SBT Pará

emissora de televisão brasileira de Belém, PA

SBT Pará é uma emissora de televisão brasileira sediada em Belém, capital do estado do Pará. Opera no canal 5 (26 UHF digital), e é uma emissora própria do SBT. A emissora foi inaugurada em 1981 pelo empresário Silvio Santos, juntamente com o SBT, após este ter arrematado três concessões da antiga Rede Tupi, sendo a de Belém a da antiga TV Marajoara.

SBT Pará
TVSBT - Canal 5 de Belém S/A
Belém, Pará
Brasil
Tipo Comercial
Canais Digital: 26 UHF
Virtual: 5 PSIP
Outros canais 5 / 505 HD (Claro TV)
6 / 506 HD (Roma Cabo)
ver mais
Analógico:
2 VHF (1981)
5 VHF (1981-2018)
Sede Bandeira de Belém.svg Belém, PA
Slogan Tão paraense quanto você
Rede SBT
Fundador(es) Silvio Santos
Pertence a Grupo Silvio Santos
Proprietário(s) Silvio Santos
Presidente Renata Abravanel
Fundação 2 de setembro de 1981 (39 anos)
Prefixo ZYB 200
Nome(s) anterior(es) TVS Belém (1981-1990)
SBT Belém (1990-2012)
Cobertura Cerca de 85% do estado do Pará
Coord. do transmissor 1° 27' 24.3" S 48° 29' 39.6" O
Potência 10 kW
Agência reguladora ANATEL
Página oficial sbt.com.br/home

HistóriaEditar

 Ver artigos principais: TV Marajoara e Rede Tupi

Em 30 de setembro de 1961, os Diários Associados inauguraram a TV Marajoara, emissora própria da Rede Tupi e primeira emissora da cidade de Belém e do estado do Pará. Durante sua existência, a TV Marajoara produziu vários programas locais e também exibia programas nacionais produzidos pela TV Tupi São Paulo e pela TV Tupi Rio de Janeiro, geradoras da Rede Tupi. Embora estivesse financeiramente em dia com suas dívidas, isso não evitou que o Governo Federal decretasse o seu fechamento em 18 de junho de 1980, juntamente com a Rede Tupi de Televisão.

Com o fechamento da Tupi e consequentemente da Marajoara, o Governo Federal lançou ainda em 1980 uma concorrência pública para as 7 concessões cassadas da Rede Tupi, juntamente com a da TV Excelsior de São Paulo (extinta em 1970) e o canal 9 do Rio de Janeiro (antiga TV Continental), para os empresários Adolpho Bloch e Silvio Santos. Silvio ficou com as concessões da Tupi em São Paulo (TV Tupi São Paulo), Porto Alegre (TV Piratini) e Belém (TV Marajoara), além do canal 9 do Rio de Janeiro (TV Corcovado, hoje CNT Rio de Janeiro). As outras concessões foram para Bloch, que formou a Rede Manchete em 1983.

Através das concessões que adquiriu, Silvio Santos criou em 19 de agosto de 1981 o Sistema Brasileiro de Televisão (SBT), juntamente com suas emissoras próprias, a TVS São Paulo (geradora e atual SBT São Paulo), a TVS Rio de Janeiro (atual SBT Rio, que já existia desde 1976) e TVS Porto Alegre (atual SBT RS, que foi inaugurada em 26 de agosto). Em 2 de setembro, duas semanas após a inauguração do SBT, a TVS Belém foi oficialmente inaugurada.[1] Naquela época, sua estrutura se dividia entre os estúdios montados no 25.º andar do Edifício Manoel Pinto da Silva no bairro Nazaré, onde anteriormente funcionava a sede da TV Guajará (que havia se mudado para a antiga sede da TV Marajoara), e o centro exibidor e a torre de transmissão localizados na Avenida Alcindo Cacela, 2304, no bairro da Cremação, onde tempos depois, todos os departamentos foram reunidos.[2]

No fim deste mês, a pedido do Ministério das Comunicações, a TVS Belém passou do canal 2 VHF para o 5 VHF, como forma de organizar as frequências dos canais de Belém.[2] O canal 2 ficou fora do ar após a troca e só voltaria a ser ocupado novamente em 2 de janeiro de 1987 pela TV Cultura do Pará. Em 1.º de janeiro de 1990, a TVS Belém, bem como as outras emissoras próprias do SBT, abandona a nomenclatura TVS e passa a se chamar SBT Belém.

Em 19 de outubro de 2009, um dia após o início do horário de verão no centro-sul brasileiro, o SBT Belém passou a gerar sinal alternativo ao da matriz paulistana, para os estados das regiões do Norte, Nordeste e Centro-Oeste (apenas Mato Grosso e Mato Grosso do Sul), por conta das normas impostas pelo Ministério das Comunicações para classificação indicativa dos programas de TV no país. O sinal conhecido como "Rede Fuso", consistia em retardar a programação do SBT em 1 hora em relação a geração original, exibindo antes do seriado Supernatural, a série Smallville por 1 hora, garantindo assim que os programas da linha de shows se encaixassem nos horários aptos a sua exibição. No entanto, podia-se notar que a qualidade da imagem era bem inferior a que era gerada pela rede, com alguns chuviscos e travamentos. A programação voltou ao normal em 23 de janeiro de 2010, quando faltava um mês para o fim da vigência do horário de verão.

Em 1.º de junho de 2012, o SBT Belém passa a se chamar SBT Pará. Em 21 de outubro, novamente por determinação do Ministério das Comunicações, o SBT Pará volta a gerar sinal alternativo para as emissoras das regiões Norte, Nordeste e os estados do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, para adequação as regras de classificação indicativa, em função do horário de verão no centro-sul do país. Logo após a telenovela Carrossel, era exibida a série Eu, a Patroa e as Crianças (substituída posteriormente por Arnold) por uma hora, e em seguida o Programa do Ratinho. Durante os sábados, a série era exibida logo após o Esquadrão da Moda, e aos domingos não havia o atraso de rede. A partir de 2013, também como consequência do horário de verão, as retransmissoras do SBT no estado de Sergipe passaram a repetir o sinal do SBT Pará. A emissora ficou incumbida de gerar a programação em delay até 2019, quando o Governo Federal aboliu o horário de verão.

Em 18 de novembro de 2013, o SBT Pará inaugurou sua nova sede no bairro Batista Campos, na Travessa Presidente Pernambuco, 72, em substituição a antiga sede que a emissora tinha na Cremação. Embora a nova sede tenha sido inaugurada apenas em novembro, ela já estava pronta desde o início do ano, além dos estúdios e da torre de transmissão já estarem sendo utilizados desde 17 de junho.

Sinal digitalEditar

Canal virtual Canal físico Resolução de tela Programação
5.1 26 UHF 1080i Programação principal do SBT Pará / SBT

Em 12 de abril de 2014, o SBT Pará iniciou suas transmissões digitais pelo canal 26 UHF, porém ainda em testes. No dia 1.º de junho, inaugurou oficialmente seu sinal digital através do canal 26 UHF. A divulgação do sinal digital foi feita através de uma nota postada na página oficial da emissora no Facebook, e em anúncios nos jornais da cidade de Belém. No dia seguinte, o telejornal SBT Pará também mostrou um teaser sobre a nova tecnologia. Em 4 de agosto, assim como todas as emissoras próprias do SBT, o SBT Pará passa a exibir toda a sua programação local em alta definição. A confirmação oficial, no entanto, só veio em 25 de agosto.[3]

Transição para o sinal digital

Com base no decreto federal de transição das emissoras de TV brasileiras do sinal analógico para o digital, o SBT Pará, bem como as outras emissoras de Belém, cessou suas transmissões pelo canal 5 VHF em 30 de maio de 2018, seguindo o cronograma oficial da ANATEL.[4]

ProgramasEditar

Atualmente, a emissora produz apenas o telejornal SBT Pará, apresentado por Nara Bandeira, no período vespertino de segunda a sexta, e o boletim jornalístico SBT Redação, com exibição diária. Dentre as filiais do SBT, é a que possui menor programação local.

JornalismoEditar

Os primeiros anos do jornalismo da TVS Belém foram representados por um telejornal de 10 minutos que era levado ao ar quando a emissora abria a sua programação no fim da tarde, a fim de se cumprir a legislação vigente. Como naquela época a TVS funcionava no Edifício Manoel Pinto da Silva, o noticiário era gravado antes de ir ao ar e as fitas eram levadas depois até o centro de transmissão na Cremação. Em 1984, passou a ir ao ar o Jornal da Cidade, exibido às 19h15. O programa tinha dez minutos de duração, sendo transmitido antes do jornal Noticentro, e era apresentado por Ronaldo Porto e Norma Aguiar.[2]

Em 1986, o Jornal da Cidade foi substituído pelo Cidade 5, e teve a duração ampliada para meia-hora. Em 1989, consoante a estreia do TJ Brasil um ano antes, o Cidade 5 foi substuituído pelo TJ Pará, seguindo a padronização dos demais noticiários locais das emissoras do SBT. O TJ Pará deixou de ir ao ar em 18 de maio de 1991, para ceder espaço ao Aqui Agora, mas diferente de outras filiais do SBT, teve breves retornos ao longo da década de 1990, sendo também intitulado como TJ Belém.[2]

Em 2001, após alguns anos sem programação local, foi lançado o telejornal SBT Belém, apresentado por Úrsula Vidal, e o SBT Esporte, apresentado por Edson Matoso. Posteriormente, o SBT Belém foi renomeado como Jornal do SBT Pará. Já em 21 de fevereiro de 2011, o nome do programa muda novamente, adotando o atual SBT Pará, cuja apresentação ficou a cargo do jornalista Nyelsen Martins.[5] Em 20 de outubro, o apresentador do SBT Esporte, Edson Matoso, foi afastado e posteriormente demitido da emissora após reagir ao vivo com xingamentos a publicações ofensivas que o jogador Josiel havia feito ao estado do Pará em suas redes sociais. Com sua saída, o programa passou a ser apresentado por Alex Ferreira, que chefiava a equipe do SBT Esporte desde 2008.[6]

Em 23 de abril de 2014, o telejornal SBT Pará passa a ser apresentado pelo jornalista Valdo Souza, em substituição a Nyelsen Martins.[7] No mesmo ano, a emissora fez a cobertura do Círio de Nazaré gerando imagens em alta definição, sendo a primeira emissora do Pará a fazer a transmissão do evento religioso nesse formato.

No início de 2015, a emissora encerrou o contrato com a equipe responsável pela produção do SBT Esporte Pará, e a partir de 26 de janeiro, o programa passou a ser apresentado por Plácido Ramos, com reportagens de Ronald Santos e Pedro Paulo Blanco (posteriormente substituído por Ronaldo Gillet).[8] A atração ficou no ar até 30 de dezembro de 2016, e com isso, o SBT Pará teve sua duração ampliada em mais 25 minutos, bem como tornando-se a única produção local da emissora.

Em novembro de 2020, Valdo Souza deixou a apresentação do SBT Pará, sendo substituído pela repórter Nara Bandeira, que anteriormente já apresentava o telejornal de maneira interina.

EntretenimentoEditar

O SBT exibiu um programa de entretenimento local pela primeira vez em 12 de novembro de 1988, quando levou ao ar o piloto do Programa Carlos Santos na TV, programa de auditório apresentado pelo radialista e empresário Carlos Santos, que estreou oficialmente em abril de 1989, pela TV Guajará.[2]

Como a emissora sempre se dispôs a produzir programas jornalísticos, a primeira produção do gênero de entretenimento só veio na década de 2000, com a reativação da programação local. Neste ínterim, foi lançado aos sábados o Etc. e tal, programa de variedades apresentado por Úrsula Vidal. Em 2014, o programa foi temporariamente apresentado por Adriana Cavalcante, em razão de Úrsula Vidal ter se candidatado à deputada estadual nas eleições daquele ano. Em 2016, Úrsula candidatou-se novamente a um cargo eletivo, desta vez para a prefeitura de Belém, e o programa deixou de ser exibido.

RetransmissorasEditar

Lista de retransmissoras
Cidade Analógico Digital Cidade Analógico Digital Cidade Analógico Digital
Abaetetuba 23 - Afuá 09 - Alenquer 11 -
Altamira 10 - Anajás 13 - Bagre 13 -
Benevides 05 - Bom Jesus do Tocantins 04 - Brasil Novo 16 -
Breves 08 - Cametá 13 - Canaã dos Carajás 05 -
Capanema 06 - Carajás (Parauapebas) 05 - Conceição do Araguaia 14 -
Curionópolis 19 - Curralinho 07 - Curuçá 09 -
Dom Eliseu 09 - Eldorado dos Carajás 13 - Goianésia do Pará 08 -
Gurupá 07 - Itaituba 07 - Jacareacanga 11 -
Jacundá 03 - Mãe do Rio 08 - Mocajuba 13 -
Muaná 13 - Nova Ipixuna 12 - Novo Progresso 14 -
Óbidos 12 - Pacajá 08 - Paragominas 03 -
Parauapebas 05 - Portel 15 - Primavera 10 -
Pau D'Arco 07 - Redenção 07 - Rio Maria 02 -
Rondon do Pará 03 - Rurópolis 09 - Salinópolis 06 25
Santana do Araguaia 07 - São Félix do Xingu 04 - São Miguel do Guamá 12 -
São Sebastião da Boa Vista 11 - Soure 11 - Tailândia 09 -
Tomé-Açu 06 - Tucumã 06 - Ulianópolis 13 -
Uruará 09 - Xinguara 13 -

Referências

  1. Aragão, Diana (19 de agosto de 1981). «Canal 4 de São Paulo entra no ar hoje». PUC-Rio. Jornal do Brasil. Consultado em 30 de abril de 2016 
  2. a b c d e Ferreira, Renata Cláudia Martins (2011). «Sucesso no rádio e na televisão, o programa de auditório não morre: uma análise do Programa Carlos Santos na TV» (PDF). UNAMA. Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  3. Falcheti, Fabrício (22 de agosto de 2014). «Filiadas do SBT terão todos os seus programas locais em HD; entenda». NaTelinha - UOL. Consultado em 12 de setembro de 2014 
  4. Higa, Paulo (15 de fevereiro de 2016). «Quando a TV analógica será desligada na sua cidade». Tecnoblog. Consultado em 30 de janeiro de 2017 
  5. Ricco, Flávio (26 de fevereiro de 2011). «Sob pressão». A Gazeta do Acre. Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  6. «Josiel critica o Pará e deixa apresentador local descontrolado». UOL. 20 de outubro de 2011. Consultado em 20 de janeiro de 2021 
  7. Vaquer, Gabriel (23 de abril de 2014). «"SBT Pará" ganha novo apresentador e estreia nova fase nesta quarta». NaTelinha - UOL. Consultado em 25 de abril de 2014 
  8. «SBT Pará muda equipe de programa esportivo; estreia acontece nesta segunda-feira». esporteemidia.com. 25 de janeiro de 2015. Consultado em 20 de janeiro de 2021 

Ligações externasEditar

Precedido por
TV Marajoara
Canal 2 VHF de Belém
08/1981 - 09/1981
Sucedido por
Fora do Ar (1981-1987)
TV Cultura do Pará