Abrir menu principal

Estação Ferroviária de Chaves

estação ferroviária em Portugal
(Redirecionado de Estação de Chaves)
Chaves
Inauguração Julho de 1922
Encerramento 1990
Linha(s) Linha do Corgo
(PK 96,167)
Coordenadas 41° 44′ 44,89″ N, 7° 28′ 09,43″ O
Concelho Chaves
Serviços Ferroviários
Horários em tempo real

A Estação Ferroviária de Chaves é uma interface desactivada da Linha do Corgo, que servia a localidade de Chaves, no Distrito de Vila Real, em Portugal.

HistóriaEditar

 Ver artigo principal: História da Linha do Corgo

AntecedentesEditar

Na transição para o Século XX, Chaves ainda não tinha acesso ao comboio, contando apenas com as estradas reais, onde circulava a mala-posta.[1]

 
Plano da Rede Ferroviária Complementar ao Norte do Mondego, decretado em 15 de Fevereiro de 1900. Uma dos projectos era a Linha do Corgo, da Régua até à fronteira Espanhola, passando por Vidago e Chaves.

Planeamento e inauguraçãoEditar

Em 24 de Maio de 1902, foram publicadas as bases da autorização, por parte do governo, para abrir o concurso para a construção da Linha do Corgo; ficou estabelecido que a quarta secção ligaria Estação de Vidago a Chaves, e que o troço seguinte seria a partir deste ponto até à fronteira.[2] Um dos principais motivos para a ligação a Chaves era o facto desta povoação oferecer uma estância termal.[3] Em 27 de Dezembro de 1904, foi noticiado que o troço da Régua a Chaves tinha sido dotado de 400 contos de Réis por influência do deputado Eduardo José Coelho, e que as obras iriam começar em breve.[1] Assim, o caminho de ferro chegou a Vila Real em 1906, a Vidago em 1910, e finalmente a Fonte Nova em 28 de Agosto de 1921, onde foi instalada a estação provisória para servir a localidade de Chaves.[1]

A estação definitiva de Chaves só foi instalada durante as festas da Vila de Chaves, entre 8 e 9 de Julho de 1922.[4]

Em 11 de Julho de 1926, deu-se uma tentativa de golpe a partir de Chaves, contra o regime instaurado pela Revolução de 28 de Maio de 1926; durante este evento, as comunicações rodoviárias e ferroviárias em Chaves estiveram sob uma apertada vigilância militar.[5]

Em 1928, a Linha do Corgo passou a ser explorada pela Companhia Nacional de Caminhos de Ferro.[6][7]

Continuação projectada até EspanhaEditar

A ligação entre Chaves e Espanha, mais especificamente até à região de Verín, foi novamente referida no relatório de 1 de Abril de 1929, de uma comissão formada para estudar a revisão dos planos ferroviários portugueses.[8]

Expansão da estaçãoEditar

Em 1934, a Companhia Nacional instalou um dormitório para o pessoal de trem e de máquinas nesta estação.[9]

Décadas de 1980 e 1990Editar

Na primeira metade da Década de 1980, a operadora Caminhos de Ferro Portugueses iniciou um programa de aproveitamento das cocheiras das estações para a criação de núcleos museológicos, incluindo em Chaves.[10]

O troço entre Chaves e Vila Real foi encerrado em 1990.[11]

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c MACHADO, 2000:360
  2. «Parte Official» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 15 (348). 16 de Junho de 1902. p. 181-182. Consultado em 30 de Março de 2013 
  3. «Há Quarenta Anos» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 48 (1159). 1 de Abril de 1936. p. 200-201. Consultado em 30 de Março de 2013 
  4. MACHADO, 2000:409
  5. MACHADO, 2000:411
  6. TORRES, Carlos Manitto (16 de Março de 1958). «A evolução das linhas portuguesas e o seu significado ferroviário» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 71 (1686). p. 133-140. Consultado em 30 de Março de 2013 
  7. REIS et al, p. 62
  8. SOUSA, José Fernando de (16 de Março de 1936). «Ligações ferroviárias com a Espanha: A Linha de Zafra a Villa Nueva» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 48 (1158). p. 165-167. Consultado em 30 de Março de 2013 
  9. «O que se fez nos caminhos de ferro em Portugal, em 1934» (PDF). Gazeta dos Caminhos de Ferro. 47 (1129). 1 de Janeiro de 1935. p. 27-29. Consultado em 30 de Março de 2013 
  10. MARTINS, 1996:47
  11. CARDOSO, José António (27 de Dezembro de 2010). «Linha do Corgo parada e sem obras vítima da crise». Diário de Notícias. Consultado em 12 de Maio de 2017 

BibliografiaEditar

  • MACHADO, Júlio (2000). Crónica da Vila Velha de Chaves. Chaves: Câmara Municipal de Chaves. 448 páginas 
  • MARTINS, João; BRION, Madalena; SOUSA, Miguel; et al. (1996). O Caminho de Ferro Revisitado: O Caminho de Ferro em Portugal de 1856 a 1996. Lisboa: Caminhos de Ferro Portugueses. 446 páginas 
  • REIS, Francisco; GOMES, Rosa; GOMES, Gilberto; et al. (2006). Os Caminhos de Ferro Portugueses 1856-2006. Lisboa: CP-Comboios de Portugal e Público-Comunicação Social S. A. 238 páginas. ISBN 989-619-078-X 

Ligações externasEditar