Devoniano

era geologica de 419 milhões a 358 milhões de anos atrás
Período Devoniano
419.2–358.9 milhões de anos


Teor médio de o2 atmosférico durante o período ca. 15 Vol %[1]
(75 % do nível atual)
Teor médio do CO2 atmosférico durante o período ca. 2200 ppm[2]
(8 vezes o nível pré-industrial)
Temperatura média da superfície durante o período ca. 20 °C[3]
(6 °C acima do nível atual)
Nível do mar (acima dos dias de hoje) Relativamente estável por volta dos 180 m, gradualmente caindo para 120 m ao longo do período[4]
Acontecimentos do Período Devoniano
view • Discussão • edit
-420 —
-415 —
-410 —
-405 —
-400 —
-395 —
-390 —
-385 —
-380 —
-375 —
-370 —
-365 —
-360 —
-355 —
Disseminação generalizada[7]
de arbustos e árvores
Início de glaciação
na América do Sul
Eventos-chave do período Devoniano.
Escala do eixo: milhões de anos antes do presente.

Na escala de tempo geológico, o Devoniano ou Devónico, é o período da era Paleozoica do éon Fanerozoico que está compreendido entre há 416 milhões e 359 milhões de anos, aproximadamente. O período Devoniano sucede o período Siluriano e precede o período Carbonífero, ambos de sua era. Divide-se nas épocas Devoniana Inferior, Devoniana Média e Devoniana Superior, da mais antiga para a mais recente. Neste período se formaram muitos depósitos de petróleo e gás natural que temos hoje.[8]

Paleogeografia editar

Neste período os continentes de Laurentia e Báltica colidem e formam o continente de Euramérica, reduzindo o número de continentes do mundo para três (os outros dois são Sibéria, no norte, e Gondwana, no sul). Os continentes começam a se aproximar cada vez mais, já indicando sua futura união para formar Pangeia. O clima era quente e o nível dos oceanos era alto, o que fez com que muitas terras fossem cobertas por mares rasos, onde proliferavam grandes recifes de coral.[9]

Fauna editar

Durante o Devoniano ocorreu a proliferação dos peixes, que dominaram de vez os ambientes aquáticos, motivo pelo qual o Devoniano é conhecido como "Era dos Peixes"; Além dessa proliferação, surgem os primeiros peixes com mandíbula. Surgem também os primeiros tubarões e os placodermos assumem o trono no topo da cadeia alimentar, porém se extinguem no final do período. Além disso, é neste período que surgem os primeiros anfíbios. Os graptólitos graptolóides extinguem-se e os trilobites iniciam sua decadência. Neste período também surgem as primeira formas de ammonoides, que só serão extintos no final do período Cretáceo, junto com os dinossauros. Com relação a vida terrestre, esta permanece dominada por artrópodes, dentre eles escorpiões e centopeias.[9][10]

Flora editar

Com relação as plantas, é neste período que licopódios, samambaias e progimnospermas formam os primeiros bosques. Nestes bosques algumas samambaias arborescentes e árvores (como Archaeopteris e a classe Cladoxylopsida, por exemplo) podiam ultrapassar os 20 metros de altura. Muitas destas arvores já apresentavam madeira de verdade (lignina) em seus troncos.[10]

Essas primeiras florestas e se espalhavam sem limites, devido ao fato de praticamente não existirem ainda animais herbívoros. Elas também absorviam enormes quantidade de dióxido de carbono e bombeavam para a atmosfera muito oxigênio, possivelmente estes fatos contribuíram para o maior desenvolvimento da vida terrestre em nosso planeta.[10]

Ver também editar

Referências

  1. Imagem:Sauerstoffgehalt-1000mj.svg
  2. Imagem:Phanerozoic Carbon Dioxide.png
  3. Imagem:All palaeotemps.png
  4. Haq, B. U.; Schutter, SR (2008). «A Chronology of Paleozoic Sea-Level Changes». Science. 322 (5898): 64–68. PMID 18832639. doi:10.1126/science.1161648 
  5. Parry, S. F.; Noble, S. R.; Crowley, Q. G.; Wellman, C. H. (2011). «A high-precision U–Pb age constraint on the Rhynie Chert Konservat-Lagerstätte: time scale and other implications». London: Geological Society. Journal of the Geological Society. 168 (4): 863–872. doi:10.1144/0016-76492010-043 
  6. Kaufmann, B.; Trapp, E.; Mezger, K. (2004). «The numerical age of the Upper Frasnian (Upper Devonian) Kellwasser horizons: A new U-Pb zircon date from Steinbruch Schmidt(Kellerwald, Germany)». The Journal of Geology. 112 (4): 495–501. Bibcode:2004JG....112..495K. doi:10.1086/421077 
  7. Algeo, T. J. (1998). «Terrestrial-marine teleconnections in the Devonian: links between the evolution of land plants, weathering processes, and marine anoxic events». Philosophical Transactions of the Royal Society B: Biological Sciences. 353 (1365): 113–130. doi:10.1098/rstb.1998.0195 
  8. Hogan, C. Michael (2010). «Fern». In: Basu, Saikat; Cleveland, C. Encyclopedia of Earth. Washington DC: National Council for Science and the Environment 
  9. a b Garwood, Russell J.; Edgecombe, Gregory D. (Setembro de 2011). «Early Terrestrial Animals, Evolution, and Uncertainty». Evolution: Education and Outreach. 4 (3): 489–501. doi:10.1007/s12052-011-0357-y 
  10. a b c Gess, R.W. (2013). «The earliest record of terrestrial animals in Gondwana: A scorpion from the Famennian (Late Devonian) Witpoort Formation of South Africa». African Invertebrates. 54 (2): 373–379. doi:10.5733/afin.054.0206 
 
O Commons possui uma categoria com imagens e outros ficheiros sobre Devoniano

Precedido por
Siluriano
Devoniano
410 - 360 maa
Sucedido por
Carbonífero
  Este artigo sobre geologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.