Abrir menu principal

Linha de sucessão presidencial da Câmara dos Deputados do Brasil

Rodrigo Maia, atual presidente da Câmara dos Deputados do Brasil.

A linha de sucessão presidencial da Câmara Federal é uma ordem de sucessão que define quem substitui ou sucede o presidente da Câmara dos Deputados do Brasil, estabelecida pelo regimento interno da Câmara.[1][2]

Em 2016, por conta da decisão liminar do ministro Teori Zavascki, determinando o afastamento do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) da presidência da Câmara dos Deputados e a suspensão provisória de seu mandato, a Casa foi dirigida de interinamente pelo 1º vice-presidente, o deputado Waldir Maranhão (PP-MA).[2]

Segundo o regimento, se nem o presidente da Câmara nem os dois vices puderem ocupar o cargo, o responsável por dirigir a Casa seria o 1º secretário. Ocupando o quarto lugar na linha sucessória, está o 2º secretário, seguido pelo 3ª secretário, sendo seguido ainda pelo 4º secretário. Além disso, a Mesa Diretora ainda disporia de mais quatro suplentes.[2]

Referências

  1. «Mesa Diretora». Câmara dos Deputados. Consultado em 11 de maio de 2016 
  2. a b c «[Lupa] Na linha sucessória de Cunha, só dois não têm ocorrências judiciais». 5 de maio de 2016. Consultado em 26 de agosto de 2016 
  Este artigo sobre política ou um cientista político é um esboço relacionado ao Projeto Ciências Sociais. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.