Abrir menu principal

500 Milhas de Indianápolis de 1995

Indianápolis 1995
Indianapolis 500 de 1995
Indianapolis Motor Speedway - Speedway.png
Detalhes da corrida
Categoria CART
Data 28 de maio de 1995
Nome oficial 500 Milhas de Indianápolis
Local Indianapolis Motor Speedway,
Speedway,  Indiana
Total 200 voltas / km
Pole
Piloto
Estados Unidos Scott Brayton Menards
Volta mais rápida
Piloto
Canadá Scott Goodyear Tasman Motorsports
Líder por mais voltas
Piloto
Brasil Maurício Gugelmin Pacwest-Ford
Pódio
Primeiro
Canadá Jacques Villeneuve Team Green-Ford
Segundo
Brasil Christian Fittipaldi Walker-Ford
Terceiro
Estados Unidos Bobby Rahal Rahal-Hogan Racing
Cronologia
Temporada da CART de 1995
Nazareth 1995
Milwaukee 1995
500 Milhas de Indianápolis
Indianápolis 1994
Indianápolis 1996

A septuagésima-nona edição das 500 Milhas de Indianápolis foi realizada em 28 de maio de 1995. Teve como vencedor o canadense Jacques Villeneuve, da Team Green.

A prova ficou marcada pela ausência da Penske, que não classificara seus pilotos Emerson Fittipaldi e Al Unser, Jr. para o grid de largada, além do violento acidente de Stan Fox, da Hemelgarn, ainda na primeira volta da corrida.

Índice

Resumo do fracasso da Penske em IndianápolisEditar

Primeiros treinosEditar

Durante testes realizados em abril, Emerson Fittipaldi e Al Unser, Jr. chegaram a alcançar 228 mph, insuficiente, porém, para deixá-los satisfeitos; para comparação, os carros da Menards, que não participariam de toda a temporada de 1995, superavam 230 mph com facilidade.

A Penske só entraria na pista após o primeiro treino, iniciado em 6 de maio. Emerson e Unser não passavam de 226 ou 227 mph em suas melhores voltas - Arie Luyendyk, da Menards, marcou 234,107 mph (volta mais rápida de Indianápolis até então).

A definição da pole veio no dia 13, tendo Scott Brayton garantido a primeira colocação, enquanto que Emerson e Unser mal superavam as 221 mph. A Penske revistou o PC-24 e descobriu um problema no assoalho, que causava um desserviço ao carro, tirando pressão aerodinâmica e fazendo o bólido subesterçar exatamente no meio das curvas, obrigando os pilotos a tirar o pé nas curvas 1 e 3. Em 1994, o motor Mercedes 500I mascarava tal problema. Na segunda semana de treinos livres, Roger Penske solicitou um novo assoalho, desistindo de participar do Pole Day. Como este assoalho demoraria um pouco para ficar pronto, a Penske decidiu que um dos pilotos guiaria o PC-24, enquanto o outro teria que guiar um carro de outra equipe. Por contrato, carros com motores Mercedes e pneus Goodyear teriam que ser usados.

Pole DayEditar

A Pagan Racing, equipe de pequeno porte do grid, cedeu um Reynard de 1994 que servia de spare-car para o colombiano Roberto Guerrero. Emerson Fittipaldi e Al Unser, Jr. decidiriam quem pilotaria este carro, tendo o norte-americano a "duvidosa" responsabilidade. Emerson teve que se contentar com o PC-23, que no entanto possuía os mesmos problemas do PC-24, se arrastando com uma média de apenas 220 mph. Unser pilotaria o Reynard da Pagan no dia 16, mas acabaria marcando uma média de apenas 218 mph. Enquanto isso, Roger Penske seguia atrás de um outro chassi na tentativa de se classificar. A Rahal-Hogan Racing decide, então, emprestar um carro atualizado para Emerson tentar uma vaga no grid. A entrega foi uma retribuição de Bobby Rahal à Penske, que cedera dois carros para o tricampeão da CART, que não conseguira largar com seu Lola-Honda, e terminaria em terceiro lugar na Indy 500 de 1994.

Pensando em entregar o novo assoalho, Roger Penske entrega o Lola-Mercedes a Emerson, que vira 223 mph (média boa para as condições da pista naquele momento). Em contrapartida, Unser não conseguia melhorar suas marcas com um carro que mal passava de 218 mph. No dia 19, Emmo marcara 226 mph e chegou a obter 227,814 mph, suficiente para se classificar. Unser fazia o possível com seu carro, fazendo a marca de 219 mph. Bobby Rahal decidiu ceder um segundo Lola-Mercedes de sua equipe, tentando fazer com que a Penske tivesse condições de classificação.

No penúltimo dia de definição do grid, Emerson faz 224,955 mph. Na segunda, faz 225,445 e 226,097 na terceira tentativa. Roger Penske, acreditando que sua equipe teria capacidade para obter média melhor, ergue a bandeira amarela e invalida a tentativa do brasileiro, que reclamou bastante. No mesmo tempo, Al Unser, Jr. mal superava 222 mph. A saída foi disputar o Bump Day.

O Bump DayEditar

Faltando apenas três vagas no grid, Emerson e Unser se juntariam a Jeff Ward (Arizona Motorsports), Marco Greco (Galles), Johnny Parsons (Project Indy), Franck Fréon (Autosport Racing Team), Davey Hamilton (Hemelgarn), Scott Sharp (Foyt), Stefan Johansson (Bettenhausen), Davy Jones (Dick Simon), Jim Crawford (Hemelgarn), Michael Greenfield (Greenfield Racing), Mike Groff (Ganassi), Dean Hall e Tero Palmroth (também da Dick Simon) na disputa das últimas vagas no Bump Day.

Sharp garantiu sua presença no grid após fazer a média de 225,711 mph. Emerson vai à pista logo depois e faz 224,907 mph, contrariando Roger Penske. A explicação era de que a válvula de pressão de turbo teve problemas, impedindo o brasileiro de marcar uma média melhor. Davy Jones marca 225,135 mph e se garante no grid. Emmo cai para a trigésima-terceira posição, e o bicampeão de Indianápolis passa a ser o "Bubble" (piloto a ser expulso do grid). Al Unser Jr. volta à pista para tentar empurrar seu companheiro de equipe para fora do grid, mas não é bem-sucedido: fez 221,992 mph de média, encerrando sua participação em Indy.

Faltando dez minutos para o término do Bump Day, Stefan Johansson, com um Penske PC-23 (o mesmo carro usado em 1994) pintado de azul e vermelho, faz 224,826 mph na primeira volta, 225,739 na segunda, 225,921 na terceira e 225,705 na última volta. Com 225,547 mph de média, o sueco obtém a trigésima-primeira posição e tira Emerson do grid, fazendo com que a Penske ficasse de fora das 500 Milhas de Indianápolis pela primeira (e única) vez em sua história.

GridEditar

Fila Abre a fila Meio da fila Fecha a fila
1   Scott Brayton   Arie Luyendyk (W)   Scott Goodyear
2   Michael Andretti   Jacques Villeneuve   Maurício Gugelmin
3   Robby Gordon   Scott Pruett   Jimmy Vasser
4   Hiro Matsushita   Stan Fox   André Ribeiro (R)
5   Roberto Guerrero   Eddie Cheever   Teo Fabi
6   Paul Tracy   Alessandro Zampedri (R)   Danny Sullivan (W)
7   Gil de Ferran (R)   Hideshi Matsuda   Bobby Rahal (W)
8   Raul Boesel   Buddy Lazier   Eliseo Salazar (R)
9   Adrian Fernández   Éric Bachelart   Christian Fittipaldi (R)
10   Lyn St. James   Carlos Guerrero (R)   Scott Sharp
11   Stefan Johansson   Davy Jones   Bryan Herta
  • Bryan Herta bateu seu carro durante o Carburation Day, tendo que correr com um carro reserva.

Não-classificadosEditar

O acidente de Stan FoxEditar

Stan Fox, que disputaria novamente apenas as 500 Milhas pela Hemelgarn, obteve o 11º lugar, seu melhor resultado em 10 temporadas. Largando entre Hiro Matsushita (Arciero Racing) e André Ribeiro (Tasman), o piloto de 42 anos aproveitou a entrada de Robby Gordon (Walker) e ganhou uma posição.

Na tentativa de evitar a ultrapassagem de Eddie Cheever, o Reynard-Ford #91 de Fox escorrega para a esquerda, e para controlá-lo, vira o volante para a direita. No entanto, ele roda em direção ao muro, levando Cheever, e os 2 batem a 290 km/h. Christian Fittipaldi comparou o acidente a "uma bomba explodindo" na pista. Gil de Ferran (Hall Racing), Lyn St. James e Carlos Guerrero (ambos da Dick Simon Racing) também se envolveram na batida.

O carro de Fox, completamente destroçado, se arrasta na pista e para em seguida, deixando as pernas do piloto expostas. Levado ao hospital em estado gravíssimo, ele sofreu lesões no cérebro, arranhões nas pernas e nos braços.

ResultadoEditar

Pos final Pos inicial N.º Nome Qual Rank Voltas Led Posição
1 5 27   Jacques Villeneuve 228.397 5 200 15 Corrida
2 27 15   Christian Fittipaldi 226.375 18 200 0 Corrida
3 21 9   Bobby Rahal 227.081 12 200 1 Corrida
4 24 7   Eliseo Salazar 225.023 33 200 0 Corrida
5 7 5   Robby Gordon 227.531 9 200 1 Corrida
6 6 18   Mauricio Gugelmin 227.923 6 200 59 Corrida
7 2 40   Arie Luyendyk 231.031 2 200 7 Corrida
8 15 33   Teo Fabi 225.911 22 199 0 Corrida
9 18 17   Danny Sullivan 225.496 29 199 0 Corrida
10 10 25   Hiro Matsushita 226.867 14 199 0 Corrida
11 17 34   Alessandro Zampedri 225.753 25 198 0 Corrida
12 13 21   Roberto Guerrero 226.402 17 198 0 Corrida
13 33 4   Bryan Herta 225.551 27 198 0 Corrida
14 3 24   Scott Goodyear 230.759 3 195 42 Corrida
15 20 54   Hideshi Matsuda 227.818 7 194 0 Corrida
16 31 16   Stefan Johansson 225.547 28 192 0 Corrida
17 1 60   Scott Brayton 231.604 1 190 0 Corrida
18 12 31   André Ribeiro 226.495 16 187 0 Corrida
19 8 20   Scott Pruett 227.403 10 184 8 Acidente
20 22 11   Raul Boesel 226.028 20 184 2
21 25 10   Adrian Fernández 227.803 8 176 0 Motor
22 9 12   Jimmy Vasser 227.350 11 170 20 Acidente
23 32 77   Davy Jones 225.135 32 161 0 Acidente
24 16 3   Paul Tracy 225.795 24 136 0 Problemas eletrônicos
25 4 6   Michael Andretti 229.294 4 77 45 Suspensão
26 30 41   Scott Sharp 225.711 26 74 0 Acidente
27 23 80   Buddy Lazier 226.017 21 45 0 Sistema de combustível
28 26 19   Éric Bachelart 226.875 13 6 0 Problemas mecânicos
29 19 8   Gil de Ferran 225.437 30 1 0 Acidente
30 11 91   Stan Fox 226.588 15 0 0 Acidente
31 14 14   Eddie Cheever 226.314 19 0 0 Acidente
32 28 90   Lyn St. James 225.346 31 0 0 Acidente
33 29 22   Carlos Guerrero 225.831 23 0 0 Acidente

NotasEditar

  • Emerson Fittipaldi, que não havia conquistado a vaga no grid, participou da transmissão da corrida, feita pelo SBT, na função de comentarista.


Indianapolis 500 de 1994
Al Unser, Jr.
Indianapolis 500 de 1995
Jacques Villeneuve
Indianapolis 500 de 1996
Buddy Lazier
 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre 500 Milhas de Indianápolis de 1995