Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde setembro de 2015). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Nair Cravo
Nascimento 24 de novembro de 1908
Curitiba
Morte 13 de janeiro de 1988 (79 anos)
Cidadania Brasil

Nair Cravo Westphalen (Curitiba, 24 de novembro de 1908 - 13 de janeiro de 1988) foi uma professora, escritora e médium brasileira.

BiografiaEditar

Nasceu no seio de família espírita.

Desde cedo manifestou dotes para a literatura, de modo que, com 18 anos de idade já publicava crônicas e poesias nos jornais e revistas de sua cidade natal.

Como professora publicou duas obras didáticas: "Cantando os Pinheirais" e "Antologia Escolar Paranaense".

Foi membro das seguintes instituições literárias paranaenses: Academia Feminina de Letras do Paraná, Centro Paranaense Feminino de Cultura, Academia José de Alencar, Instituto Histórico, Geográfico e Etnográfico Paranaense, Sala do Poeta e vários clubes culturais da época.

Como oradora e médium psicofônica, proferiu palestras de divulgação da Doutrina Espírita no país nas cidades de Curitiba, Rio de Janeiro, São Paulo, e no exterior, no Paraguai, no Chile, em Portugal e na África.

Em 1970, após uma excursão à Europa, permaneceu em Lisboa três semanas, ocasião em que fez contato com vários escritores portugueses. Na ocasião ainda vigorava o Estado Novo Português, estando proibido o Espiritismo no país. Sem se intimidar, em 1971, Nair Cravo teve oportunidade de implementar grupos de estudos na cidade da Beira, em Moçambique, e em Luanda, Angola – então possessões portuguesas na África Oriental. Em Portugal proferiu palestras em Santarém e Almeirim.

De volta ao continente africano em 1973, proferiu palestras em Lourenço Marques, na Beira, em Luanda, Novo Redondo, Lobito, Benguela, Nova Lisboa, Santa Comba e Quimbala. De retorno a Portugal visitou Lisboa, Coimbra, Tondela, Arcozelo, Vila Nova de Gaia, Leiria e Pinhal Novo.

Com a democratização de Portugal, em 1978 permaneceu seis meses no país, percorrendo as cidades que fazem fronteira com a Espanha, num total de 19 cidades.

O seu nome denomina uma das vias do bairro Umbará: a rua Nair Cravo Westphalen.

Obra[1]Editar

  • Cantando os Pinheirais
  • Discursos
  • Sem que Eu Soubesse
  • Folhas ao Vento
  • O Pecado dos Outros

Notas

  1. Estante da Autora Paranense in Centro Paranaense Feminino de Cultura. Consultado em 9 Jun 2011.

Ligações externasEditar