Abrir menu principal
Conclave de maio de 1555
O Papa Paulo IV
Data e localização
Pessoas-chave
Decano Gian Pietro Carafa
Vice-Decano Jean du Bellay
Camerlengo Guido Ascanio Sforza di Santa Fiora
Protopresbítero Claude de Longwy de Givry
Protodiácono Francesco Pisani
Eleição
Eleito Papa Paulo IV
(Gian Pietro Carafa)
Participantes 56
Cronologia
Conclave de abril de 1555
Conclave de 1559
dados em catholic-hierarchy.org
Brasão papal de Sua Santidade o papa Paulo IV

O Conclave de maio de 1555 foi a reunião de eleição papal realizada após a morte do Papa Marcelo II, que governou por apenas vinte e um dias. Durou de 15 a 23 de maio de 1555.[1][2]

Índice

ConclaveEditar

O conclave teve início em 15 de maio sob atmosfera turbulenta, porque corriam rumores de que o exército francês e da Toscana (aliado com o Sacro Império Romano-Germânico) marchariam sobre Roma, para forçar os cardeais a uma escolha de acordo com os desejos de seus governantes. Mas os rumores não foram confirmados, e os cardeais poderiam avançar sozinhos para escolher.

A primeira votação mostrou que o candidato oficial do imperador, Giovanni Girolamo Morone, não teria o apoio suficiente, mesmo em seu próprio partido e, portanto, sua escolha era improvável. Os cardeais do partido francês provaram ser mais disciplinados e obedientes, votando no cardeal d'Este. A maioria o fez sem entusiasmo, no entanto, porque em geral, e não sem razão, acreditou que ele não teria predisposição para realizar a mais alta função na Igreja. Sua candidatura finalmente foi enterrados com a oposição de Alessandro Farnese.

Após as rejeições e várias candidaturas subsequentes, nenhum cardeal recebeu a necessária maioria de dois terços. Em seguida, Guido Ascânio Sforza, Camerlengo, proposta a candidatura do Decano do Colégio dos Cardeais, de 79 anos, Gian Pietro Carafa, e conseguiu convencer aos demais partidos. Carafa foi, portanto, apoiado pelos partidos "francês" e "italiano", a maioria exigida, no entanto, ainda faltam 3 votos. O Cardeal Toledo opôs-se fortemente à candidatura do decano e salientou que o imperador Carlos V claramente retirou seu apoio. Entretanto, vários cardeais apioadores do imperador se insubordinaram. Em 23 de maio, Carafa foi eleito por aclamação e tomou o nome de Paulo IV.

A eleição foi uma completa surpresa para o então "opinião pública". Carafa tinha muitos inimigos, e muito ansiosos pois como inquisidor fez com que muitos o temessem. Nos anos seguintes, provou que era temido, não sem razão, e as acusações de heresia não pouparam ninguém, nem mesmo os cardeais.

Cardeais votantesEditar

Ligações externasEditar

Referências

  1. «Catholic Hierarchy» (em inglês). Consultado em 26 de abril de 2011 
  2. «The Cardinals of the Holy Roman Church» (em inglês). Consultado em 26 de abril de 2011