José Ruivinho Brazão

escritor português

José Ruivinho Brazão é licenciado em Filologia Clássica pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa e docente no ensino secundário em Português, Latim e Grego.

Mestre em Literatura Portuguesa (especialidade Literatura Portuguesa Medieval), Ruivinho Brazão tem realizado investigação no domínio da literatura tradicional oral popular desde a década de 60, na região do Algarve. Nesta área, tem tido a oportunidade de entrar em contacto com poetas populares algarvios: os repentistas.

Publicou, em 1977, Em Cima do Mar, do poeta pescador Manuel de Brito Pardal, de Quarteira, e, em 1990, Sonhos de Emigrante, de Clementino Domingos Baeta, de Almancil. Meus Versos Quem os Entende, de Martinho Rita Bexiga, foi publicado em 1993.

Desde Janeiro de 2003 é presidente da Associação de Pesquisa e Estudo da Oralidade. Investiu ainda na criação do grupo de poesia e cantares “As Moças Nagragadas” – que veio a integrar-se na Associação de Pesquisa e Estudo da Oralidade e que emerge do esforço de pesquisa, integrando seis mulheres de entre as melhores informantes da oralidade e três homens que as acompanham ao som de banjo, viola e acordeão: o Grupo inclui o típico emigrante brasileiro e veste ao jeito dos anos trinta.

BibliografiaEditar

  • Cancioneiro Tradicional Português, de Nelson Conceição e José Ruivinho Brazão, Editor: Casa das Letras, 2008
  • Os Provérbios Estão Vivos em Portugal, de José Ruivinho Brazão, Editorial Notícias, 2004

FonteEditar

  • CM de Loulé, 28 de Julho, 2003

Artigos relacionadosEditar

  Este artigo sobre um(a) escritor(a) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.