Abrir menu principal
Simão da Gama
Arcebispo da Igreja Católica
Bispo do Algarve
Arcebispo de Évora
Retrato de D. Simão da Gama enquanto Reitor da Universidade de Coimbra (Sala do Exame Privado)
Ordenação e nomeação
Ordenação episcopal (1685-1703)
(1703-1715)
Nomeado arcebispo 1 de outubro de 1703
Brasão arquiepiscopal
Archbishop CoA PioM.svg
Dados pessoais
Nascimento PortugueseFlag1385.svg Lisboa, Reino de Portugal
25 de julho de 1642
Morte PortugueseFlag1385.svg Lisboa, Reino de Portugal
5 de agosto de 1715
Arcebispos
Categoria:Hierarquia católica
Projeto Catolicismo

Simão da Gama (Lisboa, 25 de Julho de 1642 - Lisboa, 5 de Agosto de 1715), religioso português, bispo do Algarve (1685-1703), arcebispo de Évora (1703-1715), descendente de Vasco da Gama por via paterna e de João Gonçalves Zarco por via materna.

Com efeito, era o terceiro filho (segundo varão) de D. Vasco Luís da Gama, 5.º conde da Vidigueira e 1.º Marquês de Nisa (e assim quadrineto do descobridor do caminho marítimo para a Índia) e de Inês de Noronha, filha de Simão Gonçalves da Câmara (3.º Conde da Calheta), e dessa forma hexaneto do primeiro donatário do Funchal.

Destinado à vida religiosa por não ser filho primeiro, cursou filosofia e teologia na Universidade de Coimbra, instituição da qual chegou a ser reitor (1679-1685). Exerceu também as funções de cónego da Sé de Lisboa, familiar do Santo Ofício e camareiro-mor do rei D. Pedro II, que o recompensou com o governo da Diocese do Algarve, em 1685.

À frente desta, destaca-se pela protecção e desenvolvimento dos banhos das Caldas de Monchique, na povoação do mesmo nome (1692), no interior da serra algarvia, bem como ainda a desanexação da paróquia de Olhão da de Quelfes, em 10 de Julho de 1695, e a construção da respectiva igreja dedicada a Nossa Senhora do Rosário, prenunciando o grande impulso de desenvolvimento que a freguesia viria a ter ao longo de todo o século seguinte e que culminaria na fundação do concelho em 1808.

Em 19 de Novembro de 1703 foi provido no cargo de arcebispo de Évora, que viria a exercer até à morte; porém, a partir de 31 de Março de 1704, chamado para fazer parte do Conselho de Estado, estabeleceu residência em Lisboa, cidade que não mais voltou a abandonar, governando a sua arquidiocese por meio de vigários-gerais.


Precedido por
Reitor da Universidade de Coimbra
1679 - 1685
Sucedido por
Precedido por
José de Menezes
Brasão episcopal
Bispo do Algarve

1685 - 1703
Sucedido por
António Pereira da Silva
Precedido por
Luís da Silva Teles
Brasão arquiepiscopal
Arcebispo de Évora

1703 - 1715
Sucedido por
Miguel de Távora
Ícone de esboço Este artigo sobre Episcopado (bispos, arcebispos, cardeais) é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.