Abrir menu principal

Ana Maria Moretzsohn

Ana Maria Moretzsohn
Nascimento 7 de novembro de 1947 (72 anos)
Nacionalidade brasileira
Ocupação escritora, novelista

Ana Maria Coelho Moretzsohn (Rio de Janeiro, 7 de novembro de 1947) é uma escritora e autora de telenovelas brasileira. É mãe do ator Guga Coelho, da escritora Patrícia Moretzsohn e do diretor Alexandre Moretzsohn.

Nascida no bairro carioca de Copacabana, na juventude estudou jornalismo, atividade que começou por exercer. A partir de 1985, começa a escrever telenovelas, profissão que exerce até hoje. Entrou na Rede Globo através da Casa de Criação de Janete Clair, projeto criado em homenagem à autora pelo viúvo Dias Gomes e com o objetivo de criar novos novelistas.

Não escreveu apenas para a Rede Globo. Em momentos de sua carreira como autora, transferiu-se para outras emissoras brasileiras como Rede Bandeirantes e Rede Record. Em 2001, supervisiona o texto da novela A Senhora das Águas em Portugal.

Recentemente junto com a sua filha, escreveu o livro Bonita Luz, logo após ter finalizado Luz do Sol. Ela viajou para a Bahia onde escreve seu romance policial.

BiografiaEditar

Nascida no ano de 1947, Ana Maria cursou jornalismo e trabalhou em alguns jornais como Jornal Extra e Folha de S. Paulo. Em 1984 entra na Casa de Criação de Janete Clair, e consegue entrar na Rede Globo.

CarreiraEditar

1985–05Editar

Estreou como autora da TV em 1985, quando escreveu um episódio do Caso Verdade. No ano seguinte escreveu um episódio para o Teletema. Em 1987, foi colaboradora de Walther Negrão na novela Direito de Amar. No mesmo ano, foi colaboradora de Daniel Más na novela Bambolê. Em 1989/1990 escreveu com Aguinaldo Silva e Ricardo Linhares a novela Tieta, adaptação da obra de Jorge Amado. Ainda com Aguinaldo, escreveu a minissérie Riacho Doce, também uma adaptação. No mesmo ano, escreve no horário das 19h com Ricardo Linhares e Maria Carmem Barbosa a novela Lua Cheia de Amor, adaptação da novela das 18h Dona Xepa, de Gilberto Braga, sob a supervisão do mesmo. No ano seguinte, repetindo a parceria com Ricardo Linhares e Aguinaldo Silva, escreveu Pedra sobre Pedra. Em 1993, também com Ricardo e Aguinaldo, escreveu a novela Fera Ferida. Em 1995 Ana Maria supervisionou, junto com Ricardo Linhares a 1ª temporada de Malhação, que teve autoria de Andréa Maltarolli e sua filha.

Em 1996 se transfere para a Rede Bandeirantes. Nessa emissora escreveu sua primeira novela solo, Perdidos de Amor, que teve boa audiência. Em 1998 escreveu a adaptação literária Serras Azuis, que foi duramente criticada, devido ao seu roteiro fraco e cheio de clichês. No mesmo ano, adaptou a novela Meu Pé de Laranja Lima e em dezembro escreveu o especial Contos de Natal. Em 2000, retornou à Rede Globo, onde escreveu a novela das seis Esplendor, que obteve índices razoáveis de audiência, tendo levantado os índices da novela anterior, Força de um Desejo. Junto com a filha, no ano seguinte escreveu a novela Estrela-Guia, protagonizada por Sandy e Guilherme Fontes. Também em 2001, supervisionou a novela A Senhora das Águas em Portugal. Em 2002/2003, na Rede Globo, escreveu Sabor da Paixão, sua última novela na emissora e que foi um fiasco retumbante, chegando a 14 pontos.

2006–10Editar

Em setembro 2006 assina com a Rede Record e prepara a sinopse de uma novela, a qual originalmente teria o título de A Estranha.[1] A novela estreou em 21 de março de 2007 sob o novo título de Luz do Sol , trazendo como protagonista Luíza Tomé no papel de uma mãe que tem sua filha sequestrada no aniversário de cinco anos e, mais de uma década depois, finalmente consegue encontrá-la.[2] A produção trouxe uma abordagem diferente do que Ana Maria fazia até então, com novelas mais densas e dramáticas, sendo que Luz do Sol se baseava em histórias leves, comédia romântica e um núcleo fundamentado nas praias cariocas.[3] A novela estreou com 12 pontos e chegou ao fim com 16, mantendo a vice-liderança para a emissora, com picos de alguns capítulos liderar o horário.[4][5][6] Em 2008 apresentou uma sinopse intitulada Corpos Partidos, a qual pretendia levar ao ar em 2009 logo após o fim de Promessas de Amor no horário de novela das oito. [7] A novela teria como tema o tráfico de órgãos humanos para outros países no mercado negro, apresentando uma trama mais densa que sua antecessora, Luz do Sol. A trama chegou à ser aprovada e Ivan Zettel escalado como diretor.[8] Porém, pouco tempo depois, a versão brasileira de Bela, a Feia foi aprovada para o horário, sendo escrita por Gisele Joras, e Corpos Partidos acabou engavetada.[9] Em dezembro de 2009 seu contrato chega ao fim e Ana Maria decide não renová-lo, aborrecida pelos rumos da história em que havia preparado.[10] Em 2010 chegou à negociar com o SBT para estrear Corpos Partidos, porém, pela situação precária da teledramaturgia da emissora, decidiu não assinar contrato.[11]

2011–presenteEditar

Em 2011, retornou mais uma vez à Globo, onde supervisionou a primeira fase de Malhação Conectados junto com Ricardo Linhares de autoria de Ingrid Zavarezzi. Na segunda fase da temporada, assumiu a autoria da trama junto com Ingrid. Em 2012, supervisionou a primeira fase da vigésima temporada de Malhação, que teve autoria de de Rosane Svartman e Glória Barreto e em 2013, escreveu a temporada seguinte da série, em parceria com sua filha. No mesmo ano, em parceria com Ricardo Linhares, foi supervisora do remake de Saramandaia. Após 5 anos afastada das telenovelas, Ana Maria retorna para a Rede Record em 2018.

Vida pessoalEditar

Em 1975 nasce sua filha Patrícia Moretzsohn, que se tornaria também uma autora de novelas e coautora de uma das suas em 2001. No mesmo ano nasce seu filho Guga Coelho.

TrabalhosEditar

JornalismoEditar

BibliografiaEditar

Referências

  1. «Ana Maria Moretzsohn entrega sinopse de nova novela à Record». O Fuxico. 9 de março de 2007. Consultado em 27 de julho de 2011 
  2. «'Luz do Sol' estréia na Record; saiba quem é quem na trama». Terra. 20 de março de 2007. Consultado em 27 de julho de 2011. Arquivado do original em 4 de setembro de 2007 
  3. «Na Record, a autora Ana Maria Moretzsohn tenta narrativa diferente». Terra. 9 de março de 2007. Consultado em 27 de julho de 2011 
  4. «Ibope: Amor e Intrigas registra 12 pontos na estréia». Estrelando. Consultado em 14 de outubro de 2011 
  5. «'Amor e Intrigas' estréia com 12 pontos no Ibope». Terra. Consultado em 14 de outubro de 2011 
  6. «'Amor e Intrigas' chega ao fim». Estado de S. Paulo. estadao.com.br. 19 de julho de 2008. Consultado em 25 de novembro de 2011 
  7. «Corpos Partidos é o título da nova novela de Ana Maria Moretzsohn». UOL. Consultado em 21 de agosto de 2016 
  8. O Diário de SP. «Guerra por astros ameaça novela da Record». Consultado em 21 de agosto de 2011. Arquivado do original em 22 de agosto de 2016 
  9. Teledramaturgia. «Bela, a Feia». Consultado em 21 de agosto de 2011 
  10. «Bomba: Ana Maria Moretzsohn não renova com a Record». Audiência em Destaque na TV. Consultado em 21 de agosto de 2011 
  11. «Bomba:Sbt contrata Ana Maria Moretzsohn Atualmente Autora na Record». Audiência em Destaque na TV. Consultado em 21 de agosto de 2011 

Ligações externasEditar