João Afonso Teles de Meneses, 1.º conde de Barcelos

Disambig grey.svg Nota: Para outras pessoas com o mesmo nome, veja João Afonso Teles de Meneses (desambiguação).

João Afonso Teles de Meneses (m.  maio de 1304), 4.º senhor de Albuquerque e 1.º conde de Barcelos, foi o filho de Rodrigo Anes de Meneses — filho de João Afonso Telo de Meneses, 2.º senhor de Albuquerque, e de Elvira Gonçalves Girão — e de Teresa Martins de Soverosa, filha de Martim Gil de Soverosa e Inês Fernandes de Castro.[1][2]

João Afonso Teles de Meneses
1.º conde de Barcelos
Sucessor(a) Martim Gil de Riba de Vizela
Cônjuge Teresa Sanches
Descendência
  • Violante Sanches
  • Teresa Martins de Meneses
Casa Teles de Meneses
  Lisboa
Morte maio de 1304
  Lisboa
Pai Rodrigo Anes de Meneses
Mãe Teresa Martins de Soverosa

Foi um rico-homem de Castela. Rebelou-se contra o rei Sancho IV "e deveu a vida a intercessãi da rainha Maria de Molina".[3] Já estava no Portugal na corte do rei D. Dinis em 9 de dezembro de 1295, de quem foi mordomo-mor, confirmando o foral de Moura,[3] e depois muitos documentos como membro da cúria régia. Aparece em 1 de março de 1279 confirmando os forais de Alfaiates e também participou nas negociações do Tratado de Alcanizes em 1297.[3] Em 8 de Maio de 1298, por carta assinada em Santarém, foi feito primeiro conde de Barcelos.[a] Em 1302, foi embaixador do rei D. Dinis em Castela. Fez testamento em Lisboa em 5 de Maio de 1304 e provavelmente morreu pouco depois.[4][5]

Matrimónio e descendênciaEditar

 
Torre da Porta Nova em Barcelos

Casou-se com Teresa Sanches, filha bastarda do rei Sancho IV de Castela,[b] de quem teve:

  • Violante Sanches (m. antes de novembro de 1312), a esposa de Martim Gil de Riba de Vizela, 2.º conde de Barcelos por concessão em 15 de Outubro de 1304,[5][6][7] e alferes-mor do rei D. Dinis,[8] filho de Martim Gil de Riba de Vizela — "herdeiro e representante da família da Maia"[9] e também alferes-mor de Portugal — e de Milia de Castro. Sem geração.

NotasEditar

[a] ^ "...e êste é considerado o primeiro conde português na moderna forma, que não é, ainda assim, a actual, em que o condado, na maior parte dos casos, é constituido pela pessoa do titular. Até ali os condes que existiram, eram temporários e governadores de territórios, que pela sua extensão constituiam condados e a cuyo govêrno era inerente o título; ao passo que êste, o de D. João Afonso, foi vitalicio e com o título recebeu o senhorio. Assim o diz a carta ...e por que o fiz Conde doulhe a minha vila de barcelos com seu termho. que el que a aja en todolos dias de sa vida...Dada em Santarem. oyto dias de Mayo...E. M.CCC.xxvj. anos, ano do nascimento de 1298." [2]
[b] ^ Depois de enviuvar, Teresa Sanches casou-se novamente com o rico-homem Rui Gil de Vilalobos.[12] Foram os pais de uma filha chamada Maria de Vilalobos que foi testamenteira de seu sobrinho, João Afonso de Albuquerque, morto em 1354. Cfr. Fernandes (1972) pp. 1454–1455 e nota 2, p. 1454.

Referências

  1. Sotto Mayor y Pizarro 1997, p. 807–808.
  2. a b Braamcamp Freire 1921, p. 106–107.
  3. a b c Braamcamp Freire 1921, p. 106.
  4. Sotto Mayor y Pizarro 1997, p. 227.
  5. a b c d Braamcamp Freire 1921, p. 107.
  6. Rei 2001, p. 12 de pdf.
  7. Sotto Mayor y Pizarro 1997, p. 109.
  8. Carvalho Correia 2008, p. 228.
  9. Rei 2001, p. 9 de pdf.
  10. Sotto Mayor Pizarro 1997, p. 109, 184 e 189.
  11. Sotto Mayor Pizarro 1987, p. 229–231.
  12. Braamcamp Freire 1921, p. 107, n. 3.

BibliografiaEditar