Abrir menu principal

Estação Ferroviária de Póvoa de Varzim

Disambig grey.svg Nota: Este artigo é sobre a antiga estação na Póvoa de Varzim, da Linha da Póvoa. Para o antigo apeadeiro na Linha da Beira Alta, veja Apeadeiro de Póvoa da Arenosa. Para a estação de Póvoa de Santa Iria, na Linha do Norte, veja Estação Ferroviária da Póvoa.
Póvoa de Varzim
Plataforma e abrigo no desvio para o Ramal de Famalicão, na Estação de Póvoa de Varzim.
Inauguração 1 de Outubro de 1875
Encerramento 2002
Linha(s) Linha da Póvoa (PK 27,933)
Coordenadas 41° 22′ 40,6″ N, 8° 45′ 29,95″ O
Concelho Póvoa de Varzim
Serviços Ferroviários Subst. pelo Metro do Porto
Horários em tempo real

A Estação Ferroviária de Póvoa de Varzim, primitivamente conhecida apenas como Povoa, é uma interface ferroviária desactivada da Linha do Porto à Póvoa e Famalicão, que servia a localidade de Póvoa de Varzim, no Distrito do Porto, em Portugal. Foi inaugurada em 1 de Outubro de 1875.[1] As antigas dependências desta gare foram integradas na Estação Póvoa de Varzim, do Metro do Porto.

Índice

Horário de 1876 dos comboios entre o Porto (Boavista) e Póvoa de Varzim. Esta gare aparece com a grafia original, Povoa.

DescriçãoEditar

Além da povoação em si, a estação também servia os banhistas da praia da Póvoa de Varzim.[2]

HistóriaEditar

Primeiros projectosEditar

Na Década de 1870, o Conde de Réus apresentou um dos primeiros projectos para um caminho de ferro entre o Porto e a Galiza, que passava Travagem, São Romão do Coronado, Vila do Conde, Póvoa de Varzim, Viana do Castelo e Caminha.[3] Este plano não teve sucesso, e a Linha do Minho foi depois construída pelo estado, com um traçado pelo interior entre o Porto e Viana do Castelo.[3]

Planeamento e inauguraçãoEditar

Em 1873 foi autorizada a construção de uma linha de via estreita entre a Póvoa de Varzim e a zona da Boavista, na cidade do Porto.[4]

Esta linha foi inaugurada em 1 de Outubro de 1875 pela Companhia do Caminho de Ferro do Porto à Póvoa, utilizando uma bitola de via de 900 mm.[5] o troço seguinte, até Fontainhas, entrou ao serviço em 7 de Agosto de 1878, tendo a linha sido concluída com a chegada a Famalicão, em 12 de Junho de 1881.[6][7]

Décadas de 1910 e 1920Editar

Em 1913, a estação de Póvoa de Varzim era servida por carreiras de diligências até às localidades de A Ver-o-Mar, Navais, Estela, Contriz, Fão, Esposende e Viana do Castelo, e de carros americanos até Vila do Conde.[8]

Em 14 de Janeiro de 1927, a Companhia da Póvoa foi fundida com a Companhia do Caminho de Ferro de Guimarães, formando a Companhia dos Caminhos de Ferro do Norte de Portugal.[5] Como parte do acordo para a fusão entre as duas companhias, foi alargada a Linha do Porto à Póvoa para bitola métrica, obra que foi concluída no mesmo ano.[5][9]

Após a formação da Companhia dos Caminhos de Ferro do Norte de Portugal, foi ordenada a elaboração de um projecto para a modificação da estação de Póvoa de Varzim, para acomodar tanto um futuro prolongamento da Linha da Póvoa até Fão como uma ligação ao porto de pesca da Póvoa de Varzim.[10] Porém, esta ideia não chegou a ser concretizada, devido a vários problemas que surgiram depois.[10]

 
Locomotiva da Série E161 a E170 na Estação de Póvoa de Varzim, em 1970.

Décadas de 1940 e 1950Editar

Em 1 de Janeiro de 1947, a Companhia do Norte foi integrada na Companhia dos Caminhos de Ferro Portugueses.[11]

Em 17 de Agosto de 1948, a Companhia realizou um comboio especial entre a Trindade e a Póvoa de Varzim, com o fim de experimentar 4 carruagens e um furgão que tinham sido recentemente modernizados.[12]

Em 4 de Janeiro de 1950, a Companhia criou uma zona de tranvias entre Famalicão e a Póvoa de Varzim, de forma a combater a crescente concorrência do transporte rodoviário naquela região.[13]

 
Estação da Póvoa de Varzim do Metro do Porto, em 2012.

Encerramento e substituição pelo Metro do PortoEditar

Em 28 de Abril de 2001, foi encerrado o primeiro troço da Linha da Póvoa para a adaptação ao Metro do Porto, desde a Porto-Trindade até à Senhora da Hora.[14] Nesta altura, previa-se que o troço seguinte, até à Póvoa de Varzim, fosse desactivado em Novembro de 2002, e substituído por autocarros até à conclusão das obras do Metro do Porto.[14] A Linha da Póvoa foi encerrada em 2002.[15]

Ver tambémEditar

Referências

  1. NONO, Carlos (1 de Outubro de 1950). «Efemérides ferroviárias» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 63 (1507). p. 353-354. Consultado em 27 de Dezembro de 2017 
  2. «Guia annunciador do viajante luso-brasileiro: indicador official dos caminhos de ferro e da navegação». Biblioteca Nacional Digital. Ano 10 (37). Lisboa: Empreza do Guia Annunciador. 1888. p. 70. Consultado em 25 de Setembro de 2018 
  3. a b FERNANDES, 1995:82-83
  4. SOUSA, José Fernando de (1 de Julho de 1940). «As estações de Caminho de Ferro no Porto» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 52 (1261). p. 425-427. Consultado em 27 de Dezembro de 2017 
  5. a b c TORRES, Carlos Manitto (16 de Março de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 71 (1686). p. 133-140. Consultado em 17 de Julho de 2014 
  6. «Troços de linhas férreas portuguesas abertas à exploração desde 1856, e a sua extensão» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 69 (1652). 16 de Outubro de 1956. p. 528-530. Consultado em 3 de Julho de 2013 
  7. AGUILAR, Busquets de (1 de Junho de 1949). «A Evolução História dos Transportes Terrestres em Portugal» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 62 (1475). p. 383-393. Consultado em 17 de Julho de 2014 
  8. «Serviço de Diligencias». Guia official dos caminhos de ferro de Portugal. 39 (168). Outubro de 1913. p. 152-155. Consultado em 22 de Fevereiro de 2018 
  9. NUNES, José de Sousa (16 de Junho de 1949). «A Via e Obras nos Caminhos de Ferro em Portugal» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 62 (1476). p. 418-422. Consultado em 17 de Julho de 2014 
  10. a b SOUSA, José Fernando de (16 de Março de 1940). «Caminhos de Ferro e portos de mar» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 52 (1254). p. 161-162. Consultado em 17 de Julho de 2014 
  11. REIS et al, 2006:63
  12. «Linhas portuguesas» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 60 (1457). Lisboa. 1 de Setembro de 1948. p. 490. Consultado em 17 de Julho de 2014 
  13. MARTINS et al, 1996:264
  14. a b SIZA, Rita (29 de Abril de 2001). «Fim de semana complicado na Estação de Senhora da Hora». Público. 12 (4058). Lisboa: Público, Comunicação Social, S. A. p. 54 
  15. REIS et al, 2006:202

BibliografiaEditar

  • FERNANDES, Mário Gonçalves (1995). Viana do Castelo. A Consolidação de uma Cidade (1855-1926). Lisboa: Edições Colibri. 185 páginas. ISBN 972-8288-06-9 
  • MARTINS, João; BRION, Madalena; SOUSA, Miguel; et al. (1996). O Caminho de Ferro Revisitado. O Caminho de Ferro em Portugal de 1856 a 1996. Lisboa: Caminhos de Ferro Portugueses. 446 páginas 
  • REIS, Francisco; GOMES, Rosa; GOMES, Gilberto; et al. (2006). Os Caminhos de Ferro Portugueses 1856-2006. Lisboa: CP-Comboios de Portugal e Público-Comunicação Social S. A. 238 páginas. ISBN 989-619-078-X 
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre a estação de Póvoa de Varzim

Ligações externasEditar