François de Tournon

François de Tournon
Cardeal da Igreja Católica
Decano do Colégio dos Cardeais
Arcebispo de Lyon

Título

Cardeal-bispo de Óstia-Velletri
Atividade eclesiástica
Diocese Diocese de Roma
Nomeação 13 de março de 1560
Predecessor Dom Jean Cardeal du Bellay
Sucessor Dom Rodolfo Cardeal Pio
Mandato 1560 - 1562
Ordenação e nomeação
Nomeação episcopal 1518
Ordenação episcopal Benedetto Tagliacarne
Cardinalato
Criação 9 de março de 1530
por Papa Clemente VII
Ordem Cardeal-presbítero (1535-1550)
Cardeal-bispo (1550-1560)
Título Santos Marcelino e Pedro (1530-1550)
Sabina (1550-1560)
Óstia-Velletri (1560-1562)
Brasão
Coat Cardinal Tournon.svg
Lema Non quæ super terram
Dados pessoais
Nascimento Reino da França Tournon-sur-Rhône
1489
Morte Reino da França Saint-Germain-en-Laye
22 de abril de 1562 (73 anos)
Nacionalidade francês
Progenitores Mãe: Jeanne de Polignac
Pai: Jacques de Tournon
dados em catholic-hierarchy.org
Cardeais
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

François de Tournon (1489 - 22 de abril de 1562) foi um cardeal e diplomata francês, Decano do Colégio dos Cardeais.

BiografiaEditar

Filho de Jacques de Tournon, camareiro-mor do rei Carlos VIII da França, e de Jeanne de Polignac.[1]

Reconhecido na corte de Francisco I, foi nomeado arcebispo de Embrun em 1517. Sua capacidade de negociação são percebidas por Luísa de Saboia, durante sua regência e logo pelo rei, especialmente depois da derrota de Pavia.[1] Em 1526, foi nomeado arcebispo de Bourges e em seguida, em 1530, foi criado cardeal-presbítero pelo Papa Clemente VII, com o título de Santos Marcelino e Pedro.[1][2]

Participa do Conclave de 1534, que elegeu o Papa Paulo III. Em 1537, se converte no mordomo da oitava guerra italiana do Piamonte Em 1538, trocou o Arcebispado de Bourges pela Arquidiocese de Auch, mais rica, como administrador apostólico..[1][2]

Quando Anne de Montmorency cai em desgraça, atua como assessor e ministro de Relações Exteriores do rei desde 1541, sem receber um título formal.[1]

Também foi embaixador do rei Henrique II da França em diferentes reinos.[1] Desde 1547 passou oito anos na Itália e, em 1550, passa a ordem dos cardeais-bispos, com a Diocese de Sabina. Participa do Conclave de 1549–1550, que elegeu o Papa Júlio III. Em 1551, foi nomeado arcebispo de Lyon.[1][2]

Participa dos conclaves de 1555, de abril que elegeu o Papa Marcelo II e de maio, que elegeu o Papa Paulo IV.[1][2]

Participa, ainda, do Conclave de 1559, que elegeu o Papa Pio IV. Em 1560, torna-se decano do Colégio dos Cardeais e, portanto, cardeal-bispo de Óstia-Velletri.[1][2]

Nesse mesmo ano, regressou à corte da França, chamado pela rainha Catarina de Médici para presidir o conselho nacional encarregado da reforma da Igreja na França. Presidindo o Colóquio de Poissy, se mostra hostil às concessões aos protestantes.[1]

Faleceu em 22 de abril de 1562, em Saint-Germain-en-Laye. Foi sepultado no coro da abadia de St-Germain-des-Prés e, em 1720, seus restos mortais foram transladados para a capela do Collège de Tournon, hoje Lycée dE'tat Gabriel Fauré, em Tournon-sur-Rhône.[1]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k The Cardinals of the Holy Roman Church
  2. a b c d e Catholic Hierarchy

Ligações externasEditar


Precedido por
Rostaing d’Ancesune
 
Arcebispo de Embrun

1518 - 1526
Sucedido por
Robert de Lenoncourt
Precedido por
François de Bueil
 
Arcebispo de Bourges

1526 - 1537
Sucedido por
Jacques Leroy
Precedido por
Guillén-Ramón de Vich y de Vallterra
 
Cardeal-presbítero de Santos Marcelino e Pedro

1530 - 1550
Sucedido por
Georges d’Amboise
Precedido por
Gian Pietro Carafa
 
Cardeal-bispo de Sabina

1550 - 1560
Sucedido por
Robert de Lenoncourt
Precedido por
Jean de Lorraine
 
Arcebispo de Lyon

1551 - 1562
Sucedido por
Antoine d’Albon
Precedido por:
Jean du Bellay
 
Cardeal-bispo de Óstia-Velletri

Sucedido por:
Rodolfo Pio
Deão do Sacro Colégio dos Cardeais
15601562