Abrir menu principal

Yegor Ilyich Titov - em russo, Егор Ильич Титов (Moscou, 29 de maio de 1976) - é um ex-futebolista russo. É atualmente auxiliar-técnico no Yenisey Krasnoyarsk.

Yegor Titov
Егор Титов
Yegor Titov Егор Титов
Titov em 2018, como auxiliar no Yenisey Krasnoyarsk.
Informações pessoais
Nome completo Yegor Ilyich Titov
Data de nasc. 29 de maio de 1976 (43 anos)
Local de nasc. Moscou, União Soviética
Nacionalidade russo
Altura 1,86 m
Apelido Il'ich
Informações profissionais
Equipa atual Yenisey Krasnoyarsk
Posição Auxiliar-técnico (Ex-meio-campista)
Clubes de juventude
1983–1992 Spartak Moscou
Clubes profissionais
Anos Clubes Jogos (golos)
1992–1995
1995–2008
2008–2009
2009–2010
2011–2012
Spartak Moscou B
Spartak Moscou
Khimki
Lokomotiv Astana
Arsenal Tula
91 (13)
324 (87)
12 (0)
24 (6)
5 (0)
Seleção nacional
1998–2007 Rússia 41 (7)
Times/Equipas que treinou
2015–2016
2017–
Spartak Moscou (auxiliar-técnico)
Yenisey Krasnoyarsk (auxiliar-técnico)

Índice

Um quarto de século no SpartakEditar

 
Titov com a camisa do Spartak, clube que defendeu por 25 anos (1983 a 1992 na base e 1992 a 2008 no profissional).

Passou 25 anos de sua vida no Spartak Moscou. Integrara os juvenis do mais popular clube de futebol russo em 1983, aos 7 anos de idade. Ascendeu ao time principal em 1995, após três anos na equipe B. Titov participou da conquista de seis campeonatos russos, vencidos consecutivamente entre 1996 e 2001.

Desde então, a equipe, maior vencedora da Liga Russa, entrou em jejum na competição. Em julho de 2008, acabou sendo dispensado pelo técnico Stanislav Cherchesty - seu ex-colega de Seleção Russa e no próprio Spartak - juntamente com o ucraniano Maksym Kalynychenko, após uma derrota por 1 x 5 no clássico contra o CSKA Moscou. A decisão não foi bem aceita pelos torcedores, que viam em Titov um símbolo do clube.

Saída pelos fundosEditar

Titov acertou com o Khimki, da região metropolitana de Moscou. Foi o golpe mortal contra Cherchesty, que cairia logo depois, não resistindo à eliminação na fase preliminar da Liga dos Campeões frente ao Dínamo de Kiev, ex-rival do Spartak nos tempos de União Soviética.

Chegando ao Khimki no decorrer das disputas da edição de 2008 da Liga Premier Russa, Titov ajudou o pequeno clube dos arredores da capital a escapar do rebaixamento - o clube terminou uma posição acima do primeiro rebaixado, o Shinnik Yaroslavl, garantindo sua permanência na penúltima rodada.

Chegada ao Cazaquistão e final de carreiraEditar

No início de 2009, acertou sua transferência para o Lokomotiv Astana (atual FC Astana), novo clube do Cazaquistão, juntamente com um colega de Khimki, Andrey Tikhonov. Tal fato chocou a mídia russa. Durante um jogo do Lokomotiv, Titov foi expulso pela primeira vez em sua carreira, encerrada pela primeira vez no ano seguinte, aos 33 anos. Regressou aos gramados em 2012 para defender o Arsenal Tula,[1] treinado por seu ex-companheiro de Spartak e Seleção Russa, Dmitriy Alenichev, e após disputar cinco jogos, aposentou-se oficialmente como jogador.

Seleção RussaEditar

Estreou pela Rússia em 1998. Participou da Copa do Mundo de 2002, tendo marcado um gol contra a Tunísia, na estreia. Acabaria sendo a única vitória russa no torneio - o selecionado acabaria eliminado na primeira fase após derrotas para o anfitrião Japão e Bélgica. Mesmo assim, Titov despertou o interesse do Atlético de Madri, mas preferiu continuar no clube de coração.

Era nome certo para a Eurocopa 2004, mas recebeu uma suspensão de um ano após ser pego no exame antidoping após jogo contra o País de Gales, nas eliminatórias para a Euro. Em sua defesa, seus companheiros alegaram que a culpa seria de um dos fisioterapeutas do Spartak. A Federação Russa de Futebol afastou Titov de jogos oficiais por 6 meses,[2] e o País de Gales pediu a anulação da partida,[3] mas a UEFA decidiu manter a vaga da Rússia na Eurocopa.

Em 2006, já havia voltado a ser uma das peças-chave da Seleção, mas deixou de ser chamado no ano seguinte após recusar convocação para um jogo das Eliminatórias para a Eurocopa 2008. Titov alegou que desejava passar mais tempo com a esposa, que estaria grávida. Este fato marcou o fim da passagem dele na Seleção.

Após 3 anos fora do futebol, Titov retornou ao Spartak Moscou em 2015, desta vez para ser auxiliar-técnico. na temporada 2015-16. Em junho de 2017, assinou com o Yenisey Krasnoyarsk também para trabalhar como assistente de Alenichev.[4]

Referências

  1. «Arsenal Tula 2011/12 season summary» (em russo). Footballfacts. Consultado em 12 de agosto de 2015 
  2. UOL Esporte (4 de março de 2004). «Rússia afasta jogador flagrado em doping por seis meses». Consultado em 4 de março de 2004 
  3. Portal Terra (6 de fevereiro de 2004). «Gales usa doping de russo para tentar vaga na Euro». Consultado em 6 de fevereiro de 2004 
  4. Sports Daily (5 de junho de 2017). «Титов будет помогать Аленичеву в «Енисее»». Consultado em 5 de junho de 2017