Príncipe Real de Portugal

Príncipe Real foi o título oficial atribuído aos Herdeiros Presuntivos da Coroa de Portugal, durante a Monarquia Constitucional (1822-1910),[1] por oposição aos demais filhos do Casal Régio, que recebiam o título de Infante. A partir da morte de D. Manuel II, último Rei de Portugal, o título de Príncipe Real passou a ser o dos pretendentes ao trono e chefes da casa real portuguesa.

Príncipe Real
Coat of Arms of the Prince of Portugal (1481-1910).png
Brasão de armas do Príncipe Real
Criado em 1822
Primeiro titular D. Pedro V

O título de Príncipe Real surgiu quando D. João VI elevou o Brasil à categoria de reino unido com Portugal em 1815 (extinguindo-se assim o antigo título de Príncipe do Brasil).

Após a Constituição de 1822 e subsequentes constituições, a atribuição deste título passou a ser regulada pelas leis fundamentais do reino, e investido sobre o Herdeiro Presuntivo do Reino como já era costume. O último príncipe que usou o título de facto foi D. Afonso de Bragança, Duque do Porto, na qualidade de tio e sucessor provisório do rei D. Manuel II, depois do assassinato de D. Carlos I e do príncipe real D. Luís Filipe em 1908.

O filho primogênito do Príncipe Real tem o título de Príncipe da Beira.[1]

Os detentores deste título tinham o tratamento de Sua Alteza Real (SAR), e detinham os seguintes títulos subsidiários:

  1. Duque de Bragança
  2. Duque de Guimarães
  3. Duque de Barcelos
  4. Marquês de Vila Viçosa
  5. Conde de Arraiolos
  6. Conde de Ourém
  7. Conde de Barcelos
  8. Conde de Faria
  9. Conde de Neiva
  10. Conde de Guimarães

Em honra deste título e do seu filho D. Pedro, portador do mesmo, a rainha D. Maria II mandou erguer um jardim no espaço da antiga patriarcal de Lisboa, então em ruínas, e que constituía um excelente esconderijo para celerados da época. Nascia assim o Jardim do Príncipe Real.

Lista de príncipes reaisEditar

  1. D. Pedro (depois Rei de Portugal)
  2. D. Carlos (depois Rei de Portugal)
  3. D. Luís Filipe de Bragança
  4. D. Afonso de Bragança, Duque do Porto (provisoriamente)

Reivindicações pós-monarquiaEditar

Ver tambémEditar