Círculo vicioso

Um círculo vicioso (ou ciclo) é uma cadeia complexa de eventos que se reforça através de um loop de feedback, com resultados prejudiciais.[1] É um sistema sem tendência ao equilíbrio (social, econômico, ecológico, etc.), pelo menos no curto prazo. Cada iteração do ciclo reforça a anterior, num exemplo de feedback positivo. Um círculo vicioso continuará na direção de seu momento até que um fator externo intervenha para quebrar o ciclo.

Depressão expressa como um círculo vicioso

Um exemplo bem conhecido de círculo vicioso na economia é a hiperinflação.

Um círculo virtuoso é um sistema equivalente com um resultado favorável.

ExemplosEditar

Círculos viciosos na crise das hipotecas subprimeEditar

 
Ciclos viciosos na crise das hipotecas subprime

A contemporânea crise das hipotecas subprime é um grupo complexo de círculos viciosos, tanto em sua gênese quanto em seus múltiplos resultados, principalmente a recessão do final dos anos 2000. Um exemplo específico é o círculo relacionado à habitação. À medida que os preços das casas caem, mais proprietários ficam "submersos", quando o valor de mercado de uma casa cai abaixo do valor da hipoteca. Isso fornece um incentivo para sair de casa, aumentando a inadimplência e execuções hipotecárias. Isso, por sua vez, reduz ainda mais os valores das moradias devido ao excesso de oferta, reforçando o ciclo.[2]

As execuções reduzem o fluxo de caixa para os bancos e o valor dos títulos lastreados em hipotecas amplamente detidos pelos bancos. Os bancos incorrem em perdas e requerem fundos adicionais, também chamados de “recapitalização”. Se os bancos não estiverem capitalizados o suficiente para emprestar, a atividade econômica desacelera e o desemprego aumenta, o que aumenta ainda mais o número de execuções hipotecárias.

O economista Nouriel Roubini descreveu os círculos viciosos dentro e fora do mercado imobiliário e dos mercados financeiros durante entrevistas com Charlie Rose em setembro e outubro de 2008.[3][4][5]

Projetando círculos virtuosos ecológicosEditar

Ao envolver todas as partes interessadas na gestão de áreas ecológicas, um círculo virtuoso pode ser criado onde a melhoria da ecologia incentiva as ações que mantêm e melhoram a área.[6]

OutrosEditar

Outros exemplos incluem o ciclo da pobreza, a meação e a intensificação da seca. Os surtos recorrentes da pandemia de COVID-19 são um círculo vicioso em escala global.[7]

Referências

  1. Charles Webel, Johan Galtung (19 de março de 2012). Handbook of Peace and Conflict Studies. [S.l.]: Routledge. ISBN 9780203089163. Consultado em 19 de março de 2012 
  2. Feldstein, Martin (18 de novembro de 2008). «How to Help People Whose Home Values Are Underwater». Opinion. The Wall Street Journal. Consultado em 5 de setembro de 2013 
  3. «Roubini & Panel». Charlie Rose. Consultado em 5 de setembro de 2013 
  4. «Rose & Roubini Discussion». Charlierose.com. Consultado em 5 de setembro de 2013. Arquivado do original em 1 de abril de 2013 
  5. «Rose & Roubini». Charlierose.com. Consultado em 5 de setembro de 2013 
  6. Morrison Scott A (março de 2016). «Designing virtuous socio-ecological cycles for biodiversity conservation». Elsevier. Biological Conservation. 195: 9–16. doi:10.1016/j.biocon.2015.12.022  
  7. «Covid: WHO says it is very worried about Europe surge». BBC News. 20 de novembro de 2021 

BibliografiaEditar