Mônica Martelli

atriz
Mônica Martelli
Nome completo Mônica Garcia Assis
Nascimento 17 de maio de 1968 (52 anos)
Macaé, RJ
Nacionalidade brasileira
Residência São Paulo, SP
Ocupação atriz
dramaturga
cronista
escritora
diretora
jornalista
apresentadora
Atividade 1989-presente
Cônjuge Jerry Marques (2001-2012)
Filho(s) 1
Página oficial
IMDb: (inglês)

Mônica Garcia Assis (Macaé, 17 de maio de 1968), mais conhecida pelo nome artístico Mônica Martelli, é uma atriz, dramaturga, cronista, escritora, diretora, jornalista e apresentadora brasileira. Conheceu o teatro enquanto fazia faculdade de jornalismo, onde ingressou em um curso e logo foi para a Casa das Artes de Laranjeiras, tendo como seu primeiro trabalho na área a peça "Torturas do Coração", aos 21 anos. A estreia na televisão foi no humorístico Chico Total, onde atuou por dois anos até participar do elenco da telenovela Por Amor.

Em 2005, começou a encenar o espetáculo Os Homens São de Marte...e É pra Lá que Eu Vou, que ganhou grande sucesso, levando a atriz a trabalhar em Portugal. A peça teve uma adaptação cinematográfica homônima nove anos depois, que ganhou o posto de filme nacional mais assistido de 2014, além de ganhar o Grande Prêmio do Cinema Brasileiro de 2015 e uma série de televisão. Também foi a protagonista da série Dilemas de Irene, de um episódio de As Canalhas e é apresentadora do programa Saia Justa, do GNT. A atriz tem uma filha, Julia, nascida em 2009.

Biografia e CarreiraEditar

 
Visão da cidade de Macaé, cidade natal de Mônica Martelli.

Mônica Garcia Assis nasceu no interior fluminense, na cidade de Macaé, em 17 de maio de 1968, em uma família de classe média alta, ligada a política. Filha de Antônio Carlos de Assis, um empresário e vereador, cujo apelido era Capitão, e de Marilena Garcia, uma vereadora. Seus pais se separaram quando a atriz era criança. Mônica tem dois irmãos: Guto, o mais velho, e Susana, a caçula, e também um meio-irmão por parte de pai, mais novo, chamado Antônio Sérgio, fruto do segundo casamento de seu pai com a dona de casa Gislaine, casamento este que seu pai teve até falecer. [1]

Em busca de melhores oportunidades profissionais, sua mãe mudou-se para o Rio de Janeiro com os três filhos, quando Mônica tinha doze anos de idade. Aos dezoito anos foi aprovada no vestibular para cursar Direito, mas após um ano, interessada em artes cênicas, deixou os estudos universitários e mudou-se sozinha para os Estados Unidos, para fazer cursos de cinema e dramaturgia. [2] Para sustentar-se enquanto estudava, Mônica trabalhou durante dois anos como maquiadora. [3] Voltou para o Brasil aos 20 anos, e sem ter conseguido muitas oportunidades na área artística, foi aprovada em outro vestibular e começou a cursar Jornalismo, curso este no qual formou-se, mas nunca exerceu a profissão. Durante o período da faculdade, voltou a interessar-se por artes cênicas, e decidiu iniciar um curso profissionalizante de teatro, ingressando, então, na Casa das Artes de Laranjeiras, conseguindo tirar sua carteira profissional de atriz após um ano. A primeira peça em que interpretou foi Torturas do Coração, de Ariano Suassuna, aos 21 anos. [4]

Após passar seis anos trabalhando como atriz de teatro, em pequenas peças amadoras, decidiu que queria trabalhar na TV, e assim, fez um teste para a Rede Globo, tendo sido aprovada. Sua estreia na televisão foi em 1995 no programa humorístico Chico Total. Foi no programa que o comediante Chico Anysio a convenceu a adotar outro nome, pois Mônica Garcia soava como um cacófato.[5] Mônica buscou em sua árvore familiar, e achou Martelli, o sobrenome de solteira de uma tataravó paterna, que era italiana, e então sugeriu este à Chico, que aprovou, e a atriz passou a usar o nome artístico Mônica Martelli. [4] Logo depois participou de Por Amor, como Paula, uma secretária que vive sendo assediada por seu patrão Arnaldo (Carlos Eduardo Dolabella).[6] A atriz seguiu fazendo várias participações na televisão. Como a própria descreveu para a Revista Status, "alguma coisa não acontecia". Foi então que teve a ideia de fazer o próprio espetáculo. Em 2005, Martelli estreou este espetáculo, que começou numa sala para 100 pessoas e foi adquirindo grande sucesso.[7] O sucesso da peça fez com que ela participasse dos longas Trair e Coçar É Só Começar, O Gatão de Meia-Idade e Só por Hoje.[8] Antes da peça, Monica já havia atuado em varias outras, tais como, Torturas de um Coração, Bonitinha, mas Ordinária, Cabaré Valentim, A Alma Quando Sonha é Teatro, A Ira de Aquiles, Odisséia, Os Saltimbancos, É Show, Guerreiras do Amor, Atacado e Varejo, Aurora – O Crepúsculo dos Gêmeos.[9]

Depois de algum tempo trabalhando na peça "Os Homens São de Marte... e É para Lá Que Eu Vou", Mônica foi convidada pelo diretor Rogério Gomes para a telenovela Beleza Pura, em 2008. Nela, a atriz interpretava Helena, que é obrigada a se disfarçar do marido Mateus (Rodrigo Veronese), para conseguir um bom emprego para custear o tratamento do filho.[8] Meses depois fez uma participação na série Casos e Acasos como Valéria.[10] Em novembro do mesmo ano, a atriz estreou como protagonista da série Dilemas de Irene, que narra dilemas da mulher moderna.[11] Em 2009, a atriz deu Julia Marques à luz, fruto de seu casamento com o produtor musical Jerry Marques.[7][12]

Seu retorno à televisão se deu à segunda versão da telenovela Ti Ti Ti (2010) como Dorinha, uma ex-modelo avarenta que tem sua fortuna (roubada do ex-marido) roubada pelo namorado e tem de trabalhar como tutora das modelos iniciantes.[13] Em agosto do ano seguinte a atriz volta com a série Dilemas de Irene.[14] Mônica estreou como apresentadora no programa Saia Justa, na temporada de 2013, tendo início no dia 6 de março.[15] Também foi a protagonista de um dos episódios da série As Canalhas, vivendo Amélia, produtora de elenco que tem um caso com um garoto, sem saber que ele é o namorado de sua filha.[16]

Depois de nove anos em cartaz com sua aclamada peça, a atriz protagonizou uma adaptação cinematográfica. Os Homens São de Marte... E É Pra Lá que Eu Vou estreou em 29 de março de 2014 nos cinemas brasileiros, dirigido por Marcus Baldini e produzida pela Biônica Filmes.[17][18] A comédia atraiu grandemente o público conseguindo mais de 370 mil espectadores em sua primeira semana.[19] No segundo semestre do ano, o filme ocupou o posto de filme nacional mais assistido de 2014, levando 1,76 milhão de pessoas ao cinema e faturado 21,4 milhões de reais, superando o também lançado S.O.S. Mulheres ao Mar.[20], e venceu na categoria "Melhor Longa-metragem de Comédia" no 14.° Grande Prêmio do Cinema Brasileiro.[21] Além de continuar nos teatros e cinemas, Os Homens São de Marte... E É Pra Lá que Eu Vou também ganhou uma adaptação televisiva. A série teve estreia em 25 de setembro de 2014 pelo GNT.[22][23][24][25] Em 1 de outubro de 2015 estreou uma segunda temporada.[26]

Mônica tem crônicas publicadas nas revistas Criativa e Época e já escreveu para outras, como a Vogue. A peça "Os Homens São de Marte... e é Para Lá Que Vou" já foi encenada em Portugal.[4] Mônica já foi indicada ao Prêmio Shell na categoria "Melhor Atriz" e ao Prêmio Contigo na categoria "Melhor Autora". Conquistou o Prêmio Qualidade Brasil como "Melhor Atriz" e "Melhor Peça".[10]

Em junho de 2017, estreou no rádio apresentando as terças o programa Papo de Almoço, na Rádio Globo. Porém, devido a incapacidade de horários, ela deixou a atração em 25 de julho.

Vida PessoalEditar

Em 1998 iniciou um namoro com o produtor musical Jerry Marques. Em 2001 foram morar juntos. Engravidou sem planejar, mas sofreu um aborto espontâneo aos dois meses de gestação. Muito abalada, a atriz, então, planejou ter um filho, e três meses depois engravidou, mas sofreu outro aborto, com um mês de gravidez. Mônica e Jerry oficializaram a união conjugal em 2002, no civil e religioso, e dias depois descobriu uma nova gestação, mas mas sofreu seu terceiro aborto espontâneo, aos quatro meses de gestação. Sua irmã era sua obstetra e ultrassonografista, tendo que lhe dar essa triste notícia. Em entrevistas revelou que a partir desse momento, havia desistido da maternidade, por estar muito frustrada e deprimida, tanto com sua vida pessoal, quanto com sua carreira, que não ia para frente, como ela gostaria. Nessa época decidiu que não só mais iria interpretar, mas produzir peças de teatro, e em 2005 escreveu o maior sucesso de sua carreira: "Os Homens São de Marte... e É para Lá Que Eu Vou", que virou peça de teatro e filme, e foi um sucesso de bilheteria. Em entrevistas revelou que mesmo seu reconhecimento profissional tendo chegado apenas quando completou 36 anos, sempre esteve muito grata e feliz. [27]

Em 2008 decidiu voltar atrás em sua decisão, e voltou a tentar engravidar pela última vez, mas dessa vez fazendo uma fertilização in vitro, com seus próprios óvulos e o espermatozoide de seu marido, que concordou em apoiá-la. Após a primeira tentativa, engravidou. A gravidez evoluiu bem, e em 02 de setembro de 2009 deu à luz sua única filha, Júlia Garcia Marques, nascida de parto cesariana, no Rio de Janeiro. [28] Exatamente um ano antes de ganhar sua filha, a atriz havia perdido seu pai, que faleceu aos 73 anos, vítima de câncer. Ele foi sepultado em Macaé, com a bandeira do Fluminense, seu time do coração. Seu pai deixou quatro filhos e três netos. [29] [30]

Em entrevistas revelou que faz psicoterapia desde os 25 anos de idade, e que durante seu casamento, ela e seu ex-marido faziam terapia de casal. [31] Devido a constantes divergências conjugais, divorciou-se do pai de sua filha em 2012, mantendo um relacionamento amigável com ele. A guarda da menina ficou com Mônica, e seu ex-marido visita a filha aos finais de semana. [32]

Após manter relacionamentos casuais com homens anônimos e famosos, assumiu em 2018 estar em um relacionamento sério com o empresário italiano Fernando Altério, que é dezesseis anos mais velho que a artista. Ele é dono da multinacional Time For Fun, uma produtora de eventos de renome mundial. Desde 2019 a atriz vive em um apartamento em São Paulo junto com sua filha, para estar mais perto de seu atual namorado, que mora na cidade. [33]

FilmografiaEditar

TelevisãoEditar

Ano Título Personagem Nota
1996 Chico Total Vários personagens[5]
1997 Por Amor Paula Medeiros[6]
2001 Os Maias Consuelo[10]
O Clone Selma, amiga de Laurinda[10] Episódio: "19 de dezembro"
2002-2004 Zorra Total Vários personagens[10]
2004 Sob Nova Direção Jessica L'amour[10] Episódio: "Axé do Dengo"
Episódio: "Como Agarrar Um Ex-Marido"
2005 Cilada Diana Episódio: "Motel"
2006 Carga Pesada Diléia[10] Episódio: "Reencontro às Cegas"
Pé na Jaca Elisa[10] Episódios: "1-23 dezembro"
2007 Mandrake Lígia[10] Episódio: "Lígia"
2008 Casos e Acasos Valéria[10] Episódio: "Ele é Ela, Ela é Ele e Ela ou Eu"
Beleza Pura Helena Astragão / Mateus[8]
2008-2011 Dilemas de Irene Irene[11][14]
2010 Ti Ti Ti Dorinha Bacelar[13]
2011 Dança dos Famosos Participante[10] Temporada 8
2013-presente Saia Justa Apresentadora[15]
2013 As Canalhas Amélia[16] Episódio: "Amélia"
2014-presente Os Homens São de Marte... Fernanda Ventura[22][26]
2017 Detetives do Prédio Azul Bruxa Tulipa das Plantas Episódio: "Adeus, Boris!"
2018 Tá no Ar: a TV na TV Ela mesma Episódio: "17 de abril"

CinemaEditar

Ano Título Papel
2006 Trair e Coçar É Só Começar Lígia[8]
O Gatão de Meia-Idade[8]
2007 Só por Hoje[8]
2008 Alucinados[34] Júlia
2013 Minha Mãe É Uma Peça - O Filme Mônica[34]
2014 Os Homens São de Marte... E É Pra Lá que Eu Vou Fernanda[17]
2018 Minha Vida em Marte

RádioEditar

Ano Título Papel
2017 Papo de Almoço Apresentadora

TeatroEditar

Ano Título Personagem
1989-1990 Torturas do Coração[4] Ana
1992 A Ira de Aquiles Homem
2002 Boeing Boeing Judith[35]
2003-2004 Aurora - O Crepúsculo dos Gêmeos Cortesã[36]
2005-2016 Os Homens São de Marte... e É pra Lá que Eu Vou Fernanda[37][38]
2017-presente Minha Vida em Marte

Prêmios e indicaçõesEditar

Ano Prêmio Categoria Trabalho Resultado Ref
2005 Prêmio Shell Melhor Atriz Os Homens São de Marte...e É pra Lá que Eu Vou Indicado [10]
2006 Prêmio Qualidade Brasil Melhor Atriz Venceu [10]
Melhor Peça Venceu [10]
2007 Prêmio Contigo! de Teatro Melhor Autora Indicado [10]
2017 Prêmio do Humor Melhor Texto Minha Vida em Marte Indicado [39]
Melhor Performance Indicado
2018 Prêmio APTR Melhor Atriz Indicado [40]
Melhor Autora Indicado

Referências

  1. [[1]]
  2. Milani, Robledo (3 de junho de 2014). «Cine Celebridade: Mônica Martelli». Papo de Cinema. Consultado em 25 de setembro de 2016 
  3. Vendrami, André (1 de agosto de 2014). «'Pouca gente sabe, mas eu já fui maquiadora', revela Mônica Martelli». Pure People. Consultado em 25 de setembro de 2016 
  4. a b c d Felipe Muniz Palhano (8 de agosto de 2014). «Mônica Martelli no cinema, teatro, TV e, em breve, em livro». O Estado - Ceará. Consultado em 25 de setembro de 2016 
  5. a b Craveiro, Karina (3 de maio de 2008). «Mônica Martelli diz que se inspira em seus pais». Terra. Consultado em 25 de setembro de 2016 
  6. a b «Por Amor - Galeira de Personagens». Memória Globo. Globo.com. Consultado em 25 de setembro de 2016 
  7. a b França, Pedro Henrique (11 de agosto de 2014). «Mônica Martelli». Revista Status. Consultado em 25 de setembro de 2016 
  8. a b c d e f «Mônica Martelli arrasa em seu primeiro grande papel na TV». M de Mulher. Abril. 29 de outubro de 2014. Consultado em 25 de setembro de 2016 
  9. «Ingresso para a Peça "Os Homens São de Marte... E É Pra Lá que Eu Vou!" dia 15 de Junho no Teatro da Scar com 50% de Desconto». Abuze. Consultado em 24 de janeiro de 2018 
  10. a b c d e f g h i j k l m n o «Mônica Martelli». Montenegro e Raman. Consultado em 25 de setembro de 2016 
  11. a b Luckner, Cristina (21 de novembro de 2008). «Mônica Martelli faz série sobre dilemas femininos». Folha de S.Paulo. UOL. Consultado em 25 de setembro de 2016 
  12. «Mônica Martelli faz 47 anos esbanjando amor à filha, Julia, em fotos.». Pure People. 17 de maio de 2015. Consultado em 25 de setembro de 2016 
  13. a b «Mônica Martelli entra em cena». Gshow. Globo.com. 10 de agosto de 2010. Consultado em 25 de setembro de 2016 
  14. a b Britto, Thaís (31 de julho de 2011). «Mônica Martelli volta como a protagonista de 'Dilemas de Irene' na segunda temporada da série, no GNT». O Globo. Consultado em 25 de setembro de 2016 
  15. a b «Saia Justa 2013 - Ep Estreia Novo Saia Justa». GNT. Globo.com. Consultado em 25 de setembro de 2016 
  16. a b «Mônica Martelli vive uma mãe 'canalha' em série. Confira um trecho». GNT. 9 de julho de 2014. Consultado em 18 de agosto de 2014 
  17. a b «Mônica Martelli fala sobre Os Homens São de Marte… E é Pra Lá que Eu Vou». E!. Consultado em 25 de setembro de 2016 
  18. «Os homens são de marte...e é pra lá que eu vou!». Biônica Filmes. Consultado em 25 de setembro de 2016. Arquivado do original em 27 de setembro de 2016 
  19. «Bilheteria de filme Os Homens São de Marte... E É Pra Lá Que Eu Vou». Adoro Cinema. Consultado em 25 de setembro de 2016 
  20. «'Os Homens São de Marte' é o filme nacional mais visto em 2014». Veja. Abril. 13 de agosto de 2014. Consultado em 25 de setembro de 2016 
  21. «Veja os vencedores do 14º Grande Prêmio do Cinema Brasileiro». G1. Globo.com. 1 de setembro de 2015. Consultado em 25 de setembro de 2016 
  22. a b Mendes, Taiani (25 de julho de 2014). «Sucesso no teatro e no cinema, Os Homens São de Marte... E É Pra Lá Que Eu Vou vira série de TV». Adoro Cinema. Consultado em 25 de setembro de 2016 
  23. «'Homens são de Marte...' confirma Herson Capri e Carmo Dalla Vecchia no elenco». Mais da TV - GNT. 14 de agosto de 2014. Consultado em 18 de agosto de 2014 
  24. Daniel Castro (18 de agosto de 2014). «Nem todo macho é canalha, diz autora de Os Homens São de Marte». UOL. Notícias da TV. Consultado em 18 de agosto de 2014 
  25. Natalia Castro (6 de setembro de 2014). «Mônica Martelli estreia 'Os homens são de Marte...' na TV». O Globo. Revista da TV. Consultado em 25 de setembro de 2014 
  26. a b Furquim, Fernanda (30 de julho de 2015). «Teaser da segunda temporada de 'Os Homens São de Marte e é Para Lá Que Vou', que estreia em outubro». Veja. Abril. Consultado em 25 de setembro de 2016 
  27. [[2]]
  28. [[3]]
  29. [[4]]
  30. [[5]]
  31. [[6]]
  32. [[7]]
  33. [[8]]
  34. a b «Mônica Martelli». Adoro Cinema. Consultado em 25 de setembro de 2016 
  35. «'Boeing Boeing' é comédia despretensiosa - Diário do Grande ABC ..». Diario grande ABC. Consultado em 24 de janeiro de 2018 
  36. «AURORA O CREPÚSCULO DOS GÊMEOS – 2003 - Jaqueline Priston». Jaqueline Priston. Consultado em 24 de janeiro de 2018 
  37. «Os homens são de Marte... e é pra lá que eu vou». Rio Show. O Globo. Consultado em 6 de novembro de 2013 
  38. «Ela não é da Terra». IstoÉ Gente. Terra. Consultado em 25 de setembro de 2016 
  39. «O colunista Ancelmo Gois, do jornal O Globo, divulgou os indicados à 2ª edição do Prêmio do Humor, idealizado por Fabio Porchat». Teatro em Cena. Consultado em 24 de janeiro de 2018 
  40. «Mônica Martelli concorre ao Prêmio APTR pela peça Minha Vida em Marte». Leia Já. Consultado em 19 de julho de 2018 

Ligações externasEditar