Eurodance

gênero musical

Eurodance, também conhecido como Euro house, Euro-NRG ou simplesmente Dance, é um gênero musical europeu derivado do italo house que ganhou muito destaque em todo o mundo na década de 1990, por ser um gênero muito dançante e enérgico.[1][2] O gênero é muito conhecido por ter um ênfase muito dançante, com uma batida forte que varia entre 110 a 150 BPM (em um compasso 4/4) e de conter uma vocalista feminina cantando o refrão, enquanto o vocalista masculino fornece apenas vocais de rap ou de apoio.[2] Essas características o diferencia de outras vertentes de música dance, que tendem ter influência house em si e, geralmente, mais instrumentais.

Eurodance
Origens estilísticas
Contexto cultural Alemanha, final dos anos 80
Instrumentos típicos Teclado eletrônico - Sintetizador - Caixa de ritmos - Sequenciador
Formas derivadas Happy hardcoreEurobeatEuro-tranceEuro ReggaeHandz Up!
Subgêneros
Bubblegum danceItalo DanceHard dance
Gêneros de fusão

HistóriaEditar

1989: NascimentoEditar

Embora tenha emergido na Alemanha, a Eurodance music foi ouvida primeiramente na Itália, quando foi lançado em 1989 o single "Ride On Time" do Black Box. A música passou seis semanas em primeiro lugar no Reino Unido e foi o single mais vendido nesse mesmo país em 1989.[1] Ride On Time continha o "house piano" da Korg M1, que pode ser encontrado em muitos lançamentos do Eurodance, embora essa música seja mais influenciada pelo Italo House. Nesse mesmo ano, foi lançado outro single "Pump Up the Jam" (do Technotronic), que alcançou imediatamente o número um na Bélgica e na Espanha, e popularizou a variante da house music que continha elementos da música dance, que era mais conhecida até então como hip house na Europa.

Em 9 de novembro de 1989, o Muro de Berlim caiu, e festas subterrâneas do Techno se multiplicaram por toda Berlim Oriental. Paul van Dyk, um DJ da Alemanha Oriental, observou que a cena rave baseada em Techno foi uma força importante no restabelecimento de conexões sociais entre a Alemanha Oriental e Ocidental durante o período de unificação.[3] Inspirados nisso, os produtores alemães Michael Münzing e Luca Anzilotti (sob os pseudônimos Benito Benites e John "Virgo" Garrett III) formaram em 1989 um projeto chamado Snap! em Frankfurt, que combinaria (em suas canções) vocais de rap e soul adicionando ritmo usando tecnologia de computador e misturando sons eletrônicos, baixo e bateria. Ao fazerem isso, um novo gênero nasceu: a Eurodance.[3]

1990 - 1994: Notoriedade e Era de OuroEditar

Em 1990, Snap! lança seu primeiro single, "The Power", que alcançou o número um na Holanda, Espanha, Suíça e Reino Unido, e que ajudou de certa forma a popularizar a Eurodance.[4] No ano seguinte, o gênero ganha notoriedade do público, devido ao single "Get Ready for This" da banda holandesa 2 Unlimited, que conseguiu ser sucesso em vários países europeus. No entanto, o ano de 1992 marcou-se o ponto inicial para que a Eurodance fosse reconhecida mundialmente, devido ao fato de algumas bandas e artistas solos estarem surgindo e fazendo sucesso com seus hits, como DJ Bobo com "Somebody Dance with Me", Captain Hollywood Project com "More and More", Magic Affair com "Omen III", Dr. Alban com "It's My Life", Double You com "Please Don't Go", Cappella com "U Got 2 Let The Music", 2 Brothers on the 4th Floor com "Dreams (Will Come Alive)", Playahitty com "The Summer Is Magic", Real McCoy com "Another Night", B.G., The Prince of Rap com "The Color My Dreams", Scatman John com "Scatman (Ski-Ba-Bop-Ba-Dop-Bop)", Reel 2 Real com "I Like To Move It", La Bouche com "Be My Lover", Fun Factory com "Take Your Chance", Masterboy com "Feel The Heat Of The Night", Ice MC com "Think About The Way", Whigfield com "Saturday Night", CO.RO com "Run Away", Selena com "Ridin' High", Taleesa com "Let Me Be", Rednex com "Cotton Eye Joe", E-Type com "This Is The Way" etc.

Músicas como "Mr. Vain" (do Culture Beat), "What Is Love" (do Haddaway), "Rhythm of the Night" (do Corona) e "Rhythm Is a Dancer" (do Snap!), são considerados como verdadeiros hinos da Eurodance music, provavelmente porque fizeram bastante sucesso em todo o mundo, além de terem alcançado bom desempenho nas paradas musicais. Entre os anos de 1992 a 1995, marcou-se grandes picos de produção desse gênero musical, sendo Alemanha e Itália onde se mais produziu eurodance. Alguns produtores que mais se destacaram nesse tipo de gênero foi o sueco Max Martin e o italiano Larry Pignagnoli, ambos estavam por trás de dezenas de bandas.

1995 - 1999: Desgaste no som e Novas ramificaçõesEditar

Em meados de 1995, a Eurodance music já começava aos poucos à apresentar um certo desgaste em seu som, além de não ser mais tão popular como antes, devido ao fato de outras vertentes de música eletrônica estarem sendo cada vez mais populares nessa época, como Drum and Bass, Techno e Progressive house.[5] Vendo essa situação, muitas bandas e produtores de eurodance se viram obrigados em seguir três opções: "continuar fazendo a tradicional eurodance, e não obter tanto sucesso" ou "continuar fazendo Eurodance, mas mesclando elementos de outros gêneros" ou até mesmo "migrar completamente para outro gênero", seguindo às tendências.[6] Então várias bandas acabaram optando em fazer músicas eurodance, mas fazendo uso de diferentes gêneros musicais, sendo o Reggae e a Dance-pop amplamente muito utilizado, como nos sucessos "Coco Jamboo" (do Mr. President), "Love & Devotion" (do Real McCoy), "We're Going to Ibiza" (dos Vengaboys), "Help Me! Dr. Dick" (do E-Rotic) e "Summer Delight" (do Soda) que são verdadeiros exemplos da fusão entre a Eurodance com o Reggae, e o "Baby Baby" (do Corona), "Dub-I-Dub" (do Me & My), "Uh La La La" (da cantora Alexia), "Ring-A-Ling" (da cantora Tiggy), "Blue Jeans" (do Sqeezer), "Captain Jack" (do Captain Jack), "Beautiful Life" (do Ace of Base) e "Freed from desire" (da cantora Gala Rizzatto) que são exemplos nítidos da mistura entre a Eurodance com a Dance-pop. Embora várias bandas e produtores quisessem difundir seu som e seguir novas tendências da música dance, ainda existia muitos que ainda queria manter-se na tradicional Eurodance em uma época em que o mesmo não estava mais tão popular, como é o caso das cantoras Pandora (com "Don't You Now") e Szandi (com o álbum "Dancing Flame") e da banda @tak com ("Let Me Be Free"), que tentaram de certa forma em trazer o tradicional som da eurodance, mas acabaram não tendo muito desempenho.

Esse nova alternativa serviu como porta de entrada para criação de novos gêneros musicais a partir da Eurodance, como o Happy hardcore, uma derivação "acelerada" e "sentimental" da eurodance que ficou bastante popular em 1995 e, que inclusive, levou algumas bandas conhecidas da eurodance music a fazerem esse tipo de música, como 2 Brothers on the 4th Floor, Jam & Spoon, Scooter e outros demais. Entre os anos de 1997 a 1999, é marcado como período de muito Bubblegum dance, que é um subgênero musical da eurodance oriundo da Escandinávia, particularmente da Dinamarca.[7] Esse subgênero se tornou bastante popular devido ao hit "Barbie Girl" (canção do Aqua), que ficou em primeiro lugar em vários países do mundo e que, de certa forma, ajudou na reintrodução da eurodance para o cenário musical, embora Barbie Girl não seja uma canção inteiramente eurodance.[7] No final dos anos 90, os Vengaboys também fazem sucesso com o bubblegum dance, trazendo batidas eletrizantes da eurodance com letras bastante provocativas. Outro gênero que ganha destaque no final dos anos 90 é o Italo Dance, que é um gênero musical italiano derivado a partir da eurodance. Foi introduzido pela banda Eiffel 65 através do hit "Blue (Da Ba Dee)", e sendo popularizado por Gigi D'Agostino com a canção "L'Amour Toujours". Todos esses gêneros contribuíram para a continuidade da eurodance no cenário musical até o fim da década.

2000 - 2008: Segunda onda e Declínio de produçãoEditar

Em 2000, começava uma verdadeira renovação do gênero, incluindo que a eurodance já pegava elementos da música trance e house, além de trazer o solo feminino melhor trabalhado tecnicamente. Essa nova maneira de fazer o gênero foi primeiramente popularizado por bandas como ATC, ATB, Alice DeejayDarude e Fragma.[8] Embora a eurodance tenha tido uma evolução importante em seu som no início da década de 2000, ela simplesmente deixou de ser frequentemente produzida e, como consequência, o gênero foi perdendo cada vez mais espaço, e saindo lentamente do gosto dos produtores e do público.[9]

No entanto, ela era constantemente ressuscitada por algumas bandas com seus hits, como "Hit Who Do You Love Now" da cantora Dannii Minogue lançado em 2001, "Something" da banda Lasgo, "Dragostea Din Tei" da banda O-Zone lançado em 2003 e "If You..." do cantor Magic Box lançado em 2003. Em 2007, o grupo Cascada lançou seu primeiro álbum, Everytime We Touch, cujo single de mesmo nome atingiu grande sucesso no mundo inteiro, recebendo certificados de Platina e Ouro.[8] Infelizmente, isso não o suficiente para reintrodução da eurodance music ao cenário musical daquela época e, como resultado, o gênero começa a ter declínio significativo em sua produção, que por sua vez já estava escassa. Embora com baixa popularidade, a eurodance volta a ser destaque no mundo inteiro através do lançamento exitoso, "Stereo Love", lançado em 2009 pelo cantor Edward Maya em colaboração com a cantora Vika Jigulina. Ela também volta a ser novamente um destaque em 2010 na canção "Run Away" lançado pelo grupo SunStroke Project com participação de Olia Tira para o Festival Eurovisão da Canção 2010.

2009 - 2012: A vez da Romênia ocupar o centro da EurodanceEditar

Em meados do final da década de 2000 e início da de 2010 verifica-se um forte movimento de sucessos mundiais[10] provenientes de artistas da Romênia tais como; Edward Maya com "Stereo Love", "This is My life" e "Desert Rain" todos esses em colaboração com a cantora Vika Jigulina, passando por Akcent com "Thats My name", "Stay Whit Me" e "Love Stoned", Alexandra Stan com "Mr Sexobeat", Dan Balan com Chica Bomb e tendo como maior referência a cantora Inna (que até hoje tem um relativo sucesso em alguns países da Europa e no México) inicialmente com alguns singles do seu álbum Hot de 2009 e depois com o álbum I Am the Club Rocker lançado em 2011 ambos com colaboração do trio de produtores chamado "Play & Win". Esse período de sucesso deve-se em muito pela mistura musical do pop dançante com um toque local (melodia utilizada em canções de base cigana, onde o país tem uma considerável população) e que fora pejorativamente apelidado na crítica local de "PopCorn"[11].

2010 - atualmente: Eventuais lançamentosEditar

Desde o início da década de 2010, a eurodance é de certa forma considerado como um gênero de nicho e com pouca execução tanto em rádios como em TV, mas ainda assim tem espaço garantido em danceterias como em shows/turnês nostálgicos que muitas bandas renomadas desse gênero atualmente fazem, sendo a mais famosa "We Love The 90s". O último lançamento mais notável com o gênero foi a canção "One Kiss" que é uma canção do produtor escocês Calvin Harris e da cantora inglesa Dua Lipa. Embora essa canção mistura elementos de outros gêneros, ela simplesmente utiliza a eurodance como gênero principal.

PopularidadeEditar

EuropaEditar

Desde seu surgimento, a eurodance sempre foi muito popular no continente europeu, embora ela tenha perdido força nos dias de hoje.[12] Ela foi febre na Alemanha nos inícios dos anos 90, e o mesmo foi o responsável por revelar várias bandas consagradas do gênero, embora foi na Itália onde se mais produziu eurodance e que, por sinal, foi amplamente popularizado por artistas como Cappella, Taleesa, Whigfield, Corona e inúmeros projetos. Países como Bélgica, Holanda, Suécia, Noruega, Finlândia, Dinamarca, Espanha, Suíça e França, foi onde a eurodance também foi muito popular nos anos 90 e início dos anos 2000, além de serem os países onde mais se comercializa o gênero.

Em outros países europeus, ela também obteve sucesso aceitável nos anos 90 e início de 2000, como em Portugal, onde ela se tornou um fenômeno quando foi criado o projeto Santamaria, cujo som animado com letras um tanto contagiante, acabaram se tornando um verdadeiro estrondo e, como resultado, a eurodance se tornou amplamente popular em Portugal. A eurodance também obteve sucesso moderado no Reino Unido nos anos 90, através de artistas próprios como Bus Stop, Undercover, Ann Lee, Lolly, The KLF entre outros. Alguns artistas de outros países também tiveram sucesso por lá, incluindo os Vengaboys, Whigfield, Aqua e a ex-membro da banda The Weather Girls, Martha Wash, em conjunto com a cantora RuPaul, que realizaram um cover eurodance da música "It's Raining Men" em 1997.

ÁsiaEditar

O gênero foi muito popular na Ásia no final dos anos 90, especialmente no Japão, onde era frequentemente lançado álbuns de compilação de eurodance, sendo o mais famoso o "Dancemania", que a cada edição, reunia várias canções de vários artistas notáveis de eurodance/europop da Europa (incluindo E-Rotic e Captain Jack).

OceaniaEditar

A eurodance era popular na Austrália e na Nova Zelândia no início da década de 1990, particularmente durante o tempo do surgimento de festas underground e raves. Sua popularidade nesses países diminuiu no final da década de 1990 e início dos anos 2000.

AméricaEditar

Nos Estados Unidos, a eurodance music não é muito conhecida, embora o clássico "Scatman (Ski-Ba-Bop-Ba-dop-Bop-Bop)" de Scatman John, seja uma canção americana. Apesar de sucesso na Europa, alcançando o número 3 no Reino Unido, o clássico do Scatman só alcançou o número 60 na Billboard Hot 100.[13] Alguns artistas eurodance como La Bouche, 2 Unlimited, Real McCoy, Aqua, Corona, Haddaway e Ace of Base, alcançaram o Top 40 na Billboard Hot 100 durante o início a meados da década de 1990. Apesar da falta de execução nos rádios, muitas canções de Hi-NRG e Eurodance são muito populares em eventos profissionais esportivos nos Estados Unidos, especialmente hóquei no gelo e basquete.[14]

Durante a década de 1990, a Eurodance tornou-se popular no Canadá, que produziu sua própria variante chamada de Canadance (embora fosse principalmente referida como "Eurodance" ou "Dance Music"), que foi popularizado por projetos como Capital Sound, Jacynthe, Shauna Davis, Emjay, Love Inc., Temperance, Jefferson Project, Big Bass, DFS, Kim Esty, The Boomtang Boys, Solina, Joée, Roxxy e BKS.[15] Hoje em dia a eurodance é considerado como "gênero de nicho" por lá.

A eurodance também obteve muito popularidade nos anos 90 no México, através de artistas próprios como Selena e Fey, como demais. O gênero também foi febre nos países como Argentina, Uruguai, Chile, Paraguai, Peru, Colômbia e Bolívia.

No Brasil, a eurodance teve uma imensa popularidade entre meados para o final da década de 1990, devido algumas canções de sucesso do gênero serem usadas como parte de trilhas sonoras de algumas das famosas novelas exibidas pela Rede Globo.[16][17] Nessa época, o gênero era tocado constantemente nas principais estações de rádio, além de ser um estrondo em clubes noturnos espalhados por todo o país.[18] Em 1995, é criado o "Close-Up Dance Festival", que foi um festival totalmente voltado para a eurodance que reunia vários artistas do gênero.[19] O evento ocorreu em dois dias, o primeiro no dia 18 no Vale do Anhangabaú, em São Paulo, e o outro no dia 19, na Praia de Ipanema, no Rio de Janeiro. O sucesso do gênero foi tanto no Brasil, que até mesmo a cantora e apresentadora Xuxa experimentou a eurodance com a canção "Hey DJ!", que obteve ótimo desempenho em clubes em 1994.[20] Mas seu trabalho com o gênero é melhor observado em seu álbum de 1996 "Xuxa Dance", embora o álbum também faça uso de outros gêneros como bubblegum dance e dance-pop.[21][22] Também houve bandas e artistas brasileiros de eurodance, como Sect, Gottsha, Dalimas, Anny e o popular Kasino.[17]

CaracterísticasEditar

Muito da eurodance é caracterizado pela influência da new beat e italo disco; refrões simples; raps com vocais masculinos; ganchos cativantes e uma batida bem forte que varia na maioria das vezes entre 110 e 150 BPM (batidas por minuto) com riffs feitos através de sintetizadores. O som é bem positivo, sempre acompanhado de letras que envolvem temas como amor, festa e paz, sempre dançantes e expressando emoções, além das letras serem frequentemente cantadas em inglês. Porém, muitos artistas lançam suas canções tanto em inglês quanto em idiomas nativos. As performances ao vivo frequentemente são feitas em playback com o vocalista cantando ao vivo no palco. Muitas bandas da eurodance passam uma imagem bem humorada, como Captain Jack, que é uma sátira bem humorada de um militar tirano, enquanto o Rednex satiriza às pessoas caipiras norte-americanas.

Ver tambémEditar

Referências

  1. a b c d e f g h i j k «Euro-Dance Music Genre Overview». http://www.allmusic.com. Consultado em 21 de outubro de 2020 
  2. a b «The Eurodance Encyclopedia». http://www.eurokdj.com. Consultado em 18 de outubro de 2020 
  3. a b «Neue Ehrlichkeit. Mit Tanzmusik aus dem Computer feiern zwei Frankfurter Klangbastler weltweit Erfolge». http://magazin.spiegel.de. Consultado em 21 de outubro de 2020 
  4. «Official Singles Chart Top 100 - Official Charts Company». https://www.officialcharts.com. Consultado em 21 de outubro de 2020 
  5. «"What is Progressive House?"». http://www.decodedmagazine.com. Consultado em 21 de outubro de 2020 
  6. «History Music: A História da Eurodance». Consultado em 21 de outubro de 2020 
  7. a b «Facts & Information: Bubblegum Dancer». https://www.bubblegumdancer.com/info/. Consultado em 21 de outubro de 2020 
  8. a b «All Music Guide to Electronica: The Definitive Guide to Electronic Music». Consultado em 21 de outubro de 2020 
  9. «A Brief History of Eurodance - Stamp The Wax». https://www.stampthewax.com. Consultado em 21 de outubro de 2020 
  10. «Dance music romena conquista o mundo». TViG. Consultado em 21 de novembro de 2020 
  11. Grozea, Florin (10 de fevereiro de 2012). «Top 10 reasons why Romanian artists deserve to conquer the world». Florin Grozea (em romeno). Consultado em 1 de dezembro de 2020 
  12. «Dance offshots vie for Eurodance dominance». Consultado em 21 de outubro de 2020 
  13. «Allmusic». https://www.allmusic.com. Consultado em 21 de outubro de 2020 
  14. «Quizzo Trivia Night at Shake Shack - BU Today - Boston University». Consultado em 21 de outubro de 2020 
  15. «Emjay, Love Inc. and beyond: remembering Canadian Eurodance». https://www.cbcmusic.ca. Consultado em 21 de outubro de 2020 
  16. «RIKARDO - EURODANCE». Consultado em 21 de outubro de 2020 
  17. a b «Por que o dance bombou tão rápido quanto entrou em decadência no Brasil?». Consultado em 21 de outubro de 2020 
  18. «Por que o dance bombou tão rápido quanto entrou em decadência no Brasil?». Consultado em 21 de outubro de 2020 
  19. «PROJETOS DE EURODANCE NO BRASIL EM 1995 E 1996 (DOUBLE YOU, MARTINE, TALEESA, RANDY BUSH, FOURTEEN 14 E WHIGFIELD)». Consultado em 21 de outubro de 2020 
  20. «Aninhahy Dance: 1994: O boom da Eurodance». https://aninhamusicadance.blogspot.com. Consultado em 21 de outubro de 2020 
  21. «XUXA - Danza de Xuxa - YouTube». Consultado em 21 de outubro de 2020 
  22. Xuxa - Dance (1996, CD) - Discogs

Ligações externasEditar