores: "Foram 204 capítulos escritos e 204 exibidos. Porém, foram 203 noites com novela (mais a reprise do último capítulo, no sábado), porque no dia 26/08/1988 (uma sexta-feira), a Globo exibiu dois capítulos seguidos de Vale Tudo, o 90 e o 91". Teledramaturgia. Consultado em 22 de fevereiro de 2011 
  4. a b c d e f g h i j «Vale Tudo». Memória Globo. Consultado em 18 de fevereiro de 2021 
  5. Teixeira, Rodrigo (6 de julho de 2003). «Um balanço dos 40 anos das telenovelas no Brasil». Terra. Consultado em 15 de setembro de 2010. Arquivado do original em 31 de dezembro de 2010 
  6. [1] As melhores novelas da TV brasileira.
  7. Ferreira, Leonardo (26 de janeiro de 2010). «De 'Vale tudo' a 'Cama de gato': quando as novelas tiveram outro nome». Extra Online. Consultado em 5 de julho de 2013 
  8. Redação Contigo! Online!. «Famosos - Marcello Novaes». Revista Contigo!. Consultado em 5 de julho de 2013 
  9. Sato, Nino (11 de outubro de 2008). «Flávia Monteiro volta a atuar com crianças em 'Os Mutantes'». Terra. Terra Tecnologia. Consultado em 1 de julho de 2010 
  10. a b Araújo, Bernardo (14 de março de 2010). «Som Livre: 4.0 em evolução». Billbord Brasil. Consultado em 1 de julho de 2010 
  11. Ferreira, Leonardo (16 de setembro de 2010). «'Vale Tudo' volta em outubro ao canal Viva». Redação Extra Online. Consultado em 18 de fevereiro de 2011 
  12. «Novela Vale Tudo estreia no Canal Viva». Área Vip. 17 de setembro de 2010. Consultado em 22 de agosto de 2015 
  13. «Viva suspende Brega e Chique e encurta Bebê a Bordo para encaixar Vale Tudo» 
  14. «Curiosidades de Vale Tudo, que estreia no Canal Viva no dia 18». observatoriodatelevisao.bol.uol.com.br. Consultado em 11 de junho de 2018 
  15. «VIVA estreia Porto dos Milagres no lugar de Vale Tudo; saiba mais». Resumo das Novelas. Consultado em 8 de fevereiro de 2019 
  16. «DVD - Vale Tudo 13 discos». Globo Marcas. Consultado em 5 de novembro de 2014 
  17. Cristina Padiglione (28 de outubro de 2014). «'Vale Tudo' sai em DVD com kit Odete Roitman». Estadão. Consultado em 5 de novembro de 2014 
  18. «Pioneira na discussão da corrupção política, novela Vale Tudo chega em DVD». UOL. Vírgula. 28 de outubro de 2014. Consultado em 5 de novembro de 2014 
  19. «'Vale Tudo' chega ao Globoplay com discussão sobre corrupção e pergunta que parou o Brasil: Quem matou Odete Roitman?». G1. 20 de julho de 2020. Consultado em 8 de setembro de 2020 
  20. http://www.fmsoares.pt/aeb_online/visualizador.php?bd=IMPRENSA&nome_da_pasta=06891.208.31615&numero_da_pagina=39 Diário de Lisboa, nº 23132, 5 de dezembro de 1989, p.39
  21. http://www.fmsoares.pt/aeb_online/visualizador.php?bd=IMPRENSA&nome_da_pasta=06892.209.31749&numero_da_pagina=39 Diário de Lisboa, nº 23266, 22 de junho de 1990, p.39
  22. a b c «as mulheres que começaram por baixo, mas deram a volta por cima». Rede Globo. 19 de maio de 2009. Consultado em 1 de julho de 2010 
  23. Villalba, Patrícia (21 de setembro de 2008). «Menos Helena, mais Porcina». Jornal Zero Hora. Consultado em 1 de julho de 2010 
  24. Lattari, Annie (12 de julho de 2009). «Os protagonistas humildes que conquistaram o público». Te Contei. Consultado em 1 de julho de 2010 
  25. "Ainda me chamam de Odete Roitman", diz Beatriz Segall
  26. Casaletti, Danilo (17 de novembro de 2010). «Cristina Prochaska: "Laís e Cecília foram muito bem recebidas pelo público"». Mente Aberta. Redação Revista Época. Consultado em 15 de julho de 2011 
  27. Redação Vídeo Show (28 de abril de 2010). «Baú da Globo: Reveja uma cena de Vale Tudo, novela exibida em 1988». Rede Globo. Consultado em 1 de julho de 2010 
  28. «Vale Tudo (Seção "Bastidores")». Teledramaturgia. Cópia arquivada em 31 de julho de 2018 
  29. Redação Época Online (15 de outubro de 2007). «As campeãs de audiência». Revista Época. Consultado em 1 de julho de 2010 
  30. Redação Estadão (16 de maio de 2009). «Tiros para dona Odete». Jornal O Estado de S.Paulo. Consultado em 1 de julho de 2010 
  31. Casaletti, Danilo (7 de julho de 2010). «Bonitinha e má». Revista Época. Consultado em 1 de julho de 2010 
  32. a b Forti, Lorena (1 de abril de 2010). «Triste fim das vilãs nas novelas: As 10 punições mais esperadas pelo público». Revista Contigo!. Consultado em 1 de julho de 2010 
  33. Sulina, Vanessa (2 de março de 2010). «"Quem matou?" é segredo do sucesso». Portal R7. Consultado em 1 de julho de 2010 
  34. a b Redação Vídeo Show (24 de abril de 2009). «Momentos marcantes da TV: reveja a morte de Odete Roitman, em Vale Tudo». Rede Globo. Consultado em 1 de julho de 2010 
  35. Corrêa, Elena (27 de setembro de 2009). «Glória Pires será vilã em novela de Gilberto Braga». Revista Quem Acontece. Quem Online. Consultado em 1 de julho de 2010 
  36. Senna, Paulo (9 de outubro de 2008). «Momentos inesquecíveis da história tv: 'Vale Tudo'». O Globo. Consultado em 1 de julho de 2010 
  37. Redação Zero Hora (1 de novembro de 2009). «A eterna Heleninha». Jornal Zero Hora. Consultado em 1 de julho de 2010 
  38. Redação Programa de TV. «Novela Vale Tudo». Revista Contigo!. Consultado em 1 de julho de 2010. Arquivado do original em 6 de fevereiro de 2012 
  39. Redação Terra (25 de abril de 2009). «Confira as 10 novelas mais vistas da Globo». Terra Diversão. Consultado em 1 de julho de 2010 
  40. Redação Quem Online (10 de março de 2009). «Aguinaldo Silva divulga lista das novelas com maior audiência da história». Revista Quem Acontece. Consultado em 1 de julho de 2010. Arquivado do original em 22 de agosto de 2013 
  41. «Relembre as cenas marcantes das novelas que deram o que falar!». ESTRELANDO. Consultado em 9 de janeiro de 2019 
  42. a b Redação APCA. «Os melhores da APCA - Premiados 1988». Associação Paulista de Críticos de Arte. Consultado em 1 de julho de 2010. Arquivado do original em 28 de setembro de 2011 
  43. Redação Folha Online (18 de março de 2002). «Novela "Vale Tudo" volta ao ar com atores hispânicos». Folha Online. Consultado em 1 de julho de 2010 
  44. Valladares, Ricardo (29 de maio de 2002). «Quem matou Lucrécia Roitman». Revista Veja. Consultado em 1 de julho de 2010 
  45. Meneghini, Carla (14 de abril de 2002). «Globo começa a gravar "Vale Tudo" em espanhol». Folha Online. Consultado em 1 de julho de 2010 
  46. Redação Caderno 2 (26 de novembro de 2003). «"Vale Tudo" vira hit em Portugal». Jornal O Estado de S. Paulo. Consultado em 1 de julho de 2010 
  47. Redação Fantástico (22 de setembro de 2002). «"Vale Tudo" na América Latina». Rede Globo. Consultado em 1 de julho de 2010 

Ligações externasEditar

 
O Wikiquote possui citações de ou sobre: Vale Tudo