Abrir menu principal
Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Jerônimo Coelho (desambiguação).
Jerônimo Coelho
Nascimento 30 de setembro de 1806
Laguna
Morte 16 de janeiro de 1860 (53 anos)
Nova Friburgo
Nacionalidade Brasileiro
Progenitores Mãe: Francisca Lina do Espírito Santo Coelho
Pai: Antônio Francisco Coelho
Cônjuge Emília Carolina da Costa Barros
Ocupação Jornalista, militar e político
Serviço militar
Patente Brigadeiro do Exército do Brasil
Condecorações Comendador da Ordem Militar de S. Bento de Aziz e da Imperial Ordem da Rosa

Jerônimo Francisco Coelho (Laguna, 30 de setembro de 1806Nova Friburgo, 16 de janeiro de 1860) foi um jornalista, militar e político brasileiro.

BiografiaEditar

Nasceu em (Laguna (30 de setembro de 1806), sendo o segundo filho do major Antônio Francisco Coelho e de Francisca Lina do Espírito Santo Coelho. Neto do capitão-mor de Laguna Jerônimo Franscisco Coelho, e por parte materna, do alferes de milícia Lino dos Santos. [1]

Em 1809 a família mudou-se para a Corte do Império. Em pouco tempo perdeu o pai e um tio, João Francisco Coelho, cabendo unicamente à sua mãe a tarefa de educar ele e o irmão mais velho, Antônio Francisco Coelho. [1]

Em dezembro de 1827 casou-se com Emília Carolina da Costa Barros, filha do tenente-coronel Francisco da Costa Barros. Desta união nasceram Jerônimo Francisco Coelho Júnior, José Francisco Coelho e mais uma filha. Emília faleceu em 30 de agosto de 1854.[1]

CarreiraEditar

Editou o jornal O Catharinense, em 1831, o primeiro da Província de Santa Catarina.

Foi deputado à Assembleia Legislativa Provincial de Santa Catarina na 1ª legislatura (1835 a 1837), na 2ª legislatura (1838 a 1839) (não assumiu), na 3ª legislatura (1840 a 1841), na 4ª legislatura (1842 a 1843), na 5ª legislatura (1844 a 1845), e na 6ª legislatura (1846 a 1847).

Foi presidente das províncias do Grão-Pará, nomeado por carta imperial de 1 de março de 1848, de 7 de maio de 1848 a 31 de maio de 1850, e do Rio Grande do Sul, nomeado por carta imperial de 20 de fevereiro de 1856, de 28 de abril de 1856 a 8 de março de 1857.

Em 2 de fevereiro de 1844 foi simultaneamente ministro da Marinha e da Guerra do Brasil, no quarto gabinete ministerial de D. Pedro II. Permaneceu no cargo de ministro da Marinha até 23 de maio de 1844, e no do Exército até 26 de maio de 1845. Voltou a ocupar o cargo de ministro da Guerra em 4 de maio de 1857, no gabinete Pedro de Araújo Lima, ocupando o cargo até 11 de julho de 1858.

Foi conselheiro imperial.

 
Jerônimo Coelho integra a Galeria dos Brasileiros Ilustres vol.1, pg. 341, de 1859, por Sebastião Augusto Sisson

Teve forte atuação no poder executivo e como ministro da Guerra atuou com determinação para estabelecer as condições de paz com os revoltosos farroupilhas. Foi também o fundador da Imprensa Catarinense, quando em 28 de julho de 1831 editou o primeiro jornal na então província de Santa Catarina, O Catharinense. Ainda em 1832 lançaria um segundo jornal, O Expositor. Foi também membro fundador da primeira loja maçônica de Santa Catarina, em Desterro.

Em 1846 demarcou as terras da futura colônia Dona Francisca (atual cidade de Joinville) e parte do território do distrito de Parati (atual cidade de Araquari).

Representação na culturaEditar

É considerado o mais destacado político catarinense do século XIX, de acordo com Oswaldo Rodrigues Cabral. Seu nome é perpetuado, por exemplo, na denominação de uma rua no centro de Florianópolis.

Jerônimo Coelho foi homenageado tendo seu nome colocado em uma escola no município onde nasceu, Laguna, a E.E.B Jerônimo Coelho, fundada em 1912 e mantendo seus exercícios até hoje, sendo inclusive uma das primeiras no país a adotar o sistema de horário integral.

BibliografiaEditar

  • Piazza, Walter: Dicionário Político Catarinense. Florianópolis : Assembleia Legislativa do Estado de Santa Catarina, 1985
  • Carlos Humberto Pederneiras Corrêa: Jerônimo Coelho - Um liberal na formação do II Império. Florianópolis : Insular, 2006

Referências

  1. a b c A., Sisson, S. (1999). «Galeria dos brasileiros ilustres» 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar