Abrir menu principal

Campeonato Brasileiro de League of Legends

Campeonato Brasileiro de League of Legends
CBLoL
Dados gerais
Jogo League of Legends
Organização Riot Games
Patrocinador actual Dell, Gillette
Edições 8
Número de equipes 8
Sistema Turno classificatório e eliminatórias simples
Transmissão YouTube, Twitch e SporTV
Site oficial br.lolesports.com/cblol
Dados históricos
Primeiro vencedor vTi Ignis (2012)
Último vencedor INTZ e-Sports (2019, 1ª Etapa; 4 títulos)
Maior vencedor INTZ e-Sports (4 títulos)
Promoção, rebaixamento e classificações
Rebaixa para Circuito Desafiante
Classifica para Mid-Season Invitational
Campeonato Mundial de League of Legends
Rift Rivals
Future video game icon.svg Edição atual

O Campeonato Brasileiro de League of Legends (comumente abreviado como "CBLoL") é a principal competição do jogo eletrônico League of Legends no Brasil, organizada por sua desenvolvedora, Riot Games. É disputado por oito equipes em duas etapas (ou "splits") anuais, uma em cada semestre, ambas valendo a classificação para a fase de entrada das competições internacionais do jogo: o Mid-Season Invitational e o Campeonato Mundial de League of Legends.[1]

O torneio vem sendo organizado desde 2012, pouco após a estreia do servidor brasileiro, com o profissionalismo ainda incipiente, quando foi realizado em apenas três dias. Em 2014, foi realizado o primeiro campeonato em forma de liga: a Liga Brasileira - Série dos Campeões, e no mesmo ano foi inaugurado o precedente de duas competições anuais, com a realização da Final Regional Brasileira. Desde então, adota-se o formato de dois splits, com cada um disputado com primeira fase no formato "todos contra todos", e posterior mata-mata até a grande final.[2][3] Também em 2015 adotou-se o formato de liga com membros estáveis, mas sujeitos a rebaixamento e promoção dos piores colocados em benefício dos melhores do Circuito Desafiante.[4][5] Até 2014, adotava-se uma fase classificatória para a disputa do campeonato.[6]

As partidas são realizadas, desde 2015, nos estúdios da Riot em São Paulo e transmitidos via livestream, sem plateia, à exceção da grande final, realizada em arenas como o Allianz Parque, e têm a participação de narradores, comentaristas, analistas e apresentadores.[7] Além da transmissão integral nos canais oficiais em YouTube, Twitch e, desde 2017 o CBLoL também vem tendo jogos transmitidos ao vivo pelo canal de televisão por assinatura SporTV, com a mesma cobertura da Riot.[8]

Índice

HistóriaEditar

Primeiras ediçõesEditar

2012Editar

O servidor brasileiro de League of Legends foi inaugurado apenas em julho de 2012, mas a comunidade brasileira já existia no jogo.[9] Com o lançamento oficial do jogo no país,[10] em agosto, a Riot Games anunciou a organização do primeiro Campeonato Brasileiro do jogo, com premiação então sem precedentes para os esportes eletrônicos nacionais: 80 mil dólares no total, com 25 mil dólares para o vencedor. As classificatórias foram realizadas já em setembro e a fase final ocorreu com a participação de oito equipes entre 11 e 14 de outubro na Brasil Game Show.[11] O formato adotado foi o de eliminação simples, com séries eliminatórias melhor de três, com final e disputa de terceiro lugar. A organização Vince Te Ipsum conseguiu a classificação de ambas as suas equipes, Ignis e Nox, para a grande final, com a vTi Ignis sagrando-se campeã por 2 a 0.[12]

2013Editar

A edição de 2013 trouxe novo formato, mantendo o número de equipes e a forma de classificação via torneios classificatórios e pontos em competições menores, com a fase final ocorrendo no WTC Golden Hall, em São Paulo. A premiação aumentou para cem mil dólares, com 30 mil garantidos ao campeão. Nessa edição, houve primeira fase com dois grupos de quatro equipes. Os membros de cada grupo jogaram uma partida contra os demais e classificaram-se os dois primeiros para as semifinais, disputadas em série melhor de três. Pela primeira vez, a final foi em melhor de cinco. Também pela primeira vez, o torneio valia vaga no International Wildcard Qualifier (Desafio Internacional), seletiva para disputa do Campeonato Mundial de League of Legends. A Pain Gaming conquistou seu primeiro título, vencendo a CNB e-Sports Club por 3 a 1.[13][14][15] No entanto, foi derrotada no IWCQ pela lituana GamingGear.eu e não chegou ao Mundial.[16]

2014Editar

A temporada de 2014 trouxe pela primeira vez a realização de duas edições do CBLoL no ano. A Riot anunciou a criação do Circuito Brasileiro, que teria a realização da Liga Brasileira de League of Legends - Série dos Campeões e da Final Brasileira de League of Legends, com a última classificando o campeão para a disputa de vaga para o Mundial de 2014.[17]

Pela primeira vez no cenário nacional, foram contratados jogadores advindos da principal região competitiva do League of Legends, a Coreia do Sul. O caçador Park "Winged" TaeJin e o meio An "SuNo" Sun-ho reforçaram a Vivo Keyd e Han “Lactea” Gi-hyeon (originalmente top laner, depois atirador) e o suporte e Kim “olleh” Joo-Sung integraram a paiN Gaming.[18][19]

A Liga Brasileira - Série dos Campeões, realizada no primeiro semestre, teve como premiação total cem mil reais (45 mil para o campeão). As etapas qualificatórias iniciaram-se em 12 e 13 de abril, online.[20] As seis equipes classificadas para a primeira fase, de turno classificatório, disputaram séries "melhor de dois" em ida e volta, valendo a vitória (dois jogos a zero) três pontos e o empate, um ponto, como nas competições de futebol. As quatro melhores classificadas disputaram as semifinais em melhor de três e, novamente, a grande final deu-se no formato melhor de cinco. A fase final foi realizada nos dias 7 e 8 de junho no Centro de Convenções de Fortaleza. O campeão da etapa foi a Vivo Keyd, que bateu a paiN Gaming em cinco jogos.[20][21]

A Final Regional de 2014 também teve fase qualificatória e foi realizada exclusivamente por mata-mata. A premiação total também foi de cem mil reais, mas com 55 mil direcionados ao vencedor. A Final Regional propriamente dita teve a participação de oito equipes, em confrontos eliminatórios melhor de três, com final melhor de cinco. As quartas-de-final e semifinais foram disputadas em 19 e 20 de julho, no Espaço das Américas, em São Paulo. Em "zebra", ambas as equipes que dominavam o cenário, principalmente pela presença dos jogadores coreanos, foram eliminadas nas semis.[22] A grande final foi decidida no dia 26, no Maracanãzinho, no Rio de Janeiro, entre Vivo Keyd e CNB, vencida pela primeira por 3 a 1.[23][24] Com a vitória da KaBuM! sobre a PEX Gaming no IWCQ, o CBLoL teve em 2014 seu primeiro representante no Mundial.[25]

Mudança de formato e splitsEditar

2015Editar

Em 2015, o Campeonato Brasileiro de League of Legends adotou novo formato, pela primeira vez com o modelo de duas etapas, com regulamentos iguais. Com esse formato, semelhante ao então utilizado pelas ligas norte-americana e europeia (League of Legends Championship Series),[26][27] o torneio teria oito membros fixos, estando os três últimos em risco de rebaixamento.

As cinco equipes melhores colocadas na temporada de 2014 foram automaticamente classificadas para essa nova disputa, ficando as últimas três em disputa em classificatórias abertas. Os oito times da liga enfrentam-se em turno único, novamente em séries de duas partidas, com pontuação 3-1-0. Encerrada essa fase, as equipes melhores colocadas classificam-se para uma segunda fase, de eliminação simples, e competem até a final, sempre realizada com plateia. A vitória em cada split classifica para torneios internacionais: no primeiro, para o International Wildcard Invitational, onde se disputa um posto no Mid-Season Invitational, e no segundo, para o International Wildcard Qualifier, que vale vaga para o Campeonato Mundial. Pela primeira vez, a totalidade das partidas seria presencial, com as etapas fechadas ao público realizadas em estúdio.[28]

Em 2015, as seis primeiras equipes classificaram-se para a segunda fase, com as duas melhores pontuadoras entrando diretamente nas semifinais. As duas derrotadas nas quartas-de-final realizaram disputa pelo quinto lugar, com a vencida juntando-se aos eliminados na primeira fase e obrigada a disputar a Série de Promoção. As séries de quartas-de-final e de disputa pelo quinto lugar foram feitas em melhor de três, ao passo que as semifinais, a disputa pelo terceiro lugar e a grande final foram em melhor de cinco. A premiação total por etapa, dessa vez, foi de 150 mil reais, dos quais 60 mil destinados ao campeão.[29][26]

Criou-se, ainda, o Circuito Desafiante, série de seis campeonatos online amadores organizados por parceiros da Riot, com sistema de pontos por colocação, que garantiu aos seus três melhores colocados o direito de disputar uma vaga no CBLoL na Série de Promoção. As duas equipes eliminadas na primeira fase, bem como a derrotada na disputa pelo quinto lugar, jogaram série melhor de cinco contra as três melhores cotadas no Circuito Desafiante. O campeão do Circuito enfrentava o último colocado do CBLoL, o segundo disputava a vaga contra o sétimo e o terceiro jogava contra o sexto.[26]

A primeira etapa teve a INTZ e-Sports campeã, liderando o torneio na primeira fase e vencendo todas as partidas das séries eliminatórias, inclusive a final contra a Vivo Keyd, realizada no CentroSul, em Florianópolis. Esse elenco da INTZ, composto por Felipe "Yang" Zhao, Gabriel "Revolta" Henud, Gabriel "Tockers" Claumann, Micael "micaO" Rodrigues e Luan "Jockster" Cardoso, ficaria invicto em séries contra equipes brasileiras atuando pela INTZ.[30] Dexterity Team e JAYOB e-Sports foram rebaixadas em favor de Keyd Warriors e INTZ Red. No International Wildcard Invitational, a INTZ caiu para a turca Beşiktaş e não chegou ao Mid-Season Invitational.[31]

Na segunda etapa, houve dois pares de equipes "irmãs", ou seja, pertencentes à mesma organização: INTZ e INTZ Red e KaBuM.Orange e KaBuM.Black, que já disputaram juntas o split anterior. Só não houve outra dupla porque a Keyd Warriors foi vendida à organização g3nerationX (g3x) pouco após conquistar o acesso. Nessa etapa, a paiN Gaming conquistou seu bicampeonato com vitória sobre a então campeã INTZ, sem Revolta, que saíram rumo à Keyd antes do split, no Allianz Parque. No IWCQ, venceu e conquistou lugar no Mundial. Os três últimos classificados do CBLoL venceram as partidas contra as equipes do Circuito Desafiante, e por isso não houve rebaixamento.[32]

Por fim, foi também realizada a Pós-Temporada de 2015, torneio realizado no estúdio da Riot Games em São Paulo durante um fim de semana, em sistema eliminatório com a participação dos times do CBLoL e com a mesma premiação das etapas regulares. A paiN, campeã do segundo split, decidiu não participar por conta de problemas de saúde do jogador Matheus "Mylon" Borges, e cedeu lugar à Big Gods.[33] Com o retorno de Revolta e Caio "Loop" Almeida no a posição de suporte,[34] a INTZ sagrou-se campeã com vitória sobre a KaBuM.Orange por três a zero na final.[35] De acordo com analista Gustavo "Melão13" Ruzza, a Pós-Temporada deve ser considerada como um título autônomo de CBLoL.[36]

2016Editar

A temporada de 2016 também trouxes significativas mudanças no regulamento. Tomou efeito, a partir da primeira etapa do CBLoL de 2016, a proibição às "equipes-irmãs", anunciada em meados de 2015.[37] Por isso, a INTZ Red foi vendida e tornou-se RED Canids. A KaBuM.Black não foi vendida pela organização e acabou perdendo a vaga, que foi repassada à JAYOB, vencedora do Circuito Desafiante da última etapa de 2015.[38] A JAYOB, por sua vez, vendeu a vaga à recém-criada organização Operation Kino, que já atuava no Counter-Strike: Global Offensive.[39]

Além disso, o regulamento do Circuito Desafiante foi radicalmente modificado: o formato de circuito de diversas competições foi abandonado em favor da organização de um campeonato único a ser realizado por split, com participação de seis equipes em classificatória aberta, mantidos os três melhores colocados do último Circuito. O campeão, além disso, seria automaticamente promovido ao CBLoL no lugar de seu último colocado. A Série de Promoção foi mantida para o segundo e o terceiro colocados no CD e o sexto e sétimo do CBLoL.[40] O rebaixamento do oitavo colocado, no entanto, não foi automático: foi realizada disputa em melhor de três entre os dois menores pontuadores na primeira fase do torneio para definir quem seria efetivamente o último. Outras mudanças foram a obrigatoriedade da inscrição de técnico, o fim da obrigatoriedade da manutenção de ao menos três jogadores do elenco do split anterior e a possibilidade de substituir jogadores entre os jogos de uma mesma série.[41]

A premiação foi reduzida em 75%, para um total de 44,5 mil reais, com 15 mil destinados ao campeão. Entretanto, acrescentou-se pela primeira vez pagamento pelo uso dos direitos de imagem, proporcionais à colocação das equipes, o que, somado à premiação, resultou em valor mais alto que o da temporada anterior.[42] O resultado total acabou em prêmios de duzentos mil reais, dos quais 75 mil foram ao vencedor.[43]

No primeiro split de 2016, a INTZ, com o mesmo elenco que o do início do ano anterior, conquistou seu terceiro título nacional ao vencer a Vivo Keyd na grande final, realizada nos estúdios da Riot.[44] A última colocada na primeira fase, CNB e-Sports Club, fugiu do rebaixamento direto com vitória por 2 a 0 sobre a g3nerationX, que encerrou suas atividades com o descenso.[45] A vaga ficou com a campeã do "Circuitão" Big Gods.[46] Os sexto e sétimo colocados paiN e CNB venceram a Série de Promoção e mantiveram-se no CBLoL.[47] A INTZ, disputando o International Wildcard Invitational pela segunda vez, foi novamente eliminada e não se classificou para o MSI.[48]

A segunda etapa teve nova mudança: as quartas-de-final foram eliminadas e apenas os quatro primeiro classificados disputavam a segunda fase, iniciada nas semifinais. Com isso, os três últimos colocados já eram definidos na primeira fase, apenas com uma disputa pelo sétimo lugar, para evitar o rebaixamento direto.[49]

A INTZ foi novamente vencedora do split, vencendo a CNB por 3 a 1 na final, realizada no Ginásio do Ibirapuera. A campeã brasileira também garantiu sua vaga no Mundial an derrotar a turca Dark Passage no International Wildcard Qualifier, disputado no Brasil. A série decisiva ocorreu na Ópera de Arame.[50]

Nessa edição do CBLoL, três equipes, Operation Kino, RED Canids e Big Gods, foram punidas com perda de 4, 6 e 16 pontos, respectivamente, pelo atraso no envio de documentos.[51] As três equipes acabaram nas últimas três colocações na fase inicial, nessa mesma ordem. No conflito que valia a sétima colocação, a RED Canids derrotou a Big Gods, que cedeu sua vaga à campeã invicta Remo Brave.[52] Operation Kino e RED venceram, respectivamente, eChamp e Team Genesis e continuaram na elite do League of Legends brasileiro.[53]

2017Editar

O formato adotado para o primeiro split de 2017 divergiu do anterior apenas pela implantação do rebaixamento automático do último colocado na primeira fase, sem disputa com o penúltimo.[54] Além disso, as punições para inscrições fora do prazo foram modificadas para multa em dinheiros, e não mais perda de pontos, especialmente porque, na temporada anterior, alguns times chegaram a encerrar o torneio com pontuação negativa.[55] A premiação total foi a mesma da temporada anterior, mas foi mais distribuída entre as equipes participantes e com prêmio de 70 mil reais, não mais 75 mil.[43] Além disso, foi anunciada durante a temporada o fim das competições de International Wildcard, com as regiões que anteriormente o disputavam sendo classificadas diretamente às fases de entrada do Mid-Season Invitational do Mundial a partir de 2017.[56]

O elenco que dominara 2016, Yang, Revolta, Tockers, micaO e Jockster, treinados pelo técnico americano Alexander "Abaxial" Haibel, desfez-se. Yang e Revolta foram à Vivo Keyd,[57] Tockers à RED Canids[58] e Abaxial deixou o Brasil, mas retornou para trabalhar na Keyd durante os playoffs do primeiro split.[59] A INTZ, ainda com micaO e Jockster, bem como as duas equipes que receberam seus jogadores, classificaram-se à semifinal, além da paiN Gaming.[60] A equipe de transmissão do CBLoL elegeu como melhores jogadores da primeira fase Ayel, Turtle (ambos da INTZ), Tockers, BrTT e Loop, ficando com Tockers a escolha de melhor jogador até então. A grande final, realizada no Classic Hall, no Recife, terminou com a vitória por 3 a 0 da RED, que utilizou os seus dois reservas na série.[61] O último colocado do split e também a primeira equipe a ser rebaixada diretamente no CBLoL foi a Brave, que até a expiração do contrato com o Clube do Remo, ocorrida durante o campeonato, ainda se chamava Remo Brave. A vaga ficou com a campeã do Circuito Desafiante, TShow E-Sports. Operation Kino, em sexto lugar, e KaBuM! e-Sports, em sétimo, disputaram e perderam a Série de Promoção para INTZ Genesis e ProGaming, respectivamente.[62]

No Mid-Season Invitational, ocorrido no Brasil, a RED Canids foi eliminada ainda na primeira fase de entrada, ficando em segundo lugar no seu grupo.[63] Além dessa competição, a RED teve outra chance de representar o Brasil em competições internacionais: após o fim do primeiro split, a Riot Games anunciou a criação do Rift Rivals, campeonato em que duas ou três regiões disputam entre si.[64] A edição disputada pelo Brasil foi a amarela, e opôs o CBLoL às outras ligas latino-americanas: Copa Latinoamérica Sur (CLS) e Liga Latinoamérica Norte (LLN), referentes às regiões Latinoamérica Sur (LAS) e Latinoamérica Norte (LAN). Participaram da competição os campeões e vice-campeões de cada região: no caso do Brasil, RED Canids e Vivo Keyd. O modelo da competição previa duas fases, um turno classificatório com ida e volta durante dois dias, seguida de fase eliminatória. A região melhor classificada iria diretamente à final, enquanto as demais disputariam as semifinais.[64] O Rift Rivals foi disputado num intervalo durante o segundo split do CBLoL, entre 5 e 8 de julho. As equipes brasileiras terminaram a primeira fase empatada com as da LAS, e no critério de desempate de confronto direto, acabaram atrás. Por isso, o CBLoL teve de disputar as semis com LLN, e venceu a melhor de cinco na quinta partida.[65] Na grande final, o Brasil venceu a LAS, novamente em cinco jogos, e e conquistou o título.[66]

O segundo split não teve mudanças de regulamento, mas contou com três novas equipes, provenientes do Circuito Desafiante. TShow, a campeã, e ProGaming, a terceira colocada, mantiveram os nomes e a maioria de seus elencos.[67] A INTZ Genesis, por sua vez, teve de ser negociada por conta da proibição a equipes irmãs, e passou a integrar a Team oNe, equipe que já se destacava no Counter Strike.[68] Na Final desse split, Team oNe e Pain Gaming se enfrentaram para decidir o vencedor desta etapa, que iria direto para China disputar na Fase de Entrada o Campeonato Mundial de League of Legends. A Team oNe venceu da Pain Gaming, e com isso ele ficaram conhecidos como "um time que subiu direto do Desafiante e venceu o CBLoL de uma das maiores equipes do cenário brasileiro de League of Legends.

2018Editar

Na primeira fase, os jogos em MD3 substituem a MD2 das últimas edições, aumentando o número de partidas da competição. Não haverá mais possibilidade de empate. O vencedor da série garante três pontos na tabela.

Agora cinco equipes vão se classificar para a fase eliminatória. Em vez do tradicional formato de semifinais e final, a escalada entra em cena. O quinto colocado enfrenta o quarto; quem vencer pega o terceiro lugar. Quem ganhar desse duelo joga contra o segundo colocado. E a luta pela taça será entre o vencedor dessa série contra o líder da primeira fase.

A escalada também será utilizada na Série de Promoção. O último colocado do CBLoL continua sendo rebaixado diretamente para o Circuito Desafiante, e o campeão da segunda divisão segue com acesso garantido à elite. A diferença é que o perdedor do confronto entre o quinto e o quarto colocados joga contra o sexto lugar. Quem perder dessa série joga contra o sétimo colocado. O perdedor desse duelo pega o vice-campeão do Circuito Desafiante, valendo a vaga no split seguinte do CBLoL.[69]

No primeiro split de 2018, a KaBuM! e-Sportst, com o mesmo elenco que subiu da BRCC em 2017, conquistou seu segundo título nacional ao vencer a Vivo Keyd na grande final, realizada nos estúdios da Riot. A última colocada na primeira fase, PaiN Gaming, foi rebaixada para a BRCC e pela primeira vez não irá participar do Segundo Split do CBLOL. A vaga ficou com a campeã do "Circuitão" IDM Gaming. Os quinto e sexto colocados, ProGaming e INTZ se enfrentaram e a ProGaming perdeu e enfrentou o sétimo, Team oNe eSports, onde a Team oNe saiu derrotada e depois, perdeu para a equipe do Flamengo num eletrizante 3x2 que decretou a subida da equipe rubro-negra para o CBLOL é a queda dos Golden Boys que foram os campeões vindos do desafiante e voltaram pro desafiante um split depois.

2019Editar

Em 2019 o formato do CBLoL foi atualizado, sendo no formado de melhor de um (1) em ida,volta,ida ( MD1 x3 ) na qual o novo formato propõe que as equipes participantes do Campeonato se enfrentariam três ( 3 ) vezes , a duração do campeonato também se atualizou, tendo a partir de agora 10 semanas.

O CBLoL tem o início no dia 12 de Janeiro e contará com oito equipes, apenas com a alteração da saída da Red Kanids Kalunga ( equipe rebaixada da 2 etapa do torneio em 2018) e a entrada da Redemption W7M " time de poa que disputou o Circuito Desafiante, na qual venceu a final contra a paiN Gaming embalando um 3x0 contra os tradicionais. Também temos a mudança de nome da antiga "IDM Gaming" para "Uppercut eSports"

A Primeira Etapa do CBLoL de 2019 teve como vencedor o time da INTZ e-sports garantindo o seu tetracampeonato com uma série histórica de 5 jogos contra o Flamengo e-sports, e com o rebaixamento da equipe da ProGaming E-sports dando lugar a equipe da Pain Gaming na segunda Etapa do CBLoL e também o rebaixamento por série do time da Keyd Stars dando lugar ao time da Team One E-sports

TransmissãoEditar

Atualmente, a equipe de casters do CBLoL conta com dois narradores, Diego "Toboco" Pereira e Tácio Schaeppi, dois comentaristas, Guilherme "Tixinha" (ou Tixinhadois) Cheida e Alexandre "Skeat" Trevisan, dois analistas, Gustavo "gstv" (ou gstv1) Cima e Gustavo "Melão" (ou Melão13) Ruzza, e com o apresentador Gustavo Docil.[70][71] Anteriormente, integraram a equipe Flávio "P3Po" da Silva (2015 - maio de 2016).[72] A equipe é a mesma anunciada em 2015, à exceção de P3po,[73] substituído por Skeat, anteriormente caster de Dota 2.[74]

Histórico de finaisEditar


Participantes CBLoL 2019 1° EtapaEditar

CNB e-Sports ClubEditar

Flamengo eSportsEditar

INTZ e-Sports ClubEditar

KaBuM! e-SportsEditar

ProGaming EsportsEditar

Redemption eSportsEditar

Uppercut EsportsEditar

Vivo KeydEditar


Participantes CBLoL 2019 2° EtapaEditar

CNB e-Sports ClubEditar

Flamengo eSportsEditar

INTZ e-Sports ClubEditar

KaBuM! e-SportsEditar

Pain GamingEditar

Redemption eSportsEditar

Uppercut EsportsEditar

Team One EsportsEditar

CONFIRA A ESCALAÇÃO OFICIAL CLICANDO NO LINK A SEGUIR: [1]

Equipes por títulos, vices, histórico e participaçõesEditar

Títulos por equipesEditar

Equipe Títulos Vices Edições em que foi campeão Edições em que foi vice Ref
INTZ e-Sports 4 1 2015 (1°), 2016 (1ª e 2ª), 2019 (1°) 2015 (2ª) [97]
KaBuM! e-Sports 3 1 2014 (1°) 2018 (1ª e 2ª) 2015 (3ª) [98]-
paiN Gaming 2 1 2013 , 2015 ( 2ª) 2017 (2ª) [99]
Vivo Keyd 1 4 2014 (1ª) 2015 (1ª), 2016 (1ª), 2017 (1ª), 2018 (1ª) [100]
vTi Ignis 1 0 2012 Nenhuma
RED Canids 1 0 2017 (1ª) Nenhuma [101]
Team oNe eSports 1 0 2017 (2ª) Nenhuma
CNB e-Sports Club 0 4 Nenhuma 2013, 2014 (1ª e 2ª), 2016 (2ª)
vTi Nox 0 1 Nenhuma 2012
Flamengo eSports 0 2 Nenhuma 2018 (2ª), 2019 (1°)
  • INTZ e-Sports ganhou 4 Splits regulares do CBLol e o torneio de Pós-Temporada de 2015.

Histórico por equipesEditar

Séries de Promoção/Acesso também contam como partidas do CBLOL.

Equipe Pontos Ganhos Vitórias Empates Derrotas Finais Participadas
Vivo Keyd 149 44 17 20 5
INTZ e-Sports 135 41 12 22 5
paiN Gaming 129 34 27 22 4
CNB e-Sports Club 123 34 21 27 3
KaBuM! e-Sports 86 25 11 32 3
RED Canids 76 23 7 13 1
Team oNe eSports 25 8 1 9 1
Operation Kino e-Sports 26 6 8 12 0
ProGaming Esports 25 7 4 7 0
KaBuM! Black 19 4 7 9 0
G3nerationX 16 4 4 11 0
INTZ Red 13 3 4 4 0
vTi Ignis 9 3 0 0 1
RMA e-Sports 9 3 0 2 0
Team Awp 7 1 4 6 0
vTi Nox 6 2 0 1 1
Nex Impetus 6 2 0 2 0
Big Gods 6 1 3 6 0
Team United 5 1 2 7 0
(Santos) Dexterity Team 4 1 1 9 0
Keyd Warriors 3 1 0 0 0
INTZ.Genesis 3 1 0 0 0
Flamengo 3 1 0 0
Insight 3 1 0 2 0
PlayArt Gaming 3 1 0 2 0
PessPlay Gaming 3 1 0 2 0
Remo Brave e-Sports 3 0 3 5 0
JAYOB e-Sports 2 0 2 7 0
LegendsBr 0 0 0 1 0
Ban Karma Gaming 0 0 0 1 0
IMP e-Sports 0 0 0 1 0
Overload 0 0 0 1 0
e-Champ Gaming 0 0 0 1 0
Team Genesis 0 0 0 1 0
Iron Hawks 0 0 0 1 0
Action Team eSports 0 0 0 3 0
TShow 0 0 0 7 0

ParticipaçõesEditar

Equipe Participações Edições das quais participou Ref
CNB e-Sports Club 15 Todas [102]
Vivo Keyd 14 2013 (como Keyd Team), 2014 (ambas), 2015 (as três), 2016 (ambas), 2017 (ambas),2018 (ambas), 2019 (ambas) [103]
KaBuM! e-Sports 12 2014 (ambas), 2015 (as três, como KaBuM.Orange), 2016 (ambas), 2017 (1ª),2018 (ambas), 2019 (ambas) [104]
INTZ e-Sports 12 2014 (Final Regional), 2015 (as três), 2016 (ambas), 2017 (ambas),2018 (ambas), 2019 (ambas) [105]
paiN Gaming 11 2012, 2013, 2014 (ambas), 2015 (1ª e 2ª), 2016 (ambas), 2017 (ambas),2018 (1ª) [106]
RED Canids 8 2015 (2ª e Pós-Temporada, como INTZ Red), 2016 (ambas), 2017 (ambas),2018 (ambas) [107]
ProGaming Esports 4 2017 (2ª) e 2018 (ambas) 2019 (1ª) [108]
Operation Kino 4 2015 (1ª, como JAYOB), 2016 (1ª e 2ª), 2017 (1ª) [109]
Flamengo eSports 3 2018 (2ª) 2019 (ambas) [108]
Upercut e-sports 3 2018 (2ª) 2019 (ambas) [108]
KaBum! Black 3 2015 (as três) [110]
Team One e-Sports 2 2017 (2ª) e 2018 (1ª) [102]
Redemption e-sports POA 2 2019 (ambas) [108]
Big Gods 2 2015 (Pós-Temporada) e 2016 (2ª) [111]
g3nerationX 2 2015 (2ª e Pós-Temporada) [112][113]
Team awp 2 2014 (ambas) [112] [113]
Team Unites 2 2014 (ambas) [114]
RMA 2 2012 e 2013 [108]
TShow 1 2017 (2ª) [108]
Dexterity Team 1 2015 (1ª) [115]
LegendsBR 1 2014 (Final Regional) [114]
Ban Karma 1 2014 (Final Regional) [114]
Action Team 1 2013 [114]
Nex Impetus 1 2013 [114]
PeesPlay 1 2013 [114]
PlayArt 1 2013 [114]
vTi Ignis 1 2012 [116]
vTi Nox 1 2012 [117]
Influxo 1 2012 [114]
Insight 1 2012 [114]
Verdict 1 2012 [114]

Jogadores campeõesEditar

Jogador Títulos Vices Edições em que foi campeão Edições em que foi vice
Gabriel "Tockers" Claumann 5 2 2015 (1ª e Pós-Temporada), 2016 (ambas) e 2017 (1ª) 2015 (2ª) e 2018 (1ª)
Felipe "Yang" Zhao 4 3 2015 (1ª e Pós-Temporada) e 2016 (ambas) 2015 (2ª), 2017 (1ª) e 2018 (1ª)
Gabriel "Revolta" Henud 4 2 2015 (1ª e Pós-Temporada) e 2016 (ambas) 2017 (1ª) e 2018 (1ª)
Micael "micaO" Rodrigues 4 2 2015 (1ª e Pós-Temporada) e 2016 (ambas) 2015 (2ª) e 2018 (1ª)
Felipe "brTT" Gonçalves 4 2 2013, 2014 (Série dos Campeões), 2015 (2ª) e 2017 (1ª) 2018 (2ª) e 2019 (1ª)
Luan "Jockster" Cardoso 3 2 2015 (1ª) e 2016 (ambas) 2015 (2ª) e 2018 (1ª)
Matheus "Mylon" Borges 3 2 2012, 2014 (Série dos Campeões) e 2015 (2ª) 2015 (1ª) e 2017 (2ª)
Caio "Loop" Almeida 2 3 2014 (Série dos Campeões) e 2015 (Pós-Temporada) 2012, 2015 (2ª) e 2017 (2ª)
Gabriel "Kami" Bohm 2 1 2013 e 2015 (2ª) 2017 (2ª)
Hugo "Dioud" Padioleau 2 0 2015 (2ª) e 2017 (1ª) Nenhuma
Thúlio "SirT" Carlos da Silva 2 0 2013 e 2015 (2ª) Nenhuma
Luccas "Zantins" Zanqueta 2 0 2018 (ambas) Nenhuma
Filipe "Ranger" Brombilla 2 0 2018 (ambas) Nenhuma
Matheus "Dynquedo" Rossini 2 0 2018 (ambas) Nenhuma
Alexandre "TitaN" Lima 2 0 2018 (ambas) Nenhuma
Marcelo "Riyev" Carrara 2 0 2018 (ambas) Nenhuma
Ygor "RedBert" Freitas 2 0 2017 (2ª) e 2019(1ª) Nenhuma
Leonardo "Alocs" Belo 1 3 2012 2013, 2014 (Final Regional) e 2015 (2ª)
Pedro Luiz "LEP" Marcari 1 2 2014 (Final Regional) 2015 (Pós-Temporada) e 2016 (2ª)
Thiago "TinOwns" Sartori 1 2 2014 (Final Regional) 2015 (Pós-Temporada) e 2016 (2ª)
Gustavo "Minerva" Queiroz 1 2 2014 (Final Regional) 2015 (Pós-Temporada) e 2016 (2ª)
André "manajj" Rocha 1 2 2012 2013 e 2014 (Final Regional)
Leonardo "Robo" Souza 1 2 2017 (1ª) 2016 (1ª) e 2019 (1ª)
Daniel "dans" Dias 1 1 2014 (Final Regional) 2015 (Pós-Temporada)
Daniel "Danagorn" Drummond 1 1 2014 (Final Regional) 2013
Rodrigo "Tay" Panisa 1 1 2019(1ª) 2017(2ª)
Matheus "Freire" Freire 1 0 2018 (1ª) Nenhuma
Jefferson "SoulDevourer" de Aguiar 1 0 2018 (1ª) Nenhuma
Guilherme "Atlanta" Matos 1 0 2018 (1ª) Nenhuma
Álvaro "VVvert" Martins 1 0 2017 (2ª) Nenhuma
Alanderson "4lan" Meireles 1 0 2017 (2ª) Nenhuma
Bruno "Brucer" Pereira 1 0 2017 (2ª) Nenhuma
João "marf" Piola 1 0 2017 (2ª) Nenhuma
Luis "Absolut" Carvalho 1 0 2017 (2ª) Nenhuma
Gustavo "Sacyr" Rossi 1 0 2017 (1ª) Nenhuma
Carlos "Nappon" Rücker 1 0 2017 (1ª) Nenhuma
Felipe "YoDa" Noronha 1 0 2017 (1ª) Nenhuma
Park "Winged" Tae-jin 1 0 2014 (Série dos Campeões) Nenhuma
An "SuNo" Sun-ho 1 0 2014 (Série dos Campeões) Nenhuma
Fábio "Venon" Guimarães 1 0 2013 Nenhuma
Martin "Espeon" Gonçalves 1 0 2013 Nenhuma
Rafael "rafes" Peres 1 0 2012 Nenhuma
Guilhermes "Snowlz" Neves 1 0 2012 Nenhuma
Diogo "Shini" Rogê 1 0 2019(1ª) Nenhuma
Bruno "Envy" Farias 1 0 2019(1ª) Nenhuma
Guilherme "Mills" Conti 1 0 2019(1ª) Nenhuma
Murilo "Takeshi" Alves 0 5 Nenhuma 2013, 2014 (Final Regional), 2015 (1ª), 2016 (1ª), 2017 (1ª)

Prêmio CBLoLEditar

A partir da segunda etapa de 2017 Todos os jogadores – além dos técnicos – que disputarem o Campeonato Brasileiro de League of Legends estarão concorrendo ao Prêmio CBLoL, uma conquista individual que consagra o suor e trabalho árduo dos competidores da elite brasileira.

Serão nove categorias, e os participantes serão elegíveis dependendo de sua posição na equipe. Os critérios para vencer também mudam de acordo com as estatísticas principais das funções que cada um cumpre dentro time e também votos de casters, imprensa e jogadores profissionais. Os cálculos serão feitos internamente (na Riot), visto que os os critérios possuem pesos diferentes.[118]


Prêmio CBLoL 2017
Data 13 de Novembro de 2017
Local São Paulo, Brasil
Vencedores Prêmio CBLoL 2017[119]
Ganhador Equipe
Jogador Revelação Absolut Team One
Caçador 4Lan Team One
Melhor Suporte Jockster INTZ
Melhor Técnico Neki Team One
Melhor Topo Vvvert Team One
Melhor Atirador brTT RED Canids
Melhor Meio Tockers RED Canids
Melhor Jogador Vvvert Team One
Craque da Galera brTT RED Canids
Vencedores Prêmio CBLoL 2018[120]
Ganhador Equipe
Jogador Revelação Anyyy IDM Gaming
Melhor Caçador Shrimp Flamengo
Melhor Suporte Riyev Kabum
Melhor Técnico Hiro Kabum
Melhor Topo Robo CNB
Melhor Atirador TitaN Kabum
Melhor Meio dyNquedo Kabum
Melhor Jogador dyNquedo Kabum
Craque da Galera Brtt Flamengo

Referências

  1. Rodrigues, Bruno (7 de fevereiro de 2017). «Riot anuncia Mundial 2017 na China e vaga direta para o Brasil - Mais e-Sports». Mais e-Sports 
  2. «LoLeSports BR». br.lolesports.com. Consultado em 10 de julho de 2017 
  3. Melo, Gabriel. «Relembre as finais dos campeonatos nacionais de LoL». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  4. Set, Ricardo. «CBLoL 2015 é anunciado com formato semelhante à LCS». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  5. «CBLoL e Desafiante na Temporada 2015 | League of Legends». br.leagueoflegends.com. Consultado em 10 de julho de 2017 
  6. «LoLeSports BR». lolesports.com.br. Consultado em 10 de julho de 2017 
  7. «League of Legends: Riot inaugura estúdio para transmitir o Brasileiro de LoL». TechTudo 
  8. Oliveira, Gabriel. «CBLoL 2017 começará no dia 21 com transmissão do SporTV». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  9. «'League of Legends' brasileiro tem servidor nos EUA e fãs reclamam». Tecnologia e Games. 27 de julho de 2012 
  10. «'League of Legends' é lançado oficialmente no Brasil». Tecnologia e Games. 10 de agosto de 2012 
  11. «Campeonato brasileiro de 'League of Legends' dará US$ 80 mil em prêmios». Tecnologia e Games. 13 de agosto de 2012 
  12. «BGS 2012: Ignis é grande campeã do campeonato brasileiro de League of Legends - Home - iG». Arena 
  13. «Cobertura: Campeonato Brasileiro de League of Legends - Games». Canaltech. Consultado em 11 de julho de 2017 
  14. «CBLoL 2013 - GF: paiN vence CnB - Tabela, Resultados e Agenda dos Jogos - TeamPlay e-Sports» 
  15. «Equipe PaiN vence Campeonato Brasileiro de 'League of Legends'». Games. 22 de julho de 2013 
  16. «Equipe brasileira perde e não vai ao mundial de 'League of Legends'». Games. 23 de agosto de 2013 
  17. «Bem-vindos ao Circuito Brasileiro 2014 | League of Legends». br.leagueoflegends.com. Consultado em 11 de julho de 2017 
  18. Set, Ricardo. «paiN Gaming anuncia oficialmente saídas de Lactea e olleh». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  19. «Jogadores sul-coreanos deixam time brasileiro de 'League of Legends'». Games. 30 de julho de 2014 
  20. a b «Liga Brasileira de League of Legends vai oferecer R$ 100 mil em prêmios - Tecnoblog». Tecnoblog (em inglês). 10 de abril de 2014 
  21. a b «CBLoL 2014 - Série dos Campeões - KSTARS vence - Tabela, Resultados e Agenda dos Jogos - TeamPlay e-Sports» 
  22. Teixeira, Eric (21 de julho de 2014). «CBLOL 2014 - Deu Zebra? CNB vs Kabum na Final do Regional - Mais e-Sports». Mais e-Sports 
  23. «Final regional de 'League of Legends' acontece em SP entre 19 e 20 de julho». Games. 9 de julho de 2014 
  24. «CBLoL 2014 - Final Regional - KaBuM vence - Tabela, Resultados e Agenda dos Jogos - TeamPlay e-Sports» 
  25. «Kabum vence, e pela 1ª vez brasileiros vão a mundial de 'League of Legends'». Games. 30 de agosto de 2014 
  26. a b c Set, Ricardo. «CBLoL 2015 é anunciado com formato semelhante à LCS». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  27. Teixeira, Eric (16 de dezembro de 2014). «CBLOL 2015 - Praticamente uma "LCS BR" - Mais e-Sports». Mais e-Sports 
  28. Oliveira, Gabriel. «Jogos do CBLoL 2015 serão presenciais em estúdio». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  29. «CBLoL e Desafiante na Temporada 2015 | League of Legends». br.leagueoflegends.com. Consultado em 12 de julho de 2017 
  30. «Quebra da maior série invicta do LoL no Brasil tem "gostinho ruim" na INTZ». sportv.com 
  31. «Besiktas é a campeã do International Wildcard | League of Legends». br.leagueoflegends.com. Consultado em 13 de julho de 2017 
  32. Set, Ricardo. «Equipes da elite vencem séries de Promoção e se garantem no CBLoL». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  33. Redação. «Torneio relâmpago da Riot Brasil tem mesma premiação do CBLoL». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  34. Oliveira, Gabriel. «Revolta e Loop deixam o Vivo Keyd e acertam ida para o INTZ». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  35. Redação. «INTZ comemora título do CBLoL Pós-Temporada, mas lamenta ausência do paiN». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  36. Ruzza, Gustavo (14 de fevereiro de 2017). «Twitter». @melaotreze. Consultado em 13 de julho de 2017 
  37. Oliveira, Gabriel. «Em 2016, organizações poderão ter somente um time no CBLoL». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  38. Melo, Gabriel. «KaBuM.Black não é vendida e perde vaga para o Jayob no CBLoL». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  39. Costa, Victor. «Jayob repassa vaga no CBLoL 2016 a organização recém-criada». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  40. Redação. «Circuito Desafiante brasileiro terá novo formato na próxima temporada». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  41. «Riot Games Brasil anuncia algumas regras pra temporada 2016 de League of Legends». XLG UOL 
  42. Oliveira, Gabriel. «Premiação do CBLoL 2016 será menor, mas equipes receberão direitos de imagem». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  43. a b Oliveira, Gabriel. «CBLoL 2017 terá a mesma premiação dos torneios de 2016». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  44. «'League of Legends': INTZ faz 3 a 0 na Vivo Keyd e vence 1º etapa do CBLoL». Games. 3 de abril de 2016 
  45. «G3nerationX encerra sua participação no League of Legends». XLG UOL 
  46. «'League of Legends': Big Gods vence Overload e estará na 2ª Etapa do CBLoL 2016». ESPN 
  47. «League of Legends | paiN e CNB passam a série de Promoção e retornam ao CBLoL 2016». The Enemy. 12 de abril de 2016 
  48. «'League of Legends': INTZ decepciona e deixa o IWC nas semifinais». ESPN 
  49. «LoLeSports BR». www.lolesports.com.br. Consultado em 13 de julho de 2017 
  50. «Ao lado da torcida, INTZ vence turcos, fatura IWCQ e vai ao Mundial de LoL». sportv.com 
  51. «LoLeSports BR». www.lolesports.com.br. Consultado em 13 de julho de 2017 
  52. «'League of Legends': Remo Brave vence Circuito Desafiante e garante vaga no CBLoL 2017». ESPN 
  53. «Operation Kino e Red Canids vencem repescagem e continuam no CBLoL 2017». IGN Brasil. 25 de julho de 2016 
  54. Rodrigues, Bruno (1 de julho de 2017). «Cobertura – Jogos e Tabela do CBLOL 2017 - Segundo Split - Mais e-Sports». Mais e-Sports 
  55. Set, Gabriel Oliveira e Ricardo. «Pena para inscrição fora do prazo no CBLoL não será perda de pontos». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  56. Rodrigues, Bruno (1 de julho de 2017). «Cobertura – Jogos e Tabela do CBLOL 2017 - Segundo Split - Mais e-Sports». Mais e-Sports 
  57. «Keyd Stars confirma contratação de Revolta, Yang e Ziriguidun para 2017». sportv.com 
  58. «Após Felipe "brTT", Gabriel "Tockers" acerta com a Red Canids para 2017». sportv.com 
  59. «CBLoL: Abaxial, ex-técnico da INTZ, volta ao Brasil para treinar jogadores da Keyd». ESPN 
  60. Redação. «Cobertura 1º Split do Campeonato Brasileiro de League of Legends 2017». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  61. a b «Com elenco afiado, Red domina Keyd, fatura o CBLoL e vai ao MSI no Brasil». sportv.com 
  62. «CBLoL | KaBuM e OPK são rebaixadas, Genesis e Pro Gaming vencem Série de Promoção». The Enemy. 20 de março de 2017 
  63. «Fim da linha! Com derrota para Dire Wolves, Red Canids dá adeus ao MSI». sportv.com 
  64. a b Redação. «Rift Rivals será duelo entre regiões e não entre equipes; entenda formato». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  65. Redação. «Cobertura Rift Rivals América Latina de League of Legends». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  66. «RED Canids e Vivo Keyd levam Brasil à vitória no Rift Rivals». TechTudo 
  67. «Com três novas equipes, segunda etapa do CBLoL 2017 tem escalações confirmadas». ESPN 
  68. Redação. «Team One compra o INTZ Genesis e entra para o CBLoL». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  69. «LoLeSports BR». br.lolesports.com. Consultado em 22 de março de 2018 
  70. «LoLeSports BR». br.lolesports.com. Consultado em 13 de julho de 2017 
  71. Vicchiatti, Vicenzzo Mandetta (5 de abril de 2017). «Casters, jogadores e treinadores palpitam sobre a final do 1º split do CBLOL 2017 - Mais e-Sports». Mais e-Sports 
  72. Teixeira, Eric (12 de maio de 2016). «P3po não será mais comentarista do CBLOL - Mais e-Sports». Mais e-Sports 
  73. Oliveira, Gabriel. «Equipe de narração do CBLoL 2015 terá sete casters». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  74. Set, Ricardo. «Destaque no DotA 2, caster Skeat é contratado pela Riot Games Brasil». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  75. «Finalistas do CBR LoL 2012 - BGS - TeamPlay e-Sports» 
  76. «BGS 2012: Ignis é grande campeã do campeonato brasileiro de League of Legends - Home - iG». Arena 
  77. GrYllo (22 de julho de 2013). «paiN Gaming é campeã do CBLoL 2013». LegendsBR. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  78. «CBLoL 2013 - GF: paiN vence CnB - Tabela, Resultados e Agenda dos Jogos - TeamPlay e-Sports» 
  79. «Rumo a Fortaleza: a trajetória dos finalistas | League of Legends». br.leagueoflegends.com. Consultado em 14 de julho de 2017 
  80. Helton Simões Gomes (30 de agosto de 2014). «Kabum vence, e pela 1ª vez brasileiros vão a mundial de "League of Legends"». G1 - Portal da Globo. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  81. Gustavo Petró (26 de julho de 2014). «Kabum é campeã brasileira do game "League of Legends"». G1 - Portal da Globo. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  82. Bruno Araújo (3 de outubro de 2014). «Aprendemos com derrota, diz Kabum sobre mundial de "League of Legends"». G1 - Portal da Globo. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  83. «Conheça as equipes do CBLoL 2015 | League of Legends». br.leagueoflegends.com. Consultado em 14 de julho de 2017 
  84. Set, Ricardo. «Cobertura Campeonato Brasileiro de League of Legends 2015». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  85. Bruno Araújo (8 de agosto de 2015). «Pain Gaming vence Circuito Brasileiro de "League of Legends", o CBLoL». G1 - Portal da Globo. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  86. Da Redação (30 de agosto de 2015). «Brasil e Chile vão disputar vaga para mundial de "League of Legends"». UOL. Consultado em 31 de agosto de 2015 
  87. «PaiN é desclassificada do Mundial de LoL, após duas vitórias no torneio». Consultado em 8 de outubro de 2015 
  88. Redação. «Cobertura CBLoL Pós-Temporada». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  89. Teixeira, Eric (4 de fevereiro de 2016). «Riot anuncia local da Final do CBLOL 2016, do primeiro Split e do International Wildcard Qualifier - Mais e-Sports». Mais e-Sports 
  90. Redação. «Cobertura 1º Split Campeonato Brasileiro de League of Legends 2016». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  91. «'League of Legends': INTZ vence CNB por 3 a 1 e é campeã do CBLoL 2016». 9 de julho de 2016. Consultado em 3 de agosto de 2016 
  92. «INTZ vence rivais turcos e garante Brasil no Mundial de League of Legends - Jogos - UOL Jogos». Consultado em 4 de setembro de 2016 
  93. «INTZ perde cinco jogos mas sai do mundial vencendo da favorita Edward Gaming, Seed 1 da China.». Consultado em 1 de novembro de 2016 
  94. «Raio-x do CBLoL: Keyd leva a melhor sobre Red Canids em disputa de astros». sportv.com 
  95. «Venda de ingressos para decisão do CBLoL começa no dia 17 de julho». sportv.com 
  96. «Exódia obliterado: KaBuM bate Vivo Keyd e vence primeiro split do CBLoL». espn.com.br 
  97. «LoLeSports BR». lolesports.com.br. Consultado em 14 de julho de 2017 
  98. «LoLeSports BR». lolesports.com.br. Consultado em 14 de julho de 2017 
  99. «LoLeSports BR». lolesports.com.br. Consultado em 14 de julho de 2017 
  100. «LoLeSports BR». lolesports.com.br. Consultado em 14 de julho de 2017 
  101. «LoLeSports BR». lolesports.com.br. Consultado em 14 de julho de 2017 
  102. a b «vTi fora do League of Legends - League of Legends - TeamPlay e-Sports» 
  103. «LoLeSports BR». lolesports.com.br. Consultado em 14 de julho de 2017 
  104. «LoLeSports BR». lolesports.com.br. Consultado em 14 de julho de 2017 
  105. «LoLeSports BR». lolesports.com.br. Consultado em 14 de julho de 2017 
  106. «LoLeSports BR». lolesports.com.br. Consultado em 14 de julho de 2017 
  107. «LoLeSports BR». lolesports.com.br. Consultado em 14 de julho de 2017 
  108. a b c d e f Redação. «Cobertura 2º Split do Campeonato Brasileiro de League of Legends 2017». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  109. «LoLeSports BR». lolesports.com.br. Consultado em 14 de julho de 2017 
  110. Set, Ricardo. «Conheça quem são os jogadores que levaram o Big Gods ao CBLoL». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  111. Set, Ricardo. «Com TheFoxz, g3x acerta equipe para o CBLoL Pós-Temporada». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  112. a b Pereira, André Luiz. «Final Regional Brasileira de League of Legends». CNB e-Sports Club | Gaming is our sport 
  113. a b «Liga Brasileira - Série dos Campeões | League of Legends». br.leagueoflegends.com. Consultado em 14 de julho de 2017 
  114. a b c d e f g h i j «LoLeSports BR». br.lolesports.com. Consultado em 14 de julho de 2017 
  115. «CBLOL 2015 - 1ª ETAPA | INTZ vence - Tabela, Resultados e Agenda dos Jogos - TeamPlay e-Sports» 
  116. «LoLeSports BR». lolesports.com.br. Consultado em 14 de julho de 2017 
  117. «LoLeSports BR». br.lolesports.com. Consultado em 14 de julho de 2017 
  118. «LoLeSports BR». br.lolesports.com. Consultado em 22 de março de 2018 
  119. «Confira os vencedores do Prêmio CBLOL 2017!». XLG UOL 
  120. «LoL Esports BR». br.lolesports.com. Consultado em 25 de fevereiro de 2019 

Ligações externasEditar