Abrir menu principal

Itapetininga

município do estado de São Paulo

Itapetininga é um município brasileiro do estado de São Paulo, na Região Sudeste do país. Pertence à Região Metropolitana de Sorocaba e sua população em 2019 era estimada em 163 901 habitantes. Localiza-se a uma latitude 23º35'30" sul e a uma longitude 48º03'11" oeste, estando a uma altitude de 670 metros.

Município de Itapetininga
"Terra das Escolas"
"Atenas do Sul"
"Itapê"
Visão da Catedral Nossa Senhora dos Prazeres.

Visão da Catedral Nossa Senhora dos Prazeres.
Bandeira de Itapetininga
Brasão de Itapetininga
Bandeira Brasão
Hino
Aniversário 5 de novembro de 1770 (248 anos)
Fundação 13 de março de 1855 (164 anos)[1]
Gentílico itapetiningano[2]
Padroeiro(a) Nossa Senhora dos Prazeres
CEP 18200-001 a 18219-999[3]
Prefeito(a) Simone Marquetto (MDB)
(2017 – 2020)
Localização
Localização de Itapetininga
Localização de Itapetininga em São Paulo
Itapetininga está localizado em: Brasil
Itapetininga
Localização de Itapetininga no Brasil
23° 35' 30" S 48° 03' 11" O23° 35' 30" S 48° 03' 11" O
Unidade federativa São Paulo
Região intermediária

Sorocaba IBGE/2017[4]

Região imediata

Itapetininga IBGE/2017[4]

Região metropolitana Sorocaba
Municípios limítrofes Norte: Guareí e Tatuí;
Sul: Capão Bonito, São Miguel Arcanjo e Pilar do Sul;
Leste: Alambari, Capela do Alto e Sarapuí;
Oeste: Campina do Monte Alegre, Angatuba e Buri
Distância até a capital 171 km
Características geográficas
Área 1 789,350 km² [2]
Área urbana 60,797 km² (BR: 151º) – Embrapa/2015[5]
Distritos Conceição, Gramadinho, Itapetininga (sede), Morro do Alto, Rechã, Tupy e Varginha[6]
População 163 901 hab. (SP: 50º) –  estatísticas IBGE/2019[2]
Densidade 91,6 hab./km²
Altitude 670 m
Clima subtropical úmido Cwa[7]
Fuso horário UTC−3
Indicadores
IDH-M 0,763 (SP: 145°) – alto PNUD/2010[8]
Gini 0,49 PNUD/2010[9]
PIB R$ 4 652 156,91 mil IBGE/2016[10]
PIB per capita R$ 29 339,86 IBGE/2016[10]
Página oficial
Prefeitura www.itapetininga.sp.gov.br
Câmara camaraitapetininga.sp.gov.br

O município é formado pela sede e pelos distritos de Conceição, Gramadinho, Morro do Alto, Rechan, Tupy e Varginha.

A cidade é sede da Região de Governo de Itapetininga, composta por mais doze municípios: Alambari, Angatuba, Boituva, Campina do Monte Alegre, Capela do Alto, Cerquilho, Cesário Lange, Guareí, Quadra, São Miguel Arcanjo, Sarapuí e Tatuí, que possuem, juntos, mais de 520 mil habitantes.

EtimologiaEditar

O vocábulo Itapetininga tem sua origem na língua tupi antiga. Os estudos filológicos referentes ao nome dado a Itapetininga concluem que pode, o mesmo, ter três significados diferentes: Itáapé-tininga = caminho das pedras secas ou caminho seco das pedras; Itape-tininga = pedra chata, laje ou lajeado seco; Itá-pe-tininga = na pedra seca. A tradução mais correta, porém, na opinião dos filologistas que pesquisaram o vocábulo, é "laje seca ou enxuta", sendo Itapetininga uma contração de itapeba (pedra chata, rasa ou plana) e tininga (seco, seca ou enxuta).[11][12]

HistóriaEditar

 
Museu Histórico.

A exemplo de muitos municípios do interior de São Paulo, Itapetininga também se desenvolveu na esteira do tropeirismo. O local foi ponto de descanso dos tropeiros, que montavam ranchos e arraiais para o pouso, antes de seguirem em direção ao Sul. O primeiro núcleo de tropeiros na região de Itapetininga surgiu em 1724, quando descobriu-se que o pasto no local era abundante e a terra fértil para o plantio. A estes fatores, somou-se a distância da Vila de Sorocaba - 12 léguas - que correspondia a uma jornada de tropa solta.

 
Monumento ao tropeiro

Em 1766, um grupo de portugueses, chefiado por Domingos José Vieira, deixou o primeiro núcleo (hoje, bairro do Porto) e formou outro, em um local alto e circundado por dois ribeirões, precisamente onde se localiza a catedral, local onde construíram a primeira capela de Nossa Senhora dos Prazeres.

O antigo núcleo foi ocupado por Paschoal Leite de Moraes, que, vindo do Paraná com sua família, deu continuidade àquele núcleo populacional.

Nessa época, houve uma disputa entre os dois núcleos que queriam ser elevados à condição de vila.

Resultado: em 17 de abril de 1770, Simão Barbosa Franco foi nomeado para fundar a administrar o novo povoado, cabendo, a ele, a escolha do núcleo principal.

Historiadores contam que uma mula ruana marchadeira, ofertada como presente a Simão Barbosa Franco, garantiu a vitória de Domingos José Vieira.

A vila de Nossa Senhora dos Prazeres de Itapetininga foi oficialmente criada no dia 5 de novembro de 1770, quando foi celebrada uma missa solene pelo vigário da nova paróquia, padre Inácio de Araújo Ferreira. É nessa data que convencionou-se comemorar o aniversário do município.

Além de Simão Barbosa Franco e Domingos José Vieira, o ituano Salvador de Oliveira Leme - o Sarutayá - se inclui entre os fundadores históricos do município, já que foi o terceiro capitão-mor de Itapetininga (o primeiro foi Simão Barbosa Franco e o segundo foi Domingos José Vieira). Inclui-se, entre os responsáveis pela elevação de Itapetininga à categoria de vila, o português Manuel José Braga, que já morava na cidade antes de todos e que foi o responsável pela carta enviada ao capitão da vila de Sorocaba pedindo a construção da igreja.

A Vila de Itapetininga foi elevada à categoria de cidade em 1852, através da Lei nº 11, de 17 de julho de 1852. A lei concedia autonomia judiciária, criando a comarca de Itapetininga. A vila, porém, só tornou-se município, de fato, em 13 de março de 1855, com o nome de Itapetininga.

A Santa Padroeira de Itapetininga é Nossa Senhora dos Prazeres.

GeografiaEditar

Em área, é o 3º maior município do estado de São Paulo.[13] Está localizado ao sul da região sudoeste do estado, na bacia do Alto Paranapanema.

 
Itapetininga e municípios limítrofes

LocalizaçãoEditar

Itapetininga está localizada no sul da região sudoeste do estado de São Paulo a 171 km da cidade de São Paulo e 184 km da fronteira com o estado do Paraná.

VegetaçãoEditar

Itapetininga está entre os municípios mais arborizados do Brasil, sua área urbana é cheia de parques e bosques que se misturam em meio às casas e apartamentos.

A vegetação é formada predominante por campos limpos e plantas típicas do Cerrado, com presença de Mata Atlântica e inexistência de serras.[14]

TopografiaEditar

Caracterizada por pequenas ondulações e extensas várzeas.[15]

Solo: glacial (85%) e Corumbataí (15%). Predominam os latossolos vermelhos escuros distróficos, os latossolos amarelos, os solos hidromórficos e os solos litólicos.[16]

ClimaEditar

Subtropical, úmido,[7] sujeito a ventos sul e sudoeste, com temperatura média anual de 19,0°C e geadas fracas. Porém, ocasionalmente, quando da incursão de massas polares fortes, a cidade pode registrar temperaturas negativas e geadas fortes e generalizadas, como ocorreu em 13 de junho de 2016, quando a temperatura baixou a -3,1 ºC, segundo a estação medidora do CIIAGRO (Centro Integrado de Informações Agrometeorológicas) instalada na cidade. O acontecimento foi inclusive noticiado por reportagem da TV TEM Itapetininga. No verão a temperatura varia entre 20°C a 34°C, porém com influências climáticas, como massas de ar quente e úmida a temperatura pode alcançar a marca dos 40°C. [3][17]

 
Forte geada no Bairro da Chapadinha em 13/06/2016.

HidrografiaEditar

Itapetininga está localizada na bacia do Alto Paranapanema, região sudoeste do estado de São Paulo. Além disso, está sobre o Aquífero Guarani, maior reserva subterrânea de água potável do planeta.

O principal rio do município é o Rio Itapetininga, que nasce nas proximidades de Araçoiaba da Serra, corre na direção leste-oeste e é afluente do Rio Paranapanema, percorrendo 78,5 quilômetros dentro do município.

Existem outros rios que merecem destaque, sendo eles: Rio Turvo, Rio Tatuí e Rio Sarapuí. Outros como o Rio Capivari, Rio Alambari, Rio Agudo, além de Ribeirão dos Macacos, Ribeirão do Pinhal, Ribeirão Grande e Ribeirão da Estiva, também cruzam diversos pontos do território municipal.[18]

DemografiaEditar

Crescimento populacional
Censo Pop.
198084 087
1991104 74524,6%
2000125 31419,6%
2010144 37715,2%
Dados do Censo - 2010

População total: 144 377

População estimada IBGE 2018: 162.231

EtniasEditar

Cor/Raça Porcentagem
Branca 77,55%
Negra 2,64%
Parda 18,49%
Amarela 1,21%
Indígena 0,16%

Fonte: Censo Demográfico 2010[19]

InfraestruturaEditar

EducaçãoEditar

Ensino Superior
Privado
Público

Ensino Técnico

Privado

Público

TransportesEditar

Rodovias
 
Itapetininga é sede da segunda divisão regional do Departamento de Estradas de Rodagem do estado de São Paulo.
 
O Grupo CCR administra a SP-127

A cidade de Itapetininga é sede do Departamento de Estradas e Rodagens, sendo a 2ª Divisão Regional. É responsável principalmente por gerir a Rodovia Raposo Tavares, do km 168,7 até o km 381,7. O trecho da SP-127 e da SP-270 (sentido Sorocaba) é administrado pela CCR/SPVias.

É sede também da 2ª Cia. da Polícia Rodoviária do Estado de São Paulo do 5º BPRv.

SaúdeEditar

Itapetininga conta com os seguintes centros de saúde;

Unidades de Saúde 21°

  • UBS - Genefredo Monteiro
  • UBS - Jardim Mesquita
  • Pronto Atendimento - Jardim Mesquita (22h)
  • UBS - Rio Branco
  • Pronto Atendimento - Rio Branco (22h)
  • UBS - Nova Itapetininga
  • UBS - Belo Horizonte
  • UBS - Rechã
  • PAS - Bela Vista
  • USF - Vila Arruda
  • USF - Taboãozinho
  • USF - Chapadinha
  • USF - Monte Santo
  • USF - Jardim Fogaça
  • USF - Vila Santana
  • USF - Vila Mazzei
  • USF - Tupy
  • USF - Gramadinho
  • USF - Varginha
  • USF - Morro do Alto
  • USF - Capão Alto

Unidades de Saúde com UTI 01°

  • UPA - Central Parque 4-L

Unidades de Saúde Especializadas 01°

  • AME - Ambulatório Médico de Especialidades

Hospitais com UTI 02°

  • Hospital - Dr. Léo Orsi Bernardes (público)
  • Hospital Unimed - Dr. José Silva Dantas Filho (particular)

ComunicaçõesEditar

A cidade era atendida pela Companhia Telefônica Brasileira (CTB), que construiu em 1970 a central telefônica utilizada até os dias atuais. Em 1973[20] passou a ser atendida pela Telecomunicações de São Paulo (TELESP), que em 1998 foi privatizada e vendida para a Telefônica[21], sendo que em 2012 a empresa adotou a marca Vivo[22] para suas operações de telefonia fixa.

Emissoras de rádio:Editar

- Rádio Super Difusora FM 94,5

- Rádio Gospel FM 101,5

- Rádio Clube AM 900

EconomiaEditar

A área que mais emprega em Itapetininga é o comércio a cidade conta com grandes redes de lojas de departamentos e hipermercados como Extra Hipermercados, Lojas Americanas, Marisa, Lojas Cem entre outras. Além disso a cidade conta com um shopping center (Itapetininga Shopping Center) que gera emprego a centenas de pessoas além de atrair visitantes de vários outros municípios

Também possui uma economia fortemente voltada à agricultura, possuindo o maior produto interno bruto agrícola do estado de São Paulo. Porém, Itapetininga conta com algumas indústrias de expressão nacional e de grande porte, como 3M, Baterias Moura, Duratex e Castrolanda. É considerada um grande polo moveleiro e têxtil do Sudoeste Paulista, tendo destaque, nestes segmentos, as indústrias Nisshinbo do Brasil e MGA.

 
Escola Peixoto Gomide

A agropecuária é de grande importância no Sudoeste Paulista. Os principais produtos cultivados são: grama, batata, hortifrutícolas e cana-de-açúcar para a fabricação de álcool. A produção de lenha e madeira em tora de florestas cultivadas (silvicultura) e a resinagem de espécies florestais do gênero Pinus também se mostram importantes atividades no município, tendo, como destaque, a empresa Resinas Brasil.

Dentre as várias feiras espalhadas pela cidade ao longo da semana, há uma feira itinerante que funciona aos domingos na praça da Escola Peixoto Gomide, na Avenida Peixoto Gomide, com verduras, hortaliças, galinhas, queijos, pastéis, doces, mel e outros produtos locais sempre bastante frescos, de qualidade e boa procedência.

É o 2º maior município da região sul do estado de São Paulo, atrás apenas de Sorocaba, sendo considerado um grande centro urbano para moradores de toda a região.

A cidade está em constante verticalização com edifícios surgindo a todo momento. Em 2017 foi considerado o município com maior número de condomínios residenciais aprovados a venda na região, perdendo apenas para o município de Sorocaba. Como é o terceiro maior do estado em extensão territorial, tem muito espaço para se ampliar horizontal e verticalmente.

A cidade é a terra do bolinho de frango, comida típica da região. O salgado é vendido nas feiras, lanchonetes, bares e até mesmo por ambulantes.

Clubes de serviços e associaçõesEditar

  • Rotary Club de Itapetininga: fundado em 16 de abril de 1952, tendo, como padrinho, o Rotary Club de São Roque, o qual está sob administração do Distrito 4 620 do Rotary Internacional desde Mairinque até Ourinhos, passando pelos municípios de Sorocaba, Avaré e Itapeva. O mesmo mantém diversos projetos sociais. Diversas promoções ajudam inúmeras entidades do município, como a Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (APAE), Asilo São Vicente de Paula, e ajudaram a construir uma creche do Rotary, cuja manutenção é feita em parceria com a Prefeitura Municipal. Participaram vários anos da Campanha da Vacinação Pólio Plus, Oftalmológicas, das Drogas e AIDS. Desenvolveram projetos nas áreas de Saúde, Educação, Profissionalizantes e Ecológicas. O Rotary tem participação na curadoria da FKB (Fundação Karnig Bazarian) e na Curadoria da FEPAS (Formação de Ensino Profissionalizante).
  • Lions Club de Itapetininga
  • Grupo Escoteiro Ibiraci

Festas TradicionaisEditar

  • Festa De Nossa Senhora Aparecida (Bairro Pinheiro Alto)
  • Festa De Nossa Senhora Aparecida (Horto Religioso)
  • Festa De São Cosme E Damião (Bairro Biscoito Duro)
  • ExpoAgro (Recinto Acácio de Moraes Terra)
  • Festa Da Costela De Chão (Bairro Gramadinho)
  • Festa Do Divino Espirito Santo ( Bairro Varginha)
  • Festa Da Santa Cruz (Bairro Varginha)
  • Festival De Moda De Viola (Bairro Varginha)
  • Festa do Purim (Igreja do Evangelho Quadrangular)
  • Marcha para JESUS
  • Festa do Milho (Igreja do Evangelho Quadrangular)
  • Cavalgadas
  • Festa do Milho (Paróquia São Roque)
  • Festival do Boteco (Centro)
  • Festa do Divino (Catedral Nossa Senhora dos Prazeres)

AdministraçãoEditar

Anexo:Lista de Prefeitos de Itapetininga

Ver tambémEditar

Referências

  1. Enciclopédia dos Municípios Brasileiros (2007). «Itapetininga - Histórico» (PDF). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Consultado em 27 de janeiro de 2019. Cópia arquivada (PDF) em 27 de janeiro de 2019 
  2. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). «Itapetininga». Consultado em 27 de janeiro de 2019. Cópia arquivada em 2 de setembro de 2019 
  3. Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. «Busca Faixa CEP». Consultado em 4 de agosto de 2015 
  4. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de agosto de 2017 
  5. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa). «Áreas Urbanas no Brasil em 2015». Consultado em 27 de janeiro de 2019 
  6. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (9 de setembro de 2013). «Itapetininga - Unidades territoriais do nível Distrito». Consultado em 27 de janeiro de 2019. Cópia arquivada em 27 de janeiro de 2019 
  7. a b Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas à Agricultura (CEPAGRI). «Clima dos municípios paulistas». Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Consultado em 16 de dezembro de 2008. Cópia arquivada em 31 de julho de 2013 
  8. Atlas do Desenvolvimento Humano (29 de julho de 2013). «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 2 de outubro de 2013. Cópia arquivada (PDF) em 8 de julho de 2014 
  9. Atlas do Desenvolvimento Humano (2013). «Perfil - Itapetininga, SP». Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD). Consultado em 27 de janeiro de 2019. Cópia arquivada em 27 de janeiro de 2019 
  10. a b Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2016). «Produto Interno Bruto dos Municípios - 2016». Consultado em 27 de janeiro de 2019. Cópia arquivada em 27 de janeiro de 2019 
  11. «Cópia arquivada». Consultado em 3 de janeiro de 2013. Arquivado do original em 17 de janeiro de 2013 
  12. NAVARRO, E. A. Dicionário de tupi antigo: a língua indígena clássica do Brasil. São Paulo. Global. 2013. p. 574.
  13. ftp://geoftp.ibge.gov.br/documentos/cartografia/areaterritorial/pdf/areas_2001_35.pdf[ligação inativa]
  14. «Cópia arquivada». Consultado em 3 de janeiro de 2013. Arquivado do original em 22 de fevereiro de 2014 
  15. [1]
  16. [2]
  17. «Cópia arquivada». Consultado em 3 de janeiro de 2013. Arquivado do original em 22 de fevereiro de 2014 
  18. «Cópia arquivada». Consultado em 3 de janeiro de 2013. Arquivado do original em 22 de fevereiro de 2014 
  19. http://www.sidra.ibge.gov.br/bda/tabela/protabl.asp?c=2093&i=P&nome=on&qtu8=137&qtu14=3&notarodape=on&tab=2093&opn8=0&opn14=0&unit=0&pov=1&poc2=1&opc1=1&OpcTipoNivt=1&opn1=0&nivt=0&orc86=3&poc1=1&sec58=0&orp=7&qtu3=27&qtu13=47&opv=1&poc86=2&opc2=1&sec1=0&pop=1&opn2=0&opn15=0&orv=2&orc2=4&opc58=1&qtu2=5&qtu15=4&sev=1000093&opc86=2&sec2=0&opp=1&opn3=0&qtu6=5565&opn13=0&sec86=0&ascendente=on&sep=36961&orn=1&qtu7=36&orc1=5&poc58=1&qtu1=1&opn9=0&cabec=on&orc58=6&opn7=0&decm=99&pon=1&qtu9=558&opn6=3&digt6=Itapetininga&OpcCara=44&proc=1
  20. «Relação do patrimônio da CTB incorporado pela Telesp» (PDF). Diário Oficial do Estado de São Paulo 
  21. «Nossa História». Telefônica / VIVO 
  22. GASPARIN, Gabriela (12 de abril de 2012). «Telefônica conclui troca da marca por Vivo». G1 

Ligações externasEditar