Abrir menu principal
Current event marker.png
Este artigo ou seção é sobre um filme em produção.
A informação apresentada pode mudar com frequência. Não adicione especulações, nem texto sem referência a fontes confiáveis.
Future film2.svg
Question book.svg
Esta página ou secção não cita fontes confiáveis e independentes, o que compromete sua credibilidade (desde maio de 2018). Por favor, adicione referências e insira-as corretamente no texto ou no rodapé. Conteúdo sem fontes poderá ser removido.
Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Dark Phoenix
X-Men: Fénix Negra (PRT)
X-Men: Fênix Negra (BRA)
Teaser pôster
 Estados Unidos
2019 •  cor •  
Direção Simon Kinberg
Produção Simon Kinberg
Bryan Singer
Hutch Parker
Lauren Shuler Donner
Roteiro Simon Kinberg e Kevin Feige
Baseado em "A Saga da Fênix Negra", de Chris Claremont e John Byrne
Elenco Alexandra Shipp
Sophie Turner
Jennifer Lawrence
Nicholas Hoult
Tye Sheridan
Michael Fassbender
James McAvoy
Kodi Smit-McPhee
Evan Peters
Jessica Chastain
Gênero Ação
Música Hans Zimmer
Direção de arte Claude Paré
Direção de fotografia Mauro Fiore
Figurino Daniel Orlandi
Edição Lee Smith
Companhia(s) produtora(s) 20th Century Fox
Marvel Entertainment
Bad Hat Harry Productions
The Donners Company
Genre Films
Distribuição Walt Disney Studios Motion Pictures
Lançamento Brasil Portugal 6 de junho de 2019
Estados Unidos 7 de junho de 2019
Idioma Inglês
Cronologia
X-Men: Apocalypse
Página no IMDb (em inglês)

Dark Phoenix (X-Men: Fénix NegraPOR ou X-Men: Fênix NegraBRA) é um futuro filme norte-americano de super-heróis baseado nos personagens da Marvel Comics, X-Men, produzido pela 20th Century Fox e distribuído pela Walt Disney Studios Motion Pictures. Será o décimo segundo título da série X-Men e o início de uma nova trilogia. O filme é escrito e dirigido por Simon Kinberg, e é estrelado por Alexandra Shipp, Sophie Turner, Jennifer Lawrence, Nicholas Hoult, Tye Sheridan, Michael Fassbender, James McAvoy, Kodi Smit-McPhee, Evan Peters, e Jessica Chastain. Em X-Men: Fênix Negra, os X-Men precisam enfrentar o poder total da Fênix, depois de uma missão para o espaço ter dado errado.

Depois de X-Men: Dias de um Futuro Esquecido ter apagado os eventos de X-Men: O Confronto Final da linha do tempo da série, Kinberg manifestou interesse na mais fiel adaptação de Chris Claremont: "A Saga da Fênix Negra ". A nova adaptação foi confirmada como um acompanhamento para X-Men: Apocalipse, de 2016. Kinberg assinou em fazer a sua estreia diretorial em junho de 2017, quando a maioria do elenco foi confirmado. As filmagens começaram mais tarde, naquele mês, em Montreal, e foram concluídas em outubro de 2017, retornando meses depois para filmagens adicionais.

X-Men: Fênix Negra está programado para ser lançado nos Estados Unidos em 7 de junho de 2019.

Índice

EnredoEditar

Em X-Men: Fênix Negra, os X-Men enfrentam seu inimigo mais formidável e poderoso: um deles, Jean Grey. Durante uma missão de resgate no espaço, Jean é quase morta quando é atingida por uma misteriosa força cósmica. Quando ela volta para casa, essa força não só a torna infinitamente mais poderosa, mas muito mais instável. Lutando com essa entidade dentro dela, Jean desencadeia seus poderes de maneiras que ela não pode compreender nem conter. Com Jean fora de controle, e ferindo aqueles que ela mais ama, ela começa a desvendar a linha que mantém os X-Men juntos. Agora, com esta família desmoronando, eles devem encontrar uma maneira de se unir, não apenas para salvar a alma de Jean, mas para salvar nosso próprio planeta de alienígenas que desejam se armar com essa força e governar a galáxia.

ElencoEditar

Além disso,Daniel Cudmore—que anteriormente retratou Colossus da franquia—e Lamar Johnson aparece em papéis desconhecidos.

ProduçãoEditar

DesenvolvimentoEditar

Depois de entrar para o filme X Men 2, de 2003, o escritor Zak Penn convenceu o diretor Bryan Singer a não adaptar o enredo da Marvel Comics "A Saga da Fênix Negra" para o filme, acreditando que "era muito cedo para entrar na história da Fênix", história cósmica." O personagem de Jean Grey / Fênix foi explorado sutilmente ", com a intenção de toda a história ser adaptada no próximo filme. Singer não voltou para dirigir a sequência, X-Men: O Confronto Final, que foi escrito por Penn e Simon Kinberg. Eles escolheram adaptar a "Saga da Fênix Negra" como apenas uma das "histórias paralelas" do filme, com um executivo da 20th Century Fox sugerindo que o enredo "Gifted" também esteja no filme.Esta versão da história não foi bem recebida pelos fãs e críticos. Kinberg afirmou que ele e Penn estavam insatisfeitos com a forma como a adaptação acabou.

Depois que a linha do tempo da franquia X-Men foi redefinida com o filme de 2014 X-Men: Dias de Um Futuro Esquecido, foi notado que uma nova adaptação da "Saga da Fênix Negra" poderia ser feita, ignorando os eventos de Confronto Final. Kinberg e Singer expressaram interesse por isso, e sugeriram que X-Men: Apocalipse de 2016 criaria elementos para tal releitura. Apocalipse apresenta Sophie Turner como uma jovem Jean Grey e começa a explorar "como ela é poderosa". Em abril de 2016, acreditava-se que a sequela de Apocalipse realmente reajustaria "A Saga da Fênix Negra". Em maio de 2016, Kinberg disse que o próximo filme dos X-Men depois do Apocalipse seria lançado nos anos 90, avançando uma década como foi feito para os filmes anteriores de X-Men. Ele também observou que Apocalipse havia introduzido versões mais novas de vários personagens dos filmes X-Men originais para dar a eles uma nova história de origem - incluindo Tempestade, Ciclope, Noturno e Jean Grey - com a intenção de explorá-los em sua própria linha de filmes. Ele acrescentou que também espera ver o elenco da trilogia anterior dos filmes: James McAvoy como Charles Xavier, Michael Fassbender como Erik Lehnsherr / Magneto e Jennifer Lawrence como Raven Darkhölme / Mistica.

Em julho, Kinberg disse que começaria a escrever o próximo filme dos X-Men "em breve". Em novembro, a Fox disse estar pressionando o "botão de reset" da franquia devido ao baixo desempenho financeiro e apocalíptico do Apocalipse, com a franquia sendo reconfigurada, Singer disse que não voltaria para dirigir o próximo filme. Os contratos de McAvoy, Fassbender, Lawrence e Nicholas Hoult da trilogia anterior haviam terminado, mas Kinberg estava otimisticamente escrevendo o novo roteiro com eles em mente. Havia rumores em fevereiro de 2017 de que o próximo filme seria intitulado X-Men: Supernova, e começaria a ser filmado em junho. Também em fevereiro, Turner confirmou que ela voltaria para o filme. Acreditava-se que Kinberg estava interessado em fazer sua estréia na direção com o filme, e foi descrito como o maior candidato ao cargo, com interesse também da Fox. O estúdio também estava procurando negociar novos acordos com Lawrence, Fassbender, McAvoy e Hoult para retornar. Até o final do mês, Kinberg descreveu relatos de que ele pode direcionar o filme como "prematuro", mas acrescentou que se ele fosse dirigir, ele não se assustaria com a escala do filme devido à sua experiência de escrever e produzir muitos dos filmes.Ele também reiterou que ele iria adaptar "A Saga da Fênix Negra" de forma diferente de como ele fez para Confronto Final, se dada outra oportunidade para fazê-lo.

Pré-produçãoEditar

Kinberg disse no início de março de 2017 que ele e o produtor Hutch Parker haviam começado a preparação inicial do filme, e que a Supernova era apenas um nome de código que eles usavam para a sequência. Ele disse que eles começaram a discutir a história do filme durante a pós-produção de Apocalipse, e que eles queriam fazer "algo ousado e radical" e expandir o universo da mesma forma que Logan se sente ousado e radical e certamente Deadpool também. Ao lançar o filme para o estúdio, Kinberg usou imagens do mundo real, como imagens de desastres ou relâmpagos, e focou em uma abordagem orgânica e relevante como uma resposta às críticas da realidade aumentada de Apocalipse. Fox oficialmente intitulou o filme de Fênix Negra, em abril, e deu-lhe uma data de lançamento de 2 de novembro de 2018. Mais tarde, haveria uma especulação sobre o filme ser dividido em 3, embora a atriz Olivia Munn tenha insinuado que o filme seria divido em duas partes. Tal revelação de Olivia, fez com que a atriz recebesse um puxão de orelha da Fox, que provavelmente deixaria pra revelar isso mais tarde. Desde então, o filme vem sendo tratado como "X men: Fênix Negra:Parte 1", o inicio de uma nova trilogia dos mutantes. Fassbender indicou em maio que ele voltaria para o filme, e Parker logo sugeriu que uma versão jovem do personagem Rogue poderia aparecer, e que o filme poderia explorar os elementos cósmicos da história de "Fênix Negra".

Em junho de 2017, havia rumores de que a raça alienígena Shi'ar estaria no filme, e Angelina Jolie estava sendo procurada para um papel, embora não se esperasse que ela aceitasse o papel. Jessica Chastain também estava potencialmente sendo procurada pelo mesmo personagem. Fox confirmou que Kinberg iria dirigir o filme, e que Lawrence, Fassbender, McAvoy e Hoult tinham assinado contrato para voltar para mais um filme. Além de Turner, os atores de Apocalipse: Alexandra Shipp, Tye Sheridan e Kodi Smit-McPhee também foram confirmados para retornar, enquanto os produtores do filme foram revelados como Kinberg, Parker e Lauren Shuler Donner. Naquela época, Chastain estava em negociações para se juntar ao elenco como Shi'ar Imperatriz Lilandra,a vilã do filme. O roteiro do filme foi dito que era "mais próximo" da original "A Saga da Fênix Negra" de Chris Claremont e John Byrne do que Confronto Final. Mais tarde foi revelado que a personagem Dazzler estaria aparecendo no filme, depois de ter sido sugerido em uma cena que acabou sendo excluída de Apocalipse. Singer foi originalmente anunciado como produtor do filme, mas depois de alegações de abuso sexual contra Singer, Kinberg afirmou que ele não estava envolvido no filme e que seu nome não estaria nos créditos do filme.

Daniel Orlandi retornou como figurinista para o filme depois de fazer isso em Logan, e trabalhou com Kinberg para projetar figurinos para os X-Men que estavam mais próximos dos desenhos de quadrinhos originais que Kinberg queria ver nos filmes. desde que ele entrou para a franquia, mas nunca esteve em posição de controlar antes. Os figurinos finais do filme apresentam o design amarelo e azul dos quadrinhos originais, mas combinam características de designs de várias encarnações diferentes do grupo. Kinberg também buscou no Logan inspiração geral de design, querendo replicar a qualidade "naturalista" e "artesanal" desse filme para os figurinos, cenários, adereços e design de títulos. Ele sentiu que isso daria mais impacto aos elementos de grande escala do filme, e ajudaria a torná-lo mais emocional, comparando essa ideia com os filmes originais de Star Wars.

FilmagemEditar

A fotografia principal começou em 28 de junho de 2017, em Montreal, sob o título de trabalho "Teen Spirit". Mauro Fiore serviu como diretor de fotografia. As filmagens ocorreram principalmente no MELS Studios.Antes do final do mês, Evan Peters foi definido para reprisar seu papel como personagem "favorito do público" Mercúrio dos filmes anteriores, e Lamar Johnson se juntou ao elenco em um papel não especificado. No início de agosto, Chastain confirmou seu envolvimento no filme; ela estava interessada na história, depois de recusar papéis em outros filmes de super-heróis, devido ao seu foco em personagens femininas. Kota Eberhardt e Andrew Stelin também entraram para o elenco, como interpretes de Selene e Lótus Escarlate. Kinberg disse que queria que o filme fosse "humano" e emotivo, como os filmes anteriores de X-Men, e que ele estava procurando fundamentar a história de "A Saga da Fênix Negra" para sua adaptação "então não é muito intergaláctico". Mais tarde, ele esclareceu que o filme ainda incluiria personagens alienígenas como na história em quadrinhos, um elemento que foi ignorado pela adaptação do Confronto Final, mas que ele considerou parte integrante da história. Ele também disse que o filme seria totalmente menos operístico do que os filmes anteriores do X-Men, que ele esperava torná-lo mais relacionável para o público. Em setembro, Daniel Cudmore confirmou que estaria aparecendo no filme, mas não confirmou se estaria reprisando seu papel de Colossus em filmes anteriores da franquia. Chastain revelou que ela não estava realmente interpretando Lilandra. Enquanto Olivia Munn havia inicialmente confirmado que ela estaria reprisando seu papel de Psylocke, em fevereiro de 2019, ela afirmou que ela era incapaz de reprisar seu papel devido estar trabalhando em The Predator. As filmagens foram concluídas em Montreal em 14 de outubro de 2017.

Pós-produçãoEditar

Em dezembro de 2017, Kinberg revelou que o filme estaria em fase de pós-produção por quase um ano, mais do que o habitual para a série, porque ele queria ter tempo para obter os efeitos visuais, concentrando-se na "nuance" dos efeitos em vez da escala. Ele também explicou que "sentiu no estômago" que essa era a história que ele precisava contar quando Singer deixou a franquia, e que sua visão do filme era "tão clara em minha mente, emocional e visualmente, que teria me matou para entregar isso a outra pessoa para dirigir ". O filme foi descrito como sendo o mais sinistro e sombrio da franquia, com McAvoy achando que era o filme mais emotivo dos filmes X-Men em que ele havia trabalhado. Torna-se uma "luta pela alma de Jean" e apresenta uma reviravolta que pretendia ter repercussões significativas em toda a franquia. Lawrence revelou que ela havia trabalhado para convencer Kinberg a dirigir o filme, e prometera voltar para ele se o fizesse, apesar de não gostar da maquiagem necessária para interpretar seu personagem.Também foi revelado então que o filme estaria introduzindo uma versão da ilha de Genosha, adaptada para o filme como um refúgio mutante liderado por Magneto, e que focalizaria mais as personagens femininas do que os filmes anteriores da série, particularmente Jean Grey como herói e vilão do filme, e personagem de Chastain com quem Grey tem um relacionamento complexo.

A Fox adiou o lançamento do filme em março de 2018, empurrando-o de volta para 14 de fevereiro de 2019. Isso porque a Fox e Kinberg queriam agendar algumas refilmagens de rotina para o filme depois de receber feedback do público durante uma exibição de teste, mas não conseguiram juntar todos os membros do elenco necessários até agosto ou setembro de 2018, o que não deixaria tempo suficiente para concluir o trabalho de pós-produção, como efeitos visuais para as imagens adicionais antes da data de lançamento de novembro de 2018. Especificamente, Kinberg estava procurando retrabalhar o terceiro ato do filme e reescreveria parte do roteiro antes das refilmagens. Com a pós-produção já em andamento, acredita-se que o filme esteja abaixo do orçamento, enquanto as refilmagens planejadas custariam menos de US $ 10 milhões. Além disso, Kinberg e o estúdio queriam mudar a data de lançamento do filme por "algum tempo" para evitar competir com o filme de Natal O Quebra-Nozes e os Quatro Reinos. A nova data de lançamento de fevereiro foi considerada como tendo o lançamento do filme longe de quaisquer outros grandes filmes de estúdio, enquanto o colocava no fim de semana do Dia do Presidente, que provou ser bem sucedido para Deadpool e Pantera Negra da Marvel. Dirigindo-se às refilmagens, Kinberg confirmou os atrasos na programação e descreveu a fotografia como uma parte "normal" da criação do filme, o que lhe permitiria "tempo suficiente para prepará-lo e parecer perfeito".

No final de abril, um painel da Fox no CinemaCon de 2018 revelou o primeiro logotipo do filme. Não incluiu "X-Men" no título, mas incluiu um círculo em torno do "X" em Dark Phoenix, que foi comparado com o logo X-Files; o filme foi mais tarde confirmado como simplesmente Dark Phoenix nos Estados Unidos e X-Men: Dark Phoenix para lançamento internacional. O filme foi confirmado por Kinberg como primeira parte de uma nova trilogia, mas o titulo de primeira parte não foi incluido nos trailers. Naquele mês de agosto, as refilmagens deveriam acontecer em Montreal durante duas semanas e meia, embora o Departamento de Cinema e Televisão de Quebec acreditasse que essas refilmagens demorariam até três meses para serem concluídas, devido a conflitos de cronograma entre o elenco. As refilmagens aconteceram nos estúdios da MTL Grandé, uma vez que a MELS Studios foi reservada para outra produção durante o período de refilmagem, e começou em 31 de agosto. No final de setembro, após o lançamento do primeiro trailer do filme, a Fox atrasou o lançamento do filme, marcando-o para 7 de junho de 2019. Esta data foi vista como o melhor momento para lançar o filme na China, onde o trailer recebeu mais atenção do que nos Estados Unidos, ao mesmo tempo em que permite tirar vantagem de telas premium que antes eram reservadas para o recentemente atrasado Gambit da Fox. Em janeiro de 2019, Lana Condor revelou que ela não pôde retornar como Jubileu devido ao seu compromisso com o filme Para todos os meninos que eu já amei.

Lee Smith é editor do filme. Os efeitos visuais estão sendo fornecidos pela MPC, MELS, Rising Sun Pictures, Rodeo FX, Scanline VFX e Soho VFX, com Phil Brennan atuando como o principal supervisor de efeitos visuais.

Trilha SonoraEditar

Evan Peters declarou em janeiro de 2018 que Hans Zimmer estava compondo a trilha sonora do filme, apesar de Zimmer ter dito em março de 2016 que não faria outro filme de super-herói após sua experiência desastrosa com Batman vs Superman. Zimmer explicou depois que, em conversas com o diretor Ron Howard, ele estava convencido a não manter uma visão "geral" e a se concentrar em esperar pela história certa, em vez de evitar todo um gênero. Quando Kinberg se aproximou dele em um concerto para falar sobre sua visão para Dark Phoenix, Zimmer percebeu que a história era uma que ele queria ajudar a contar e que o filme seria uma oportunidade de fazer algo que ele sempre quis tentar em um filme,então ele decidiu se juntar à produção.

MarketingEditar

Turner revelou o primeiro trailer de "Dark Phoenix" no "The Late Late Show com James Corden" em 26 de setembro de 2018, antes de a Fox divulgá-lo online. As respostas ao trailer consideraram que ele é muito parecido com X-Men: The Last Stand. Graeme McMillan e Aaron Couch, do The Hollywood Reporter, sentiram que esse sentimento poderia ter sido evitado se o trailer mostrasse mais elementos espaciais e alienígenas do filme, o que o diferenciaria da adaptação de Last Stand. Scott Mendelson, da Forbes, chamou o trailer de "chato" e disse que se concentrar nos personagens em vez de grandes efeitos ou ação era um risco para a Fox, já que o público indicou através dos números de bilheteria de X-Men: Apocalypse que eles não são necessariamente interessado nesta versão dos personagens de X-Men. O trailer foi assistido apenas 8 milhões de vezes em 24 horas no canal da Fox no YouTube, mas recebeu 44 milhões de visualizações dentro do mesmo período de tempo em plataformas de mídia social chinesas, levando a Fox a recentrar seus planos de lançamento na China.

FuturoEditar

Kinberg disse em maio de 2016 que esperava que Fênix Negra fosse o primeiro de uma nova linha de filmes com foco nas versões mais jovens dos personagens X-Men originais. Depois que a proposta de aquisição da 21st Century Fox pela Disney foi anunciada em dezembro de 2017, o CEO da Disney, Bob Iger, disse que os X-Men seriam integrados ao Marvel Cinematic Universe (MCU) da Marvel Studios sob a Disney. Um ano depois, Kinberg revelou que o presidente da Marvel Studios, Kevin Feige, havia revisado o roteiro e o tom de Fênix Negra, e aprovou a primeira parte de uma nova trilogia.

Referências