Athiê Jorge Coury

futebolista brasileiro

Athiê Jorge Coury[nota 1][2] também conhecido como Athié Jorge Cury (Itu, 1 de agosto de 1904[2][3][4]Santos, 1 de dezembro de 1992[5]), foi um futebolista, dirigente esportivo e político brasileiro.

Athiê Jorge Coury
Presidente do Santos Futebol Clube
Período 27 de fevereiro de 194528 de fevereiro de 1971[1]
Antecessor(a) Antônio Ezequiel Feliciano da Silva
Sucessor(a) Vasco José Fae
Dados pessoais
Nascimento 1 de agosto de 1904
Itu, São Paulo
Morte 1 de dezembro de 1992 (88 anos)
Santos, São Paulo
Partido PSP
Profissão Futebolista e político

Tornou-se famoso no futebol e na política brasileira. Foi o dirigente que mais conquistou títulos na história do Santos Futebol Clube.[5] Foram 57 taças, sendo duas Libertadores da América e dois Mundiais Interclubes. Além disso, em sua gestão, o time foi pentacampeão da Taça Brasil.[6]

HistóriaEditar

Início de carreiraEditar

Filho de Jorge e Olga Coury[2], Athié fez o curso primário e o secundário no Colégio São Luís, em sua terra natal, onde sua família tinha plantação de café.[4] Depois foi morar em Piracicaba, cursando até o segundo ano de agrimensura.[3][7] Na adolescência estudava e defendia a meta do Esporte Clube Sírio.[3][4] Se mudou em 1927 para São Paulo, onde se formou em Economia pelo Colégio Mackenzie.[2][4]

Ao aceitar descer a serra em direção à Baixada Santista, de imediato se tornou sócio de uma corretora de café, época em que o país era o maior produtor e exportador de sementes da fruta do café.[3][7] Se filou ao Santos no dia 9 de setembro de 1927.[3][7][8][5][9] Em 1927, já estabelecido na cidade de Santos, trabalhava na praça cafeeira em paralelo ao seu trabalho como goleiro das divisões de base do Santos Futebol Clube.[2]

Santos Futebol ClubeEditar

AtletaEditar

Tornou-se goleiro[nota 2] do Santos Futebol Clube de 1927 até 1934, chegando a ser convocado para a Seleção Paulista e Seleção Brasileira. Era nome certo para goleiro principal do Escrete Nacional na Primeira Copa do Mundo de Futebol, em 1930, no Uruguai. Porém, devido às divergências entre os dirigentes paulistas e a então Confederação Brasileira de Desportos (CBD), já sediada no Rio de Janeiro, nenhum atleta do São Paulo foi convocado, e Athié acabou ficando de fora da competição mundial.[3][7]

Sua primeira participação no esquadrão da Vila se deu no dia 9 de outubro de 1927, aos 23 anos[7], na vitória de 9 a 0 sobre o Corinthians de Santo André, no amistoso realizado no estádio que ainda não tinha o nome de Urbano Caldeira.[3][8] Dedicado ao futebol, disputou sua última partida pelo time praiano em 15 de abril de 1934[2], na derrota para o Palestra Itália por 3 a 0.[3]

Como atleta, Athié vestiu a camisa 1 por 171 partidas e é o 14º goleiro que mais vezes jogou na meta santista.[3][7][8]

DirigenteEditar

Após essa passagem, foi dirigente de esportes. Mais tarde galgou o posto de diretor tesoureiro, aproveitando-se dos seus conhecimentos adquiridos na faculdade de economia.[2] Em 1945, prestigiado dentro do clube foi alçado ao posto de presidente do Santos Futebol Clube[10], onde ficou de 1945 a 1971[11]. É dessa época a famosa "era Pelé", pela qual o Santos Futebol Clube foi eleito pela FIFA "O Melhor Clube das Américas do século XX" e venceu inúmeros títulos, entre eles a Taça Libertadores da América e o Mundial de Clubes de 1962 e 1963, e diversos títulos estaduais, nacionais e internacionais. O Santos se tornou um dos clubes mais famosos do mundo durante sua administração e recebeu notável admiração dos mais famosos jornalistas esportivos da época de Pelé. Resistiu com denodo às ofertas tentadoras de clubes estrangeiros que queriam contratar os principais ídolos do alvinegro, principalmente o Rei Pelé. Nessa fase áurea, o Santos peregrinou mundo afora, se exibindo nos quatro cantos da Terra para estádios lotados.[3]

No final de 1946 o presidente levou o Alvinegro a uma verdadeira epopeia em gramados do Norte/Nordeste do Brasil. Foi a maior excursão de um time de futebol no País. A delegação visitou os Estados de Pernambuco (três jogos), Rio Grande do Norte (dois), Ceará (quatro), Maranhão (três) e por último o Pará (três). O time voltou para casa invicto. Em 15 partidas, venceu 12, empatou três, marcou 52 e sofreu 17 gols.[3][4]

Em 1965, realizou a compra do Parque Balneário Hotel, o que se revelou-se uma das piores transações feitas na secular existência do Alvinegro. As dívidas acumuladas pelo mau negócio prejudicaram o time e obrigaram o clube a negociar o luxuoso imóvel no começo da década seguinte.[3][4]

Foi o presidente[1] com o maior mandato da história do clube, 26 anos, e o que mais títulos venceu, 57 taças.[6] Foi antecedido em 1945 por Antônio Ezequiel Feliciano da Silva e sucedido em 1971 por Vasco José Fae. Durante o período em que presidiu o Peixe o Santos jogou 1 687 partidas, obtendo 1 035 vitórias, 291 empates e 361 derrotas, com 4 630 gols marcados e 2 549 sofridos.[3]

PolíticaEditar

Durante a Revolução Constituinte de 1932, ele foi segundo-tenente comissionado e lutou defendendo o Estado Paulista.[3][7][8]

Jorge Coury teve expressivas passagens na política e no congresso brasileiro. Durante seu mandato no clube, Athiê também projetou-se na política santista, a partir de 1948, quando conseguiu eleger-se vereador à Câmara de Santos. Em 1950 elegeu-se, com uma votação expressiva, deputado estadual, pelo Partido Social Progressista de Adhemar de Barros.[2] Jorge Coury se manteve no Congresso Nacional até 1982[2], quando se aposentou da política.

Presidiu a Bolsa de Café de Santos e colaborou com o então prefeito Paulo Gomes Barbosa na conquista do terreno que pertencia ao Instituto Brasileiro de Café (IBC), na entrada da cidade de Santos, onde hoje está o Complexo Chico Formiga.[3][7]

O Governo Federal deu seu nome ao Conjunto Habitacional no bairro do Saboó, em Santos. Já o Estadual denominou um colégio do bairro da Aparecida de Olga Coury, mãe do presidente santista.[3][7]

Athiê possuía muitos cargos em entidades associativas e filantrópicas santistas e era um dos principais beneméritos da Santa Casa de Misericórdia de Santos.[3] Foi também agraciado com os títulos de sócio benemérito da Federação Paulista de Futebol e da Confederação Brasileira de Desportos, em reconhecimento aos seus relevantes serviços prestados ao esporte.[2]

CronologiaEditar

Ver tambémEditar

Precedido por
Antônio Ezequiel Feliciano da Silva
Presidente do Santos Futebol Clube
1945–1971
Sucedido por
Vasco José Fae

Notas

  1. Existem algumas diferenças entre seu nome, "Athiê Jorge Coury", "Athié Jorge Coury", "Athiê Jorge Cory" ou "Athié Jorge Cury".
  2. Não existem muitas fontes (ou referências) se Jorge Coury esteve em outro clubes de futebol, sua carreira como futebolista foi muito curta.

Referências

  1. a b c «Ex - Presidentes». Santos Futebol Clube. Consultado em 3 de março de 2012 
  2. a b c d e f g h i j «Site do Instituto Histórico e Geográfico de Santos». www.ihgs.com.br. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  3. a b c d e f g h i j k l m n o p q r «Athié Jorge Coury, o presidente mais vitorioso do futebol». Santos Futebol Clube. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  4. a b c d e f g h «Athié, um presidente além do seu tempo». Santos Futebol Clube. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  5. a b c «Memória: Falecia o lendário Athié Jorge Coury». Santos Futebol Clube. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  6. a b c «GloboEsporte.com > Futebol > Santos - NOTÍCIAS - Santos comemora Dia Athié Jorge Coury nesta sexta». globoesporte.globo.com. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  7. a b c d e f g h i j «A história de um presidente vitorioso». Santos Futebol Clube. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  8. a b c d «Memória: Nascia Athié Jorge Coury, um dos maiores presidentes da história do Clube». Santos Futebol Clube. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  9. «Memória: Athié Jorge Coury se filiava ao Santos FC». Santos Futebol Clube. Consultado em 17 de fevereiro de 2022 
  10. «Patronos - Athiê Jorge Coury». Instituto Histórico e Geográfico de Santos. Consultado em 4 de fevereiro de 2012 
  11. «Há 67 anos, Athié Jorge Coury assumia a presidência do Santos FC». Santos Futebol Clube. Consultado em 5 de abril de 2012 
  12. «Dia Athié Jorge Coury será celebrado na próxima quarta-feira (29) na Vila Belmiro». Santos Futebol Clube. Consultado em 17 de fevereiro de 2022