Abrir menu principal
National Women's Soccer League
NWSL
NWSL Logotipo.jpg
Dados gerais
Organização Federação de Futebol dos Estados Unidos
Edições 5
Local de disputa  Estados Unidos
Número de equipes 9
Sistema Liga e Playoffs
editar

A National Women's Soccer League (em português: Liga Nacional de Futebol Feminino) é uma liga profissional de futebol feminino dos Estados Unidos. Organizada pela Federação de Futebol dos Estados Unidos é considerada a principal e mais importante liga de futebol feminino do país. A NWSL foi criada em 2012 como uma sucessora da Women's Professional Soccer (WPS) (2007-2012), que foi ela própria sucessora da Women's United Soccer Association (WUSA) (2001-2003), a primeira liga de futebol feminino criada no país em 2001. [1] A liga começou seus jogos em 2013 com oito times, quatro dos quais eram ex-membros da Women's Professional Soccer.[2] Com a adição de mais dois times em Houston e Orlando e com a saída do Boston Breakers, a liga conta hoje com um total de nove times.[3]

Desde sua temporada inaugural em 2013, três times diferentes foram campeões da liga e três foram campeões da temporada regular. O mais recente campeão da temporada regular foi o North Carolina Courage, que se realocou para Cary, Carolina do Norte de Nova Iorque, onde o time se chamava Western New York Flash. O atual campeão da liga é o Portland Thorns FC que conseguiu seu segundo título, após ser campeão na temporada inaugural.

Índice

Formato da competiçãoEditar

A temporada da NWSL ocorre de abril à setembro, onde cada time joga 24 partidas, sendo 12 em casa e 12 fora.[4] Ao final da chamada "temporada regular", o time com o maior número de pontos é reconhecido com o título da temporada regular. Os quatro clubes com mais pontos se classificam para os playoffs da NSWL, que consistem em duas semifinais de jogos únicos em mata-mata (o 1º enfrenta o 4º; o 2º enfrenta o 3º), com o ganhador de cada semifinal indo para a decisão do torneio em uma final na casa do time com mais pontos na temporada regular.[5]

HistóriaEditar

FundaçãoEditar

Depois que a Women's Professional Soccer (WPS) cessou suas atividades em abril de 2012, a Federação de Futebol dos Estados Unidos (USSF) anunciou uma mesa apara discutir o futuro do futebol feminino profissional nos Estados Unidos. A reunião, que contou com a presença de representantes da USSF, dos times da WPS, da W-League (que acabou também deixando de existir em 2015) e da Women's Premier Soccer League (WPSL), aconteceu em junho e resultou no planejamento para o lançamento de uma nova liga em 2013 com 12-16 times, tirados de cada uma das três ligas. Comparado com a WPS, os times teriam um orçamento salarial relativamente baixo de $500,000,[6] valor que depois foi rebaixado ainda mais para $200,000.[7]

Em novembro de 2012, foi anunciado que haveria oito times na nova liga e que a competição seria subsidiada pela USSF, pela Federação Canadense de Futebol (CSA) e pela Federação Mexicana de Futebol (FMF). As três federações pagariam os salários das jogadoras de suas respectivas seleções (24 dos EUA, 16 do Canadá e entre 12 e 16 do México), ajudando assim os times a criarem elencos de alta classe sem que tivessem que ultrapassar seus orçamentos salariais. As jogadoras seriam distribuídas de forma o mais igualitariamente possível entre os oito times em um processo de alocação. A Federação Americana cuidaria da organização do evento e do calendário de partidas.[8]

Em 29 de novembro de 2012, foi anunciado que Cheryl Bailey havia sido nomeada Diretora Executiva da nova liga. Bailey havia sido Diretora Geral da Seleção de Futebol Feminino dos Estados Unidos entre 2007 e 2011, liderando todo o staff de suporte a seleção durante as Copas do Mundo de 2007 e 2011 e durante os Jogos Olímpicos de Verão de 2008. Durante seu tempo como Diretora Geral da seleção americana, ela foi responsável por todas as áreas da administração, incluindo pagamentos, planejamento das viagens do time e relação com a CONCACAF, FIFA e outras federações.[9]

Primeiros anosEditar

O primeiro jogo da NWSL aconteceu em 13 de abril de 2013, quando o Portland Thorns visitou o FC Kansas City, em um jogo que terminou empatado em 1 à 1 e foi assistido por 6,784 no Shawnee Mission District Stadium. A atacante méxico-americana Renae Cuéllar marcou o primeiro gol da história da liga. A temporada de 2013 teve uma média de público de 4,270 pessoas com um pico de 17,619 presentes para assistir a revanche entre Kansas City e Portland em Portland em 4 de agosto.[10][11]

A NWSL se tornou a primeira liga profissional de futebol feminino da história dos Estados Unidos a chegar a nove times com a adição do Houston Dash em 2014. O aparecimento de grupos interessados em ter um time na NWSL continuou, principalmente com times da Major League Soccer (MLS) interessados em também ter um time na NWSL.[12][13] A temporada de 2015, teve um calendário mais enxuto e alguma instabilidade no início da temporada devido a Copa do Mundo de Futebol Feminino de 2015 no Canadá. Contudo, a competição trouxe também mais exposição na mídia para a NWSL, o que causou um aumento significativo no público frequentando os jogos da liga.[13]

Em 2016, a NWSL se tornou também a primeira liga profissional de futebol feminino da história dos Estados Unidos a existir por mais de três temporadas.[14]

Equipes ParticipantesEditar

Equipes atuaisEditar

Nove equipes participam da liga, todas elas baseadas nos Estados Unidos. Cada clube pode ter um mínimo de 18 e um máximo de 20 jogadoras no elenco a qualquer momento na temporada.[15]

Originalmente, cada elenco da liga incluía até três jogadoras da seleção americana, até duas jogadoras da seleção mexicana e até duas jogadoras da seleção canadense.[16] Os times podem também contar com até quatro jogadoras internacionais. As outras vagas no elenco devem ser preenchidas por jogadoras americanas. Os clubes também preenchem seus elencos usando um número de drafts.[15] Após 2017, a Federação Mexicana não aloca mais jogadoras para a NWSL, já que os mexicanos criaram sua própria liga de futebol feminino e o número de jogadoras alocadas e jogadoras internacionais em cada time varia devido a troca de jogadoras entre os times.

National Women's Soccer League
Time Estádio Capacidade Cidade Fundação Entrada na Liga Técnico
Chicago Red Stars Toyota Park 20.000 Bridgeview, Illinois 2006 2013 Dames, RoryRory Dames
Houston Dash BBVA Compass Stadium 7.000[17][n 1] Houston, Texas 2013 2014 Pauw, VeraVera Pauw
North Carolina Courage WakeMed Soccer Park 10.000 Cary, Carolina do Norte 2016 2017 Riley, PaulPaul Riley
Orlando Pride Orlando City Stadium 25.500 Orlando, Florida 2015 2016 Sermanni, TomTom Sermanni
Portland Thorns FC Providence Park 21,144 Portland, Oregon 2012 2013 Parsons, MarkMark Parsons
Seattle Reign FC Memorial Stadium 6.088[n 2] Seattle, Washington 2012 2013 Andonovski, VlatkoVlatko Andonovski
Sky Blue FC Yurcak Field 5.000 Piscataway, Nova Jérsei 2007 2013 Reddy, DeniseDenise Reddy
Utah Royals FC Rio Tinto Stadium 20.213 Sandy, Utah 2017 2018 Harvey, LauraLaura Harvey
Washington Spirit Maryland SoccerPlex 4.000 Boyds, Maryland 2012 2013 Gabarra, JimJim Gabarra
  1. O BBVA Compass Stadium tem uma capacidade um pouco maior que 22,039, mas a capacidade é restrita a 7,000 lugares para os jogos do Dash.
  2. O Memorial Stadium tem uma capacidade de 12,000 lugares , para a capacidade padrão para os jogos do Reign é de 6,088 lugares.

Equipes do passadoEditar

Linha do tempo dos clubes membrosEditar

Utah Royals FCOrlando PrideHouston DashNorth Carolina CourageWestern New York FlashWashington SpiritSky Blue FCSeattle Reign FCPortland Thorns FCChicago Red StarsFC Kansas CityBoston Breakers 

ExpansãoEditar

Logo após seu lançamento, a liga planejava se expandir para dez times até 2014.[22] Candidatos potencias incluiam grupos que não foram selecionados para estar entre os oito times originais; grupos da área de Los Angeles (um esforço conjunto entre Los Angeles Strikers e Pali Blues)[23] e de Hartford, Connecticut[24] tiveram suas propostas oficialmente rejeitadas, assim como uma proposta do Seattle Sounders Women. Houve também a especulação de que o time feminino do Vancouver Whitecaps FC poderia ser um candidato lógico, especialmente devido ao fato de que a Copa do Mundo de Futebol Feminino de 2015 estaria sendo realizada no Canadá. Contudo, em dezembro de 2012, os Whitecaps encerraram as atividades de seu time feminino.

Durante a temporada inicial, rumores indicavam que diversos times da MLS tinham interesse em ter um time na NWSL, incluindo o Toronto FC,[25] o Vancouver Whitecaps FC[26] e o New York Red Bulls.[27] Além disso, uma proposta oficial foi feita pelo Houston Aces, um time feminino da Women's Premier Soccer League.[28] Donos de alguns times da liga davam pistas de que a expansão em 2014 não era uma questão de "se", mas de "quantos".[29][30] Apesar disso tudo, durante os playoffs da primeira temporada foi anunciado que não haveria expansão no número de times para a segunda temporada da NWSL.[27] NY Red Bulls e Sky Blue FC, contudo, anunciaram que estavam em discussão para uma possível cooperação entre as equipes.[31]

Durante o período entre a primeira e a segunda temporada, o Houston Dynamo adicionou seu nome à lista de times da MLS com interesse em ter um time feminino na NWSL, dizendo que esperavam ter um time na temporada de 2014 ou 2015.[32] Ainda em 2013, foi anunciada a formação do Houston Dash que começaria a jogar em 2014.[33] No início de dezembro, a NWSL aprovou o novo time de Houston e confirmou que o time começaria a jogar em 2014, apesar do anuncio anterior de que não haveria expansão para a segunda temporada da liga.[34]

Durante o período entre a segunda e a terceira temporada, as conversas sobre expansão da liga cresceram rapidamente, com três times masculinos (Real Salt Lake da MLS, Indy Eleven da NASL e Pittsburgh Riverhounds SC da USL Pro) e um grupo não identificado de Atlanta, expressando interesse em ter um time na NWSL. Houve também rumores de interesse de três times da Califórnia, contudo nenhuma proposta oficial foi feita. Apesar de todos esses interesses, em abril de 2015, foi anunciado que não haveria novos times na temporada de 2016.

Contudo, depois do sucesso da seleção americana na Copa do Mundo de Futebol Feminino de 2015, o interesse renovado na NWSL fez com que os donos dos times da liga não descartassem um novo time para 2016.[35] O comissário Jeff Plush disse que mais de uma dúzia de grupos interessados haviam contactado a liga nas semanas pós Copa do Mundo. O time da MLS, Orlando City SC, foi um dos primeiros grupos a fazer uma proposta oficial.[36][37][38] Em 20 de outubro de 2015, foi anunciado que Orlando seria sede do décimo time da liga, o Orlando Pride, que começaria a jogar na temporada 2016. Na mesma ocasião, o time anunciou a contratação do ex-técnico da seleção americana, Tom Sermanni como seu primeiro treinador.[39][40]

Em 16 de novembro de 2017, foi anunciado que o Real Salt Lake teria um time feminino na NWSL, começando na temporada 2018. O nome do novo time de Salt Lake City foi logo depois anunciado como sendo Utah Royals FC. A equipe foi anunciada como uma nova franquia da liga, substituindo o FC Kansas City, que deixou de existir. O time de Kansas foi visto como uma vítima não intencional dos problemas que o Sporting Kansas City (que era o principal parceiro do FC Kansas City) vinha enfrentando com seu time reserva, o Swope Park Rangers.[41]

OrganizaçãoEditar

Estádios e público nos jogosEditar

Atualmente, os jogos da NWSL acontecem nove estádios diferentes. O recorde de público em um jogo da liga aconteceu em 23 de abril de 2016 no Camping World Stadium quando 23 403 assistiram ao Orlando Pride derrotar o Houston Dash em um jogo da temporada regular de 2016.[42] Com exceção dessa partida, a maioria dos jogos com maiores públicos na liga têm ocorrido no Providence Park onde o Portland Thorns FC manda seus jogos.

Formação dos elencos e saláriosEditar

A cada temporada, a liga determina um teto salarial que delimita o quanto cada clube pode gastar com jogadoras. Os salários de jogadoras alocadas das seleções dos Estados Unidos, Canadá e (antigamente) México são pagos pelas suas respectivas federações e não por seus clubes na NWSL e portanto não contam no custo total salarial de cada clube.[43]

Jogadoras não alocadas desses países, incluindo jogadoras internacionais (que jogam por outras seleções), também tem limites para o menor e o maior salário que podem receber. Jogadoras alocadas das federações dos Estados Unidos e Canadá estão isentas desses limites. O mesmo se aplicava à jogadoras mexicanas, mas o acordo entre a NWSL e a Federação Mexicana terminou quando os mexicanos criaram sua própria liga de futebol feminino em 2017.[15][44][45]

Ano Teto salarial Limites salariais para jogadoras não-alocadas
Mínimo Máximo
2013 $200,000 $6,000 $30,000
2014 $265,000 $6,842 $37,800
2015
2016 $278,000 $7,200 $39,700
2017 $315,000 $15,000 $41,700
2018 $350,000 $15,750 $44,000
Todos os valores estão em dólar

Associação de jogadorasEditar

Em 15 de maio de 2017, jogadoras não-alocadas ativas, incluindo jogadoras amadoras que não recebem sálarios, anunciaram a formação de uma associação de jogadoras, como um primeiro passo para a eventual formação de um sindicato. Apenas jogadoras não-alocadas podem ser membras da associação, já que jogadoras alocadas já são membras de organizações laborais ligadas às suas respectivas federações nacionais e, portanto, negociam seus contratos, incluindo os seus sálarios na NWSL, diretamente com essas federações e não com a liga e seus clubes.[46][47][48] A associação é liderada pela advogada e ex-goleira profissional, Meghann Burke. Burke foi também umas das organizadoras do sindicato das jogadoras da WPS, a liga profissional de futebol feminino que deixou de existir em 2012.[49]

Campeões da ligaEditar

Em cinco temporadas, três clubes já foram coroados campeões da NWSL e quatro clubes já foram vencedores da temporada regular, o chamado "NWSL Shield".

Vencedores das temporadas da NWSL
Season Campeões da NWSL
Vencedores dos Play-offs
NWSL Shield
Vencedores da Temporada Regular
2013 Portland Thorns FC Western New York Flash
2014 FC Kansas City Seattle Reign FC
2015 FC Kansas City Seattle Reign FC
2016 Western New York Flash Portland Thorns FC
2017 Portland Thorns FC North Carolina Courage
2018 North Carolina Courage North Carolina Courage

TransmissãoEditar

De 2013 à 2016, a maioria dos jogos da NWSL eram disponibilizados para serem assistidos atráves do Youtube ou atráves dos websites de cada equipe da liga. Dos oito times da liga em sua temporada inaugural, apenas o Boston Breakers cobrava alguma taxa para que os espectadores tivessem acesso a transmissão de seus jogos.[50]

2013Editar

Em 18 de abril de 2013, a NWSL assinou um contrato de um ano com a Fox Sports que dava a emissora o direito de transmissão televisiva de seis jogos da temporada regular, da semi finais e do jogo da final. Todos os jogos foram transmitidos pela Fox Sports 2.[51]

2014Editar

Em 28 de maio de 2014, a NWSL assinou um contrato de um ano com a ESPN para a transmissão de nove jogos da segunda temporada da liga. Os jogos incluídos no acordo eram três partidas da temporada regular e três partidas dos play offs que foram ao ar pela ESPN2, além de três jogos da temporada regular transmitidos via streaming na ESPN3.[52]

2015-2016Editar

Em 30 de junho de 2015, a NWSL assinou outro acordo de um ano com a Fox Sports, dessa vez para a transmissão de 10 jogos da liga. Três partidas da temporada regular e outras três dos play offs foram transmitidas pela FS1, enquanto outras quatro partidas foram transmitidas via streaming pelo Fox Sports Go.[53] O acordo foi estendido por mais um ano cobrindo também a temporada de 2016 da NWSL, onde três jogos da temporada regular e três dos play offs foram transmitidos pela FS1.[54]

2017-2019Editar

Em 2 de fevereiro de 2017, a NWSL anunciou um acordo de três anos com a A&E Networks, permitindo que o canal Lifetime transmitisse 22 jogos da temporada regular e três dos play offs. Os jogos eram transmitidos todos os sábados a tarde em um programa chamado "Jogo da Semana da NWSL". Essa foi a primeira vez em toda sua história que a NWSL teve seus jogos transmitidos semanalmente durante toda a temporada. Como parte do acordo as jogadoras usavam o símbolo da emissora na manga de seus uniformes. Também como parte do acordo a A&E Networks comprou 25% de participação acionária na NWSL, o que garantiu a emissora dois assentos no conselho administrativo da liga. A emissora e a NWSL também criaram um empresa em conjunto, chamada "NWSL Media", a empresa tem como principal função cuidar dos direitos de transmissão e marketing da liga. O acordo marcou a primeira vez que a Lifetime transmitiu esporte desde o final dos anos 1990 e ínicio dos anos 2000, quando a emissora transmitia jogos da WNBA.[55][56][57][58][59] A Lifetime também transmite o "Jogo da Semana" atráves de seu website para o público americano e através do site da NWSL e de seu App para o público fora dos Estados Unidos. Os outros jogos são transmitidos com exclusividade via streaming pelo go90 em solo americano e pelo site da NWSL internacionalmente.[59]

A qualidade da transmissão via streaming da go90 recebeu diversas críticas de jornalistas, espectadores, assim como de jogadoras e membros do staff de diversos times da liga. Eles criticavam a qualidade do serviço, argumentando que o crescimento da NWSL poderia ser prejudicada pela falta de alcance e proeminência do go90 quando comparado ao Youtube.[60][61][62][63] Em 19 de maio de 2017, a liga anunciou que adicionalmente ao go90 os jogos seriam transmitidos no site da NWSL e na app da liga para o público norte-americano até que os problemas técnicos com o go90 fossem resolvidos.[64]

Em 27 de maio, a jogadora do Houston Dash, Rachel Daly desmaiou em campo depois de uma partida em Houston (onde o Índice de calor era de mais de 37 graus Celsius) e foi carregada de maca e hospitalizada com Intermação. Logo depois do incidente, a diretora de operações da liga, Amanda Duffy anunciou que os "Jogos da Semana", muitos deles jogados nas horas mais quentes do dia e em algumas das cidades mais humidas do país como Orlando, Houston e Cary, seriam rearranjados para permitir um intervalo maior para reidatração das atletas. Alguns dos "Jogos da Semana" foram também realocados para outros estádios e foi dada maior flexibilidade aos times que não teriam seus jogos transmitidos para remarcarem as partidas para outros horários com intencão de salvaguardar a saúde das jogadoras. A liga adotou também novos procedimentos para lidar com o calor e para remarcação de jogos.[65][66]

A fim de lidar com a remarcação de jogos em 2018, a Walt Disney Company e a Hearst Communications (donas da A&E Networks) junto com a NWSL realinharam os "Jogos da Semana", adicionando a ESPNEWS (que pertence ao mesmo grupo) que passou a transmitir alguns jogos selecionados. Todos os jogos transmitidos pela rede ESPN tinham horários noturnos (7 ou 10 da noite).

RecordesEditar

As estatísticas abaixo indicam as maiores recordistas em diversos críterios. Os números são relativos à temporadas regulares. Jogadoras em Negrito ainda estão ativas na NWSL.

JogadorasEditar

PremiaçõesEditar

 Ver artigo principal: NWSL awards

Durante toda a temporada, a liga entrega prêmios de "Melhor Jogadora da Semana" e "Melhor Jogadora do Mês" à atletas que são votadas pelos veículos de mídia que cobrem a NWSL. Ao final de cada temporada, a liga entrega seis prêmios especiais para atletas que são votadas pelos donos, técnicos, diretores gerais e jogadoras de cada time, além de representantes da mídia. Esses prêmios são:

  1. Chuteira de Ouro (para a artilheira da temporada)
  2. Revelação do Ano
  3. Goleira do Ano
  4. Defensora do Ano
  5. Técnico do Ano
  6. Melhor Jogadora do Ano (MVP)

Adicionalmente, a liga ainda escolhe uma seleção do ano (NWSL Best XI team) e uma seleção reserva do ano (NWSL Second XI team), que são votadas por jornalistas, oficiais dos clubes e jogadoras.

Comissários da ligaEditar

Name Years
Cheryl Bailey 2012–2014[76]
Jeff Plush 2015–2017[77][78]
Vacant 2017–

A liga tem operado sem um Comissário em tempo integral desde que Jeff Plush pediu demissão em 2 de março de 2017. Amanda Duffy, que foi contratada em dezembro de 2016 para servir como diretora geral de operações da liga, tem servido como rosto público da administração da liga desde a saída de Plush e a posição de Comissário continua vaga.[79]

Ver tambémEditar

Referências

  1. Whiteside, Kelly (21 de novembro de 2012). «Women's pro soccer league to debut in U.S. next year» (em inglês). USA Today. Consultado em 20 de abril de 2015 
  2. Foudy, Julie. «Will NWSL be a success? Well ...». ESPNW. Consultado em 20 de Junho de 2018 
  3. Kassouf, Jeff. «Orlando Pride named 10th NWSL team for 2016». The Equalizer. Consultado em 20 de Junho de 2018 
  4. «Equalizer Soccer – The Lowdown: My thoughts on the 2016 NWSL schedule». Consultado em 8 de setembro de 2016 
  5. «2016 Competition Rules and Regulations | National Womens Soccer League». nwslsoccer.com. Consultado em 8 de setembro de 2016. Arquivado do original em 22 de abril de 2016 
  6. Kassouf, Jeff. «New women's soccer league in the works for 2013 following meeting in Chicago». The Equalizer. Consultado em 20 de Junho de 2018 
  7. Bell, Jack. «Another Attempt at Women's Circuit, but With a Twist». The New York Times. Consultado em 20 de Junho de 2018 
  8. Lauletta, Dan. «Eight teams to start new women's pro soccer league in 2013». The Equalizer. Consultado em 20 de Junho de 2018 
  9. «Cheryl Bailey Named Executive Director of New Women's Soccer League». US Soccer. Consultado em 20 de Junho de 2018 
  10. «FC KANSAS CITY EARN PLAYOFF BERTH WITH 3–2 WIN OVER THORNS FC». NWSL. Consultado em 20 de Junho de 2018 
  11. Jorstad, Keith. «NWSL Attendance Watch: Week 19». The Equalizer. Consultado em 20 de Junho de 2018 
  12. Kassouf, Jeff. «Plush: Six cities interested in NWSL expansion». The Equalizer. Consultado em 20 de Junho de 2018 
  13. a b Moran, Gwen. «Pro women's soccer is having a moment. Here's how to make it last». Fortune. Consultado em 20 de Junho de 2018 
  14. McCauley, Kevin. «NWSL has survived longer than any other women's soccer league. When do players get paid?». SBNation. Consultado em 20 de Junho de 2018 
  15. a b c «Roster Rules». National Women's Soccer League. Consultado em 20 de Junho de 2018 
  16. Hays, Graham. «NWSL allocation easier said than done». ESPNW. Consultado em 20 de Junho de 2018 
  17. «Dynamo welcome NWSL expansion team: Houston Dash». Consultado em 12 de dezembro de 2013 
  18. «NWSL announces Boston Breakers to immediately cease operations». Soccer Wire. Consultado em 20 de Junho de 2018 
  19. McCauley, Kim. «FC Kansas City ceases operations, contracts transferred to Real Salt Lake NWSL team». SBNation. Consultado em 20 de Junho de 2018 
  20. «NORTH CAROLINA FOOTBALL CLUB ENTERS INTO AGREEMENT TO ACQUIRE RIGHTS TO NWSL'S 2016 CHAMPIONS WESTERN NEW YORK FLASH». NC Courage. Consultado em 20 de Junho de 2018 
  21. «Western New York Flash Announce Entry Into United Women's Soccer». Western New York Flash. Consultado em 20 de Junho de 2018 
  22. Giase, Frank. «On Soccer: New women's pro league has backing of U.S. Soccer Federation». The Star-Ledger. Consultado em 23 de Junho de 2018 
  23. Kassouf, Jeff. «Established LA ownership excluded for geography». The Equalizer. Consultado em 23 de Junho de 2018 
  24. Kassouf, Jeff. «Connecticut hopes for expansion bid, again». The Equalizer. Consultado em 23 de Junho de 2018 
  25. Rollins, Duane. «The View from the North: Silence speaking volumes in Toronto?». The Equalizer. Consultado em 23 de Junho de 2018 
  26. Dulhanty, Emily. «The Case for Toronto: National Women's Soccer League Expansion». RedNation Online. Consultado em 23 de Junho de 2018 
  27. a b Murray, Caitlin. «Exclusive: Gulati confirms no NWSL expansion for 2014». Soccer Wire. Consultado em 23 de Junho de 2018 
  28. Coleman, Adam. «Cy Woods girls' soccer coach living dream as pro player». Cyprus Creek Mirror. Consultado em 23 de Junho de 2018 
  29. «arnim whisler on expansion». BigSoccer.com. Consultado em 23 de Junho de 2018 
  30. Giase, Frank. «Giase On Soccer: National Women's Soccer League on solid ground». The Star-Ledger. Consultado em 23 de Junho de 2018 
  31. Bell, Jack. «Sky Blue Looks Beyond N.W.S.L. Playoffs». The New York Times. Consultado em 23 de Junho de 2018 
  32. Lovell, Darrell. «Houston Dynamo looking into becoming second MLS team to own professional women's club». Houston Dynamo. Consultado em 23 de Junho de 2018 
  33. «Houston Dynamo launch Houston Dash as expansion member of National Women's Soccer League». Houston Dynamo. Consultado em 23 de Junho de 2018 
  34. Goff, Steve. «The Washington Post Democracy Dies in Darkness Sections Try 1 month for $1 Sign In Accessibility for screenreader Soccer Insider NWSL expanding to Houston in 2014». The Washington Post. Consultado em 23 de Junho de 2018 
  35. Lauletta, Dan. «The Lowdown: World Cup bump engulfs NWSL». Equalizer Soccer. Consultado em 23 de Junho de 2018 
  36. Adelson, Eric. «National Women's Soccer League set to capitalize on U.S.'s World Cup title». Yahoo!. Consultado em 23 de Junho de 2018 
  37. Rothschild, Ty. «Orlando City likely to add NWSL Women's team». Fansided. Consultado em 23 de Junho de 2018 
  38. Rodriguez, Alicia. «10 minutes with NWSL commissioner Jeff Plush on the Women's World Cup, role models, league expansion». MLSsoccer.com. Consultado em 23 de Junho de 2018 
  39. Murray, Caitlin. «MLS's Orlando City set to expand into NWSL for 2016». The Guardian. Consultado em 23 de Junho de 2018 
  40. Pentz, Matt. «Orlando Pride announced as newest National Women's Soccer League expansion club». The Seattle Times. Consultado em 23 de Junho de 2018 
  41. Farley, Richard. «Real Salt Lake team to replace FC Kansas City: What it means for the NWSL». FourFourTwo. Consultado em 23 de Junho de 2018 
  42. «Orlando Pride roll to 3-1 win before record crowd in home debut». Orlando Sentinel. Consultado em 24 de Junho de 2018 
  43. Pramuk, Jacob. «For US soccer wages, women still fall far short of men». CNBC. Consultado em 24 de Junho de 2018 
  44. Prichard, Greg. «Fairer wages for women to dominate CBA talksFairer wages for women to dominate CBA talks». The World Game. Consultado em 24 de Junho de 2018 
  45. Goldberg, Jamie. «NWSL make modest increase to salary cap ahead of 2016 season». The Oregonian. Consultado em 24 de Junho de 2018 
  46. «Non-allocated NWSL players take step toward forming union». Sports Illustrated. Consultado em 24 de Junho de 2018 
  47. «Non-allocated players form NWSL Players Association». The Equalizer. Consultado em 24 de Junho de 2018 
  48. «[FOR IMMEDIATE RELEASE] NWSL Non-Allocated Players Announce the Formation of a Players Association». NWSL Players Association no Twitter. Consultado em 24 de Junho de 2018 
  49. «Interview: Burke leads new US union». FIFPro. Consultado em 24 de Junho de 2018 
  50. Murray, Caitlin. «Assessing Year 1, future of NWSL livestreams». Equalizer. Consultado em 25 de Junho de 2018 
  51. «NWSL and FSMG Announce National Television Rights Agreement». Fox Sports. Consultado em 25 de Junho de 2018 
  52. Kassouf, Jeff. «BOSTON BREAKERSESPN networks to air nine NWSL games in 2014». Equalizer. Consultado em 25 de Junho de 2018 
  53. Goldberg, Jamie. «NWSL and FOX Sports announce national broadcast deal». The Oregonian. Consultado em 25 de Junho de 2018 
  54. Goldberg, Jamie. «FOX Sports to broadcast six NWSL games in 2016». The Oregonian. Consultado em 25 de Junho de 2018 
  55. Das, Andrew. «In A&E, Women's Soccer League Gets an Investor and a Bigger Platform». The New York Times. Consultado em 26 de Junho de 2018 
  56. Hagey, Keach. «A+E Networks Buys Stake in National Women's Soccer League». The Wall Street Journal. Consultado em 25 de Junho de 2018 
  57. Schwindt, Oriana. «A+E Networks, National Women's Soccer League Ink Major Deal». Variety. Consultado em 25 de Junho de 2018 
  58. Hipes, Patrick. «Lifetime To Air National Women's Soccer League Games As A+E Networks Kicks In For Equity Stake». DeadLine. Consultado em 25 de Junho de 2018 
  59. a b Anderson, Jason. «NWSL, go90 announce exclusive streaming partnership». Black & Red United. Consultado em 25 de Junho de 2018 
  60. Bush, Chelsey. «Run of Play: Technical Difficulties». The Equalizer. Consultado em 26 de Junho de 2018 
  61. Lee, Allison. «Lee: NWSL missed the mark with go90». The Equalizer. Consultado em 26 de Junho de 2018 
  62. Smith, Chad C. «The NWSL's go90 Deal Could Be Hurting the League». The Blue Testament (SB Nation). Consultado em 26 de Junho de 2018 
  63. Rollins, Sean. «Go90 Deal Puts NWSL and Orlando Pride in Dire Situation». The Maneland (SB Nation). Consultado em 26 de Junho de 2018 
  64. Lauletta, Dan. «NWSL to offer streams on league site, app». The Equalizer. Consultado em 26 de Junho de 2018 
  65. Kennedy, Paul. «NWSL: Measures adopted to deal with afternoon heat». Soccer America. Consultado em 26 de Junho de 2018 
  66. Burke, Timothy. «Rachel Daly Collapses, Is Taken Off On Stretcher At End Of Match». Deadspin. Consultado em 26 de Junho de 2018 
  67. «Alex Morgan». Score Board. Consultado em 26 de Junho de 2018 
  68. «Nadia Nadim Player's Stats». Fox Sports. Consultado em 26 de Junho de 2018 
  69. «Nadia Nadim». Score Board. Consultado em 26 de Junho de 2018 
  70. «Allie Long». Score Board. Consultado em 26 de Junho de 2018 
  71. «Jessica Mcdonald Player's Stats». Fox Sports. Consultado em 26 de Junho de 2018 
  72. «Jessica Marie McDonald». Score Board. Consultado em 26 de Junho de 2018 
  73. «Christen Press Player's Stats». Fox Sports. Consultado em 26 de Junho de 2018 
  74. «Christen Press». Scoreboard. Consultado em 26 de Junho de 2018 
  75. D'Avanzo, Danielle. «Sam Kerr Breaks NWSL Single-Season Goal Record in 4-3 Victory Against Boston». Once a Metro. Consultado em 26 de Junho de 2018 
  76. «NWSL Executive Director Cheryl Bailey to step down». Timbers.com. Consultado em 26 de Junho de 2018 
  77. «NWSL Commissioner Jeff Plush Steps Down». OurSports Central. Consultado em 26 de Junho de 2018 
  78. «Jeff Plush is new commissioner of women's soccer league». Yahoo! Sports. Consultado em 26 de Junho de 2018 
  79. Halloran, John D. «Amanda Duffy Addresses NWSL Present and Future». American Soccer Now. Consultado em 26 de Junho de 2018 

Ligações externasEditar