Copa do Mundo FIFA de 1954

5ª edição internacional do Campeonato Mundial de Futebol realizado na Suíça

A Copa do Mundo FIFA de 1954 foi a quinta edição da Copa do Mundo FIFA de Futebol, que ocorreu de 16 de junho até 4 de julho. Em comemoração ao 50º aniversário da FIFA, o evento foi sediado na Suíça, onde encontra-se a sede da FIFA; o país foi oficialmente selecionado como anfitrião em julho de 1946. Dezesseis seleções nacionais foram qualificadas para participar desta edição do campeonato, sendo 11 delas europeias (Suíça, Hungria, Áustria, Inglaterra, Alemanha Ocidental, Iugoslávia, França, Itália, Tchecoslováquia, Bélgica e Escócia), 3 americanas (México, Brasil e Uruguai) e 2 asiáticas (Turquia e Coreia do Sul).

Copa do Mundo FIFA de 1954
FIFA Fussball-Weltmeisterschaft 1954 Schweiz (em alemão)
Championnat du Monde de Football 1954 (em francês)
Campionato mondiale di calcio 1954 (em italiano)
Suíça 1954
WorldCup1954logo.jpg
Cartaz promocional da Copa de 1954.
Dados
Participantes 16
Organização FIFA
Anfitrião Suíça
Período 16 de junho4 de julho
Gol(o)s 140
Partidas 26
Média 5,38 gol(o)s por partida
Campeão Alemanha Ocidental (1º título)
Vice-campeão Hungria
3.º colocado Áustria
4.º colocado Uruguai
Melhor marcador Flag of Hungary 1949-1956.svg Sándor Kocsis – 11 gols
Melhor ataque (fase inicial) Hungria – 17 gols
Melhor defesa (fase inicial) nenhum gol:
Maior goleada
(diferença)
Hungria 9–0 Coreia do Sul
Zurique

17 de junho, Grupo 2, 1ª rodada
Público 889 500
Média 34 211,5 pessoas por partida
Premiações
Melhor jogador
Flag of Hungary 1949-1956.svg Ferenc Puskás
◄◄ Brasil 1950 Soccerball.svg 1958 Suécia ►►

Esta edição foi a que teve a maior média de gols de todas as copas, com 140 gols em 26 partidas, uma média de 5,38 gols por partida. Este recorde foi proporcionado principalmente pelos resultados do Grupo 2, que tinha a Hungria, a Alemanha Ocidental, a Turquia e a Coreia do Sul, tendo goleadas em todas as partidas (Alemanha Ocidental 4 – 1 Turquia; Hungria 9 – 0 Coreia do Sul; Hungria 8 – 3 Alemanha Ocidental; Turquia 7 – 0 Coreia do Sul; Alemanha 7 – 2 Turquia). Além disso, houve resultados como Uruguai 7 – 0 Escócia, Áustria 5 – 0 Tchecoslováquia, Alemanha 6 – 1 Áustria e Áustria 7 – 5 Suíça, esta última sendo a partida com o maior número de gols em todas as Copas.

A copa contou com grandes jogadores, como Fritz Walter, Max Morlock, Hans Schäfer e Helmut Rahn da Alemanha Ocidental, Ernst Ocwirk da Áustria, Julinho Botelho, Didi e Djalma Santos do Brasil, Roque Máspoli, Juan Schiaffino, José Santamaría e Obdulio Varela, capitão do Uruguai, Gyula Grosics, Nándor Hidegkuti, József Bozsik, Zoltán Czibor, Sándor Kocsis e Ferenc Puskás da Hungria, sendo este último considerado o melhor jogador da competição, um dos melhores da história do Real Madrid, e um dos melhores da história do futebol mundial.

A Copa do Mundo FIFA de 1954 teve como seleções finalistas a Hungria, que havia vencido o Uruguai (atual campeão do mundo) na semifinal e até então era invicta e, ao final do campeonato, marcara 27 gols em 5 jogos, média de 5,4 gols por partida, ainda não superada por nenhuma outra seleção; e a Alemanha Ocidental, que havia goleado a Áustria na semifinal e, ao final da Copa, marcara 25 gols em 6 jogos, média de 4,17 gols por partida. A final tomou lugar em 4 de julho de 1954, às 17h, no Estádio Wankdorf, com um público de aproximadamente 60 mil pessoas. A partida, cujo árbitro era o inglês William Ling, iniciou-se com a Hungria marcando 2 gols e terminou com a virada histórica da Alemanha, atingindo o placar de 3 – 2. Era o primeiro título que a Alemanha conseguira e a Hungria não disputou mais finais de mundiais. Este é o único título conquistado por uma seleção que viria a sediar um mundial mais tarde.

EliminatóriasEditar

A competiçãoEditar

 
Seleção Brasileira embarcando para a Copa do Mundo de 1954. Arquivo Nacional.

Pela primeira vez uma Copa teve cobertura pela televisão, e moedas comemorativas foram cunhadas por causa do evento. A partir dessa Copa, o Brasil passou a usar o uniforme com a camisa amarela e o calção azul. Depois da derrota no Mundial de 1950, o uniforme antigo (camisa branca e calção azul usado desde 1919) foi considerado uma das fontes de azar. Em 1953, o professor e jornalista gaúcho Aldyr Garcia Schlee venceu outros treze candidatos no concurso para escolha do novo uniforme. Como vencedor recebeu uma cadeira cativa no Maracanã, um estágio como desenhista no extinto jornal Correio da Manhã e uma soma em dinheiro.

Foi um mundial dominado amplamente pela fantástica equipe húngara, campeã olímpica de 52, composta de super craques como Ferenc Puskás, Nándor Hidegkuti, Sándor Kocsis, József Bozsik, Zoltán Czibor, Gyula Grosics, dentre outros. Mas existiam outras seleções fortes como o Uruguai bicampeão mundial, o Brasil (que tentava se recompor de 50 com Didi, Djalma Santos e Julinho Botelho) e a Alemanha Ocidental (com Fritz Walter, Max Morlock, Hans Schäfer e Helmut Rahn).

A Copa de 1954 foi disputada na Suíça e foi a primeira em solo europeu depois da Segunda Guerra Mundial. A escolha da sede levou em conta justamente a neutralidade da Suíça durante o conflito. Apesar do sucesso do certame cabe uma crítica à fórmula da copa, bastante confusa. Cada grupo tinha dois cabeças de chave que não se enfrentavam, assim como as duas equipes restantes que não se enfrentavam. Assim ao invés de 3 jogos cada, no sistema todos contra todos, realizaram-se apenas 2 jogos por equipe. Os cabeças de chave foram os seguintes:

Primeira faseEditar

A Hungria, pelo Grupo 2, aplicou na 1ª fase duas goleadas históricas, uma sobre a fraca Coreia do Sul por 9-0 e a outra sobre nada mais, nada menos do que a Alemanha Ocidental, 8 a 3. Turquia e Alemanha Ocidental então tiveram que jogar o desempate pois terminaram empatados em pontos. A partida foi vencida pelos alemães com facilidade. O técnico Sepp Herberger colocou o time reserva em campo contra os húngaros, pois assim absorveria melhor uma mais que provável derrota e pouparia seus comandados.

Pelo Grupo 1, do Brasil, ocorreu um episódio bastante curioso. Brasil e Iugoslávia venceram seus primeiros compromissos (Brasil 5 a 0 México e Iugoslávia 1 a 0 França) e o empate garantia ambos na fase seguinte. Acontece que os jogadores do Brasil não conheciam o tal regulamento e atacavam insistentemente a meta iugoslava, com os jogadores eslavos fazendo gestos aos brasileiros pelo empate que beneficiaria os dois. Ao final do jogo alguns brasileiros choravam e apenas posteriormente a situação foi esclarecida. Tanto brasileiros como iugoslavos se classificaram à fase seguinte.

No grupo 3, Áustria e Uruguai classificaram-se sem problemas. A Celeste Olímpica ganhou da Tchecoslováquia por 2 a 0 e da Escócia por 7 a 0. Uma curiosidade é que, insatisfeito com as intromissões da comissão técnica no seu trabalho, o técnico da Escócia Andy Beattie pediu demissão logo após a derrota para a Áustria, sendo o único técnico a pedir demissão durante uma copa até hoje. A Áustria também passou fácil com 1 a 0 na Escócia e 5 a 0 na Tchecoslováquia. No Grupo D, o English Team tenta se refazer do desastre de 50, sua estreia em copas. Empata em um jogo espetacular com a Bélgica (4-4) e ganha da Suíça por 2 a 0. Suíça e Itália defrontaram-se duas vezes no grupo. Na primeira partida os helvéticos venceriam por 2 a 1 num jogo muito conturbado e de uma arbitragem bastante controversa do brasileiro Mário Vianna. As equipes se enfrentariam novamente, e no jogo desempate a Suíça vence por 4 a 1. Chega as Quartas de Final.

Fase finalEditar

O Brasil foi a vítima magiar nas Quartas. Uma verdadeira batalha campal em Berna e a Hungria vence por 4 a 2. Áustria e Suíça fazem o jogo com maior número de gols da história dos mundiais: Áustria 7 – 5 Suíça. A Alemanha Ocidental vence a Iugoslávia por 2 a 0 e o Uruguai atropela a Inglaterra por 4 a 2.

Numa das semifinais tivemos a Áustria encarando a equipe da República Federal da Alemanha, uma das três nações alemãs da época. O time da RFA se classificou batendo os alemães da região do Sarre, ocupado pela França, enquanto a Alemanha Oriental não se inscreveu para a Copa. Com a final em jogo, a equipe alemã bateu a austríaca por 6 a 1. Destaque para os irmãos Fritz e Ottmar Walter, que, com passes rápidos, levaram sempre perigo ao gol austríaco.

Na outra semifinal, tivemos um dos mais interessantes jogos do torneio, onde a Hungria liderava sobre o Uruguai ao final do primeiro tempo por 1 a 0. Mas ao final dos noventa minutos o placar apontava 2 a 2, levando a partida a prorrogação. A igualdade foi quebrada por Sándor Kocsis, que marcaria dois gols no tempo extra e assim levando a Hungria a final, derrotando um time que jamais havia perdido um jogo de Copa do Mundo. O Uruguai sofreria sua segunda derrota ao ceder o terceiro lugar aos austríacos por 1 – 0.

FinalEditar

O Estádio Wankdorf em Berna recebeu 60 mil pessoas que se espremeram para acompanhar a partida final entre Alemanha Ocidental e Hungria, uma repetição do jogo da primeira fase. Nesta fase, a Hungria venceu os reservas alemães por 8 a 3. O Time Dourado dos húngaros era o favorito, pois vinha de 32 partidas invicto, porém vinha de duas partidas duras. Começou a chover no dia do jogo - na Alemanha isso é chamado de "Fritz-Walter-Wetter" (tempo de Fritz Walter) pois dizia-se o capitão da equipe alemã Fritz Walter jogava seu melhor futebol na chuva, porque havia contraído malária quando jovem e por isso não atuava tão bem no calor. Adi Dassler, proprietário da Adidas e fornecedor de material esportivo para a seleção alemã, forneceu chuteiras com cravos intercambiáveis, que melhor se adaptariam ao campo molhado.

Na final se viu Ferenc Puskás atuando mesmo não estando em sua melhor forma. Ainda assim ele colocou seu time à frente do placar em apenas 6 minutos de jogo, e com Zoltán Czibor fazendo outro tento dois minutos depois parecia que os favoritos realmente levariam o título. Porém, com um rápido gol de Max Morlock no décimo minuto, e Helmut Rahn empatando aos 19, a maré começou a virar.

No segundo tempo a Hungria desperdiçou diversas chances. Mas, nervosos não conseguiram nada. Os alemães praticamente "cozinharam" o jogo a seu favor, e acabariam premiados. A meros seis minutos do final da partida, o popular narrador do rádio alemão Herbert Zimmermann fez sua mais memorável declaração ao dizer: "Rahn deveria chutar do meio da rua" (em alemão: "aus dem Hintergrund müsste Rahn schießen"), e assim foi. O segundo gol de Rahn, que chutou da meia-lua da área, após a zaga húngara afastar mal a bola, deu a liderança da partida aos alemães. Depois, Puskás ainda fez um gol impedido.

Aos alemães foi entregue a Taça Jules Rimet e o título de vencedores da Copa do Mundo com a torcida cantando junto o hino nacional alemão. Na Alemanha, esta partida é conhecida como o Milagre de Berna. Um filme baseado na história foi lançado em 2003. Para os húngaros, a derrota foi um desastre, e o seu declínio no futebol teria início somente dois anos depois, com a Revolução Húngara.

Os 11 gols marcados por Kocsis não apenas o garantiram a artilharia desta Copa, mas o tornou o recordista como artilheiro em uma Copa, superando Ademir de Menezes que havia marcado 9 tentos na copa anterior. A marca de Kocsis viria a ser quebrada na Copa seguinte por Just Fontaine e seus 13 gols.

CuriosidadesEditar

  • A Copa de 1954 teve a maior média de gols por jogo da história dos Mundiais: 5,38 (140 gols em 26 jogos).
  • A derrota para a Hungria nas semifinais da Copa do Mundo de 1954 foi a primeira do Uruguai na história do torneio.
  • Em 1954, o Brasil usou camisas amarelas e calções azuis, uniforme que seria imortalizado anos mais tarde. O radialista Geraldo José de Almeida criou o apelido: "seleção canarinho".
  • A partida de estreia da Copa, entre Iugoslávia e França, foi a primeira a ter transmissão direta pela televisão. Os iugoslavos levaram a melhor, vencendo pelo placar de 1 a 0.
  • A Espanha perdeu no sorteio a chance de ir à Copa do Mundo. A equipe enfrentou a Turquia nas eliminatórias e ganhou a primeira por 4 a 1, em Madri. No jogo de volta, os turcos venceram por 1 a 0 em Istambul e forçaram a realização de um jogo-desempate, que foi 2 a 2. A vaga foi então definida por sorteio.
  • A desorganização da seleção brasileira era tanta que os jogadores não sabiam que o empate frente aos iugoslavos classificava os dois times. Os brasileiros lutaram até o final e, sem conseguir alterar o 1-1 no placar, alguns atletas chegaram a chorar no ônibus antes de saber que estavam nas quartas de final.
  • Com um ataque poderoso, a Hungria fez 27 gols em cinco jogos do Mundial de 1954: a maior média de uma seleção em uma Copa do Mundo (5,2 por partida).
  • Sem falar nenhuma palavra em inglês, francês ou alemão, os jogadores da Coreia do Sul ficavam literalmente perdidos na Suíça e recebiam ajuda de policiais suíços, após os jogos.
  • Juan Holberg, do Uruguai, fez o gol de empate contra a Hungria na semifinal, aos 41 minutos do segundo tempo (2-2), e desmaiou de emoção. Na prorrogação, porém, a Hungria recuperou e venceu por 4-2.
  • A Hungria revolucionou não só no esquema tático, em que os atacantes não tinham posição fixa, mas também em sua preparação. Antes das partidas, os húngaros faziam aquecimento, prática incomum na época.
  • Anos depois veio à tona o doping de jogadores alemães apoiados pelo governo, na final contra a Hungria, partida que ficou conhecida como o "Milagre de Berna".

SedesEditar

Copa do Mundo FIFA de 1954 (Suíça)
Basileia Berna Genebra
St. Jakob-Park Estádio Wankdorf Estádio Charmilles
Capacidade: 42 500 Capacidade: 64 000 Capacidade: 14 000
     
Lausana Lugano Zurique
Estádio Olympique de la Pontaise Estádio de Cornaredo Estádio Hardturm
Capacidade: 15 850 Capacidade: 6 330 Capacidade: 27 500
     

ÁrbitrosEditar

SorteioEditar

Essa copa teve um formato diferente na fase de grupos, haviam duas cabeças de chaves que não se enfrentavam e outros dois adversários que também não se enfrentavam, assim na fase de grupos só haviam duas rodadas. Abaixo, um possível formato de sorteio:

Cabeças de Chave Cabeças de Chave Europa Resto do Mundo
  Brasil

  Itália

  Suíça

  Uruguai

  Áustria

  França

  Hungria

  Inglaterra

  Alemanha Ocidental

  Bélgica

  Iugoslávia

  Tchecoslováquia

  Coreia do Sul

  Escócia

  México

  Turquia

ConvocaçõesEditar

Fase InicialEditar

Equipes classificadas para as oitavas-de-final
Equipes eliminadas na primeira fase

Grupo 1Editar

Pos. Seleção Pts J V E D GP GC SG
1   Brasil 3 2 1 1 0 6 1 +5
2   Iugoslávia 3 2 1 1 0 2 1 +1
3   França 2 2 1 0 1 3 3 0
4   México 0 2 0 0 2 2 8 –6
16 de junho Brasil   5 – 0   México Charmilles, Genebra
17:10
Baltazar   23'
Didi   30'
Pinga   34',   43'
Julinho   69'
Público: 13 470
Árbitro:  SUI Raymon Wyssling
16 de junho Iugoslávia   1 – 0   França Stade Olympique de la Pontaise, Lausana
18:00
Milutinović   15' Público: 16 000
Árbitro:  WAL Benjamin Griffiths

19 de junho Brasil   1 – 1   Iugoslávia Stade Olympique de la Pontaise, Lausana
17:00
Didi   69' Zebec   48' Público: 24 637
Árbitro:  SCO Charlie Faultless
19 de junho França   3 – 2   México Charmilles, Genebra
17:10
Vincent   19'
Cárdenas   49'
Kopa   88' (pen.)
Lamadrid   54'
Balcázar   85'
Público: 19 000
Árbitro:  ESP Manuel Asensi

Grupo 2Editar

Pos. Seleção Pts J V E D GP GC SG
1   Hungria 4 2 2 0 0 17 3 +14
2   Alemanha Ocidental 4 3 2 0 1 14 11 +3
3   Turquia 2 3 1 0 2 10 11 –1
4   Coreia do Sul 0 2 0 0 2 0 16 –16
17 de junho Alemanha Ocidental   4 – 1   Turquia Wankdorf, Berna
18:00
Schäfer   14'
Klodt   52'
O. Walter   60'
Morlock   84'
Suat   2' Público: 28 000
Árbitro:  POR José da Costa Vieira
17 de junho Hungria   9 – 0   Coreia do Sul Hardturm, Zurique
18:00
Puskás   12',   89'
Lantos   18'
Kocsis   24',   36',   50'
Czibor   59'
Palotás   75',   83'
Público: 13 000
Árbitro:  FRA Raymond Vincenti

20 de junho Hungria   8 – 3   Alemanha Ocidental St. Jakob-Park, Basileia
16:50
Kocsis   3',   21',   67',   78'
Puskás   17'
Hidegkuti   50',   54'
Tóth   73'
Pfaff   25'
Rahn   77'
Herrmann   81'
Público: 56 000
Árbitro:  ENG William Ling
20 de junho Turquia   7 – 0   Coreia do Sul Charmilles, Genebra
17:00
Suat   10',   30'
Lefter   24'
Burhan   37',   64',   70'
Erol   76'
Árbitro:  URU Esteban Marino
Desempate
23 de junho Alemanha Ocidental   7 – 2   Turquia Hardturm, Zurique
18:00
O. Walter   7'
Schäfer   12',   79'
Morlock   30',   60',   77'
F. Walter   62'
Mustafa   21'
Lefter   82'
Público: 17 000
Árbitro:  FRA Raymond Vincenti

Grupo 3Editar

Pos. Seleção Pts J V E D GP GC SG
1   Uruguai 4 2 2 0 0 9 0 +9
2   Áustria 4 2 2 0 0 6 0 +6
3   Tchecoslováquia 0 2 0 0 2 0 7 –7
4   Escócia 0 2 0 0 2 0 8 –8
16 de junho Uruguai   2 – 0   Tchecoslováquia Wankdorf, Berna
18:00
Míguez   72'
Schiaffino   81'
Público: 10 500
Árbitro:  ENG Arthur Ellis
16 de junho Áustria   1 – 0   Escócia Hardturm, Zurique
18:00
Probst   33' Público: 25 000
Árbitro:  BEL Laurent Franken

19 de junho Uruguai   7 – 0   Escócia St. Jakob-Park, Basileia
16:50
Borges   17',   47',   57'
Míguez   30',   83'
Abbadie   54',   85'
Público: 34 000
Árbitro:  ITA Vincenzo Orlandini
19 de junho Áustria   5 – 0   Tchecoslováquia Hardturm, Zurique
17:00
Stojaspal   3',   70'
Probst   4',   21',   24'
Público: 26 000
Árbitro:  IUG Vasa Stefanović

Grupo 4Editar

Pos. Seleção Pts J V E D GP GC SG
1   Suíça 4 3 2 0 1 6 4 +2
2   Inglaterra 3 2 1 1 0 6 4 +2
3   Itália 2 3 1 0 2 6 7 –1
4   Bélgica 1 2 0 1 1 5 8 –3
17 de junho Suíça   2 – 1   Itália Stade Olympique de la Pontaise, Lausana
17:50
Ballaman   18'
Hügi   78'
Boniperti   44' Público: 40 749
Árbitro:  BRA Mário Vianna
17 de junho Inglaterra   4 – 4 (pro.)   Bélgica St. Jakob-Park, Basileia
18:10
Broadis   26',   63'
Lofthouse   36',   91'
Anoul   5',   71'
Coppens   67'
Dickinson   94'
Público: 14 000
Árbitro:  FRG Emil Schmetzer

20 de junho Itália   4 – 1   Bélgica Cornaredo, Lugano
17:00
Pandolfini   41' (pen.)
Galli   48'
Frignani   58'
Lorenzi   78'
Anoul   81' Público: 24 000
Árbitro:  AUT Carl Erich Steiner
20 de junho Inglaterra   2 – 0   Suíça Wankdorf, Berna
17:10
Mullen   43'
Wilshaw   69'
Público: 43 119
Árbitro:  HUN Istvan Zsolt
Desempate
23 de junho Suíça   4 – 1   Itália St. Jakob-Park, Basileia
18:00
Hügi   14',   85'
Ballaman   48'
Fatton   90'
Nesti   67' Público: 28 655
Árbitro:  WAL Griffiths

Fase FinalEditar

Quartas de final Semifinais Final
                   
27 de Junho - Genebra        
   Alemanha Ocidental  2
30 de Junho – Basileia
   Iugoslávia  0  
   Alemanha Ocidental  6
26 de Junho - Lausana
     Áustria  1  
   Áustria  7
4 de Julho – Berna
   Suíça  5  
   Alemanha Ocidental  3
27 de Junho - Berna
     Hungria  2
   Hungria  4
30 de Junho - Lausana
   Brasil  2  
   Hungria (pro.)  4 Terceiro Lugar
26 de Junho – Basileia
     Uruguai  2  
   Uruguai  4    Áustria  3
   Inglaterra  2      Uruguai  1
3 de Julho - Zurique

Quartas de finalEditar

 Ver artigo principal: Áustria 7–5 Suíça (1954)
26 de junho Áustria   7 – 5   Suíça Stade Olympique de la Pontaise, Lausana
17:00
Wagner   27',   52',   58'
A. Körner   26',   34'
Ocwirk   32'
Probst   76'
Ballaman   16',   84'
Hügi   17',   23',   58'
Público: 30 340
Árbitro:  SCO Charlie Faultless

26 de junho Uruguai   4 – 2   Inglaterra St. Jakob-Park, Basileia
17:00
Borges 5'
Varela 39'
Schiaffino 46'
Ambrois 78'
Lofthouse 16'
Finney 67'
Público: 28 000
Árbitro:  AUT Carl Erich Steiner

 Ver artigo principal: Batalha de Berna
27 de junho Hungria   4 – 2   Brasil Wankdorf, Berna
17:00
Hidegkuti   4'
Kocsis   7',   88'
Lantos   60'
Djalma Santos   18' (pen.)
Julinho   65'
Público: 40 000
Árbitro:  ENG Arthur Ellis

27 de junho Alemanha Ocidental   2 – 0   Iugoslávia Charmilles, Genebra
17:00
Horvat   9'
Rahn   85'
Público: 17 000
Árbitro:  HUN Istvan Zsolt

SemifinaisEditar

 Ver artigo principal: Hungria 4 x 2 Uruguai (1954)
30 de junho Hungria   4 – 2 (pro.)   Uruguai Stade Olympique de la Pontaise, Lausana
18:00
Czibor   13'
Hidegkuti   46'
Kocsis   111',   116'
Hohberg   75',   86' Árbitro:  WAL Benjamin Griffiths

30 de junho Alemanha Ocidental   6 – 1   Áustria St. Jakob-Park, Basileia
18:00
Schäfer   31'
Morlock   47'
F. Walter   54' (pen.),   64' (pen.)
O. Walter   61',   89'
Probst   51' Público: 58 000
Árbitro:  ITA Vincenzo Orlandini

Disputa pelo terceiro lugarEditar

3 de julho Áustria   3 – 1   Uruguai Hardturm, Zurique
17:00
Stojaspal   16' (pen.)
Cruz   59'
Ocwirk   89'
Hohberg   22' Público: 32 000
Árbitro:  SUI Raymon Wyssling

FinalEditar

 Ver artigo principal: Final da Copa do Mundo FIFA de 1954
4 de julho Alemanha Ocidental   3 – 2   Hungria Wankdorf, Berna
17:00
Morlock   10'
Rahn   18',   84'
Puskás   6'
Czibor   8'
Público: 62 500
Árbitro:  ENG William Ling
     
 
 
Alemanha Ocidental
     
 
 
Hungria

Classificação finalEditar

A classificação final é determinada através da fase em que a seleção alcançou e a sua pontuação, levando em conta os critérios de desempate.

Pos. Seleção Gr Pts J V E D GP GC SG
Final
1   Alemanha Ocidental 2 10 6 5 0 1 25 14 +11
2   Hungria 2 8 5 4 0 1 27 10 +17
Decisão do 3º lugar
3   Áustria 3 8 5 4 0 1 17 12 +5
4   Uruguai 3 6 5 3 0 2 16 9 +7
Eliminados nas quartas de final
5   Suíça 4 4 4 2 0 2 11 11 0
6   Brasil 1 3 3 1 1 1 8 5 +3
7   Inglaterra 4 3 3 1 1 1 8 8 0
8   Iugoslávia 1 3 3 1 1 1 2 3 –1
Eliminados na fase de grupos
9   França 1 2 2 1 0 1 3 3 0
10   Turquia 2 2 3 1 0 2 10 11 –1
11   Itália 4 2 3 1 0 2 6 7 –1
12   Bélgica 4 1 2 0 1 1 5 8 –3
13   México 1 0 2 0 0 2 2 8 –6
14   Tchecoslováquia 3 0 2 0 0 2 0 7 –7
15   Escócia 3 0 2 0 0 2 0 8 –8
16   Coreia do Sul 2 0 2 0 0 2 0 16 –16

ArtilhariaEditar

11 gols
6 gols
4 gols
3 gols
2 gols
1 gol
Gols contra

Ligações externasEditar

 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Copa do Mundo FIFA de 1954