Abrir menu principal

Born This Way: The Remix

álbum de Lady Gaga
Born This Way: The Remix
Álbum de remixes de Lady Gaga
Lançamento 18 de novembro de 2011 (2011-11-18)
Gravação 2010-11
Gênero(s) Pop, dance, electrónica
Duração 71:27
Formato(s) CD, download digital, disco de vinil
Gravadora(s) Streamline Records, Interscope Records, Kon Live Entertainment
Produção Cheche Alara, DJ Aqeel, Svein Berge, Torbjørn Brundtland, Foster the People, Fernando Garibay, Goldfrapp, Guéna LG, The Horrors, Hurts, Illangelo, Gregori Klosman, Lady Gaga, Jeppe Laursen, Mark Taylor, Metronomy, Joseph Mount, RedOne, Röyksopp, Sultan & Ned Shepard, Twin Shadow, Two Door Cinema Club, The Weeknd, DJ White Shadow, Wild Beasts, Michael Woods, Zedd
Cronologia de Lady Gaga
Born This Way
(2011)
Born This Way: The Collection
(2011)
Cronologia de álbuns de remixes de Lady Gaga
The Remix
(2010)

Born This Way: The Remix é o segundo álbum de remixes da artista musical norte-americana Lady Gaga. O disco foi lançado em 18 de Novembro de 2011 em formato físico e digital pela editora discográfica Interscope Records. A maioria dos remixes estavam disponíveis nos extended plays (EP) de remix lançados juntamente com cada single de Born This Way. Musicalmente, o álbum contem gravações de música dance e electrónica, e pode ouvir-se influências dos géneros europop, techno, dubstep e jangle pop dentro das composições.

Os críticos deram opiniões mistas ao álbum, com a sua reclamação geral sendo que o lançamento era desnecessário. A maioria deles, no entanto, elogiou as misturas feitas pelos produtores The Weeknd, Twin Shadow e Guéna LG. The Remix ganhou uma pontuação global de 57 em 100 na revisão do sítio Metacritic. Comercialmente, Born This Way: The Remix teve um desempenho mau, não conseguindo atingir as dez melhores colocações das tabelas musicais nos países onde foi lançado. Sua posição mais alta foi atingida no Japão, onde se posicionou nas vinte melhores colocações, enquanto nos Estados Unidos, não conseguiu atingir os cem melhores lugares da tabela de álbuns Billboard 200.

Índice

Antecedentes e desenvolvimentoEditar

Em Março de 2010, em entrevista à MTV do Reino Unido, Gaga afirmou que havia começado a trabalhar no seu segundo álbum de estúdio e que já havia terminado de escrever o tema central do mesmo: "Está escrito o tema central do disco, sem dúvida este é o meu melhor trabalho até hoje. A mensagem, a melodia, a direcção, o sentido. É uma libertação total."[1] Três meses depois, em entrevista à Rolling Stone, afirmou que o seu segundo disco tinha sido concluído, mas não seria lançado até 2011. "Eu tenho trabalhado nisto há meses, e sinto fortemente que foi concluído agora. Alguns artistas levam anos. Mas eu não. Foi rápido, pois escrevo todos os dias..."[2] Em uma entrevista em Setembro, ela disse que "o álbum é o melhor trabalho perfeito que alguma vez fiz e estou muito animada com isso."[3]

 
Goldfrapp fez o remix para o single "Judas".

Em Outubro de 2011, Lady Gaga anunciou planos de lançar um álbum somente de remixes, intitulado Born This Way: The Remix.[4][5] O álbum contém quatorze faixas de misturas de seu segundo álbum de estúdio, Born This Way, sendo que apenas sete destas são inéditas. Born This Way: The Remix também foi lançado como parte do box set Born This Way: The Collection, uma edição especial que inclui a versão de dezassete faixas do segundo álbum de estúdio de Gaga e um lançamento em DVD/blu-ray do concerto especial exibido pelo canal por assinatura HBO, Lady Gaga Presents the Monster Ball Tour: At Madison Square Garden.[6][7] Os remixadores apresentados para as músicas do álbum incluem principalmente músicos do género techno como Sultan & Ned Shepard, produtores electropop como Goldfrapp e Metronomy, iniciantes de indie rock como Twin Shadow e Two Door Cinema Club, e o remixador The Weeknd.[8]

A maioria das misturas estavam disponíveis nos extended plays (EP) de remix lançados com cada single de Born This Way. A primeira versão encomendada foi a de Twin Shadow da canção "Born This Way", lançado em Março de 2011.[9] Este foi seguido pela versão por Goldfrapp de "Judas" em Maio de 2011, que foi lançado no canal de Gaga no sítio de compartilhamento de vídeos YouTube.[10] O remix de Wild Beasts de "Yoü and I" foi lançado em Agosto de 2011, e os rendimentos das vendas contribuíram na consciencialização das maneiras de como as pessoas podem apoiar editoras discográficas independentes que perderam estoque no incêndio do armazém da PIAS Recordings. Quanto à inspiração para a sua mistura, Hayden Thorpe, do grupo Wild Beasts, disse ao The Guardian: "A dessemelhança deste emparelhamento foi, talvez, o que nos obrigou a seguir em frente. Gaga em muitos aspectos, é a epítome do que não somos. Ela é a talhante para a nossa faca de manteiga. A emoção essencial é de sempre manter iludindo o que se espera de nós e o que esperamos de nós mesmos".[11] A última das versões a ser lançada foi a do The Weeknd de "Marry the Night", que contou com uma participação de Illangelo, o que lhe valeu um crédito de co-produtor no remix.[12]

Estrutura musical e letrasEditar

O álbum abre com o remix de Zedd de "Born This Way", que começa com uma batida minimalista seguida por sintetizadores barulhentos, e consiste de um breakdown techno.[8][13] A versão de Goldfrapp de "Judas" segue como a segunda faixa; o remix é composto por música industrial e os vocais de Gaga são convertidos para um gemido discreto lento tornando-os quase como uma voz masculina.[8][13] A banda Foster the People fez uma mistura de "The Edge of Glory" e introduziu um novo break na sequência de tempo 3:20. Os produtores The Weeknd e Illangelo mantiveram a sensação geral de "Marry the Night" intacta, mas introduziram vocais por Abel Tesfaye, do The Weekend, e um loop produzido por uma caixa de ritmos.[13] Jason Lipshultz, da revista americana Billboard, descreveu a adição como "diretamente entra(ndo) em conflito com o M.O. de Gaga. Mas como muitos desses remixes, The Weeknd casa a sua visão da música com a voz linda de Gaga sem perder a integridade do material original." A voz de Tesfaye pode ser ouvida em algumas partes da canção, adicionando um ocasional "Ooh yeah" e um gemido; em uma última análise, no intervalo de tempo 2:20, a música entra colapsa sobre si mesma e troca a percussão por notas de piano raras.[12] Pouca mudança é visível na mistura de "Black Jesus + Amen Fashion", excepto a introdução de um novo sintetizador produzido por Michael Woods, transformando-a em uma faixa de trance rave. O remix feito pelo The Horrors da canção "Bloody Mary" consiste nos vocais de Gaga fazendo uma sequência de fade in e fade out.[8] "Scheiße" apresenta influências da canção "Heartbeats" (2003) da banda The Knife, bem como de "We Like To Party" (1999) do grupo Vengaboys. A composição de "Electric Chapel" foi completamente mudada por Two Door Cinema Club, alterando o humor negro da música para um mais divertido e atraente. Não há muita mudança no remix de Metronomy de "Yoü and I", enquanto o dubstep é introduzido na versão de Hurts de "Judas", colocando uma conclusão diferente. O remix de Sultan & Ned Shepard de "The Edge of Glory", a última faixa do álbum, conta com bateria e sintetizadores.[8]

Recepção críticaEditar

Críticas profissionais
Pontuações agregadas
Fonte Avaliação
Metacritic 57/100[14]
Avaliações da crítica
Fonte Avaliação
Allmusic      [15]
BBC (favorável)[16]
Billboard (mista)[8]
Consequence of Sound      [17]
Rolling Stone      [18]
Slant      [13]

Após o seu lançamento, Born This Way: The Remix recebeu opiniões mistas pelos críticos especializados de música contemporânea. O álbum recebeu uma pontuação global de 57 em 100 na revisão do sítio agregador Metacritic.[14] Jason Lipshultz, crítico da revista Billboard, comentou que o álbum não re-inventou nada de novo em termos de composição de remix, mas "dá aos artistas menos reconhecidos uma plataforma para mexerem com esses esquemas complexos de música pop." Lipshultz acrescentou que o álbum é uma escuta não essencial para os não-fãs de Gaga, "mas os fãs de música electrónica que ainda têm de beber o kool-aid da Mother Monster encontrarão muitas faixas de discoteca bem produzidas para dançarem. O álbum é uma grande avenida para os fãs digerirem novas versões de suas canções favoritas do ano, bem como descobrirem artistas que estão tentando comandar audiências tão magistralmente como Gaga faz."[8] Stephen Thomas Erlewine, do sítio Allmusic, deu ao álbum três de cinco estrelas, comentando que "alguns remixes têm liberdade considerável, deixando versos ou ganchos, qualquer coisa que se apegue a sua simpatia. Então, é um álbum de misturas não para viajantes de tempo bom, mas sim para os pequenos Little Monsters, do tipo que amam cada gesto grande ou pequeno de Gaga, mas também dispõe imaginação suficiente para atrair os ouvintes que se enquadram em nenhum dos campos e estão apenas à procura de alguma dança escura elástica".[15] Harley Brown, do sítio Consequence of Sound, ficou impressionado com a diversidade de remixes do álbum, levando-o a comentar que "logo a tempo para a temporada de férias, há algo para todos em Born This Way: The Remix, ao contrário de muitos álbuns de misturas com uma música retrabalhada outra e outra vez, este remix compreende uma lista de faixas variada para coincidir com a lista diversificada de remixadores".[17]

Jody Rosen, da revista norte-americana Rolling Stone, fez uma revisão mista do álbum, perguntando por que o álbum era necessário ser lançado, em primeiro lugar. Ela, no entanto, acrescentou que "(o) álbum tem alguns momentos de desvio. O 'Judas' de ritmo lento do Goldfrapp é menos uma mistura do que uma versão inteligente", e descreveu a versão do The Weeknd e Illangelo de "Marry the Night" como um épico R&B.[18] O ponto de vista de Rosen foi partilhado por Paul Rice, da revista Slant, que deu ao álbum uma classificação de duas de cinco estrelas. A principal queixa de Rice foi a de que "certos artistas choram alto pelo tratamento de remix mais do que outros, geralmente aqueles cujos talentos vocais são relativamente simples e poderiam se beneficiar da confusão extra." Ele acrescentou que Gaga não era uma artista e que o álbum original Born This Way, "em particular, é muito grande e selvagem, cheio de muitas de suas referências e estilos próprios, desde Springsteen a Madonna". Como tal, é melhor apreciado em seus próprios termos e falhas bombásticas."[13] Nick Levine, revendo o álbum para a BBC Music, sentiu que a maioria das faixas já estavam disponíveis como downloads digitais e CDs singles, "por isso é fácil repudiar Born This Way: The Remix como inessencial e, sim, um cash-in. Mas levado em um todo, esta versão oferece revelações suficientes para sugerir que vale a pena revisitar o álbum original. Esse propósito adicional, intencional ou não, sente-se, pelo menos parcialmente cumprido". Levine elogiou as versões de The Weeknd e do Twin Shadow, enquanto criticou Foster the People e Sultan & Ned Shepard pelos seus remixes previsíveis.[16]

Alinhamento de faixasEditar

Versão padrão[19]
N.º TítuloCompositor(es)Remixador(es) Duração
1. "Born This Way" (Zedd Remix)Stefani Germanotta, Jeppe LaursenZedd 6:30
2. "Judas" (Goldfrapp Remix)S. Germanotta, Nadir KhayatGoldfrapp 4:41
3. "The Edge of Glory" (Foster the People Remix)S. Germanotta, Fernando Garibay, Paul BlairFoster the People 6:10
4. "Yoü and I" (Wild Beasts Remix)S. GermanottaWild Beasts 3:51
5. "Marry the Night" (The Weeknd & Ilangelo Remix)S. Germanotta, F. GaribayThe Weeknd, Ilangelo 4:04
6. "Black Jesus † Amen Fashion" (Michael Woods Remix)S. Germanotta, F. Garibay, P. Blair, Cheche AlaraMichael Woods 6:10
7. "Bloody Mary" (The Horrors Remix)S. Germanotta, F. Garibay, P. BlairThe Horrors 5:18
8. "Scheiße" (Guéna LG Remix)S. Germanotta, N. KhayatGuéna LG 5:44
9. "Americano" (Gregori Klosman Remix)S. Germanotta, F. GaribayGregori Klosman 6:07
10. "Electric Chapel" (Two Door Cinema Club Remix)S. Germanotta, P. BlairTwo Door Cinema Club 3:59
11. "Yoü and I" (Metronomy Remix)S. GermanottaMetronomy 4:19
12. "Judas" (Hurts Remix)S. Germanotta, N. KhayatHurts 3:56
13. "Born This Way" (Twin Shadow Remix)S. Germanotta, J. LaursenTwin Shadow 4:05
14. "The Edge of Glory" (Sultan & Ned Shepard Remix)S. Germanotta, F. Garibay, P. BlairSultan & Ned Shepard 6:34
Duração total:
71:24

CréditosEditar

Créditos adaptados do encarte do álbum e do sítio Allmusic.[22]

Desempenho nas tabelas musicaisEditar

No Reino Unido, Born This Way: The Remix estreou na tabela britânica UK Albums Chart no número setenta e sete, de acordo com o comunicado publicado em 12 de Dezembro de 2011. No Japão, o álbum vendeu 12.120 cópias em sua primeira semana, e estreou no número quatorze na tabela de álbuns japonesa. Em sua segunda semana, o álbum caiu para o número dezenove ao vender 6.650 unidades. Após vender cem mil exemplares no país, recebeu o certificado de disco de ouro pela associação Recording Industry Association of Japan (RIAJ). Nos Estados Unidos, o álbum estreou fora dos cem melhores lugares da tabela de álbuns Billboard 200, no número cento e cinco, enquanto estreava no número três na tabela de música dance, Dance/Electronic Albums. Outros países onde o álbum alcançou as cem melhores colocações incluem a Itália, a França e a Espanha.

Histórico de lançamentoEditar

Born This Way: The Remix foi primeiramente lançado em 18 de Novembro de 2011 em território alemão e colombiano em formato físico e digital. Em 21 de Novembro, a versão padrão foi lançado em quatro países: Estados Unidos, Reino Unido, Japão e França. A edição limitada foi somente lançada em território japonês no dia 23 de Novembro.

Região Data Formato Edição Editora discográfica
  Alemanha[34] 18 de novembro de 2011 CD, Download digital Versão padrão Universal Music International, Interscope Records
  Colômbia[35]
  Estados Unidos[36] 21 de novembro de 2011 Streamline Records, Interscope Records, Kon Live
  Reino Unido[37] Polydor Records
  Japão[38] Interscope Records
  França[39]
  Japão[40] 23 de novembro de 2011 Limitada Universal Japan International
  Estados Unidos[41] 6 de dezembro de 2011 Vinil Versão padrão Streamline Records, Interscope Records, Kon Live
  Alemanha[42] Universal Music Group, Interscope Records
  Japão[43]
  Reino Unido[44]
  Indonésia[45] 14 de dezembro de 2011 CD Universal Music Indonesia

Ver tambémEditar

Notas de rodapé

  1. Montogomery, James (26 de Março de 2010). «Lady GaGa: "My Next Album Will Be My Best Yet"». MTV (Reino Unido). Consultado em 19 de Abril de 2010. Cópia arquivada em 18 de Agosto de 2012 
  2. Michaels, Sean (23 de Junho de 2010). «Lady Gaga's new album 'finished'». The Guardian. Consultado em 23 de Junho de 2010 
  3. Vena, Jocelyn (17 de Setembro de 2010). «Lady Gaga Says Born This Way 'Will Piss People Off'». MTV (MTV Networks). Consultado em 18 de Setembro de 2012 
  4. «Lady GaGa Announces Remix Album» (em inglês). MTV (MTV Networks). MTV Reino Unido. 9 de Outubro de 2011. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012 
  5. Lipshutz, Jason (7 de Outubro de 2011). «Lady Gaga Announces 'Monster Ball' DVD, 'Born This Way' Remix Album». Billboard (em inglês). Nielsen Business Media, Inc.. Prometheus Global Media. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012 
  6. Lipshutz, Jason (7 de Outubro de 2011). «Lady Gaga Announces 'Monster Ball' DVD, 'Born This Way' Remix Album». Billboard (em inglês). Nielsen Business Media, Inc.. Prometheus Global Media. Consultado em 21 de Outubro de 2011 
  7. Gaga, Lady. «"LADY GAGA PRESENTS THE MONSTER BALL TOUR AT MADISON SQUARE GARDEN" FEATURING NEVER BEFORE SEEN FOOTAGE, BORN THIS WAY – THE COLLECTION, AND OTHER NEW RELEASES WILL COME OUT NOVEMBER 21ST !» (em inglês). LadyGaga.com. Consultado em 21 de Outubro de 2011 
  8. a b c d e f g Lipshultz, Jason (21 de Novembro de 2011). «Lady Gaga, 'Born This Way: The Remix': Track-By-Track Review». Billboard (em inglês). Nielsen Business Media, Inc.. Prometheus Global Media. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012 
  9. Fitzmaurice, Larry (15 de Março de 2011). «Listen: Twin Shadow Remixes Lady Gaga» (em inglês). Pitchfork Media. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012 
  10. Breihan, Tom (15 de Maio de 2011). «Listen: Goldfrapp Remix Lady Gaga» (em inglês). Pitchfork Media. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012 
  11. «New music: Lady Gaga – Yoü & I (Wild Beasts remix)». The Guardian (em inglês). Guardian News and Media. 23 de Agosto de 2011. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012 
  12. a b Lipshultz, Jason (26 de Novembro de 2011). «The Weeknd Remixes Lady Gaga's 'Marry The Night': Listen». Billboard (em inglês). Nielsen Business Media, Inc.. Prometheus Global Media. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012 
  13. a b c d e Rice, Paul (23 de Novembro de 2011). «Lady Gaga: Born This Way: The Remix». Slant Magazine (em inglês). Consultado em 11 de Fevereiro de 2012 
  14. a b «Born This Way: The Remix» (em inglês). Metacritic. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012 
  15. a b Erlewine, Stephen Thomas (21 de Novembro de 2011). «Born This Way: The Remix – Lady Gaga» (em inglês). Allmusic. Rovi Corporation. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012 
  16. a b Levine, Nick (23 de Novembro de 2011). «Offers enough revelations to suggest the original album is worth revisiting» (em inglês). British Broadcasting Corporation. BBC Music. BBC Online. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012 
  17. a b Brown, Harley (23 de Novembro de 2011). «Album Review: Lady Gaga – Born This Way: The Remix» (em inglês). Consequence of Sound. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012 
  18. a b Rosen, Jody (23 de Novembro de 2011). «Born This Way: The Remix – Album Reviews». Rolling Stone (em inglês). Jann Wenner. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012 
  19. «Interscope Lady Gaga- Releases» (em inglês). Interscope Records. Consultado em 21 de Outubro de 2011 
  20. «Born This Way - The Remix» (em inglês). Apple, Inc.. iTunes. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012 
  21. «Born This Way Remix (Limited Edition)» (em japonês). Amazon. Consultado em 5 de Novembro de 2011 
  22. (2012) Créditos do álbum Born This Way: The Remix por Lady Gaga [encarte]. Colómbia: Interscope Records (602527870007).
  23. «Chartifacts - Week Commencing: 5th December 2011» (em inglês). ARIA Charts. Australian Recording Industry Association. 5 de Dezembro de 2011. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012. Cópia arquivada em 9 de Dezembro de 2011 
  24. «Lady GaGa – Born This Way – The Remix» (em francês). Ultratop. Hung Medien. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012 
  25. «Albums: Top 100» (em inglês). Jam!. Canadian Online Explorer. 3 de Dezembro de 2012. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012. Cópia arquivada em 9 de Dezembro de 2011 
  26. «Top 50 Albums: Novembre 27, 2011» (PDF) (em espanhol). Productores de Música de España. 27 de Novembro de 2011. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012 [ligação inativa]
  27. a b «Born This Way: The Remix – Lady Gaga». Billboard (em inglês). Nielsen Business Media, Inc.. Prometheus Global Media. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012 
  28. «Album Top 100: Week of November 26, 2011» (em francês). Syndicat National de l'Édition Phonographique. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012 
  29. «Top-75 Albums Sales Chart – Week 49 – 2011» (em grego). Federação Internacional da Indústria Fonográfica Grécia. Consultado em 15 de Dezembro de 2011. Cópia arquivada em 15 de Dezembro de 2011 
  30. «Artisti: Classifica settimanale dal 21/11/2011 al 27/11/2011» (em italiano). Federazione Industria Musicale Italiana. 27 de Novembro de 2011. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012. Arquivado do original em 1 de Setembro de 2012 
  31. «2011年11月21日~2011年11月27日のCDアルバム週間ランキング» (em japonês). Oricon. 3 páginas. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012 
  32. «The Official Albums Chart: Week of December 12, 2011» (em inglês). The Official Charts Company. 27 de Novembro de 2011. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012. Cópia arquivada em 28 de Novembro de 2011 
  33. «Works Receiving Certifications List (Gold, etc) (November 2011)» (em japonês). Recording Industry Association of Japan. 7 de Dezembro de 2011. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012 
  34. «Born This Way - The Remix» (em alemão). Amazon. Consultado em 21 de Outubro de 2011 
  35. «Lady Gaga Born This Way The Remix» (em espanhol). Entertainment Store. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012. Arquivado do original em 25 de Abril de 2012 
  36. «Born This Way - The Remix» (em inglês). Amazon. Consultado em 21 de Outubro de 2011 
  37. «Born This Way - The Remix» (em inglês). Amazon. Consultado em 21 de Outubro de 2011 
  38. «Born This Way - The Remix» (em japonês). Amazon. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012 
  39. «Born This Way - The Remix» (em francês). Amazon. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012 
  40. «Born This Way - The Remix» (em jp). Amazon. Consultado em 21 de Outubro de 2011 
  41. «Born This Way – The Remix (Vinyl)» (em inglês). Amazon. Consultado em 5 de Novembro de 2011 
  42. «Born This Way Remix (Vinyl LP)» (em alemão). Amazon. Consultado em 5 de Novembro de 2011 
  43. «Born This Way: Remix (Analog)» (em jp). Amazon. Consultado em 5 de Novembro de 2011 
  44. «Born This Way: Remix (Vinyl)» (em inglês). Amazon.com. Consultado em 5 de Novembro de 2011 
  45. «Lady Gaga - Born This Way (The Remix)» (em inglês). DiscTarra.com. Consultado em 11 de Fevereiro de 2012. Arquivado do original em 23 de Maio de 2012 

Ligações externasEditar