Partido do Povo Indiano

partido político da Índia

O Partido do Povo Indiano ou Partido Popular Indiano (em hindi: भारतीय जनता पार्टी ou भाजपा; transliteração: Bharatiya Janata Party ou BJP; em inglês: Indian People's Party) é um dos dois principais partidos políticos indianos, juntamente com o Partido do Congresso Nacional Indiano.[13]

Partido do Povo Indiano
भारतीय जनता पार्टी
Bharatiya Janata Party
Indian People's Party
Partido do Povo Indiano
Líder Narendra Modi
(líder na Lok Sabha)[1]
Presidente J. P. Nadda
Secretário-geral B. L. Santhosh[2]
Fundadores Atal Bihari Vajpayee
Lal Krishna Advani
Fundação 6 de abril de 1980 (44 anos)
Sede Nova Déli, Índia India
Ideologia Hindutva
Populismo de direita
Conservadorismo[3]
Neoliberalismo
Humanismo integral[3]
Espectro político Direita a extrema-direita[4][5][6][7][8]
Publicação Kamal Sandesh
Ala de juventude Bharatiya Janata Yuva Morcha
Ala feminina BJP Mahila Morcha
Membros (2019) 180 milhões[9]
Afiliação nacional Aliança Democrática Nacional,[10]
Aliança Democrática do Nordeste[11]
Afiliação internacional União Democrata Ásia-Pacífico[12]
Cores      Açafrão (principal)
Sigla BJP
Símbolo eleitoral
Bandeira do partido
Página oficial
bjp.org

Política da Índia
Partidos políticos
Eleições

Desde 2019, é o maior partido político do país, em termos de representação no parlamento nacional e nas assembleias estaduais, sendo também o maior partido do mundo em termos de número filiados, com cerca de 180 milhões de membros.[14][15] Criado em 1980, é um partido populista da direita radical, defensor da Hindutva (uma forma de ultranacionalismo hindu[16]),[7] sendo considerado como o braço político da Rashtriya Swayamsevak Sangh (RSS; tradução literal: "Associação de Voluntários Nacionais"), organização paramilitar nacionalista de extrema-direita.[6][17][18][19][20]

É o principal partido da coalizão NDA (National Democratic Alliance; em hindi: राष्ट्रीय जनतांत्रिक गठबंधन; transliteração: Rāṣṭrīya Loktāntrik Gaṭhabandhan; em português: Aliança Democrática Nacional), que reúne os partidos da direita e que esteve no poder entre 1998 e 2004. Depois de dez anos na oposição, a coalizão retornou ao governo a partir de 2014, depois de conquistar 336 cadeiras na Lok Sabha, sendo que 282 cadeiras - ou seja, a maioria absoluta - foram para o BJP, cujo candidato, Narendra Modi, foi eleito primeiro-ministro em 20 de maio de 2014.

A origem do BJP está no partido Bharatiya Jana Sangh (BJS), fundado em 1951.[21] Em meio ao estado de emergência de 1977, o BJS se fundiu com vários outros partidos para formar o partido Janata e derrotou o partido Congresso Nacional Indiano nas eleições gerais de 1977. Após três anos no poder, o Janata foi dissolvido em 1980 com os membros do antigo BJS se reunindo novamente para formar o BJP. Embora inicialmente mal sucedido, ganhando apenas duas cadeiras nas eleições gerais de 1984, cresceu posteriormente com apoio do movimento Ram Janmabhoomi. Após vitórias em várias eleições estaduais e melhores desempenhos nas eleições nacionais, o BJP se tornou o maior partido no parlamento em 1996. Entretanto, sem maioria na câmara baixa do parlamento, seu governo durou apenas 13 dias.[22]

Após as eleições gerais de 1998, a coalizão liderada pelo BJP conhecida como Aliança Democrática Nacional sob o primeiro-ministro Atal Bihari Vajpayee formou um governo que durou um ano. Após novas eleições, o governo da coalizão, novamente chefiado por Vajpayee, durou um mandato completo, sendo o primeiro governo não pertencente ao Congresso Nacional Indiano a fazê-lo. Nas eleições gerais de 2004, a coalizão sofreu uma derrota inesperada e, nos dez anos seguintes, o BJP foi o principal partido da oposição até que ministro-chefe de Guzerate, Narendra Modi, o levou a uma vitória esmagadora nas eleições gerais de 2014. Desde então, Modi lidera o governo da Aliança Democrática Nacional como primeiro-ministro, e, desde fevereiro de 2019, a Aliança governa 18 estados.

O BJP declara como sua ideologia oficial o humanismo integral e, ainda que historicamente favorável ao nacionalismo hindu, atualmente declara-se defensor do secularismo, da democracia e do socialismo gandhiano, além do nacionalismo e da integração nacional.[23][24][5] Entretanto, vários analistas políticos e estudiosos consideram que o BJP é adepto de um nacionalismo com todos os atributos do autoritarismo e do populismo de extrema-direita.[4][8][25][26][27][28][29]

Tratando-se de questões socioeconômicas, o BJP é socialmente conservador e vem tornando-se economicamente liberal, a favor da globalização e focado em crescimento econômico em detrimento do bem-estar social.[30][31][32][33][34] Ademais, busca construir um templo de Rama em Aiódia,[35] implementar um código civil uniforme e, apesar de ter revogado o estatuto especial para Jammu e Caxemira, se comprometeu em devolvê-lo.[36]

Atualmente, o BJP lidera o governo indiano, com Narendra Modi como primeiro-ministro.

Resultados eleitorais

editar

Eleições legislativas

editar
Ano Cl. Votos % +/- Deputados +/- Status
1984 2.º 18 202 853
7,74 / 100
2 / 516
  2 Oposição
1989 3.º 34 171 477
11,36 / 100
  3,6
85 / 531
  83 Apoio parlamentar
1991 2.º 55 345 075
20,1 / 100
  8,4
120 / 523
  35 Oposição
1996 2.º 67 950 851
20,3 / 100
  0,2
161 / 545
  41 Governo
1998 2.º 94 266 188
25,6 / 100
  5,3
182 / 545
  21 Governo
1999 2.º 86 562 209
23,75 / 100
  1,8
182 / 545
  Governo
2004 2.º 85 866 561
22,16 / 100
  1,6
138 / 545
  44 Oposição
2009 2.º 78 435 381
18,8 / 100
  3,36
116 / 545
  22 Oposição
2014 1.º 171 637 684
31,0 / 100
  12,2
282 / 545
  166 Governo
2019 1.º 229 076 879
37,3 / 100
  6,36
303 / 545
  21 Governo

Referências

  1. «BJP announces new parliamentary committee; Modi leader in Lok Sabha, Rajnath his deputy». India Today. 12 June 2019. Consultado em 16 March 2020. Cópia arquivada em 6 April 2020  Verifique data em: |acessodata=, |arquivodata=, |data= (ajuda)
  2. Gyan Varma (15 de julho de 2019). «Meet BL Santhosh, newly appointed general secretary of BJP». Mint (em inglês). Consultado em 2 de maio de 2022 
  3. a b Johnson, Matthew; Garnett, Mark; Walker, David M (2017). Conservatism and Ideology (em inglês). [S.l.]: Routledge. ISBN 978-1-317-52900-2 
  4. a b Eviane Leidig (2020). Hindutva as a variant of right-wing extremism. Patterns of Prejudice, 54:3, 215-237, DOI: 10.1080/0031322X.2020.1759861] tandfonline.com
  5. a b Malik, Yogendra K.; Singh, V.B (1992), Bharatiya Janata Party: An Alternative to the Congress (I)? (em inglês), JSTOR 2645149, doi:10.2307/2645149 
  6. a b Julien Bouissou (25 de março de 2016). «En Inde, des ultranationalistes rêvent d'une nation hindoue "pure"» (em francês). Le Monde 
  7. a b Eviane Leidig; Cas Mudde. Bharatiya Janata Party (BJP) The overlooked populist radical right party. Journal of Language and Politics, Volume 22, Issue 3, Jun 2023, p. 360 - 377
  8. a b Fabien Escalona (17 de abril de 2021). «Les autocrates gagnent du terrain, mais les peuples résistent». Mediapart .
  9. «BJP's strength to rise by 70 million, totalling 180 million: J P Nadda». Business Standard (em inglês). 14 de janeiro de 2020. Consultado em 2 de maio de 2022 
  10. Kumar, Devesh (20 de maio de 2014). «BJP + 29 Parties = National Democratic Alliance». NDTV (em inglês). Consultado em 25 de fevereiro de 2022 
  11. «BJP seals alliances in Northeast, aims 22 LS seats». The Hindu Business Line (em inglês). 13 de março de 2019. Consultado em 25 de fevereiro de 2022 
  12. «International Democrat Union » Asia Pacific Democrat Union (APDU)». idu.org (em inglês). União Democrata Internacional. Consultado em 25 de fevereiro de 2022. Cópia arquivada em 16 de junho de 2017 
  13. «In Numbers: The Rise of BJP and decline of Congress - Times of India». The Times of India (em inglês). 19 de maio de 2016. Consultado em 28 de agosto de 2016 
  14. Chauhan, Chanchal (29 de agosto de 2019). «BJP inducts 7 crore new members, creates membership drive record». India Today (em inglês). Consultado em 16 de setembro de 2021 
  15. «Largest Political Parties in the World 2020». World Polity (em inglês). 16 de dezembro de 2020. Consultado em 16 de setembro de 2021 
  16. Renaissance des «Hindu-Faschismus»?, Neue Zürcher Zeitung, 11 de dezembro de 2002.
  17. Nacionalismo hindu: conheça a organização - Rashtriya Swayamsevak Sangh. Folha de S.Paulo, 24 de Junho de 1999
  18. James M. Lutz; Brenda J. Lutz (2008). Global Terrorism. [S.l.]: Taylor & Francis. p. 303. ISBN 978-0-415-77246-4 
  19. Jean A. Curran.The RSS: Militant Hinduism Jr. Far Eastern Survey, Vol. 19, No. 10 (17 mai 1950), p. 93-98. Institute of Pacific Relations.
  20. Sharma, Mukul. Hindu Nationalism and Right-wing Ecology: RSS, Modi and Motherland Post-2014. Studies in Indian Politics, 11(1), 102-117.
  21. Swain, Pratap Chandra (2001). Bharatiya Janata Party: Profile and Performance (em inglês). [S.l.]: APH Publishing. pp. 71–104. ISBN 978-81-7648-257-8 
  22. Guha, Ramchandra (2007). India after Gandhi: The History of the World's Largest Democracy (em inglês). India: Harper Collins. p. 633. ISBN 978-0-330-39610-3 
  23. «Our Philosophy». www.bjp.org (em inglês). Consultado em 16 de setembro de 2021 
  24. Banerjee, Sumanta (16–22 de julho de 2015), Civilising the BJP (em inglês), Economic & Political Weekly, JSTOR 4416896 
  25. Manor, James (2 de março de 2021). «A New, Fundamentally Different Political Order: The Emergence and Future Prospects of 'Competitive Authoritarianism' in India». Economic and Political Weekly (em inglês). Consultado em 5 de março de 2022 
  26. Biswas, Soutik (16 de março de 2021). «'Electoral autocracy': The downgrading of India's democracy». BBC News (em inglês). Consultado em 5 de março de 2022 
  27. Aiyar, Swaminathan (24 de novembro de 2020). «Despite Modi, India Has Not Yet Become a Hindu Authoritarian State» (PDF). Cato Institute. Policy Analysis (em inglês) (903). Consultado em 5 de março de 2022 
  28. McDonnell, Duncan; Cabrera, Luis (2019), The right-wing populism of India's Bharatiya Janata Party (and why comparativists should care) (em inglês), doi:10.1080/13510347.2018.1551885 
  29. Özçelik, Ezgi (2019), Right-wing Populist Governments Rhetorical Framing of Economic Inequality : the Cases of BJP in India and AKP in Turkey (em inglês), Koç University 
  30. Lane, Allan (2005). The Argumentative Indian (em inglês). [S.l.: s.n.] pp. 251–272. ISBN 978-0-7139-9687-6 
  31. Mazumdar, Surajit (2017), Neo-Liberalism and the Rise of Right-Wing Conservatism in India (em inglês), Alemanha: University Library of Munich 
  32. Gopalakrishnan, Shankar (7 de julho de 2006), Defining, Constructing and Policing a 'New India': Relationship between Neoliberalism and Hindutva (em inglês), Economic and Political Weekly, JSTOR 4418408 
  33. Wilson, Kalpana; Ung Loh, Jennifer; Purewal, Navtej. «Gender, Violence, and the Neoliberal State in India» (PDF) (em inglês). Feminist Review. doi:10.1057/s41305-018-0109-8 
  34. Mathur, Navdeep (2017), The low politics of higher education: saffron branded neoliberalism and the assault on Indian universities (em inglês), Critical Policy Studies, doi:10.1080/19460171.2017.1403343 
  35. «Na Índia, Modi visita terreno de futuro templo hindu, disputado desde 1992». A Referência. 6 de agosto de 2020. Consultado em 18 de setembro de 2021 
  36. «Índia se compromete a devolver estatuto de "estado" à Caxemira». UOL. 25 de junho de 2021. Consultado em 19 de setembro de 2021