Grande Prêmio da Grã-Bretanha de 1970

Grande Prêmio da Grã-Bretanha
de Fórmula 1 de 1970
Brands Hatch 1960-1975.svg
Quarto GP da Grã-Bretanha em Brands Hatch
Detalhes da corrida
Categoria Fórmula 1
Data 18 de julho de 1970
Nome oficial XXIII RAC British Grand Prix[nota 1]
Local Brands Hatch, Kent, Inglaterra, Grã-Bretanha, Reino Unido
Percurso 4.265 km
Total 80 voltas / 341.200 km
Pole
Piloto
Áustria Jochen Rindt Lotus-Ford
Tempo 1:24.800
Volta mais rápida
Piloto
Austrália Jack Brabham Brabham-Ford
Tempo 1:25.900 (na volta 70)
Pódio
Primeiro
Áustria Jochen Rindt Lotus-Ford
Segundo
Austrália Jack Brabham Brabham-Ford
Terceiro
Nova Zelândia Denny Hulme McLaren-Ford

Resultados do Grande Prêmio da Grã-Bretanha de Fórmula 1 realizado em Brands Hatch em 18 de julho de 1970.[1] Sétima etapa da temporada, foi vencido pelo austríaco Jochen Rindt, da Lotus-Ford, e marcou a estreia de seu companheiro de equipe, o brasileiro Emerson Fittipaldi, futuro bicampeão mundial.[2][3][nota 2]

ResumoEditar

Estreia de Emerson FittipaldiEditar

Filho de Wilson Fittipaldi, célebre radialista da Jovem Pan e primeiro narrador de corridas no rádio brasileiro,[4] Emerson Fittipaldi passou pelo motociclismo e pelo kart antes de fixar-se nos monopostos chegando ao título do Campeonato Brasileiro de Fórmula Vê e do Campeonato Brasileiro de Fórmula Ford até desembarcar no Reino Unido em março de 1969. Nesse mesmo ano conquistou o título do Campeonato Britânico de Fórmula 3 e chamou a atenção da Jim Russell Driving School.[5]

Tal desempenho foi notado também por Frank Williams (dono da Frank Williams Racing Cars, representada no grid por um De Tomaso) e de Colin Chapman, o todo-poderoso da Lotus. Convidado por Chapman para ser o terceiro piloto do time ao lado de Jochen Rindt e John Miles, o brasileiro preferiu disputar meia temporada de Fórmula 2 antes de subir para a categoria principal. Temeroso que o dirigente britânico dispensasse os seus talentos, Fittipaldi foi surpreendido pelo assentimento de Chapman e num aperto de mãos selaram o acordo. Ao estrear em Brands Hatch com seu Lotus 49, Emerson Fittipaldi foi o antepenúltimo colocado num grid formado por vinte e três carros, mas estava feliz por estar ao lado de Graham Hill, seu ídolo e piloto da Rob Walker Racing Team.[6]

Graças à estreia de Emerson Fittipaldi, a etapa britânica passou para a história como a primeira a ser transmitida pela televisão brasileira através da Rede de Emissoras Independentes,[7] formada pela TV Record de São Paulo (canal 7) e a TV Rio do Rio de Janeiro (canal 13), com narração de Wilson Fittipaldi.[8]

Treinos oficiaisEditar

Líder do campeonato oito pontos adiante de Jackie Stewart e Jack Brabham (27 a 19), o austríaco Jochen Rindt marcou a pole position graças ao aprumo de sua Lotus 72 e saiu à frente de Jack Brabham, da equipe homônima, e de Jacky Ickx, corredor da Ferrari, enquanto Jackie Stewart não foi além de um oitavo lugar com sua March 701 posta a serviço da Tyrrell Racing Organisation.[9][10]

Nesta prova a Surtees estreou seu próprio chassis modelo TS7 em substituição ao McLaren M7C utilizado até então por John Surtees, enquanto a Frank Williams Racing Cars providenciou um novo De Tomaso para Brian Redman, mas um defeito no eixo traseiro o impediu de largar. Já o alemão Rolf Stommelen não correu porque destroçou sua Brabham num acidente do qual saiu ileso, felizmente. Por outro lado, Mario Andretti (ausente desde o terceiro lugar na Espanha com sua March patrocinada pela STP) e Clay Regazzoni (a Ferrari o substituiu por Ignazio Giunti na França) retornaram à categoria.[11]

Em meio ao calor da disputa soube-se que Jochen Rindt comunicou a Colin Chapman sua decisão de aposentar-se ao final da temporada,[11] mas antes quem encerrou a carreira em Brands Hatch foi o lendário piloto e construtor norte-americano, Dan Gurney.[12][13]

Vitória de Jochen RindtEditar

Na hora da largada, Jacky Ickx e Jack Brabham foram mais rápidos e deixaram Jochen Rindt em terceiro, com o belga liderando o pelotão por seis giros, mas na volta seguinte Rindt superou Brabham na curva Paddock Bend e quase ao mesmo tempo a Ferrari de Ickx quebrou o diferencial e o austríaco assumiu a liderança com sua Lotus 72, mantendo-a por sessenta e duas voltas. Contudo o excelente rendimento de Jack Brabham e sua Brabham BT33 impediu que a diferença entre ambos ultrapassasse a casa dos dois segundos.[6] Durante quase todo esse interregno, devemos destacar o excelente terceiro lugar de Jackie Oliver, traído pelo motor de sua BRM na volta cinquenta e quatro quando a McLaren de Denny Hulme herdou tal posição. Duas voltas antes, o campeão mundial Jackie Stewart abandonara a prova devido a uma falha na embreagem.[14]

Mais uma vez a sorte da prova mudou quando os rivais cruzaram a Paddock Bend, pois na volta sessenta e nove Rindt errou uma passagem de marcha e Brabham o superou estabelecendo a volta mais rápida da prova no giro seguinte. Tal era o ímpeto do tricampeão australiano que o mesmo parecia destinado a uma vitória certa, mas tal como em Mônaco, o imponderável negou-lhe o triunfo, pois na descida de Clearways, antes da última curva do traçado, a Clark, o motor Ford de sua Brabham falhou por falta de gasolina e assim Jochen Rindt foi recompensado com a vitória enquanto Jack Brabham arrastou-se e cruzou em segundo lugar marcando tanto o último pódio quanto os últimos pontos de sua longeva carreira. Para Denny Hulme e sua McLaren, entretanto, o terceiro lugar foi motivo de celebração por conta das dificuldades enfrentadas pelo neozelandês, cujo desempenho foi limitado pelas graves queimaduras em uma das mãos no dia 12 de maio enquanto treinava para correr as 500 Milhas de Indianápolis.[14] A zona de pontuação foi completada por Clay Regazzoni, de volta à Ferrari, Chris Amon sua March e Graham Hill a bordo de uma Lotus da Rob Walker Racing Team.

Quanto ao infortúnio de Jack Brabham surgiu uma explicação: o veterano perdeu a corrida porque seu carro tinha um litro de gasolina a menos que o necessário para completar o Grande Prêmio, graças ao erro de cálculo de um certo Ron Dennis, chefe dos mecânicos da Brabham.[6]

Para que Jochen Rindt pudesse comemorar seu triunfo, porém, foi preciso reverter a desclassificação imposta pelos organizadores da prova sob alegação de irregularidades nas aletas do seu carro. Após certa confusão os juízes revisores corroboraram o resultado de pista e assim a Lotus comemorou tanto a sua quadragésima vitória quanto o oitavo lugar do estreante Emerson Fittipaldi, primeiro brasileiro a guiar na Fórmula 1 desde Fritz d'Orey no Grande Prêmio dos Estados Unidos de 1959.[15]

Com os resultados da prova britânica, Jochen Rindt liderava o mundial de pilotos com 36 pontos e a Lotus ponteava o mundial de construtores com 41.

50 anos depoisEditar

Mesmo guiando um carro obsoleto e prejudicado por uma fissura no escapamento (resultando em perda de potência), Emerson Fittipaldi estava feliz com seu desempenho e cinquenta anos depois da sua estreia declarou: "Quando eu estreei, pensei: se eu morrer, vou morrer contente. Só queria guiar num GP de Fórmula 1".[6]

Classificação da provaEditar

Pos. Piloto Construtor Voltas Tempo/Diferença Grid Pontos
1 5   Jochen Rindt Lotus-Ford 80 1:57:02.0 1 9
2 17   Jack Brabham Brabham-Ford 80 + 32.9 2 6
3 9   Denny Hulme McLaren-Ford 80 + 54.4 5 4
4 4   Clay Regazzoni Ferrari 80 + 54.8 6 3
5 16   Chris Amon March-Ford 79 + 1 volta 17 2
6 14   Graham Hill Lotus-Ford 79 + 1 volta 22 1
7 2   François Cevert March-Ford 79 + 1 volta 14
8 28   Emerson Fittipaldi Lotus-Ford 78 + 2 voltas 21
9 27   Ronnie Peterson March-Ford 72 + 8 voltas 13
NC 29   Pete Lovely Lotus-Ford 69 + 11 voltas 23
Ret 32   Dan Gurney McLaren-Ford 60 Pressão do óleo 11
Ret 22   Pedro Rodríguez BRM 58 Acidente 15
Ret 23   Jackie Oliver BRM 54 Motor 4
Ret 1   Jackie Stewart March-Ford 52 Embreagem 8
Ret 20   John Surtees Surtees-Ford 51 Pressão do óleo 19
Ret 8   Henri Pescarolo Matra 41 Acidente 12
Ret 7   Jean-Pierre Beltoise Matra 24 Roda 10
Ret 26   Mario Andretti March-Ford 21 Suspensão 9
Ret 15   Jo Siffert March-Ford 19 Suspensão 20
Ret 6   John Miles Lotus-Ford 15 Motor 7
Ret 24   George Eaton BRM 10 Pressão do óleo 16
Ret 3   Jacky Ickx Ferrari 6 Transmissão 3
DNS 11   Andrea de Adamich McLaren-Alfa Romeo Vazou combustível 18
DNS 18   Rolf Stommelen Brabham-Ford Acidente nos treinos
DNS 25   Brian Redman De Tomaso-Ford Problema no eixo
Fonte:[1]

Tabela do campeonato após a corridaEditar

  • Nota: Somente as primeiras cinco posições estão listadas. Em 1970 os pilotos computariam seis resultados nas sete primeiras corridas do ano e cinco nas últimas seis. Neste ponto esclarecemos: na tabela dos construtores figurava somente o melhor colocado dentre os carros de um time.

Notas

  1. O número oficial de corridas sob o nome de "Grande Prêmio da Grã-Bretanha" contém duas provas a menos que as efetivamente realizadas.
  2. Voltas na liderança: Jacky Ickx 6 voltas (1-6), Jochen Rindt 63 voltas (7-68; 80), Jack Brabham 11 voltas (69-79).

Referências

  1. a b «1970 British Grand Prix - race result». Consultado em 20 de dezembro de 2018 
  2. Fred Sabino (5 de fevereiro de 2020). «Circuitos Clássicos #1: Brands Hatch tinha traçado desafiador e recebeu F1 em 14 ocasiões». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 5 de fevereiro de 2020 
  3. Fred Sabino (18 de abril de 2018). «Jochen Rindt é até hoje o único campeão póstumo na história da Fórmula 1». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 28 de fevereiro de 2020 
  4. (Redação) G1 (11 de março de 2012). «Morre o ex-radialista Wilson Fittipaldi, aos 92 anos, no Rio». g1.globo.com. (Redação) G1. Consultado em 18 de julho de 2020 
  5. Departamento de Pesquisa (18 de julho de 1970). «O contrôle (sic) da coragem. Primeiro caderno, Esportes – p. 20». bndigital.bn.gov.br. Jornal do Brasil. Consultado em 18 de julho de 2020 
  6. a b c d Fred Sabino (18 de julho de 2020). «Cinquenta anos depois, Emerson Fittipaldi relembra estreia na Fórmula 1, em Brands Hatch». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 18 de julho de 2020 
  7. Emerson faz estreia na Fórmula 1 (online). O Estado de S. Paulo, São Paulo (SP), 18/07/1970. Geral, p. 16. Página visitada em 18 de julho de 2020.
  8. Emerson Fittipaldi estréia (sic) no mundial de pilotos (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 18/07/1970. Esporte, p. 20. Página visitada em 18 de julho de 2020.
  9. «1970 British Grand Prix - starting grid» (em inglês). Consultado em 18 de julho de 2020 
  10. «British GP, 1970 (em inglês) no grandprix.com». Consultado em 18 de julho de 2020 
  11. a b «Tyrrell Racing Organisation (em inglês) no grandprix.com». Consultado em 18 de julho de 2020 
  12. Fred Sabino (28 de junho de 2018). «Primeira vitória da Brabham foi obtida por Dan Gurney, lenda americana». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 18 de julho de 2020 
  13. Fred Sabino (15 de janeiro de 2018). «Lenda americana do automobilismo, Dan Gurney morre aos 86 anos». globoesporte.com. Globo Esporte. Consultado em 18 de julho de 2020 
  14. a b Rindt vence GP da Inglaterra e Fittipaldi é oitavo (online). Jornal do Brasil, Rio de Janeiro (RJ), 19/07/1970. Primeiro caderno, Esporte, p. 44. Página visitada em 18 de julho de 2020.
  15. Rindt vence e Emerson é 8º (online). O Globo, Rio de Janeiro (RJ), 20/07/1970. Matutina, Esportes, p. 08. Página visitada em 18 de julho de 2020.
  16. a b «1970 British GP – championships (em inglês) no Chicane F1». Consultado em 30 de julho de 2020 

Precedido por
Grande Prêmio da França de 1970
Campeonato Mundial de Fórmula 1 da FIA
Ano de 1970
Sucedido por
Grande Prêmio da Alemanha de 1970
Precedido por
Grande Prêmio da Grã-Bretanha de 1969
Grande Prêmio da Grã-Bretanha
25ª edição
Sucedido por
Grande Prêmio da Grã-Bretanha de 1971