Walt Disney Studios Motion Pictures

Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a unidade de distribuição de filmes. Para o estúdio de produção relacionado e com nome semelhante, veja Walt Disney Pictures. Para a divisão guarda-chuva mãe, veja Walt Disney Studios.

Walt Disney Studios Motion Pictures, anteriormente conhecido como Buena Vista Pictures Distribution, Inc. até 2007, é um estúdio americano de distribuição de filmes dentro da divisão Disney Media and Entertainment Distribution da The Walt Disney Company.[2] Ele lida com distribuição digital teatral e ocasional, marketing e promoção de filmes produzidos e lançados pela Walt Disney Studios, incluindo Walt Disney Pictures, Walt Disney Animation Studios, Pixar, Marvel Studios, Lucasfilm e 20th Century Studios; o selo Searchlight Pictures opera sua própria unidade autônoma de distribuição e marketing teatral.[3]

Walt Disney Studios Motion Pictures
Nome(s) anterior(es)
  • Buena Vista Film Distribution Company, Inc. (1953–1960)
  • Buena Vista Distribution Company, Inc. (1960–1987)
  • Buena Vista Pictures Distribution, Inc. (1987–2007)
Divisão
Atividade Cinematográfica
Fundação 23 de junho de 1953; há 69 anos
Fundador(es) Walt Disney
Sede 500 S. Buena Vista Street, Burbank, Califórnia, E.U.A
Pessoas-chave Tony Chambers (EVP)[1]
Serviços Distribuição de filmes e marketing
Empresa-mãe Disney Media and Entertainment Distribution
Divisões
  • Walt Disney Studios Marketing
  • Worldwide Special Events
Subsidiárias
Website oficial Walt Disney Studios Motion Pictures

A empresa foi fundada originalmente em 1953 como Buena Vista Film Distribution Company, Inc. (posteriormente renomeada para Buena Vista Distribution Company, Inc. e Buena Vista Pictures Distribution, Inc.). Assumiu o nome atual em 2007.[4][5]

Antes de 1953, as produções de Walt Disney eram distribuídas pela M.J. Winkler Pictures (1924–1926), Film Booking Offices of America (1926–1927), Universal Pictures (1927–1928), Celebrity Productions (1928–1930), Columbia Pictures (1930–1932), United Artists (1932–1937, 1943) e RKO Radio Pictures (1937–1956).[6]

HistóriaEditar

Buena VistaEditar

Uma disputa em 1953 sobre a distribuição de The Living Desert, o primeiro longa-metragem da Disney na série True-Life Adventures,[6] levou Walt e seu irmão mais velho Roy O. Disney a formarem sua própria subsidiária, a Buena Vista Film Distribution Company, Inc. (BVDC), para controlar a distribuição em solo estadunidense de seus próprios produtos.[4] A RKO se recusou a distribuir o longa.[6] O nome "Buena Vista" veio da rua em Burbank, Califórnia, onde os estúdios da Disney estavam localizados (e permanecem até hoje). O primeiro lançamento da Buena Vista foi o filme vencedor do Oscar, The Living Desert, lançado em 10 de novembro de 1953 junto com Toot, Whistle, Plunk and Boom, o primeiro lançamento animado da Buena Vista.[7] Lançamentos subsequentes notáveis incluem os filmes estrangeiros, Victoria in Dover, Princess Yang Kwei Fei, lançados nos cinemas dos EUA em setembro de 1956,[8][9][10] The Missouri Traveler, em março de 1958,[7] e The Big Fisherman, em julho de 1959 (a primeira produção de terceiros financiada pela Disney).[7]

Em 5 de julho de 1957, a RKO Japan, Ltd. foi vendida para a Disney Productions e para a British Commonwealth Film Corporation. Ao alocar as licenças de filmes estrangeiros para a empresa, a Disney Productions usaria 5 e Commonwealth Film 8.[11]

Em abril de 1960, a empresa abandonou o "Film" de seu nome.[5] Em 1961 a Disney incorporou a Buena Vista International (BVI),[12] distribuindo seu primeiro filme, Take Down, em janeiro de 1979.[7] O primeiro filme de classificação para maiores de 10 anos da Disney foi O Buraco Negro, um filme de baixo orçamento e não produzido pelos estúdios da Disney, foi adquirido de um estúdio independente.[13] Em julho de 1987, a Buena Vista mudou seu nome para Buena Vista Pictures Distribution, Inc. (BVPD).[5]

No final da década de 1980, a Disney adquiriu uma participação majoritária em uma cadeia de teatros do Pacific Theatres[14] levando a Disney Buena Vista Theaters and Pacific a renovar o El Capitan Theatre e o Crest Theater em 1989.[15] A renovação do Crest Theater foi concluída primeiro, enquanto o El Capitan Theatra foi concluída com a estréia do filme Rocketeer em 19 de Junho de 1991.[16]

Em 1992, a Buena Vista fez empréstimos de produção no total de US$ 5,6 milhões para a Cinergi Pictures por seu filme Medicine Man; por seus filmes de 1994 Renaissance Man e Color of Night. A Buena Vista também distribuiu os filmes. Com sua oferta pública inicial em 1994, a empresa comprou uma participação de 12,8% da Cinergi.[17] Logo, a BVPD assinou um acordo de distribuição de 25 filmes com a Cinergi.[18][19]

Em 1993 a Gaumont Film Company e a Disney formaram Gaumont Buena Vista International, uma joint venture de distribuição francesa.[20] Em agosto de 1996, a Disney e a Tokuma Shoten Publishing concordaram que a Disney distribuiria os filmes de animação do Studio Ghibli e forneceria 10% do custo de produção do filme em produção atual do estúdio, A Viagem de Chihiro.[21][22][23] A Disney produziria as dublagens em inglês e distribuiria 15 dos filmes de Ghibli, por meio dos banners Walt Disney Pictures, Buena Vista Home Video, Miramax e Touchstone Pictures.[24]

Em setembro de 1996, após a aquisição da Capital Cities/ABC pela Disney, a Buena Vista Pictures Distribution, Inc. foi incorporada[5] à ABC, Inc.,[25] a empresa-mãe desse grupo.

Para a estreia de Toy Story em novembro de 1995, a Disney alugou o Hollywood Masonic Temple - adjacente ao El Capitan Theatre - para Totally Toy Story, uma casa de diversões multimídia e um evento promocional para o filme.[26] Em 17 de julho de 1998, a Buena Vista Pictures Distribution comprou o edifício Hollywood Masonic Temple para continuar a usá-lo como local promocional.[27]

Em 1997, a participação da BVPD na Cinergi caiu para 5%. Depois de nove filmes serem entregues, a Cinergi vendeu para a Disney, em 22 de novembro de 1997, toda a sua biblioteca de 12 filmes, exceto o filme Die Hard with a Vengeance, mais US$ 20 milhões em troca de participações da Disney na Cinergi, com um adiantamento de US$ 35,4 milhões e com outros empréstimos.[28][19] Em 2002, a Disney assinou um contrato de quatro filmes de animação com a Vanguard Animation,[29] no entanto, apenas um filme foi lançado sob essa negociação.[30]

Em 2004, BVI e Gaumont dissolveram sua joint venture de distribuição na França, a Gaumont Buena Vista International.[20] No mesmo ano, a Buena Vista International concordou com um acordo com a MegaStar, formando uma joint venture, LCC, em abril de 2006 para o mercado do Vietnã.[31]

Walt Disney Studios Motion PicturesEditar

Em 25 de abril de 2007, a Disney interrompeu o uso da marca Buena Vista em sua marca de distribuição.[4]

Em 2009, a Disney firmou um acordo de distribuição com uma DreamWorks reorganizada; o acordo exigia cerca de 30 filmes da DreamWorks em um período de cinco anos e eles seriam lançados pelo selo Touchstone Pictures.[32] Em 2011, a GKIDS adquiriu os direitos de distribuição teatral norte-americana dos filmes Ghibli, com Walt Disney Studios Home Entertainment retendo os direitos de vídeo doméstico até julho de 2017. No entanto, a Disney lida apenas com a distribuição de vídeo doméstico dos filmes da empresa no Japão, Taiwan e China.[33][34]

O contrato de distribuição da Disney com a DreamWorks expirou em agosto de 2016, depois que os dois estúdios decidiram não renovar o contrato em 16 de dezembro de 2015, com a Universal Pictures substituindo a Disney como distribuidora da DreamWorks.[35][36] Até o final do acordo, a Disney distribuiu 14 dos 30 filmes do contrato original com a DreamWorks; treze pela Touchstone e um pela Walt Disney Pictures.[37][38] A Disney assumiu todos os direitos de propriedade dos 14 filmes da DreamWorks pela Amblin Partners em troca de empréstimos feitos a essa empresa.[39] A Luz Entre Oceanos, o último filme desse acordo de distribuição, também foi o último filme lançado sob a bandeira da Touchstone.

Em 14 de dezembro de 2017, a The Walt Disney Company anunciou planos para comprar a 21st Century Fox, que incluía a 20th Century Fox e a Fox Searchlight Pictures. Em 20 de março de 2019, a aquisição da 21st Century Fox foi concluída.[40] Após a reorganização e renomeação das unidades de filmes adquiridas, a Walt Disney Studios Motion Pictures começou a distribuir os filmes da 20th Century Studios, enquanto a Searchlight Pictures continuou a operar sua unidade de distribuição autônoma.[41][3]

No final de 2020 e início de 2021, a Disney reorganizou o estúdio, colocando a distribuição teatral sob a unidade Disney Media and Entertainment Distribution, que também supervisiona a distribuição para o Disney+. Sob essa estrutura, a unidade de distribuição teatral supervisionará os filmes nacionais e internacionais produzidos por todos os estúdios da Walt Disney Studios - Walt Disney Pictures, Walt Disney Animation Studios, Pixar, Marvel Studios, Lucasfilm, 20th Century Studios, Blue Sky Studios e Searchlight Pictures.[42]

DistribuiçãoEditar

A Walt Disney Studios Motion Pictures distribuiu 33 filmes que receberam indicações para o Oscar de Melhor Filme; quinze de sua antiga divisão Miramax,[43] quatro da Walt Disney Pictures, seis da Touchstone Pictures, três da Searchlight Pictures, dois da 20th Century Studios e da Hollywood Pictures, cada, e uma da Marvel Studios.[43][44][45][46] Desses filmes indicados, cinco (O Paciente Inglês, Shakespeare in Love, Chicago, No Country for Old Men e Nomadland) ganharam o prêmio de Melhor Filme.[43][47]

A Walt Disney Studios Motion Pictures atualmente distribui filmes de todas as unidades da Walt Disney Studios, com exceção da Searchlight Pictures, que mantém sua própria distribuição autônoma e operações de marketing.[48][3] Outras unidades de filmes da Disney e alguns estúdios terceirizados, incluindo:

Walt Disney Studios[49] Acordos de distribuição atuais Acordos de distribuição antigos

Outras unidades da Disney

Antigas unidades da Disney

Acordos internacionaisEditar

Buena Vista International, Inc.
Divisão
Atividade Cinematográfica
Fundação 1961; há 61 anos (original)
2017; há 5 anos (revival)
Encerramento 2007; há 16 anos (original)
11 de fevereiro de 2022; há 11 meses (marca latino-americana)
3 de novembro de 2022; há 2 meses (marca brasileira)
Sede
  • Estados Unidos
  • Espanha
  • América Latina[h]
  • Brasil[i]
  • México
Área(s) servida(s) Mundialmente
Proprietário(s) The Walt Disney Company
Empresa-mãe Walt Disney Studios Motion Pictures
Antecessora(s) Fox International Productions (revival, desde 2018)
Sucessora(s) Walt Disney Studios Motion Pictures International (original)
Star Distribution (marca latino-americana e brasileira)
Star Distribution, Inc.
Nome(s) anterior(es)
  • Buena Vista International Latin America (1961–2022)
  • Buena Vista International Brazil (1961–2022)
Divisão
Atividade Cinematográfica
Fundação 1961; há 61 anos
Fundador(es) Walt Disney
Sede Buenos Aires, Argentina
Área(s) servida(s) Mundialmente
Proprietário(s) The Walt Disney Company
Empresa-mãe

Walt Disney Studios Motion Pictures International foi formada em 1961 como Buena Vista International.[7] Em 4 de maio de 1987, apesar de serem rivais na indústria, a Disney assinou um acordo de distribuição teatral com a Warner Bros. International para o lançamento dos filmes da Disney e da Touchstone em muitos mercados estrangeiros, exceto na Austrália e na Nova Zelândia, onde a distribuição foi feita pela Roadshow Distributors, com a Disney mantendo o controle total de todas as decisões de distribuição e marketing de seus produtos (uma prática notável nesta política é ocultar as referências da Warner em pôsteres e isso é creditado apenas em textos muito pequenos, com exceção de alguns pôsteres do Reino Unido, onde às vezes o logotipo completo é mostrado).[71] A Warner anteriormente tinha uma parceria de distribuição no exterior com a Columbia Pictures, mas foi dissolvida em 1988.

Em 1992, a Disney optou por encerrar sua joint venture com a Warner Bros. para começar a distribuir autonomamente seus filmes nesses mercados estrangeiros mencionados, começando com Aladdin e, no mesmo período, a Warner Bros. estabeleceu o selo Family Entertainment para autodistribuir filmes para toda a família sob a marca guarda-chuva Warner. Nesses territórios, de 1993 a 2007, a Disney reativou o nome Buena Vista International e também distribuiu sob ela em países que não tinham acordos atuais com outras empresas.[carece de fontes?] A Disney então continuaria seu relacionamento de distribuição de filmes no exterior com a Warner Bros. por meio de um acordo de distribuição de vídeo doméstico na Europa e na Austrália, no qual a Warner Home Video distribuiu material selecionado da Disney em DVD de 1999 a 2002, quando a Disney optou por autodistribuir DVDs nos mencionados territórios.

A Italia Film, uma empresa libanesa de distribuição e produção de filmes, é a parceira exclusiva de distribuição de filmes teatrais da Disney para vários mercados do Oriente Médio e Norte da África (MENA) desde 1993, após fechar um acordo diretamente com a Buena Vista International na época. Antes disso, a Warner Bros. originalmente cuidava dos referidos mercados MENA, exceto em Israel, onde a Buena Vista cuidava da distribuição teatral por conta própria.[72]

Em Taiwan, a MGM primeiro lidou com a distribuição da Disney, com a 20th Century Fox e a Warner Bros. assumindo mais tarde. Um distribuidor local chamado Era Communications assumiu a distribuição de 1992 a 1995. Naquela época, a Buena Vista iniciou suas operações em Taiwan. A Columbia encerrou sua unidade de distribuição conjunta com a Fox e mudou para Buena Vista em 1999.[73]

Os direitos dos filmes da Disney na Alemanha Ocidental foram originalmente lançados pela MGM (sob CIC no início dos anos 1970) e mais tarde para a 20th Century Fox, e depois para a divisão alemã da United International Pictures[74] antes da joint venture da Warner Bros. Em setembro de 2004, a Buena Vista International Germany anunciou que começaria a distribuir nos cinemas certos filmes da Universum Film (principalmente lançamentos para famílias) a partir de fevereiro de 2005, substituindo um acordo anterior com a United International Pictures.[67] O negócio terminou depois que a Universum foi vendida pelo RTL Group para o Grupo Tele München, que começou a autodistribuir lançamentos posteriormente sob o nome Leonine Distribution.

Na Espanha, a Filmayer S.A. lançou originalmente os filmes da Disney, com a Warner Española S.A. posteriormente assumindo.

No Reino Unido, os filmes da Disney foram lançados através da Rank Film Distributors sob o nome UK Film Distributors Ltd. antes da joint venture da Warner Bros.

Na Itália e no Brasil, os filmes da Disney foram distribuídos pela Cinema International Corporation e United International Pictures antes da joint venture da Warner Bros.

Na Austrália e na Nova Zelândia, os filmes da Disney foram distribuídos pela 20th Century Fox sob suas joint ventures com CIC e UIP (chamados CIC-Fox e UIP-Fox, respectivamente) antes da distribuição mudar para Greater Union Film Distributors até que este último se fundiu com Village Roadshow em 1987 e a Roadshow Entertainment assumiu a distribuição.

Em alguns outros países da Europa, como Polônia, Hungria e República Tcheca, os filmes da Disney foram lançados por distribuidores locais, como Filmoteka Narodowa na Polônia, InterCom Zrt. na Hungria e Guild Film Distribution na República Tcheca, respectivamente.

A Disney e a Sony Pictures formaram em 1997 uma joint venture de distribuição de filmes no Sudeste Asiático.[75] Em dezembro de 2006, 14 joint ventures de distribuição com a Sony Pictures Releasing International foram formadas e existem em países como Brasil, México, Singapura, Tailândia e Filipinas. Em janeiro de 2007, sua décima quinta parceria começou a operar na Rússia e na CEI.[76] Em fevereiro de 2017, a Sony começou a deixar o empreendimento no Sudeste Asiático com as Filipinas. Em 14 de agosto de 2017, a Sony rescindiu o contrato de joint venture para suas próprias operações.[75] Em 31 de janeiro de 2019, em antecipação à aquisição então pendente da maioria dos ativos da 21st Century Fox (que inclui a 20th Century Fox), a Disney concordou em vender sua participação na joint venture mexicana chamada Walt Disney Studios Sony Pictures Releasing de México para Sony Pictures Releasing.[77]

Na Grécia e em Chipre, os filmes da Disney são distribuídos pela distribuidora local Feelgood Entertainment, que também distribui filmes da Sony Pictures nesses territórios.

Na China, devido às suas políticas regulamentadas de distribuição internacional de filmes, todos os filmes da Disney na China são distribuídos pela China Film Co., Ltd. e/ou Huaxia Film Distribution.

Em 3 de outubro de 2017, foi anunciado que a Disney cuidaria da distribuição internacional de Glass, de M. Night Shyamalan, lançado no início de 2019, por meio do banner Buena Vista International. O filme é uma sequência de seus filmes anteriores Unbreakable (distribuído pela Disney através da Touchstone) e Split (distribuído pela Universal Pictures). Por meio de um acordo feito com a Disney, a Universal reteve os direitos domésticos do filme, enquanto a Disney distribuiu em territórios internacionais sob o selo.[78] O filme Patrick, produzido no Reino Unido, também foi lançado em 2018 pela Disney sob o selo Buena Vista International no Reino Unido.[79] Missing Link também foi lançado pela Disney sob a Buena Vista International na América Latina, Rússia e alguns países da Ásia.[80][81] Além disso, a Buena Vista International atualmente lida com a distribuição teatral dos filmes da 20th Century Studios e da Searchlight Pictures internacionalmente fora da América do Norte desde 2020, enquanto a unidade de distribuição norte-americana da 20th Century Studios foi absorvida pelo WDSMP. Em 2020, a Buena Vista International também produziu o filme alemão Vier zauberhafte Schwestern. Em 2021, a Buena Vista International também co-produziu o filme brasileiro da Netflix, Amor sem Medida.

Em 11 de fevereiro de 2022, a filial latino-americana da Buena Vista International foi renomeada para Star Distribution, já que a marca Star substituiu o nome Buena Vista International.[82]

Em 3 de novembro de 2022, a filial brasileira da Buena Vista International também foi renomeada para Star Distribution, depois que a filial latino-americana da Buena Vista International foi desativada em 15 de fevereiro de 2022.[83]

Biblioteca de filmesEditar

Filmes de maior bilheteriaEditar

A Walt Disney Studios Motion Pictures lançou a maioria dos filmes que ultrapassaram a marca de US$ 1 bilhão, com um total de vinte e dois filmes.[84] Entre os principais estúdios de Hollywood, a Disney possui doze filmes dos vinte filmes de maior bilheteria de todos os tempos sendo distribuídos por ela.[85] A empresa possui também o filme de maior bilheteria de todo o mundo e o filme de maior bilheteria no Brasil (Vingadores: Ultimato). Dos doze filmes, três deles cruzaram a marca de US $ 2 bilhões em vendas mundiais, o máximo para qualquer estúdio de Hollywood. A Disney também é a primeira de apenas três estúdios que lançaram pelo menos dois filmes bilionários no mesmo ano (os outros são Warner Bros. e Universal Pictures).[86][87][88] Além disso, é o único estúdio que conseguiu sete vezes, em 2010, 2013, 2015, 2016, 2017, 2018 e 2019-2016, incluindo quatro lançamentos de US$ 1 bilhão; sendo assim um recorde para qualquer estúdio. Sete das dez maiores bilheterias de filmes de animação foram lançados pela Disney, sendo que a empresa possui dezesseis dos vinte filmes mais rentáveis de acordo com a G-Rated.[89] E ainda, quatro dos cinco principais fins de semana de abertura foram lançados pela Disney.[90] Em 2015, a Disney alcançou sua maior bilheteria anual em todo o mundo e na América do Norte.[91][92] Em 2016, a Disney ultrapassou US$ 7 bilhões em bilheteria anual em todo o mundo - a primeira de qualquer grande estúdio - superando o recorde anterior de 2015.[93] Em 2018 a Disney quebrou um recorde histórico de arrecadação nos Estados Unidos com US$ 3,09 bilhões de bilheterias e ultrapassou a marca de US$ 7 bilhões em arrecadação anual de bilheteria em todo o mundo, tornando-se o segundo estúdio a ultrapassá-la.[94] Em 2019, a Disney se tornou o primeiro estúdio a ter cinco filmes lançados e, os mesmos, cruzarem a marca US$ 1 bilhão de bilheteria cada um.[95] No mesmo ano, a Disney quebrou os recordes anteriores, faturando US$ 13,2 bilhões nas bilheterias mundiais.

Filmes de maior bilheteria em todo o mundo
Rank Filmes Ano Estúdio Bilheteria bruta
1 Vingadores: Ultimato 2019 Marvel US$ 2 797 800 564
2 Star Wars: O Despertar da Força 2015 Lucasfilm US$ 2 068 223 624
3 Vingadores: Guerra Infinita 2018 Marvel US$ 2 048 359 754
4 O Rei Leão 2019 Disney US$ 1 656 943 394
5 Os Vingadores: The Avengers 2012 Marvel US$ 1 518 812 988
6 Frozen II 2019 Disney US$ 1 437 632 552
7 Vingadores: Era de Ultron 2015 Marvel US$ 1 405 403 694
8 Pantera Negra 2018 US$ 1.346.913.161
9 Star Wars: Os Últimos Jedi 2017 Lucasfilm US$ 1 332 539 889
10 Frozen - Uma Aventura Congelante 2013 Disney US$ 1 276 480 335
11 A Bela e a Fera 2017 US$ 1 263 521 126
12 Os Incríveis 2 2018 Disney/Pixar US$ 1 242 785 241
13 Homem de Ferro 3 2013 Marvel US$ 1 215 439 994
14 Capitão América: Guerra Civil 2016 US$ 1 153 304 495
15 Capitã Marvel 2019 US$ 1 128 274 794
16 Toy Story 4 2019 Disney/Pixar US$ 1 073 394 593
17 Toy Story 3 2010 US$ 1 066 969 703
18 Piratas do Caribe: O Baú da Morte 2006 Disney US$ 1 066 179 725
19 Star Wars: A Ascensão de Skywalker 2019 Lucasfilm US$ 1 065 256 040
20 Rogue One: Uma História Star Wars 2016 US$ 1 056 057 273
21 Aladdin 2019 Disney US$ 1 050 693 953
22 Piratas do Caribe: Navegando em Águas Misteriosas 2011 US$ 1 045 713 802
23 Procurando Dory 2016 Disney/Pixar US$ 1 028 570 889
24 Alice no País das Maravilhas 2010 Disney US$ 1 025 467 110
25 Zootopia 2016 US$ 1 023 784 195

Ver tambémEditar

NotasEditar

  1. a b Apenas distribuição internacional
  2. Filmes exclusivos lançados apenas no Disney+
  3. Distribuição apenas na América Latina
  4. A New Regency iniciou um contrato de primeiro lance com a 20th Century Fox em 1997. Este acordo foi absorvido pela Disney, quando adquiriu a Fox em 2019 e foi posteriormente renovado pela Disney e New Regency em 2021.[50]
  5. A Gloria Sanchez Productions iniciou um contrato de primeiro lance com a 20th Century Studios in 2021.[51]
  6. A Lightstorm Entertainment iniciou um contrato de primeiro lance com a 20th Century Fox em 1995. Este negócio foi absorvido pela Disney, quando adquiriu a Fox em 2019.[52]
  7. Chernin Entertainment iniciou um contrato de primeiro lance com a 20th Century Fox em 2009. Este acordo foi absorvido pela Disney, quando adquiriu a Fox em 2019 e posteriormente foi encerrado no ano seguinte.[28]
  8. A partir de 11 de fevereiro de 2022, a Buena Vista International Latin America foi renomeada para Star Distribution junto com a Buena Vista International Brazil, que também foi renomeada para Star Distribution em 3 de novembro de 2022.
  9. Em 3 de novembro de 2022, a Buena Vista International Brazil foi renomeada para Star Distribution, pois a Disney Latin America retirou a marca Buena Vista em 2022.[70]

ReferênciasEditar

  1. Rubin, Rebecca (8 de janeiro de 2021). «Disney Names Tony Chambers as Head of Theatrical Distribution (EXCLUSIVE)». Variety (em inglês). Consultado em 28 de abril de 2022 
  2. «Company Overview of Walt Disney Studios Motion Pictures, Inc.». Bloomberg Businessweek (em inglês). Consultado em 10 de fevereiro de 2013 
  3. a b c D'Alessandro, Anthony (4 de janeiro de 2022). «Disney Claims $1.17B, While Sony Says $1B+: The Conundrum Of The 2021 Domestic Box Office Marketshare». Deadline (em inglês). Consultado em 4 de janeiro de 2022 
  4. a b c Fixmer, Andy (25 de abril de 2007). «Disney to Drop Buena Vista Brand Name, People Say (Update1)». bloomberg.com. Consultado em 28 de novembro de 2012. Cópia arquivada em 4 de janeiro de 2014 
  5. a b c d «Buena Vista Pictures Distribution, INC.». Entity Information. New York State Department of State. Consultado em 16 de Abril de 2013 
  6. a b c Collins, Keith (26 de outubro de 2003). «Disney timeline». Variety (em inglês). Consultado em 29 de junho de 2017. Cópia arquivada em 24 de agosto de 2017 
  7. a b c d e The Disney Studio Story, by Richard Holliss and Brian Sibley, 1988.
  8. Screen World 1957 Arquivado em 2017-08-09 no Wayback Machine, Volume 8, by Daniel Blum, 1957. Page 218.
  9. International Motion Picture Almanac 1977, by Richard Gertner, 1977. Page 411.
  10. Crowther, Bosley (11 de setembro de 1956). «Screen: Chinese Legend; 'Yang Kwei Fei,' Movie From Japan, Opens». The New York Times (em inglês). Consultado em 24 de fevereiro de 2018. Cópia arquivada em 28 de fevereiro de 2018. YANG KWEI FEI... released by Buena Vista Films. 
  11. «Disney, British Firm Co-Own RKO Japan, Ltd.». Motion Picture Daily (em inglês) (Vol. 86 No. 3). Quigley Publishing Company, inc. 6 de Julho de 1957. pp. 1, 6. Consultado em 12 de Abril de 2018. Cópia arquivada em 20 de abril de 2018 
  12. Disney A to Z - The Official Encyclopedia Arquivado em 2013-01-27 no Wayback Machine, by Dave Smith, 1996. Page 71.
  13. [1] (28 de Julho de 1980). «Disney plans show for 'older' viewers». Consultado em 21 de Fevereiro de 2016 
  14. Aberdeen, J. A. (2005). Hollywood Renegades: The Movie Theater Chains of the Media Giants. [S.l.]: Cobblestone Entertainment. Consultado em 4 de Setembro de 2015 
  15. Ridenour, Al (2 de Maio de 2002). «A Chamber of Secrets». Los Angelest Times. Consultado em 4 de Setembro de 2015 
  16. Fox, David J. (19 de Junho de 1991). «At Age 65, the El Capitan Gets a Major Face Lift». Los Angeles Times. Consultado em 7 de Setembro de 2015 
  17. Bates, James (3 de Maio de 1994). «Company Town : Cinergi Hopes To Raise $35 Million in Stock Offering». Los Angeles Times. Consultado em 11 de Setembro de 2015 
  18. Peers, Martin; Busch, Anita M.; Fleming, Michael; Weiner, Rex (20 de março de 1997). «Mouse House will absorb Cinergi». Variety (em inglês). Consultado em 10 de setembro de 2015. Cópia arquivada em 29 de setembro de 2015 
  19. a b c «Beleaguered Cinergi Pictures OKs Management Buyout». Los Angeles Times (em inglês). AP. 5 de setembro de 1997. Consultado em 10 de setembro de 2015. Cópia arquivada em 21 de setembro de 2015 
  20. a b «Columbia TriStar forges Gaumont deal for France.». Hollywood Reporter. 3 de Fevereiro de 2004. Consultado em 11 de Setembro de 2015. Arquivado do original em 12 de Março de 2016 – via Highbeam Business 
  21. Pollack, Andrew (24 de julho de 1996). «Disney in Pact for Films of the Top Animator in Japan». The New York Times (em inglês). Consultado em 28 de maio de 2020. Cópia arquivada em 3 de junho de 2020 
  22. Hill, Jim (14 de abril de 2020). «The Making of Hayao Miyazaki's "Spirited Away" – Part 1». jimhillmedia.com (em inglês). Consultado em 11 de outubro de 2020. Cópia arquivada em 30 de março de 2017 
  23. «August Issue News Section:Disney Will Distribute Japanese Animation». Animation World Magazine (em inglês). Agosto de 1996. Consultado em 19 de julho de 2011. Cópia arquivada em 29 de setembro de 2013 
  24. Spiegel, Josh (27 de maio de 2020). «The long, ugly history between Disney and Studio Ghibli». polygon.com (em inglês). Consultado em 28 de maio de 2020. Cópia arquivada em 3 de junho de 2020 
  25. «ABC, INC. Burbank, CA Wysk Company Profile». Consultado em 1 de Fevereiro de 2014. Arquivado do original em 1 de fevereiro de 2014 
  26. Kronke, David (21 de novembro de 1995). «After 'Toy Story' Credits Roll, the Fun Comes Alive». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 7 de setembro de 2015. Cópia arquivada em 6 de outubro de 2015 
  27. Fulmer, Melinda (17 de julho de 1998). «Disney Unit Buys Historic Masonic Temple». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 7 de setembro de 2015. Cópia arquivada em 6 de outubro de 2015 
  28. a b c d Vary, Adam B. (17 de janeiro de 2020). «Disney and Chernin Entertainment Parting Ways». Variety (em inglês). Consultado em 21 de janeiro de 2020. Cópia arquivada em 18 de janeiro de 2020 
  29. a b Verrier, Richard; Claudia Eller (29 de setembro de 2003). «Disney Pushed Toward Digital». Los Angeles Times (em inglês). Consultado em 23 de março de 2013. Arquivado do original em 23 de outubro de 2013 
  30. Kay, Jeremy (23 de julho de 2003). «DPS buys into Vanguard Animation, forms co-production giant» (em inglês). Screen Daily. Consultado em 3 de maio de 2013. Cópia arquivada em 13 de dezembro de 2013 
  31. «Disney's BVITV-AP brings 'Toon Disney' block to Vietnam». Indiantelevision.com (em inglês). 1 de fevereiro de 2007. Consultado em 10 de março de 2014. Cópia arquivada em 13 de abril de 2019 
  32. a b Graser, Marc (9 de fevereiro de 2009). «Disney signs deal with DreamWorks». Variety (em inglês). Consultado em 20 de setembro de 2013. Cópia arquivada em 21 de setembro de 2013 
  33. Marechal, AJ (7 de setembro de 2011). «GKids to release Miyazaki toons in U.S.». Variety (em inglês). Consultado em 28 de maio de 2020. Cópia arquivada em 22 de dezembro de 2015 
  34. D'Anastasio, Cecilia (10 de agosto de 2017). «GKIDS Takes Over U.S. Studio Ghibli Distribution From Disney». kotaku.com (em inglês). Consultado em 28 de maio de 2020. Cópia arquivada em 7 de agosto de 2020 
  35. Lang, Brent (16 de dezembro de 2015). «Steven Spielberg, Jeff Skoll Bring Amblin Partners to Universal». Variety (em inglês). Consultado em 23 de dezembro de 2015. Cópia arquivada em 22 de dezembro de 2015 
  36. Busch, Anita (16 de dezembro de 2015). «It's Official: Spielberg, DreamWorks, Participant, eOne, Others Pact For Amblin Partners». Deadline.com (em inglês). Consultado em 23 de dezembro de 2015. Cópia arquivada em 23 de dezembro de 2015 
  37. Pamela McClintock; Gregg Kilday (16 de dezembro de 2015). «Steven Spielberg, Jeff Skoll Team to Form Amblin Partners, Strike Distribution Deal With Universal». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 22 de dezembro de 2015. Cópia arquivada em 23 de dezembro de 2015 
  38. «DreamWorks Studios, Participant Media, Reliance Entertainment and Entertainment One Form Amblin Partners, a New Film, Television and Digital Content Creation Company» (Press release). Business Wire (em inglês). Universal City, California. 16 de dezembro de 2015. Consultado em 23 de dezembro de 2015. Cópia arquivada em 23 de dezembro de 2015. Film projects in various stages of production include: 'The BFG', and 'The Light Between Oceans', scheduled for release by Disney in 2016. 
  39. Rainey, James (30 de dezembro de 2015). «Steven Spielberg Puts His Own Big Bucks Into the New Amblin Partners (EXCLUSIVE)». Variety (em inglês). Consultado em 1 de janeiro de 2016. Cópia arquivada em 1 de janeiro de 2016 
  40. Hipes, Patrick (21 de março de 2019). «After Trying Day, Disney Sets Film Leadership Lineup». Deadline (em inglês). Consultado em 27 de março de 2019. Cópia arquivada em 27 de março de 2019. Fox Animation (including Blue Sky Studios) will continue to be led by Co-Presidents Andrea Miloro and Robert Baird. 
  41. D'Alessandro, Anthony (30 de janeiro de 2020). «Emma Watts Leaves Disney's 20th Century Studios». Deadline (em inglês). Consultado em 3 de fevereiro de 2020. Cópia arquivada em 31 de janeiro de 2020. Post-merger, Fox Searchlight, now re-branded Searchlight Pictures, enjoys a lot of autonomy in the Disney empire, greenlighting pics they know and operating their own distribution, publicity and marketing teams. 20th Century Studios (which recently dropped the Fox) was melded into the bigger Disney fold, fusing all its operations. 
  42. D'Allessandro, Anthony (8 de janeiro de 2021). «Tony Chambers Now Leading Disney Theatrical Distribution, Taking Over For Cathleen Taff». Deadline Hollywood (em inglês). Consultado em 8 de janeiro de 2021. Cópia arquivada em 8 de janeiro de 2021 
  43. a b c Mendelson, Scott (22 de janeiro de 2019). «'Black Panther' Best Picture Nod Has Given Disney A Huge Oscar Season Win». Forbes (em inglês). Consultado em 21 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada em 22 de fevereiro de 2019 
  44. Chmielewski, Dawn (7 de fevereiro de 2020). «Disney's Top 2020 Oscar Prospects Come Through Its $71 Billion Fox Acquisition. Investors Prefer Its Box Office Dominance.». Forbes (em inglês). Consultado em 27 de abril de 2021 
  45. Faughnder, Ryan (13 de janeiro de 2020). «Netflix leads 2020 Oscar nominations with 'The Irishman' and 'Marriage Story'». The New York Times (em inglês). Consultado em 19 de janeiro de 2019. Cópia arquivada em 13 de janeiro de 2020 
  46. Hammond, Pete (1 de julho de 2015). «Oscars Halftime Report: Can Animated 'Inside Out' Turn Best Picture Race Upside Down?». Deadline (em inglês). Consultado em 19 de julho de 2015. Cópia arquivada em 29 de julho de 2015 
  47. Palmeri, Christopher; Gilblom, Kelly (16 de março de 2021). «'Nomadland' Is Disney's First Best-Picture Front-Runner in Years». Bloomberg.com (em inglês). Consultado em 27 de abril de 2021 
  48. D'Alessandro, Anthony (30 de janeiro de 2020). «Emma Watts Leaves Disney's 20th Century Studios». Deadline (em inglês). Consultado em 3 de fevereiro de 2020. Post-merger, Fox Searchlight, now re-branded Searchlight Pictures, enjoys a lot of autonomy in the Disney empire, greenlighting pics they know and operating their own distribution, publicity and marketing teams. 20th Century Studios (which recently dropped the Fox) was melded into the bigger Disney fold, fusing all its operations. 
  49. «About The Walt Disney Studios». The Walt Disney Company (em inglês). The Walt Disney Studios. Consultado em 17 de fevereiro de 2014. Arquivado do original em 9 de janeiro de 2014 
  50. Vlessing, Etan (13 de dezembro de 2021). «New Regency Extends Film Distribution Deal With Disney». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 5 de janeiro de 2022 
  51. D'Alessandro, Anthony (16 de junho de 2021). «Will Ferrell & Jessica Elbaum's Gloria Sanchez Productions Inks First-Look Feature Deal With 20th Century Studios». Deadline (em inglês). Consultado em 17 de junho de 2021 
  52. «Cameron's Lightstorm Docks At Fox». Variety (em inglês). 18 de dezembro de 1995. Consultado em 25 de julho de 2021 
  53. Kit, Borys (16 de agosto de 2012). «'The Muppets' Producer Mandeville Re-Ups With Disney (Exclusive)». The Hollywood Reporter (em inglês). Consultado em 20 de setembro de 2013. Cópia arquivada em 21 de setembro de 2013 
  54. Graser, Marc (6 de novembro de 2011). «Disney reups Mayhem Pictures deal». Variety (em inglês). Consultado em 20 de setembro de 2013. Cópia arquivada em 21 de setembro de 2013 
  55. Fernandez, Jay A.; Borys Kit; Pamela McClintock (27 de outubro de 2011). «The State of the Studio Deals: Who's Doing What Where». Hollywood Reporter. Consultado em 16 de julho de 2012. Cópia arquivada em 9 de novembro de 2012 
  56. Masters, Kim (2 de Setembro de 2015). «Steven Spielberg's DreamWorks to Split From Disney, in Talks With Universal (Exclusive)». The Hollywood Reporter. Consultado em 3 de Setembro de 2015 
  57. Miller, Daniel (19 de Setembro de 2013). «Disney and Jerry Bruckheimer to end longtime partnership». The Los Angeles Times. Consultado em 20 de Setembro de 2013 
  58. Kay, Jeremy (13 de dezembro de 2002). «Beacon's back: Bernstein signs five-year deal at Disney | News | Screen». M.screendaily.com. Consultado em 29 de junho de 2018 
  59. Carl DiOrio,Cathy Dunkley (29 de outubro de 2003). «$250 million will light Beacon's prod'n slate – Variety». Variety.com. Consultado em 29 de junho de 2018 
  60. «Disney, Stan Lee sign production deal». Hollywood Reporter. Reuters. 6 de Junho de 2007. Consultado em 28 de Junho de 2011 
  61. «Disney Expands Ties With Stan Lee». ICV2.com. 3 de janeiro de 2010. Consultado em 10 de Abril de 2014 
  62. «FORM 10-Q Quarterly Report 6/30/2014». OTC Markets. POW! ENTERTAINMENT, INC. 14 de Agosto de 2014. Consultado em 19 de Agosto de 2015 
  63. Eller, Clauida (August 21, 1998). Spyglass Offers Disney Lower-Risk Deals. Los Angeles Times. Accessed on March 18, 2015.
  64. Eller, Claudia (23 de Maio de 2000). «Spyglass Hopes for More Good 'Sense' in Future Projects». Los Angeles Times. p. C1. Consultado em 12 de Maio de 2010  (Alternate link.)
  65. Eller, Claudia (10 de Dezembro de 2002). «Spyglass Signs Deal With DreamWorks». Los Angeles Times. Consultado em 13 de Outubro de 2015 
  66. Variety Staff (14 de dezembro de 1999). «Deal makes 'Sense' – Variety». Variety.com. Consultado em 29 de junho de 2018 
  67. a b «Blickpunkt:Film | News | Vertriebskooperation mit Buena Vista: Universum Film wechselt Pferde» (em alemão) 
  68. Yossman, K. J. (7 de junho de 2021). «Warner Bros, Pathé Strike U.K. Distribution Deal» (em inglês) 
  69. Clarke, Stewart (31 de outubro de 2019). «Warner Signs Multi-Picture Deal With Elisabeth Murdoch's Locksmith Animation». Variety (em inglês). Consultado em 25 de agosto de 2021 
  70. «Star Distribution Brasil» 
  71. «Warner Bros. and Disney have a distribution pact.». Los Angeles Times (em inglês). 4 de maio de 1987. Consultado em 17 de janeiro de 2018. Cópia arquivada em 29 de janeiro de 2018 
  72. «DreamWorks Studios Announces Initial Strategic Partnerships with Entertainment One, Constantin Film, Nordisk Film and Italia Film». Business Wire (em inglês). 17 de setembro de 2012. Consultado em 30 de março de 2020. Cópia arquivada em 7 de abril de 2020 
  73. Wang, Shujen (2003). Framing Piracy: Globalization and Film Distribution in Greater China (em inglês). [S.l.]: Rowman & Littlefield. p. 112,115. ISBN 9780742519800. Consultado em 17 de janeiro de 2018 
  74. «UIP To Distribute Disney In Germany». Variety (em inglês). 23 de julho de 1986. p. 5 
  75. a b Frater, Patrick (14 de agosto de 2017). «Sony Launches Its Own Theatrical Distributors in Southeast Asia». Variety (em inglês). Consultado em 13 de junho de 2018. Cópia arquivada em 14 de junho de 2018 
  76. Holdsworth, Nick (27 de dezembro de 2006). «Disney, Sony team up for Russian content». The Hollywood Reporter (em inglês). AP. Consultado em 27 de julho de 2018. Cópia arquivada em 14 de junho de 2018 
  77. «Clarification on Disney/Fox transaction» (PDF). Cofece (em inglês). 6 de fevereiro de 2019. Consultado em 8 de fevereiro de 2019. Cópia arquivada (PDF) em 9 de fevereiro de 2019 
  78. Mendelson, Scott (3 de outubro de 2017). «M. Night Shyamalan's 'Glass' Is 'Split 2' For Universal And 'Unbreakable 2' For Disney». Forbes (em inglês). Consultado em 5 de dezembro de 2017. Cópia arquivada em 6 de dezembro de 2017 
  79. Tartaglione, Nancy (10 de fevereiro de 2017). «The Exchange, Disney UK Sit Up For Mandie Fletcher Family Pic 'Patrick' – Berlin». Deadline (em inglês). Penske Business Media. Consultado em 27 de julho de 2018. Cópia arquivada em 27 de julho de 2018 
  80. «'Missing Link': Sets The Pieces and Nearly Completed It» (em inglês). 20 de abril de 2019 
  81. E.D, Publicado por. «SR LINK, la nueva película del estudio LAIKA llega a los cines argentinos» (em inglês). Consultado em 10 de dezembro de 2020. Cópia arquivada em 28 de novembro de 2020 
  82. «Star Distribution Latinoamérica» 
  83. «Star Distribution Brasil» 
  84. McClintock, Pamela (5 de Junho de 2016). «Box-Office Milestone: 'Zootopia' Zooms Past $1B Worldwide». The Hollywood Reporter. Consultado em 5 de Junho de 2016 
  85. «All Time Worldwide Box Office Grosses». Box Office Mojo. Consultado em 23 de Fevereiro de 2014 
  86. «'Toy Story 3' Reaches $1 Billion». Box Office Mojo. 29 de Agosto de 2010. Consultado em 26 de Maio de 2012 
  87. «Around-the-World Roundup: 'Avengers' Reaches $1 Billion Worldwide». Box Office Mojo. 13 de Maio de 2012. Consultado em 14 de Maio de 2012 
  88. «Universal Crosses $3 Billion at the Worldwide Box Office». GeekNation. Consultado em 3 de janeiro de 2019. Arquivado do original em 11 de julho de 2015 
  89. «DOMESTIC GROSSES BY MPAA RATING». Consultado em 11 de Novembro de 2009 
  90. Mendelson, Scott (21 de Dezembro de 2015). «'Star Wars: The Force Awakens' Box Office: $248M Opening Weekend, $529M Worldwide». Forbes. Consultado em 22 de Dezembro de 2015 
  91. Lang, Brent (21 de Dezembro de 2015). «'Star Wars,' 'Avengers: Age of Ultron' Push Disney Past $5 Billion Mark for First Time». Variety. Consultado em 26 de Dezembro de 2015 
  92. McNary, Dave (26 de Dezembro de 2015). «'Star Wars' Lifts Disney to $2 Billion at 2015 U.S. Box Office». Variety. Consultado em 26 de Dezembro de 2015 
  93. D'Alessandro, Anthony (3 de Janeiro de 2017). «Disney Crosses $3 Billion At Domestic B.O., First Time Ever For Major Studio; Global Now At Industry Record Of $7.6B». Deadline.com. Consultado em 22 de Janeiro de 2017 
  94. Nascimento, Victor. «Disney bate recorde histórico de arrecadação nos Estados Unidos». Observatório do Cinema. Consultado em 3 de janeiro de 2019 
  95. Garófalo, Nicolaos (15 de agosto de 2019). «Disney bate recorde com 5 filmes arrecadando mais de US$ 1 bi em um ano». Omelete. Consultado em 16 de agosto de 2019 

Ligações externasEditar