Abrir menu principal
Como ler uma infocaixa de taxonomiaRepolho
Cabbage.jpg
Classificação científica
Reino: Plantae
Divisão: Magnaeoliophyta
Classe: Magnoliopsida
Ordem: Brassicales
Família: Brassicaceae
Género: Brassica
Espécie: B. oleracea
Cultivares
Brassica oleracea, grupo Capitata

O repolho, subespécie da Brassica oleracea, grupo Capitata, é uma variedade peculiar de couve, constituindo um dos vegetais mais utilizados na cozinha, em diversas aplicações (sopas, conservas, acompanhamentos, massas, etc). É uma planta bianual, herbácea, da família das Brassicaceae ou crucíferas, as folhas superiores do caule aparecem encaixadas umas nas outras, formando o que é designado como uma "cabeça" compacta (daí o título de Capitata, dada ao grupo cultivar).

Este tipo cultivar formou-se por selecção a partir de espécies silvestres, mais semelhantes às couves-de-folhas do grupo Acephala (sem "cabeça"), originárias da região em torno do mar Mediterrâneo, cerca do ano 100 d.C.. Entre as variedades que, por sua vez, comporta, podemos citar a couve-roxa (considerada também como fazendo parte de outro grupo: Capitata Rubra) e a couve-lombarda (que também se pode considerar do grupo Sabauda). A chamada couve-chinesa, semelhante ao repolho, pertence a uma espécie diferente, do género Brassica (Brassica rapa, var. pekinensis).

O repolho é usado cozido ou em saladas. Como se conservava facilmente, foi um vegetal particularmente utilizado antes da invenção da refrigeração como meio de conservação de alimentos frescos. O chucrute (em que se usa especialmente a variedade Krautman), constituído por repolho fermentado é um acompanhamento muito apreciado em determinadas culturas (não tanto nas mediterrânicas).

As lagartas de algumas borboletas da família Pieridae alimentam-se de algumas variedades de repolho (são conhecidas como "lagartas-das-couves" ou "borboleta-das-couves"), constituindo, por vezes, autênticas pragas.

O sumo da couve-roxa (ou o caldo onde foi cozida) pode ser utilizado como indicador de pH, ficando vermelho em soluções ácidas e azul em soluções alcalinas.

A couve é ainda usada frequentemente como principal ingrediente em dietas de emagrecimento, como a dieta da sopa que é, contudo, criticada pelos nutricionistas por ser desequilibrada.

Índice

Composição químicaEditar

A composição química do repolho a cada 100 gramas é[1]:

Calorias 25,0
Água 93,0 g
Carboidratos 4,3 g
Proteínas 1,4 g
Gorduras 0,2 g
Sais Minerais 1,1 g
Vitamina A 235 UI
Vitamina B1 110,0 mcg
Vitamina B2 60,0 mcg
Vitamina B5 0,4 mg
Vitamina C 41,3 mg
Fósforo 32,0 mg
Ferro 0,57 mg
Cálcio 53,0 mg
Potássio 247,0 mg
Sódio 27,0 mg
Enxofre 25,0 mg

CultivoEditar

 
Cultivo de repolho na Galiza, Espanha

Existem diversas variedades, com exigências de cultivo diferentes, tempo de maturação diferentes e que implicam também um consumo diferenciado. Enquanto que algumas variedades atingem o ponto de colheita em 50 dias, produzindo cabeças reduzidas, a sua conservação é mais difícil, devendo ser consumidas rapidamente depois de colhidas. Outras variedades são colhidas cerca de 80 dias depois do seu transplante, produzindo cabeças de maiores dimensões e mais duradouras.

O repolho pode ser semeado directamente, ainda que o normal seja o plantio em canteiros, fazendo-se, posteriormente, mudas que são transplantadas definitivamente, com o devido espaçamento entre as plantas, para que se possam desenvolver de forma adequada.

O controlo de pragas (míldio, afídeos, mosca-branca, lagartas, nóctuas e roscas) é importante, principalmente em caso de produção para venda posterior, já que os consumidores evitam as folhas danificadas.

DoençasEditar

PragasEditar

TiposEditar

Todos os tipos de repolhos são parecidos no quesito nutricional. Em geral, existem cinco tipos de repolho:[2]

  • repolho-roxo: é um repolho mais escuro, com tons de roxo escuro e pontos brancos. Beneficia na prevenção do envelhecimento precoce, reduz as chances de câncer, melhora a saúde da pele e dos olhos, ajuda na perda de peso, estimula o sistema imunológico, ajuda a construir ossos mais fortes, desintoxica o organismo, previne diabetes , melhora a saúde do coração, retarda o aparecimento da doença de Alzheimer, e trata úlceras.[3]
  • repolho-liso: um dos mais comuns de serem encontrados, em coloração verde-claro.
  • repolho-crespo: um pouco mais escuro, além de ser bem mais enrugado do que o liso. Possui folhas crespas e crocantes, que além de ornamentar os pratos apresenta sabor suave.[4]
  • repolho-chinês: é esverdeado, porém, tem um tamanho bem menor do que os demais, tem forma pontiaguda, sabor suave, mais suculento e mais fácil de digerir do que os demais.[5]
  • repolho-de-bruxelas: é pequeno e costuma ter formato arredondado, com as folhas bem próximas uma das outras.

Uso medicinalEditar

Pode ser usado no combate a úlceras internas, abcessos, enfermidades do estômago, nevralgias faciais e dentárias, hemorroidas, tuberculose, gota, reumatismo, erisipela, distúrbios intestinais. Também pode ser usado em cataplasmas em abcessos.[1]

Referências

  1. a b http://www.livrodereceitas.com/diversos/alimentos/repolho.htm
  2. Treino Mestre
  3. [www.saudedica.com.br/os-beneficios-do-repolho-roxo-para-saude/amp/ Saude dica]
  4. http://[www.revistacampoenegocios.com.br/repolho-crespo-um-novo-nicho-de-mercado/ Revista Campo e negocios]
  5. Love my salad

Ligações externasEditar

 
Diversas variedades de Brassica oleracea, incluindo plantas do grupo Acephala, couves-de-bruxelas, couves-de-sabóia, e couve-chinesa-kairan