Rio Cuanza

É um rio angolano
Cuanza
Rio Cuanza próximo de Dondo
Rio Cuanza
Rio Cuanza
Comprimento 960 km
Nascente Mumbué, Chitembo, Bié
Altitude da nascente 1 929,74 m
Foz Oceano Atlântico
Bacia hidrográfica Bacia do Cuanza
Área da bacia 152 570 km²
Afluentes
principais
Lucala, Mucoso, Lombe, Cuíje, Cuque, Luando, Cuíva, Cuíme, Chimbamdiango, Gango, Cutato, Cunhinga, Lúbia, Cunje, Cuquema
País(es)  Angola
País(es) da
bacia hidrográfica
 Angola

O rio Cuanza[nota 1] é o maior rio exclusivamente angolano.

O rio Cuanza nasce em Mumbué, município do Chitembo, Bié, no Planalto Central de Angola.[1] O seu curso de 960 km desenha uma grande curva para Norte e para Oeste, antes de desaguar no Oceano Atlântico, na barra do Cuanza, a sul de Luanda.

Sua bacia hidrográfica, a bacia do Cuanza, possui 152.570 km², sendo que o único rio plenamente navegável é o próprio Cuanza, por cerca de 258 km, desde a foz até ao Dondo/Cambambe. As hidroelétricas de Cambambe, Capanda e Laúca produzem grande parte da energia eléctrica consumida em Luanda. Seus lagos artificiais também fornecem água para irrigação de plantações de cana-de-açúcar e outras culturas no vale do Cuanza.

É no maior afluente do Cuanza, o rio Lucala, que se encontram as grandes Quedas de Calandula[nota 2]. Junto da foz do rio fica o Parque Nacional da Quissama.

O rio Cuanza foi o berço do antigo reino do Ndongo, tendo também sido uma das vias de penetração dos portugueses em Angola no século XVI.

O rio dá o seu nome a duas províncias de Angola — Cuanza Norte, na sua margem norte, e Cuanza Sul, na margem oposta — bem como, desde 1977, à unidade monetária nacional, o kwanza.

Notas

  1. Também grafado Kwanza e, antes de 1911, Coanza.
  2. Antes de 1975 eram conhecidas como Quedas do Duque de Bragança.

Referências

Ver tambémEditar


  Este artigo sobre geografia de Angola, integrado no Projecto Angola, é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.