Abrir menu principal

Valproato

composto químico
(Redirecionado de Valproato de sódio)
Broom icon.svg
As referências deste artigo necessitam de formatação (desde outubro de 2018). Por favor, utilize fontes apropriadas contendo referência ao título, autor, data e fonte de publicação do trabalho para que o artigo permaneça verificável no futuro.
Valproato
Alerta sobre risco à saúde
Valproic acid.svg
Valproic acid3Dan.gif
Nome IUPAC 2-propylpentanoic acid
Identificadores
Número CAS 99-66-1
PubChem 3121
DrugBank APRD00256
ChemSpider 3009
Código ATC N03AG01
SMILES
Propriedades
Fórmula química C8H16O2
Massa molar 144.2 g mol-1
Farmacologia
Biodisponibilidade Rápida absorção
Via(s) de administração Oral e intravenoso
Metabolismo Hepaticglucuronide conjugation 30–50%, mitochondrial β-oxidation over 40%
Meia-vida biológica 9–16 horas
Ligação plasmática Dependente da concentração, de 90% em 40 µg/mL a 81.5% em 130 µg/mL
Excreção Menos de 3% excretados inalterados em urina.
Classificação legal


POM (UK) ? (US)

Riscos na gravidez
e lactação
X Teratogênico
Exceto onde denotado, os dados referem-se a
materiais sob condições normais de temperatura e pressão

Referências e avisos gerais sobre esta caixa.
Alerta sobre risco à saúde.

O valproato sódico ou ácido valproico é um anticonvulsivantes e estabilizador de humor muito usado no tratamento de epilepsia (generalizadas ou focais), convulsões, transtorno bipolar e enxaqueca. Usado no transtorno bipolar, serve para prevenir episódios de mania (euforia) e de depressão, do que decorre o fato de ser um ótimo estabilizador de humor, aplicado muitas vezes quando o lítio não pode ser utilizado.

ApresentaçãoEditar

Disponível em comprimido, cápsulas e xarope que devem ser armazenados a temperatura ambiente (15-30ºC) em lugar seco e sem sol. Pode ser em cápsulas de ação imediata, retardada ou prolongada e de 125mg, 250mg ou 500mg. Demora alguns dias para chegar ao efeito máximo.[1] Disponível em versão injetável para crises convulsivas. Nomes comerciais: Depakene, Depakine, Depakote, Divalproex, Epilim, Valparin, Valpakine,Torval CR, Epilenil.

UsoEditar

É usado para tratar tratamento de[2]:

FarmacodinâmicaEditar

Tal como a fenitoína e a carbamazepina, o valproato bloqueia as descargas repetidas e prolongadas dos neurônios, que estão por trás de uma crise epilética. Estes efeitos devem-se, em doses terapêuticas, à diminuição da condutância dos canais de sódio voltagem-dependentes e inibição da Gaba Transaminase, enzima que realiza a degradação do GABA, neurotransmissor inibitório.[3]

Contra-indicaçõesEditar

Não deve ser usado por grávidas nem por lactantes, deve-se substituí-lo por outro anticonvulsivo. Pode inibir a cicatrização (trombocitopénia), especialmente quando acompanhado de um AINEs ou heparina. Não deve ser usado por pacientes com hepatotoxicidade ou distúrbio no ciclo da ureia.[3]

Inibe o CYP2C9, a glucuronil transferase e o epóxido hidroxilase. Interage medicamentosamente com vários anticoagulantes, ansiolíticos, antidepressivos, antipsicóticos, anticonvulsivantes e com a zidovudina. Potencializa os efeitos do álcool. Nunca deve-se usar junto com Amifampridina.[3]

Efeitos adversosEditar

Relativamente aos seus efeitos secundários, os agudos incluem náuseas, vómitos, dor abdominal, aumento de peso, dor na barriga e alopecia.

Referências