Arnaldo Cezar Coelho

ex-árbitro e comentarista brasileiro
(Redirecionado de Arnaldo César Coelho)

Arnaldo David Cezar Coelho (Rio de Janeiro, 15 de janeiro de 1943) é um ex-comentarista de arbitragem, ex-árbitro de futebol, corretor autônomo de investimentos e formado em Educação Física.[1] Arnaldo foi o primeiro brasileiro e o primeiro árbitro não-europeu a apitar uma final de Copa do Mundo da FIFA,[2] quando atuou na final de 1982 entre Itália e Alemanha Ocidental.

Arnaldo Cezar Coelho
Arnaldo no 25º Prêmio da Música Brasileira
Nome completo Arnaldo David Cezar Coelho
Nascimento 15 de janeiro de 1943 (77 anos)
Rio de Janeiro, (RJ), Brasil
Nacionalidade brasileiro
Ocupação empresário
Filiação FERJ, CBF
Árbitro FIFA 1968–1982

Em março de 2010, Graham Poll, repórter do jornal inglês Daily Mail e árbitro aposentado, listou Arnaldo como um dos principais árbitros da história, citando seu excelente desempenho nas Copas do Mundo de 1978 e 1982.[3]

BiografiaEditar

Arnaldo é irmão de Ronaldo Cezar Coelho, deputado federal e membro-fundador do PSDB. Membros de uma família de classe média, sua mãe era de uma família judia marroquina.[4] Arnaldo iniciou sua carreira de árbitro no início da década de 1960, no futebol de praia, até começar a atuar profissionalmente, no ano de 1965.[1] ingressou na Federação Carioca de Futebol, promovido logo em seu primeiro ano para apitar o campeonato profissional.

Em 1968, passou a fazer parte dos quadros da FIFA. Arnaldo apitou inúmeros jogos importantes, entre eles, duas Olimpíadas (Montreal - 76 e Seul - 88) e duas Copas do Mundo: Argentina - 1978 (1 jogo), e Espanha - 1982 (dois jogos, incluindo a final).

A saber:

E, foi o primeiro árbitro não-europeu a apitar uma decisão, a partida final da Copa do Mundo de 1982, entre as seleções da Itália e da Alemanha Ocidental, na Espanha, cujo resultado foi 3 a 1 para a Itália.

Também atuou como 2º Árbitro Assistente em Copas do Mundo, como nas partidas:

  • Escócia 1 x 1 Irã (em 7 de junho de 1978 - Córdoba, Argentina), sendo o árbitro principal o senegalês Youssou Ndiaye e o 1º assistente o romeno Nicolae Rainea;
  • Alemanha Ocidental 2 x 2 Holanda (em 18 de junho de 1978 - Córdoba, Argentina), sendo o árbitro principal o uruguaio Ramón Barreto Ruiz e o 1º assistente o argentino Miguel Comesana;
  • Inglaterra 3 x 1 França (em 16 de junho de 1982 - Bilbao, Espanha), sendo o árbitro principal o português António Garrido e o 1º assistente o chileno Gastón Castro;
  • Argélia 3 x 2 Chile (em 24 de junho de 1982 - Oviedo, Espanha), sendo o árbitro principal o guatemalteco Romulo Mendez Molina e o 1º assistente o sueco Erik Fredriksson.

Possui duas marcas: é o árbitro que mais apitou jogos do Campeonato Brasileiro, com 291 partidas pela competição. É um dos dois árbitros brasileiros com maior número de atuações em Copas do Mundo, com sete vezes, sendo quatro como árbitro principal e as restantes como auxiliar. O outro é Carlos Eugênio Simon.

Apitou as decisões do Campeonato Brasileiro de 1967 (primeiro e segundo jogo da decisão), 1968 (Vasco da Gama x Santos), 1969, 1973, 1977, 1978, 1981 (primeiro jogo) e 1983; do Campeonato Carioca de 1974, 1975, 1980 e 1983; do Campeonato Paulista de 1988; e da Copa Libertadores de 1988.

Posteriormente, no ano de 1989, passou a trabalhar na Rede Globo, como comentarista de arbitragem, e no canal de televisão a cabo SporTV, no programa Bem, Amigos,[1] ao lado de Galvão Bueno, seu amigo de longa data. Neste programa, comenta lances polêmicos do futebol. É bastante conhecido pelo seu bordão: "A regra é clara". Tanto que o bordão deu origem ao nome de um quadro do programa Seleção SporTV exibido pelo canal pago desde 12 de março de 2018.[5] Também é proprietário da TV Rio Sul, afiliada da Globo na cidade de Resende (RJ), que cobre toda a região Sul Fluminense e o Vale do Paraíba Fluminense. No final da transmissão da final da Copa do Mundo de 2018, entre França e Croácia, vencida pela França, anunciou sua aposentadoria como comentarista de arbitragem da Rede Globo, dizendo que se dedicará à família a aos seus negócios.[6][7]

LivroEditar

Em 2002, Arnaldo lançou o livro "A Regra é Clara", reunindo histórias e curiosidades registrados em mais de 20 anos de carreira como juiz.

Referências

  1. a b c «Arnaldo Cezar Coelho na Palestrativa». Palestrativa. Arquivado do original em 21 de setembro de 2013 
  2. apitonacional.com.br/ Arnaldo foi o primeiro árbitro não-europeu a apitar uma decisão, a partida final da Copa do Mundo de 1982
  3. Graham Poll (5 de março de 2010). «THE LIST: Graham Poll's top 50 football referees - Nos 10-1». The Daily Mail. Consultado em 22 de dezembro de 2010. But what about the men - and women (as Amy Rayner recently showed) - in the black who have made the right judgment calls in the big matches, when it matters? 10 Arnaldo Cezar Coelho Brazil (1978 World Cup, 1982 World Cup final) 
  4. «Arnaldo Cézar Coelho comenta como sua mãe lidava com o fato dele ser árbitro». Rede Globo. 26 de julho de 2014. Consultado em 28 de março de 2020 
  5. «"A Regra é Clara": quadro estreia com divergência sobre cara ou coroa do Gre-Nal». SporTV.com. 12 de março de 2018. Consultado em 28 de março de 2020 
  6. Gabriel Carneiro, Mauricio Stycer e Vanderlei Lima (16 de julho de 2018). «Pode isso, Arnaldo? Pode!». UOL Esporte. Consultado em 28 de março de 2020 
  7. Paulo Pacheco (16 de julho de 2018). «Arnaldo Cezar Coelho se aposenta, mas segue na Globo até dezembro». UOL. Consultado em 28 de março de 2020 

Ligações externasEditar

Precedido por
Sergio Gonella
1978
Árbitro da Final da Copa do Mundo FIFA
Arnaldo Cezar Coelho
1982
Sucedido por
Romualdo Arppi Filho
1986