Abrir menu principal
Francesco Pisani
Cardeal da Santa Igreja Romana
Deão do Colégio dos Cardeais
Atividade Eclesiástica
Diocese Diocese de Roma
Nomeação 12 de maio de 1564
Predecessor Dom Rodolfo Cardeal Pio
Sucessor Dom Giovanni Girolamo Cardeal Morone
Mandato 1564 - 1570
Ordenação e nomeação
Nomeação episcopal 8 de agosto de 1524
Ordenação episcopal 5 de maio de 1527
Cardinalato
Criação 1 de julho de 1517
por Papa Leão X
Ordem Cardeal-diácono (1517-1527)
Cardeal-presbítero (1527-1564)
Cardeal-bispo (1555-1570)
Título São Teodoro (1517-1527)
São Marco (1527-1564)
Santa Maria em Portico Octaviae (1528-1555)
Santa Ágata dos Góticos(1528-1555)
Albano (1555-1557)
Frascati (1557-1562)
Porto e Santa Rufina (1562-1564)
Óstia-Velletri (1564-1570)
Brasão
Coat of arms of Mgr François Pisani.svg
Dados pessoais
Nascimento Itália Veneza
1494
Morte Estados Papais Roma
28 de junho de 1570 (76 anos)
Nacionalidade Italiano
Progenitores Mãe: Cecilia Giustiniani
Pai: Alvise Pisani
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Francesco Pisani (Veneza, 1494 - Roma, 28 de junho de 1570) foi um cardeal italiano, bispo-emérito de Pádua e decano do Colégio dos Cardeais.

BiografiaEditar

Era filho de Alvise Pisani, embaixador de Veneza junto a Santa Sé e Cecilia Giustiniani. Teve uma filha natural, Giulia. Foi protonotário apostólico. Na instância do Doge Leonardo Loredano de Veneza, ele foi promovido ao cardinalato.

CardinalatoEditar

Foi criado cardeal no consistório de 1 de julho de 1517 pelo Papa Leão X, recebendo o barrete cardinalício e o título de Cardeal-diácono de São Teodoro em 22 de outubro de 1518.

Eleito bispo de Pádua em 8 de agosto de 1524, até renunciar ao governo da Sé em favor de Luigi Pisani, quando foi nomeado administrador, em 1555. Foi consagrado em 5 de maio de 1527, em Roma pelo cardeal Alessandro Farnese. Optou pela ordem dos cardeais-padres e o título de S. Marco em 3 de maio de 1527. Permaneceu com o Papa Clemente VII durante o saque de Roma de 1527 pelas tropas imperiais, foi feito refém e mantido por 18 meses na fortaleza de Castelnuovo, Nápoles. Tornou-se administrador da Sé de Treviso em 27 de janeiro de 1528, cargo que ocupou até 20 de fevereiro de 1538.[1] Recebe o título in commendam da diaconia de Santa Maria no Pórtico em 27 de fevereiro de 1528 até 4 de maio de 1541, e desde 28 de fevereiro de 1550 até 29 de maio de 1555. Optou pela diaconia de S. Ágata em Suburra a partir de 24 de maio de 1529, até 9 de janeiro de 1545. Entre 1551 e 1563, atuou como administrador da Sé de Narbona, na França.

Optou pela ordem dos cardeais-bispos com a suburbicária de Albano, com o consentimento do cardeal Robert de Lénoncourt, que, como primoprete tinha o direito de optar em 29 de maio de 1555, retendo in commendam o título de S. Marco até 21 de junho de 1564. Passa para a suburbicária de Frascati em 20 de setembro de 1557. Assume a suburbicária de Porto e Santa Rufina em 18 de maio de 1562, quando é eleito vice-decano do Sacro Colégio dos Cardeais. Passa para a suburbicária de Óstia-Velletri em 12 de maio de 1564, quando torna-se o Decano do Sacro Colégio dos Cardeais.

ConclavesEditar

Referências

  1. De acordo com Eubel, Hierarchia Catholica Medii et Recentioris Aevi, III, 309; e Zedler, Grosses vollständiges Universal-Lexicon aller Wissenschafften und Künste, XLV, 533.

Ligações externasEditar