Volkstaat

"Volkstaat" (uma palavra da Língua africâner que significa "estado do povo", literalmente "Estado Popular") é um termo usado para descrever as propostas para estabelecer a auto-determinação para os Africânderes na África do Sul, querendo uma federação ou como uma nação Africândere totalmente independente.

Seguindo o Grande Trek da década de 1830 e 1840, os pioneiros africânderes expressam uma unidade de auto-determinação e independência através da criação de várias repúblicas, durante o resto do século XIX. O fim do apartheid e o estabelecimento sufrágio universal na África do Sul em 1994 deixou alguns africânderes se sentirem desiludidos e marginalizados pelas mudanças políticas, e resultou em uma proposta da República Volkstaat autónoma.

Vryheidsvlag (bandeira da liberdade), bandeira do Afrikaner Volksfront[1]

Vários métodos diferentes têm sido propostas para o estabelecimento da Volkstaat. Além do uso da força, a Constituição Sul-Africana e de direito apresentam certas possibilidades internacionais para estabelecimento[2]. A dispersão geográfica das comunidades africânderes minoritárias em toda a África do Sul apresenta um obstáculo significativo para a criação da Volkstaat, como africânderes não formam uma maioria em qualquer área geográfica separada que poderia ser sustentável de forma independente. Os defensores da proposta foram estabelecidos três cooperativas de terra, Orania no Cabo do Norte, Kleinfontein em Gauteng, e Balmoral em Mpumalanga, como tentativa de implementações práticas da ideia.

Veja também Editar

Referências Editar

  1. «National Archives of South Africa (NASA) Database Selection». www.national.archsrch.gov.za. Consultado em 19 de outubro de 2016 
  2. «The United Nations and Decolonization». www.un.org (em inglês). Consultado em 19 de outubro de 2016