Lista de países no Festival Eurovisão da Canção

artigo de lista da Wikimedia
Mapa a mostrar as estreias por décadas

O Festival Eurovisão da Canção é um evento anual organizado pela UER, a União Europeia de Radiodifusão. O evento reúne os membros da União, numa competição musical, emitida em direto e em simultâneo em todos os países participantes. Desde 1956, o festival (mais conhecido como Eurovisão), é realizado todos os anos, nunca tendo tido alguma interrupção. O número de países participantes tem vindo a crescer à medida do tempo, passando de sete a uma quarentena no século XXI. Atravessando as décadas, o festival evoluiu, adaptou-se e reinventou-se, acompanhando os desenvolvimentos históricos e políticos.[1]

No total, cinquenta e dois países já participaram no festival e entre eles, vinte e seis venceram. Esses países, todos membros da UER, estão repartidos em quatro continentes: Europa, Ásia, África e Oceania.

ParticipantesEditar

Dan Ar Braz representou a França em 1996, atuando em Língua bretã
Jari Sillanpää representou a Finlândia na primeira meia-final do Eurovision em 2004, não se qualificando.
Magdi Rúzsa representou a Hungria em 2007.[2]
Lys Assia, a primeira vencedora do Eurovisão, foi convidada especial em 2008.

Marrocos participou no festival uma vez, em 1980. O Luxemburgo, um dos sete participantes originais, não é visto no festival desde 1993. A Itália retirou-se do festival em 1997 e regresou em 2011. A Eslováquia já competiu três vezes entre 1994 e 1998, nunca se qualificou para a final, mas voltou em 2009.[3] O Mónaco regressou ao festival em 2004, depois de mais de duas décadas fora do mesmo. No entanto, o país não conseguiu avançar da semifinal com cada uma das suas três primeiras participações após o regresso, e retirou-se após o festival de 2006.[4]

A Jugoslávia e a Sérvia e Montenegro foram dissolvidas em 1991 e 2006, respetivamente. A Sérvia e Montenegro participou no festival de 1992 como a República Federal da Jugoslávia, que consistia apenas nas duas repúblicas. Montenegro e Sérvia competem como países separados desde 2007.[5]

Legenda
     Retirou-se – Países que participaram no passado mas se retiraram.
     Antigo – Países antigos que foram dissolvidos.
País Primeira participação Última participação Participações Finais[nota 1] Última final[nota 1] Vitorias Emissora(s)[6]
  Albânia
2004
2019
16
9
2019
0
RTSH
  Alemanha
1956
2019
63[nota 2]
63
2019
2
HR (1956–1978) (ARD)

BR (1979–1991) (ARD) MDR (1992–1995) (ARD) NDR (1996–presente) (ARD)

  Andorra
2004
2009
6
0
N/A
0
RTVA
  Arménia
2006
2019
13
10
2017
0
AMPTV
  Austrália
2015
2019
5
5
2019
0
SBS
  Áustria
1957
2019
52
47
2018
2
ORF
  Azerbaijão
2008
2019
12
11
2019
1
İTV
  Bielorrússia
2004
2019
16
6
2019
0
BTRC
  Bélgica
1956
2019
61
51
2017
1
VRT (Neerlandês)

RTBF (Francês)[nota 3]

  Bósnia e Herzegovina
1993
2016
19
18
2012
0
BHRT
  Bulgária
2005
2018
12
4
2018
0
BNT
  Croácia
1993
2019
25
18
2017
0
HRT
  Chipre
1981
2019
36
30
2019
0
CyBC
  Dinamarca
1957
2019
48[nota 2]
44
2019
3
DR
  Eslováquia
1994
2012
7[nota 4]
3
1998
0
STV (1994–2010)

RTVS (2011–2012)

  Eslovénia
1993
2019
25
15
2019
0
RTV SLO
  Espanha
1961
2019
59
59
2019
2
TVE
  Estónia
1994
2019
25[nota 4]
16
2019
1
ERR
  Finlândia
1961
2019
53
45
2018
1
Yle
  França
1956
2019
62
62
2019
5
RTF (1956–1964)

ORTF (1965–1974) TF1 (1975–1981) France Télévisions (1983–presente)

  Geórgia
2007
2019
12
7
2016
0
GPB
  Grécia
1974
2019
40
38
2019
1
ERT (1974–2013, 2016–presente)

NERIT (2014–2015)

  Hungria
1994
2019
17[nota 4][nota 2]
14
2018
0
MTVA
  Islândia
1986
2019
32
25
2019
0
RÚV
  Irlanda
1965
2019
53
45
2018
7
RTÉ
  Israel
1973
2019
42[nota 2]
36
2019
4
IBA (1973–2017)

KAN (2018–presente)[7]

  Itália
1956
2019
45
45
2019
2
RAI
  Iugoslávia[nota 5]
1961
1992
27
27
1992
1
JRT
  Letónia
2000
2019
20
10
2016
1
LTV
  Lituânia
1994
2019
20
13
2018
0
LRT
  Luxemburgo
1956
1993
37
37
1993
5
CLT
  Malta
1971
2019
32
25
2019
0
PBS
  Marrocos
1980
1980
1
1
1980
0
SNRT
  Moldávia
2005
2019
15
10
2018
0
TRM
  Mónaco
1959
2006
24
21
1979
1
TMC
  Montenegro
2007
2019
11
2
2015
0
RTCG
  Macedônia do Norte[nota 6]
1998
2019
19[nota 2]
9
2019
0
MKRTV
  Noruega
1960
2019
58
55
2019
3
NRK
  Países Baixos
1956
2019
60
51
2019
5
NTS (1956–1969)

NOS (1970–2009) TROS (2010–2013) AVROTROS (2014–presente)

  Polónia
1994
2019
22
14
2017
0
TVP
  Portugal
1964
2019
51
42
2018
1
RTP
  Chéquia
2007
2019
8
3
2019
0
ČT
  Reino Unido
1957
2019
62
62
2019
5
BBC
  Roménia
1994
2019
20[nota 4][nota 2]
18
2017
0
TVR
  Rússia
1994
2019
22[nota 2]
21
2019
1
RTR (1994, 1996, 2008–presente)

C1R (1995–presente)[nota 7]

  San Marino
2008
2019
10
2
2019
0
SMRTV
  Sérvia
2007
2019
12
9
2019
1
RTS
  Sérvia e Montenegro
2004
2005
2
2
2005
0
UJRT
  Suécia
1958
2019
59
58
2019
6
Sveriges Radio (1958)

SR (1959–1979) SVT (1980–presente)

  Suíça
1956
2019
60
49
2019
2
SRG SSR
  Turquia
1975
2012
34
33
2012
1
TRT
  Ucrânia
2003
2018
15
15
2018
2
UA:PBC

Países participantes por décadasEditar

Anos 1950Editar

Anos 1960Editar

Anos 1970Editar

Anos 1980Editar

Anos 1990Editar

Anos 2000Editar

Anos 2010Editar


Tentativas frustradas de participarEditar

Várias tentativas de participar no Festival Eurovisão da Canção não tiveram sucesso. Para que os radio difusores participem, eles devem ser membros da UER e registar a sua intenção de entrar na competição até ao prazo especificado nos regulamentos do evento desse ano. Cada emissora participante paga uma taxa pela organização do festival. Se um país desistir do festival após o prazo, ele ainda terá que pagar essas taxas e também sofrerá uma multa ou uma proibição temporária.

CatalunhaEditar

Desde 2013, a Televisão da Catalunha preenche as condições para ser um membro ativo da UER. De acordo com os Artigos 3.3 e 3.4 dos Estatutos e Anexos 2 e 5 dos Critérios de Admissão, a Televisão da Catalunha é uma emissora europeia de serviço público de um país membro da União Internacional de Telecomunicações (Espanha) e "caráter nacional", porque representa e cobre completamente uma comunidade política e cultural específica (Catalunha) de um Estado multilingue (Espanha). A este respeito, a Televisão da Catalunha solicitou no verão de 2017 a adesão à Assembleia Geral da UER em Dublin. A UER resolverá o aplicativo catalão no início de 2019 e a RTVE poderá vetar a sua entrada nessa organização.[8]

ChinaEditar

A China chegou a transmitir o Festival Eurovisão da Canção em 2015 e a televisão provincial chinesa Hunan Television confirmou o seu interesse em participar no Festival Eurovisão da Canção 2016. A UER respondeu dizendo "estamos abertos e constantemente à procura de novos elementos em cada Festival Eurovisão da Canção ". No entanto, A 3 de junho de 2015, a UER negou a participação da China como convidado ou participante total em 2016.[9]

Durante a retransmissão chinesa da primeira semi-final em 2018 na Mango TV, as interpretações da Albânia e da Irlanda foram editadas no resumo das 19 entradas.[10] A Albânia foi ignorada devido à proibição dos artistas de mostrarem tatuagens na televisão, a lei entrou em vigor em janeiro de 2018,[11] enquanto a Irlanda foi censurada por causa da representação de um casal homossexual em palco . Além disso, a bandeira LGBT e as tatuagens noutros artistas também foram borradas.[12][13] Como resultado, a UER acabou a sua parceria com a Mango TV, afirmando que a censura "não reflete os valores de universalidade e inclusão da UER e a sua orgulhosa tradição de celebrar a diversidade através da música". , o que levou à proibição da transmissão televisiva da segunda semi-final e final no país.[14] Um porta-voz da empresa-mãe da emissora, a Hunan TV, disse que "não estava ciente" das edições feitas no programa.[15]

Ilhas FaroéEditar

Desde 2010, a emissora nacional das Ilhas Faroé, Kringvarp Føroya (KVF), tem tentado se tornar um membro da UER e, portanto, participar de forma independente no Festival Eurovisão da Canção. No entanto, a KVF não se pode tornar um membro da UER porque as ilhas são parte do Reino da Dinamarca e são determinadas pela unidade do reino.[16]

No final de 2018, a emissora nacional das Ilhas Faroé, Kringvarp Føroya, manifestou um interesse renovado em aderir à União Europeia de Radiodifusão e participar no Festival Eurovisão da Canção. Segundo a emissora, eles não estão excluídos pela regra de que apenas nações independentes podem participar. Como resultado, a emissora das Ilhas Faroé iniciou discussões internas sobre o pedido de adesão da UER, a participação no Festival Eurovisão da Canção e até a organização de uma final nacional semelhante ao Grande Prémio Melodi Dansk.[17]

GibraltarEditar

Desde 2006, a emissora nacional de Gibraltar, Gibraltar Broadcasting Corporation (GBC), tem tentado se tornar um membro da UER e, portanto, participar de forma independente no Festival Eurovisão da Canção. No entanto, a GBC não se pode tornar um membro da UER porque os Territórios Britânicos Ultramarinos não são independentes do Reino Unido. Gibraltar transmitiu o Festival Eurovisão da Canção 2008 e a final da edição de 2006.[18]

GronelândiaEditar

Desde 2011, a emissora nacional Kalaallit Nunaata Radioa (KNR) tem tentado se tornar um membro da UER e participar independentemente no Festival Eurovisão da Canção. No entanto, a KNR não se pode tornar membro da UER porque o país autónomo não é independente do Reino da Dinamarca. A Gronelândia transmitiu o Festival Eurovisão da Canção 2011 em diferido.[19] A 4 de maio de 2017, foi anunciado que a Gronelândia transmitiria a final do festival de 2017 em diferido.[20]

CazaquistãoEditar

O Cazaquistão ainda não participou no Festival Eurovisão da Canção. O Cazaquistão está a negociar para se juntar à União Europeia de Radiodifusão. A empresa estatal de televisão (K-1) espera obter uma adesão da UER pendente ou aprovada desde 2008. Se isso acontecer, eles podem ser elegíveis para competir no Festival Eurovisão da Canção. No entanto, eles transmitiram o Festival Eurovisão da Canção 2010 em diante. No entanto, de acordo com a UER, nenhuma emissora cazaque já se candidatou formalmente para se juntar à UER.[21]

A 18 de dezembro de 2015, foi anunciado que a Khabar Agency, um importante meio de comunicação no Cazaquistão, havia sido aceita na UER como membro associado, mas ainda não era elegível para participar no festival sob as regras atuais.[22] Apenas os países que fazem parte da Área Europeia de Radiodifusão são elegíveis para participar, sendo a Austrália a única exceção depois de ser um membro associado por mais de 30 anos.

A 22 de dezembro de 2017, o Canal 31 anunciou que planeia estrear no festival de 2019, devido à sua recém-chegada à UER.[23]

Eles estrearam-se no Festival Eurovisão da Canção Júnior 2018, ficando em sexto lugar.[24] A30 de julho de 2018, a UER declarou que a decisão de convidar o Cazaquistão foi feita exclusivamente pelo grupo de referência Junior Eurovision, e não havia planos atuais para convidar membros associados além da Austrália.[25]

A 22 de novembro de 2018, Jon Ola Sand disse numa conferência de imprensa que "precisamos de discutir se podemos convidar o nosso membro associado, o Cazaquistão, para participar no Festival Eurovisão da Canção no futuro, mas isso é parte de uma discussão mais ampla na UER e eu espero que possamos voltar a vocês sobre esta questão mais tarde ".[26] No entanto, pouco depois ele esclareceu que não teria uma entrada na edição de 2019.[27]

KosovoEditar

O Kosovo nunca participou no Festival Eurovisão da Canção por conta própria, mas o festival tem uma longa história no país que o difunde desde 1961, e após o início da administração da ONU no Kosovo, a emissora pública Kosovo RTK foi licenciada de forma independente pela UER para transmitir todos os três espetáculos. Apesar de não ter participado no festival de música, o Kosovo participou no Festival Eurovisão de Jovens Dançarinos 2011.

A RTK pode candidatar-se formalmente para se tornar membro da UER, quando o Kosovo se tornar membro da União Internacional de Telecomunicações, conforme definido pelas regras da UER.[28] A UER votará a adesão plena da emissora Kosovar em junho de 2019, possivelmente permitindo que o país inicie em 2020, ou num futuro próximo depois disso.[29]

LibanoEditar

O Líbano nunca participou no Festival Eurovisão da Canção. A organização de transmissão do país, Télé Liban, foi escolhida para fazer a estreia do país no Festival Eurovisão da Canção 2005 com a música "Quand tout s'enfuit", interpretada por Aline Lahoud,[30] mas retirou-se devido às leis do Líbano, impedindo a transmissão do conteúdo israelita.[31]

LiechtensteinEditar

O Liechtenstein nunca participou no Festival Eurovisão da Canção, mas o festival tem uma longa história dentro do país, com pelo menos uma tentativa de participação sendo feita pelo principado.

Os cidadãos do Liechtenstein tiveram a oportunidade de assistir ao festival na televisão suíça, austríaca ou alemã. O país fez tentativas de participar no festival no passado: em 1976, uma candidatura de Liechtenstein foi selecionada para competir no festival - Biggi Bachman e "Little Cowboy" teriam sido a primeira entrada do país se houvesse uma emissora nacional, mas como não havia nenhuma no país, a inscrição foi rejeitada.[32][33]

A 15 de agosto de 2008, a 1FLTV, licenciada pelo governo de Liechtenstein, tornou-se a primeira emissora baseada em Liechtenstein. Isso permitiria ao país começar a competir no Festival Eurovisão da Canção pela primeira vez, caso decidisse ingressar na UER, um pré-requisito para entrar no concurso.[34][35] Logo após a sua fundação, no entanto, a emissora anunciou que não estava interessada em se juntar à UER ou à Eurovisão naquela época porque não tinha orçamento para filiação.[36]

QatarEditar

A Qatar Radio (QR) é atualmente membro associado da União Europeia de Radiodifusão (UER), enquanto todos os países concorrentes do Festival Eurovisão da Canção devem ser membros ativos da União. A emissora revelou pela primeira vez a 12 de maio de 2009 que eles estavam interessados ​​em se tornarem membros ativos da União, o que permitiria à nação competir no festival. A Qatar Radio declarou que eles esperavam se juntar à Eurovisão até 2011. O Qatar se envolveu no festival pela primeira vez na edição de 2009, onde a emissora enviou uma delegação para o concurso e transmitiu um programa de rádio semanal chamado '12pointsqatar' dedicado à Eurovisão, que recebeu respostas favoráveis ​​e deu início a um maior envolvimento do Qatar na Eurovisão. A Qatar Radio disse que eles sentem que gostariam de se juntar a todos os outros competidores no concurso, incluindo Israel se o Qatar for membro.

O Qatar é obrigado a ter uma emissora que tenha pelo menos uma afiliação à UER para ter a oportunidade de participar, já que a Rádio do Catar é apenas uma estação de rádio e o Qatar está fora da Área Europeia de Transmissão e não pode se candidatar a ser membro do Conselho da Europa. , com a Austrália sendo a única exceção depois de ser um membro associado por mais de 30 anos. A emissora provavelmente seria a Qatar Television (QTV), também administrada pela Corporação Geral de Televisão e Transmissão do Qatar (QGBTC). Se a Rádio do Catar for aceite também, eles poderão transmitir o festival ao lado da transmissão televisiva.

NotasEditar

  1. a b Correct as of the 2019 contest.
  2. a b c d e f g Did not qualify from the non-televised audio-only preselection round of 1996.
  3. VRT and RTBF alternate responsibilities for the contest.
  4. a b c d Did not qualify from the preselection round of 1993.
  5. The Federal Republic of Yugoslavia competed as "Yugoslavia" in 1992.
  6. a b Until 2018 participated as F.Y.R. Macedonia.
  7. RTR and C1R alternate responsibilities for the contest since 2008.

Referências

  1. HAAN Marco, DIJKSTRA Gerhard et DIJKSTRA Peter, « Expert Judgment Versus Public Opinion – Evidence from the Festival Eurovisão da Canção », Journal of Cultural Economics, 29, 2005, p.62.
  2. ESCtoday.com (26 February 2007). Rúsza wins by just 18 votes. Retrieved on 9 February 2008.
  3. Victor Hondal (24 September 2008). Slovakia returns to Eurovision in 2009. ESCtoday.com. Retrieved on 24 September 2008.
  4. Gylleneskor.se (13 December 2006). Monaco drag sig ur Eurovision Song Contest (sueco). Retrieved on 9 February 2008.
  5. Ian Taylor (14 May 2007). From pariah state to kitsch victory: how a Balkan ballad showed Europe a new Serbia. The Guardian. Retrieved on 9 February 2008.
  6. Eurovision.tv. History by country. Retrieved on 20 August 2014.
  7. (EBU), European Broadcasting Union. «EBU – Members». www.ebu.ch (em inglês). Consultado em 29 de abril de 2018 
  8. Cava, Joel. «Escòcia, Kosovo i altres vies de TV3 per accedir a la UER i Eurovisió». ElNacional.cat. Consultado em 23 de dezembro de 2018 
  9. Muldoon, Padraig (3 de junho de 2015). «Eurovision 2016: EBU denies Kosovo and China rumours». Wiwibloggs. www.wiwibloggs.com. Consultado em 4 de junho de 2015 
  10. Park, Andrea (10 de maio de 2018). «China censors Ireland's gay-themed Eurovision performance». CBS News. Consultado em 10 de maio de 2018 
  11. «China Just Banned Hip-Hop Culture and Tattoos From Television». Time.com. 22 de janeiro de 2018 
  12. Avelino, Gerry (9 de maio de 2018). «China: Ireland and Albania removed from semi-final 1 broadcast». Eurovoix. Consultado em 9 de maio de 2018 
  13. «China channel barred from airing Eurovision». BBC News. 11 de maio de 2018. Consultado em 11 de maio de 2018 
  14. «Statement 10 May: EBU terminates this year's partnership with Mango TV». eurovision.tv. 10 de maio de 2018. Consultado em 10 de maio de 2018 
  15. Washington, Jessica (11 de maio de 2018). «China banned from broadcasting Eurovision after censoring same-sex dance». SBS News. Consultado em 11 de maio de 2018 
  16. Granger, Anthony (10 de junho de 2015). «Faroe Islands want to participate in the Eurovision Song Contest». eurovoix.com. Eurovoix. Consultado em 13 de junho de 2015 
  17. «The Faroe Islands wants EBU membership and right to participate at Eurovision». 30 de dezembro de 2018. Consultado em 5 de janeiro de 2019 
  18. Granger, Anthony (25 de março de 2015). «Gibraltar: No Plans To Broadcast Eurovision». eurovoix.com. Eurovoix. Consultado em 12 de setembro de 2016 
  19. Granger, Anthony (3 de maio de 2016). «Greenland: Will Not Broadcast Eurovision 2016». eurovoix.com. Eurovoix. Consultado em 12 de setembro de 2016 
  20. Granger, Anthony (4 de maio de 2017). «Greenland: KNR to broadcast Eurovision 2017 on timeshift». Eurovoix. Consultado em 4 de maio de 2017 
  21. «EBU on Twitter: "@Karl_Downey No broadcaster from Kazakhstan has formally applied to join the EBU"». Consultado em 19 de julho de 2015 
  22. «EBU on Twitter: "Under current rules @KhabarTV is not eligible for @Eurovision participation"». Consultado em 18 de dezembro de 2015 
  23. «Kazakhstan's Channel 31 claims: "We will participate in Eurovision 2019!"». ESCXTRA (em inglês). 22 de dezembro de 2017. Consultado em 23 de dezembro de 2017 
  24. «These are the 19 (!) countries taking part in Junior Eurovision 2018». junioreurovision.tv. European Broadcasting Union. 25 de julho de 2018. Consultado em 25 de julho de 2018 
  25. Cobb, Ryan. «Official EBU statement: "No plans" to invite Kazakhstan to Eurovision 2019». ESCXTRA. Consultado em 30 de julho de 2018 
  26. Cobb, Ryan. «Jon Ola Sand: Kazakhstan participation in adult Eurovision "needs to be discussed"». ESCXTRA. Consultado em 22 de novembro de 2018 
  27. Cobb, Ryan. «No entry in Eurovision 2019 for Kazakhstan, clarifies Jon Ola Sand». ESCXTRA. Consultado em 23 de novembro de 2018 
  28. «Article 3.3 (Active membership criteria)» (PDF). European Broadcasting Union 
  29. Van Lith, Nick (1 de dezembro de 2018). «Kosovo's RTK membership vote delayed until June, report claims». Escx 
  30. X Tra (19 de fevereiro de 2005). «Aline Lahoud to sing Quand tout s'enfuit». ESCToday. Consultado em 9 de maio de 2017. Cópia arquivada em 19 de maio de 2011 
  31. Christian, Nicholas (20 de março de 2005). «Nul points as Lebanon quits contest». Scotland on Sunday. Consultado em 9 de maio de 2017 
  32. «No, No, Never!!! – Songs That Did Not Make It To Eurovision». eurovisionsongs.net. Consultado em 9 de agosto de 2009. Arquivado do original em 1 de março de 2009 
  33. «The Eurovision Song Contest 1956 – present». BBC. 26 de abril de 2007. Consultado em 9 de agosto de 2009 
  34. Kuipers, Michael (24 de agosto de 2008). «Liechtenstein gets a TV station». ESCToday. Consultado em 9 de agosto de 2009 
  35. Backfish, Emma (31 de agosto de 2008). «Liechtenstein gets national TV station». Oikotimes. Consultado em 9 de agosto de 2009. Arquivado do original em 6 de setembro de 2008 
  36. «1FL TV from Lichtenstein not entering the EBU & Eurovision». Oikotimes. 6 de outubro de 2008. Consultado em 9 de agosto de 2009. Arquivado do original em 27 de julho de 2009