Abrir menu principal

Wikipédia β

Copa Libertadores da América de 1981

A Copa Libertadores da América de 1981 foi a 22ª edição da competição de futebol realizada todos os anos pela Confederação Sul-Americana de Futebol. Equipes das dez associações sul-americanas participaram do torneio.

Copa Libertadores da América de 1981
XXII Copa Libertadores
Dados
Participantes 21
Organização CONMEBOL
Local de disputa América do Sul
Período 18 de março23 de novembro
Gol(o)s 221
Partidas 77
Média 2,87 gol(o)s por partida
Campeão Brasil Flamengo (1º título)
Vice-campeão Chile Cobreloa
Melhor marcador Brasil Zico (Flamengo) – 11 gols
Melhor ataque (fase inicial) Uruguai Bella Vista – 16 gols
Melhor defesa (fase inicial) 3 gols:
Maiores goleadas
(diferença)
Cobreloa Chile 6–1 Peru Atlético Torino
Estádio Municipal de CalamaCalama
10 de abril, Grupo 5
 
Cobreloa Chile 6–1 Peru Sporting Cristal
Estádio Municipal de CalamaCalama
14 de abril, Grupo 5
 
Rosario Central Argentina 5–0 Colômbia Junior Barranquilla
Estádio Gigante de ArroyitoRosário
22 de abril, Grupo 1
Premiações
Melhor jogador
Brasil Zico (Flamengo)
◄◄ 1980 Soccerball.svg 1982 ►►

O Flamengo do Brasil conquistou o seu único título da competição, ao superar o Cobreloa do Chile, em um jogo de desempate no Estádio Centenário, no Uruguai, pelo placar de 2–0, com gols de Zico. Com a conquista, o clube pôde disputar a Copa Intercontinental, em dezembro do mesmo ano, no Japão, contra o Liverpool, da Inglaterra, campeão da Liga dos Campeões da Europa 1980-81. Segundo uma lista divulgada em 2015 pela Conmebol, o Rubro-negro registrou público somado de 516.382 espectadores nos seis jogos que disputou no Maracanã, sendo este o maior público já registrado em uma edição da Copa Libertadores da América[1].

Entre os jogadores do River Plate que participaram da Copa Libertadores da América de 1981, havia jogadores veteranos e campeões da Copa do Mundo de 1978 com a seleção argentina, como Fillol (31 anos), Pasarella (28 anos), Tarantini (26 anos), Oscar Ortiz (28 anos), Houseman e Kempes.[2][3]

Índice

Equipes classificadas

País Equipe Classificação
  Argentina
(2 vagas)
River Plate Campeão do Campeonato Metropolitano de 1980
Rosario Central Campeão do Campeonato Nacional de 1980
  Bolívia
(2 vagas)
Jorge Wilstermann Campeão da Primeira Divisão de 1980
The Strongest Vice-campeão da Primeira Divisão 1980
  Brasil
(2 vagas)
Flamengo Campeão do Campeonato Brasileiro Série A 1980
Atlético Mineiro Vice-campeão do Campeonato Brasileiro Série A 1980
  Chile
(2 vagas)
Cobreloa Campeão da Primeira Divisão 1980
Universidad de Chile Vice-campeão da Primeira Divisão 1980
  Colômbia
(2 vagas)
Junior Barranquilla Campeão da Primeira Divisão 1980
Deportivo Cali Vice-campeão da Primeira Divisão 1980
  Equador
(2 vagas)
Barcelona de Guayaquil Campeão do Campeonato Equatoriano de 1980
Técnico Universitario Vice-campeão do Campeonato Equatoriano de 1980
  Paraguai
(2 vagas)
Olimpia Campeão da Primeira Divisão 1980
Cerro Porteño Vice-campeão da Primeira Divisão 1980
  Peru
(2 vagas)
Sporting Cristal Campeão do Campeonato Descentralizado 1980
Atlético Torino Vice-campeão do Campeonato Descentralizado 1980
  Uruguai
(2 vagas + atual campeão)
Nacional Campeão da Libertadores 1980
Bella Vista Campeão da Mini-Liga Pré Libertadores de 1980
Peñarol Vice-campeão da Mini-Liga Pré Libertadores de 1980
  Venezuela
(2 vagas)
Estudiantes de Mérida Campeão da Primeira Divisão 1980
Portuguesa Vice-campeão da Primeira Divisão 1980

Primeira fase

As partidas da primeira fase foram disputadas entre 18 de março e 14 de agosto. A melhor equipe de cada grupo avançou para a fase final, totalizando 5 classificados. O campeão anterior classifica-se diretamente à fase final. Em caso de empate, as duas equipes farão uma partida de desempate em campo neutro.

Grupo 1 (  Argentina e   Colômbia)

Time Pts J V E D GP GC SG
  Deportivo Cali 8 6 4 0 2 10 6 +4
  River Plate 7 6 3 1 2 9 6 +3
  Rosario Central 7 6 3 0 3 11 7 +4
  Junior Barranquilla 3 6 1 1 4 3 14 -13
  DEP JUN RIV ROS
Deportivo Cali 1–0 2–1 4–1
Junior Barranquilla 1–0 0–0 1–2
River Plate 1–2 3–0 3–2
Rosario Central 2–1 5–0 0–1

Grupo 2 (  Uruguai e   Venezuela)

Time Pts J V E D GP GC SG
  Peñarol 11 6 5 1 0 13 3 +10
  Bella Vista 9 6 4 1 1 16 5 +11
  Estudiantes de Mérida 2 6 0 2 4 5 14 -9
  Portuguesa 2 6 0 2 4 1 13 -12
  BVI ESM PEN POR
Bella Vista 3–1 0–0 4–0
Estudiantes de Mérida 1–4 0–2 1–1
Peñarol 3–1 4–2 3–0
Portuguesa 0–4 0–0 0–1

Grupo 3 (  Brasil e   Paraguai)

Time Pts J V E D GP GC SG
  Flamengo 8 6 2 4 0 14 9 +5
  Atlético Mineiro 8 6 2 4 0 8 5 +3
  Cerro Porteño 4 6 1 2 3 5 14 -9
  Olimpia 2 6 0 2 4 1 13 -12
  ATM CER FLA OLI
Atlético Mineiro 2–2 2–2 1–0
Cerro Porteño 0–1 2–4 0–0
Flamengo 2–2 5–2 1–1
Olimpia 0–0 0–3 0–0
Jogo de desempate Placar
  Flamengo 0
  Atlético Mineiro 0
  • Para decidir o primeiro colocado neste grupo ocorreu um jogo de desempate entre Flamengo e Atlético Mineiro no Estádio Serra Dourada em Goiânia, a 9 de agosto. O Flamengo foi declarado vencedor do jogo. Aos 37 minutos o Atlético Mineiro contava com apenas seis jogadores devido a expulsões de Éder, Reinaldo, Chicão, Palhinha e Cerezo, pelo árbitro José Roberto Wright. A confusão começou após o craque atleticano Reinaldo ter sido expulso por cometer uma falta em Zico no meio de campo.

Grupo 4 (  Bolívia e   Equador)

Time Pts J V E D GP GC SG
  The Strongest 8 6 4 0 2 13 9 +4
  Jorge Wilstermann 8 6 4 0 2 9 9 0
  Barcelona de Guayaquil 6 6 3 0 3 8 8 0
  Técnico Universitario 2 6 1 0 5 11 15 -4
  BAR JWI TEC TST
Barcelona de Guayaquil 3–0 2–1 2–1
Jorge Wilstermann 1–0 3–1 3–2
Técnico Universitario 4–1 1–2 2–3
The Strongest 1–0 2–0 4–2
Jogo de desempate Placar
  The Strongest 1
  Jorge Wilstermann 4

Grupo 5 (  Chile e   Peru)

Time Pts J V E D GP GC SG
  Cobreloa 9 6 3 3 0 14 3 +11
  Sporting Cristal 8 6 3 2 1 9 11 -2
  Universidad de Chile 6 6 2 2 2 8 6 +2
  Atlético Torino 2 6 0 1 5 5 16 -11
  ATT COB SCR UCH
Atlético Torino 1–1 1–2 1–2
Cobreloa 6–1 6–1 1–0
Sporting Cristal 2–1 0–0 3–2
Universidad de Chile 3–0 0–0 1–1

Fase semifinal

Grupo A

Time Pts J V E D GP GC SG
  Flamengo 8 4 4 0 0 10 2 +8
  Deportivo Cali 3 4 1 1 2 2 5 -3
  Jorge Wilstermann 1 4 0 1 3 3 8 -5
  DEP FLA JWI
Deportivo Cali 0–1 1–0
Flamengo 3–0 4–1
Jorge Wilstermann 1–1 1–2

Grupo B

Time Pts J V E D GP GC SG
  Cobreloa 7 4 3 1 0 9 5 +4
  Nacional 3 4 0 3 1 5 6 -1
  Peñarol 2 4 0 2 2 4 7 -3
  COB NAC PEN
Cobreloa 2–2 4–2
Nacional 1–2 1–1
Peñarol 0–1 1–1

Final

Jogo de ida

13 de novembro Flamengo 2 — 1 Cobreloa Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro

Zico   12',   30' (pen) Merello   65' Público: 93 985
Árbitro: Carlos Espósito (Argentina)

Jogo de volta

20 de novembro Cobreloa 1 — 0 Flamengo Estádio Nacional, Santiago

Merello   84' Público: 61 721
Árbitro: Barreto (Uruguai)

Jogo de desempate

23 de novembro Flamengo 2 — 0 Cobreloa Estádio Centenário, Montevidéu

Zico   13',   84' Público: 30 200
Árbitro: Roque Cerullo (Uruguai)
     
 
 
Flamengo
     
 
 
Cobreloa
Flamengo:
G 20   Raul
LD 19   Nei Dias
Z 4   Marinho
Z 14   Mozer
LE 5   Júnior
V 6   Andrade    
M 2   Leandro
M 10   Zico    
A 12   Tita
A 9   Nunes   86'
A 8   Adílio
Substituições:
A 25   Anselmo   86'    
Treinador:
  Paulo César Carpegiani
Cobreloa:
G 1   Óscar Wirth
LD 2   Hugo Tabilo
Z 3   Juan Páez   40'
Z 4   Mario Soto    
LE 20   Enzo Escobar
V 6   Eduardo Jiménez    
M 14   Armando Alarcón    
M 8   Victor Merello
A 11   Hector Puebla
A 9   Jorge Luis Siviero   24'
A 15   Washington Olivera
Substituições:
A 7   Oscar Múñoz   40'
Treinador:
  Vicente Cantatore


Homem da Partida:
  Zico

Assistentes:
  Juan Cardelino
  Ramón Barreto

Premiações

Equipe

Libertadores da América de 1981
 
FLAMENGO
Campeão
(1º título)


Individuais
Melhor jogador Artilheiro Gols
  Zico   Zico 11

Referências

  1. extra.globo.com/ Com mais de 500 mil espectadores, Flamengo é dono do recorde de público em uma edição de Copa Libertadores
  2. UOL Copa do Mundo 2010 - Historia das copas -Copa de 1978 - Campeão. Escalação da seleção argentina naquela Copa incluía: Fillol, Passarella, Ortiz, Tarantini, Kempes (titulares), Houseman (reserva). Acesso: 12/02/2013
  3. Arquivo do jornal El Tiempo, artigo QUÉ GOLAZOS, VIEJO WILLY, do ex-jogador Willington Ortiz, publicado em 6 de abril de 1999, acesso em 12/02/2013: De ello pueden hablar los jugadores de River Plate, quienes nunca pudieron olvidar los dos goles que les hice en Copa Libertadores en 1981 cuando jugué con el Cali , las palabras son de Willington Ortiz, El Viejo Willy, quien registró su nombre en la historia del fútbol mundial con aquellas acciones. Fue la noche del viernes 3 de abril de 1981. En el Pascual Guerrero estaban 43.250 aficionados. Cali ganaba 1-0 desde los 15 minutos del primer tiempo con anotación de Alberto de Jesús El Tigre Benítez. El público permanecía en silencio. En ese momento, recibí la pelota de Moisés Pachón como si me hubiese realizado el centro con la mano. Debido a mi corta estatura, hice un paso corto en velocidad. Vi la salida de Fillol y tuve tiempo hasta de verle. Enganché la pelota hacia la derecha y pude ver el arco solo , recordó. Era el segundo gol del Cali frente a un River Plate lleno de luminarias como Fillol, Passarella, Tarantini, Oscar Ortiz, Houseman y Kempes, quienes habían ayudado a Argentina a conquistar su primer título mundial de fútbol.

Ligações externas