Pires do Rio

Disambig grey.svg Nota: Para político brasileiro, veja José Pires do Rio.

Pires do Rio é um município brasileiro do estado de Goiás. Sua população em 2020 era de 31 686 habitantes, conforme estimativa do IBGE.[4]

Pires do Rio
  Município do Brasil  
Museu Ferroviário, fundado em 1989.
Museu Ferroviário, fundado em 1989.
Símbolos
Bandeira de Pires do Rio
Bandeira
Hino
Lema Tudo pela Pátria
Apelido(s) "Cidade Poema"
Gentílico piresino
Localização
Localização de Pires do Rio em Goiás
Localização de Pires do Rio em Goiás
Mapa de Pires do Rio
Coordenadas 17° 18' 03" S 48° 16' 48" O
País Brasil
Unidade federativa Goiás
Região intermediária[1] Goiânia
Região imediata[1] Pires do Rio
Municípios limítrofes Orizona, Vianópolis, Palmelo, Santa Cruz de Goiás, Caldas Novas, São Miguel do Passa Quatro, Cristianópolis, Urutaí e Ipameri
Distância até a capital 83 km
História
Fundação 9 de novembro de 1922 (98 anos)
Administração
Prefeito(a) Maria Aparecida Marasco Tomazini[2] (PODE, 2021 – 2024)
Vereadores 13
Características geográficas
Área total IBGE/2019[3] 1 073,360 km²
População total (estimativa IBGE/2020[4]) 31 686 hab.
 • Posição GO: 37º
Densidade 29,5 hab./km²
Clima tropical (Aw)
Altitude 760 m
Fuso horário Hora de Brasília (UTC−3)
CEP 75200-000
Indicadores
IDH (PNUD/2010[5]) 0,744 alto
PIB (IBGE/2018[6]) R$ 896 330,24 mil
PIB per capita (IBGE/2018[6]) R$ 28 705,53
Outras informações
Padroeiro(a) Santo Antônio e Nossa Senhora da Abadia
Sítio www.piresdorio.go.gov.br (Prefeitura)
www.piresdorio.go.leg.br (Câmara)

HistóriaEditar

Pires do Rio foi fundada em 1922 à margem da ferrovia. Seu nome foi dado em homenagem ao Ministro de Viação e Obras Públicas do Governo Epitácio Pessoa, José Pires do Rio. O ministro visitou o local do município em Agosto de 1921 para inspecionar as obras.

 
Ponte Epitácio Pessoa localizada sobre o Rio Corumbá, entre os municípios de Pires do Rio e Urutaí

A ferrovia então passaria pela fazenda do Coronel Lino Teixeira de Sampaio, que já era um ponto de pouso de tropeiros e recebia convidados ilustres do Rio de Janeiro e São Paulo, quando estes vinham à região.

Com o surgimento do município, famílias de Santa Cruz, Orizona (antigo Campo Formoso) e outros locais se instalaram no local.

Pires do Rio, localizada a 140 km da capital, Goiânia, possui o único museu ferroviário do estado e o 5º do gênero no país[carece de fontes?]. A cidade nasceu com a construção do entroncamento ferroviário que ligou a Ferrovia Centro Atlântica (FCA) ao porto de Santos/SP. A cidade possui uma ponte histórica, sobre o Rio Corumbá, a ponte Epitácio Pessoa, que foi importada da Europa possuindo características arquitetônicas da época. Tempos depois foi substituída por uma ponte de concreto, mas, a ponte de ferro ainda continua no local original, abandonada pelas autoridades públicas, que não a restauram.

Nos dias contemporâneos, já se executa o ligamento desta ferrovia à Ferrovia Norte-Sul, visto que a malha ferroviária termina em Anápolis, onde será ligada àquela que se constrói desde o Governo do Presidente Sarney. Pelos trilhos da cidade de Pires do Rio passaram grande parte dos matérias que construíram Brasília e Goiânia.

A micro-região de Pires do Rio é conhecida como região da estrada de ferro.

Doação do terrenoEditar

A área destinada ao município foi doada pelo Coronel Sampaio no dia 5 de julho de 1922, na sede da Fazenda Brejo, tendo por testemunha sua esposa, Dona Rozalina Fernandes de Oliveira, Hermenegildo Lobo, Balduino Ernesto de Almeida, Joaquim Antônio Teixeira e Eliezer Jorge de Almeida.[7]

Nesse documento, o Coronel Sampaio estabeleceu cláusulas para a fundação e desenvolvimento do município, com vistas a beneficiar a população na área sócio-educacional. Na região, era reconhecido como um homem simpático e de vasto currículo de amizades. Para homenagear o Coronel Sampaio, o município batizou uma de suas escolas com o nome do benfeitor.

Cidade planejadaEditar

Muito antes de Goiânia e Brasília, Pires do Rio foi o primeiro município de Goiás que teve sua criação e projeto planejado[carece de fontes?].

GeografiaEditar

De acordo com a divisão regional vigente desde 2017, instituída pelo IBGE,[8] o município pertence à região geográfica intermediária de Goiânia e à região imediata de Pires do Rio.[1] Até então, com a vigência das divisões em microrregiões e mesorregiões, fazia parte da microrregião de Pires do Rio, que por sua vez estava incluída na mesorregião do Centro Goiano.[9]

O município está inscrito na região do maciço goiano, caracterizado pelo domínio das chapadas e serras. Sua topografia da área de 600m a 800m de altitude, aproximadamente. Ocupa uma área de 1.073,360  km².

BairrosEditar

  • Alto da Baronesa
  • Centro
  • Colegial
  • DERGO
  • Eurípedes Lázaro
  • Industrial I
  • Instituto Grambery
  • Jardim Amaral
  • Jardim Goiás I
  • Jardim Goiás II
  • Jardim Guanabara
  • Jardim JK
  • Jardim Maratá
  • Jardim João Monteiro
  • Parque Mosaico
  • Nossa Senhora de Lourdes
  • Nova Vila
  • Bancários
  • Vila Mariana
  • São Francisco
  • São João
  • São José
  • São Miguel
  • São Sebastião
  • Parque Silvana
  • Sinhô Nogueira
  • Santa Terezinha
  • Santa Cecília
  • Sumaia Helou
  • Tancredo Neves
  • Vila Conceição
  • Vila Nova
  • Zulmira Santinoni
  • Sonho Verde
  • Mauá
  • Parque Santana
  • Eliza Galli
  • Antônio Ferreira Gomes
  • Santa Rita de Cássia
  • Industrial II
  • Hene Saud
  • Aristeu José Ferreira
  • Nadin Saud
  • Jardim Guanabara II
  • Wilson Teixeira de Lima
  • Osvaldo Gonçalves
  • Sonho Verde
  • Vila Multirão
  • Setor Novo Horizonte
  • Sampaio

ClimaEditar

Pires do Rio é conhecida por ser uma das cidades mais frias de Goiás, possuindo um clima tropical semiúmido sendo quente na primavera e verão e ameno no outono e inverno. Segundo dados da estação meteorológica automática do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) no município, em operação desde outubro de 2007, a menor temperatura registrada em Pires do Rio foi de 4,1 °C em 21 de maio de 2018 e a maior atingiu 40,8 °C em 2 de outubro de 2020. O maior acumulado de precipitação em 24 horas alcançou 110,8 milímetros (mm) em 24 de novembro de 2015, seguido por 101,4 mm em 4 de abril de 2008. O menor índice de umidade relativa do ar (URA) foi de 9% em 29 de setembro de 2020. A maior rajada de vento chegou a 23,5 m/s (84,6 km/h) em 6 de novembro de 2008.[10][11]

Dados climatológicos para Pires do Rio
Mês Jan Fev Mar Abr Mai Jun Jul Ago Set Out Nov Dez Ano
Temperatura máxima recorde (°C) 35,7 36,2 34,1 34,7 32,9 34 33,1 36,2 39,7 40,8 37,9 35,6 40,8
Temperatura máxima média (°C) 29,5 29,9 29,5 29,5 28,1 27,7 27,8 29,7 30,9 31,2 29,8 29,3 29,4
Temperatura mínima média (°C) 19,7 19,5 19,6 18 15,1 12,7 12,6 14,1 17,6 19,4 19,8 20 17,3
Temperatura mínima recorde (°C) 16,1 15,4 16 11,9 4,1 7 4,7 6,6 9,3 13,7 16 15,4 4,1
Precipitação (mm) 287,5 186,6 185,4 98,9 33 11,1 7,7 18,6 22,8 136,6 212,9 328,7 1 529,8

Fontes: Jornal do Tempo (médias de temperatura)[12] SIEG/GO (médias de precipitação: 1977-2001)[13] e
Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) (recordes de temperatura: 12/10/2007-presente)[10][11]

EconomiaEditar

Agricultura, pecuária e aviculturaEditar

Destacam-se os produtos agrícolas: soja, milho arroz, feijão e outros. Contudo sendo atualmente a principal fonte dos recursos da cidade a agricultura familiar. A produção de aves beneficia Pires do Rio e toda a região gerando emprego e renda. Rebanho de Pires do Rio segundo dados de novembro de 2006:

  • Bovinos: 85.849 cabeças;
  • Ovinos: 240 cabeças;
  • Caprinos: 110 cabeças;
  • Bubalinos: 118 cabeças;
  • Suínos: 3.450 cabeças;
  • Aves de corte: 8.000.000.

AviculturaEditar

A atividade é importante para o município, que gera 3.000 empregos diretos e mais 2.000 indiretos.

IndústriaEditar

Pires do Rio tem na industrialização uma das suas maiores fontes de arrecadação para o município, destacando-se, dentre outras indústrias, um cortume, um frigorífico, esmagamento de soja (700 ton/dia) que gera em torno de 200 empregos diretos e uma empresa de abatimento de aves, que gera em torno de 5.000 empregos diretos e indiretos.[carece de fontes?]

EsporteEditar

FutebolEditar

O município possui dois estádios de futebol: Estádio Édson Monteiro de Godoy (Monteirão) e Estádio Pacífico Inocêncio de Oliveira (Oliveirão). Seu principal time, Pires do Rio Futebol Clube, voltou a participar de jogos profissionais em 2017.

ComunicaçãoEditar

RádiosEditar

A população de Pires do Rio dispõe de quatro emissoras de rádios: Líder FM, Corumbá FM, Rio FM e Legal FM.

CulturaEditar

 
Estação ferroviária de Pires do Rio, inaugurado em 1922

Pires do Rio possui uma cultura bem diversificada com a presença de vários órgãos que tentam resgatar a cultura local. Também há a presença de lugares públicos que ajudam a firmar a identidade do município como : museu ferroviário, casa da cultura, biblioteca municipal Cyllenêo de Araujo (Leo Lynce).

Poesia e literaturaEditar

Escritores de Pires do Rio que foram ou são membros da Academia Goiana de Letras (AGL): Aristóteles de Lacerda Júnior, Jacy Siqueira, Edir Meirelles, José Ubirajara Galli e Iúri Rincon Godinho.

Em 1984 foi realizado o Primeiro Concurso de Poesia Falada Leo Lynce e o ganhador desta edição foi Paulo Borges Porto com o poema Um Copo Vazio. O corpo de jurados foi composto pelos escritores membros da AGL Jacy Siqueira e Ubirajara Galli.[carece de fontes?]

MúsicaEditar

A cidade conta com diversos músicos de diferentes estilos, que vão da música folclórica, modas de viola. No passado importantes festivais de música foram realizados no antigo Cine Eleusis que hoje se encontra desativado.

FestasEditar

Dentre as festas em Pires do Rio, podemos destacar:

  • Folia de Reis: foi introduzida em Pires do Rio há oitenta anos, pelos irmãos Oscar e José Baiano. Os peregrinos iniciam sua caminhada no dia 25 de Dezembro, percorrendo todo perímetro urbano. No dia 6 de Janeiro, Dia de Reis, entregam a bandeira.
  • Festa Junina: no mês de junho, mastros são ornados por todo o município. A festa mais importante ocorre no dia 13 de Junho, dia de Santo Antônio de Pádua, padroeiro da cidade, também conhecida como festa do Colégio Sagrado Coração de Jesus (Sagradão) por ser realizada no pátio desta escola que é administrada pelos padres franciscanos.
  • Festa de São Sebastião do Maratá: a festa que, segundo o calendário eclesiástico, deveria ocorrer em 20 de Janeiro, em Pires do Rio acontece na Lua Cheia de Julho. Uma explicação para isso é que o período chuvoso impedia sua realização no início do ano.
  • Festa de Nossa Senhora D'Abadia: acontece em Agosto, no Morro do Cruzeiro.
  • Festa de Nossa Senhora do Rosário: trata-se do maior evento Cultural do município. Ocorrido em Outubro, grupos de Moçam biqueiros, Vilões, Catupés, Congados e Penachos juntam-se ao terno de Pires do Rio para celebrar o final do ciclo do Rosário, quando os referidos prestam reverencia a um reinado negro que conduz a coroa e dá poder a um organizador para os festejos do ano seguinte.
  • Festa de São Francisco de Assis: a festa ocorre em meio a Avenida Boiadeiro, em frente a Igreja de São Francisco de Assis no mês de setembro.
  • Exposição Agropecuária: acontece nos últimos dias de Junho. A exposição é organizada pela Associação União Piresina (PROPIRES), em parceria com a Prefeitura Municipal.
  • Baile do Hawaii: em data móvel, organizado pelo Lions Club de Pires do Rio. A festa atrai um grande número de pessoas das cidades vizinhas.
  • Aniversário do Município: ocorre no dia 9 de Novembro. O aniversário do município é marcado por um tradicional desfile cívico e por um show musical noturno na Praça Central. Além disso, durante a semana do aniversário, a Prefeitura normalmente promove inaugurações de obras publicas e eventos culturais, além de entregar o principal título honorífico do Município, a Comenda Coronel Lino Teixeira Sampaio.

Referências

  1. a b c Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) (2017). «Base de dados por municípios das Regiões Geográficas Imediatas e Intermediárias do Brasil». Consultado em 10 de fevereiro de 2018 
  2. Prefeita e vereadores de Pires do Rio tomam posse Portal G1 - acessado em 2 de janeiro de 2021
  3. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (2019). «Área da unidade territorial - 2019». Consultado em 22 de dezembro de 2020 
  4. a b IBGE (28 de agosto de 2020). «Estimativa populacional 2020 IBGE». Consultado em 28 de dezembro de 2020 
  5. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) (29 de julho de 2013). «Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil» (PDF). Consultado em 2 de agosto de 2013. Cópia arquivada (PDF) em 8 de julho de 2014 
  6. a b «Produto Interno Bruto dos Municípios 2018». Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Consultado em 22 de dezembro de 2020 
  7. Cartório do 1° Ofício de Santa Cruz de Goiás. Livro 21, pp. 114–116 e Registro de Imóveis de Santa Cruz de Goiás, Livro 3-A, nº.985, de 5 de agosto de 1922.
  8. IBGE (2017). «Divisão Regional do Brasil». Consultado em 3 de fevereiro de 2018. Cópia arquivada em 3 de fevereiro de 2018 
  9. IBGE (2016). «Divisão Territorial Brasileira 2016». Consultado em 3 de fevereiro de 2018 
  10. a b Instituto Nacional de Meteorologia (INMET). «Estação: PIRES DO RIO (A033)». Consultado em 21 de julho de 2020 
  11. a b INMET. «Gráficos». Consultado em 21 de julho de 2020 
  12. «CLIMATOLOGIA PARA Pires do Rio-GO». Consultado em 21 de julho de 2020 
  13. Sistema Estadual de Geoinformação (SIEG/GO) (2006). «Caracterização Climática do Estado de Goiás» (PDF). Consultado em 21 de julho de 2020. Cópia arquivada (PDF) em 3 de dezembro de 2008 

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar