Campeonato Brasileiro de Futebol de 1937

Torneio de futebol

O Campeonato Brasileiro de Futebol de 1937, originalmente conhecido como Torneio dos Campeões, foi a edição inaugural do novo modelo do Campeonato Nacional organizado pela Federação Brasileira de Football (FBF),[2][3][4][5][6] sendo a primeira edição do Campeonato Brasileiro, conforme unificação oficializada pela CBF em 2023.[7][8] Foi vencido pelo Clube Atlético Mineiro, que conquistou seu primeiro título brasileiro da história.[9][4][10][11]

I Campeonato Brasileiro de Futebol
Torneio dos Campeões (FBF)

"O Clube Atlético Mineiro conquistou para Minas Gerais o título de campeão brasileiro!"
Estado de Minas, 4 de fevereiro de 1937.[1]
Dados
Participantes 06
Organização FBF
Anfitrião Brasil
Período 6 de janeiro14 de fevereiro de 1937
Gol(o)s 68
Partidas 14
Média 4,86 gol(o)s por partida
Campeão Minas Gerais Atlético Mineiro (1º título)
Vice-campeão Distrito Federal Fluminense
3.º colocado Espírito Santo (estado) Rio Branco-ES
4.º colocado São Paulo Portuguesa
Melhor marcador Paulista Minas Gerais Atlético Mineiro - 8 Gols
Maior goleada
(diferença)
Fluminense 6 – 0 Atlético Mineiro
Estádio das LaranjeirasRio de Janeiro
13 de janeiro
1959 ►►

Foi o quarto torneio nacional da FBF, sucedendo as três edições do Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais (CBSE) organizado por esta (a CBD também organizava seu próprio CBSE), entre 1933 e 1935, cujo nome oficial era "Campeonato Brasileiro de Futebol".[12][13] O Correio da Manhã (RJ), em janeiro de 1937, tratou a nova competição como "1º Torneio dos Campeões" e como um novo modelo, substituindo o antigo sistema, em que o "título máximo" era definido entre seleções.[2][14][15] Já o Correio de S. Paulo, de 7 de janeiro de 1937, usou a nomenclatura "III Campeonato Brasileiro de Futebol" (houve antes duas disputas de clubes organizadas pela FBF e tratadas pelo periódico como títulos nacionais e brasileiros, atualmente contabilizadas como as duas primeiras edições do Torneio Rio-São Paulo).[nota 1][18] O Torneio dos Campeões, alcunha pela qual ficou conhecido, também foi dada pelo Jornal dos Sports.[19] Independentemente do nome oficial, como o torneio de 1937 foi uma competição de clubes, os quais não representavam seleções estaduais, não é considerado uma edição do CBSE, mas um outro campeonato, que substituiu o de selecionados naquele ano.[20][21]

Foi o primeiro campeonato nacional de cunho profissional disputado pelos clubes do futebol brasileiro. O Campeonato Brasileiro de Clubes Campeões de 1920, triangular organizado pela CBD, pode ser tido como o primeiro certame nacional, mas foi jogado sob o sistema amador.[22][23][24] São competições distintas.

O campeonato teve grande repercussão à época, sendo destacado em veículos de mídia de vários estados, como Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Paraná, Pernambuco e Santa Catarina.[9] Em dezembro de 1950, antes da partida contra o Stade Français no Parc des Princes, o Le Monde estampou em seu caderno de esportes: “Stade Français, contra o campeão brasileiro”, em referência ao título de 1937.[25] Em 1971, após o Atlético conquistar o I Campeonato Nacional de Clubes (que de 1976 a 2010 foi considerado como primeira edição do Brasileirão,[nota 2] tornando-se a 15ª, sendo desde 2023 a 16ª), o jornal O Globo afirmou que o clube mineiro teria sido campeão nacional pela primeira vez em 1937.[26]

No dia 25 de agosto de 2023, o Torneio dos Campeões foi homologado pela CBF como a primeira edição do Campeonato Brasileiro.[7][27] O Atlético enviou um dossiê para a CBF em 2022, após a conquista do Brasileirão do ano anterior, solicitando a unificação da conquista de 1937. Foi feito o mesmo reconhecimento dado pela entidade em 2010, quando esta passou a considerar os campeões da Taça Brasil e do Torneio Roberto Gomes Pedrosa/Taça de Prata como campeões brasileiros.[28]

História editar

 
Elenco do Atlético, primeiro campeão brasileiro. Em pé, da esquerda para a direita: Floriano Peixoto (técnico), Kafunga, Florindo, Zezé Procópio, Lola, Bala, Alcindo, Quim, Clóvis; agachados: Paulista, Alfredo, Guará, Nicola, Rezende e Elair.

A competição foi organizada pela Federação Brasileira de Football (FBF), a associação profissional na década de 1930 no Brasil, em que a discussão do movimento começava a emanar. A FBF passou a ter como filiados os clubes que adotaram o regime profissional, enquanto isso, a CBD (atual CBF) ficou com o futebol amador e, também, a seleção brasileira. A discussão entre outros motivos, era principalmente em função das novas exigências de prêmios e remuneração devida aos jogadores profissionais. Então a FBF reuniu alguns times profissionais para realização do torneio.

Em 1937, a FBF, que já havia realizado três edições de seu Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais (1933 a 1935), por estar pressionada financeiramente, optou por reunir os clubes campeões estaduais de 1936 das suas ligas filiadas.[13] Dessa forma, substituiu sua competição de seleções por uma competição de clubes,[18] que foi tida como campeonato nacional, diante da ausência do campeonato de selecionados naquele ano.[20][21] Entre 1937 e 1938, a FBF e a CBD passaram por um processo de pacificação, sendo a edição de 1938 do campeonato de seleções a primeira após a vinculação daquela a esta. "O CBSE (Campeonato Brasileiro de Seleções) voltou a ser disputado no final de 1938, até março de 1939 (...). Em agosto de 1938, a FBF abandonou a ideia de um campeonato de clubes campeões estaduais e confirmou o CBSE”, conforme o pesquisador Rodrigo Guimarães Saturnino Braga.[13][19] A FBF foi extinta em 1941, tendo a CBD ratificado seus atos.

Participaram seis equipes de cinco estados e duas regiões do Brasil, conforme divisão regional que perdurou de 1913 a 1938: antigo Distrito Federal, antigo Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo, estados da Região Oriental; e São Paulo, estado da Região Meridional. Os participantes foram: Fluminense, campeão carioca de 1936 (LCF); a Portuguesa, campeã paulista de 1936 (APEA); o Atlético, campeão mineiro de 1936; o Rio Branco, campeão capixaba de 1936; o Aliança, campeão campista de 1936;[29][30][9] e a Liga de Sports da Marinha (LSM), equipe convidada, dirigida pelo famoso técnico Nicolas Ladanyi. A LSM, fundada em 1915, é a origem do atual CEFAN e era subordinada a então Diretoria do Pessoal da Marinha do Brasil.[31] O Aliança foi tricampeão campista, de 1936 a 1938, sendo ligado à Usina do Queimado; foi fundado em 1932 e extinto em 1946.[30]

O Fluminense foi apontado pela mídia esportiva da época como o candidato favorito ao título.[32] O Tricolor Carioca contava com grandes estrelas do clube em sua escalação, como Batatais, Carlos Brant, Preguinho, Russo, Romeu Pellicciari e Hércules, entre outras. A mídia tratava aquela formação, tendo vários jogadores criados no futebol paulista, como a mais forte do Brasil. Para muitos, esse foi o melhor time da história do Fluminense,[33] e foi com esse esquadrão que o clube conquistou o Torneio Aberto de 1935 e o Campeonato Carioca de 1936 da LCF (Liga Carioca de Futebol Profissional), derrotando, na final deste último, o Flamengo de Leônidas da Silva e Domingos da Guia, jogando como "o campeão carioca" no Torneio dos Campeões de 1937. A imprensa ressaltava que o principal rival do time carioca na briga pelo título seria o Atlético, que também contava com jogadores de renome nacional, como Kafunga,[34] Zezé Procópio,[35] Luiz Bazzoni[36] e Guará.[37]

Jogadores presentes naquela campanha ainda figuram entre os maiores goleadores e com mais partidas pelo clube mineiro (filiado ao profissionalismo em 1933), casos do goleiro Kafunga, que ficou 20 anos no clube, e do atacante Guará (homenageado com o Troféu Guará),[38] que é o quarto maior artilheiro da história do Galo, com 168 gols.

Atlético e Fluminense protagonizaram a grande rivalidade do torneio. Na primeira rodada, os cariocas derrotaram os mineiros por 6x0 no Estádio das Laranjeiras; no returno, em partida realizada no Estádio de Lourdes, o Atlético vencia por 4x1, quando o Fluminense abandonou o jogo aos 18 minutos do segundo tempo. Após seis rodadas, o time mineiro conseguiu quatro vitórias, um empate e uma derrota, sagrando-se campeão do torneio. O título teve repercussão nacional.[39] Apenas dois jogos foram vencidos pelo visitante, o primeiro (Aliança 0-2 Liga da Marinha) e o último (Portuguesa 2-3 Atlético); nos outros dozes jogos, onze vitórias do mandante e um empate (Rio Branco 1-1 Atlético).

A logística era o maior problema na organização do futebol brasileiro na década de 30. O tamanho continental do país ainda inviabilizava a disputa com clubes de norte a sul. Em 1937, a aviação comercial brasileira completara apenas 10 anos,[40] haviam poucas rodovias e navios levavam várias semanas para atravessar de uma ponta a outra.

Dado estes problemas, o Campeonato Brasileiro com muitos jogos, como atualmente, ainda demoraria décadas para ocorrer. Assim, nos campeonatos seguintes, as equipes também sairiam campeãs com poucos jogos. O Palmeiras, que venceu em 1960, teve apenas quatro duelos; o Santos, pentacampeão entre 1961 e 1965, teve uma média de 4,8 partidas por campeonato; e o Botafogo, quando venceu a última edição da Taça Brasil (1968), entrou em campo sete vezes.[9]

Unificação editar

Em 2010, quando a CBF unificou os títulos da Taça Brasil e Torneio Roberto Gomes Pedrosa/Taça de Prata como Campeonato Brasileiro, cogitou-se a inclusão do título de 1937 do Atlético. O presidente do Atlético na época, Alexandre Kalil, não fez a devida protocolização.[41]

Em dezembro de 2021, o Atlético-MG, mediante o Presidente Sérgio Coelho, demonstrou interesse em ter o Torneio dos Campeões de 1937 como edição do Campeonato Brasileiro,[42][43][44][45][46] mas não fez um pedido formal ainda naquele ano.[47]

Em 25 de agosto de 2023, a CBF oficializou o Torneio dos Campeões como primeira edição do Campeonato Brasileiro, homologando a unificação.[7]

Participantes editar

Equipe Cidade Estado Classificação
Aliança Campos dos Goytacazes   RJ Campeão campista de 1936*
Atlético Mineiro Belo Horizonte   MG Campeão mineiro de 1936
Fluminense Rio de Janeiro   DF Campeão carioca de 1936 (LCF)**
Liga da Marinha Rio de Janeiro   DF Convidada pela FBF
Portuguesa São Paulo   SP Campeã paulista de 1936 (APEA)***
Rio Branco Vitória   ES Campeão capixaba de 1936

*O Campeonato Fluminense de clubes não estava em vigor, sendo substituído pelo Campeonato Fluminense de Seleções municipais. Como o campeão de 1936 deste foi o combinado municipal de Campos dos Goytacazes, designou-se o Aliança, campeão do Campeonato Campista do mesmo ano (1936), para representar o antigo Estado do Rio de Janeiro.[30]

**Embora o Campeonato Carioca tenha tido 2 campeões diferentes em 1936 (no caso, Fluminense e Vasco da Gama), haviam 2 competições, em que uma seguia os moldes de futebol amador, e a outra, profissional. O molde amador foi organizado pela Federação Metropolitana de Desportos (FMD), em que o Vasco foi o campeão. Já o molde profissional, foi organizado pela Liga Carioca de Futebol (LCF) com o Fluminense sendo o campeão. Como buscava a profissionalização do futebol no Brasil, o time escolhido pela FBF foi o Fluminense.

***Assim como o Campeonato Carioca, o Campeonato Paulista também teve 2 campeões em 1936: o Palmeiras, na época com o nome de Palestra Itália, venceu o molde amador, organizado pela Liga de Futebol Paulista (LPF), e a Portuguesa, campeã do molde profissional, organizado pela Associação Paulista de Esportes Atléticos (APEA). A Portuguesa, por ter vencido o Paulista profissional, foi a convidada pela FBF.

Fase preliminar editar

Em itálico, as equipes que possuem o mando de campo no jogo único, em negrito as equipes classificadas.
  Primeira fase Segunda fase
                 
1    Rio Branco -  
4   -  
         Rio Branco 2
       Liga da Marinha 0
2    Aliança 0
3    Liga da Marinha 2  

Primeira fase editar

6 de janeiro de 1937 Aliança   0 – 2   Liga da Marinha Campo da Usina, Campos dos Goytacazes (RJ)
Árbitro: Roberto Porto

  Paranhos
  Aldo

Segunda fase editar

11 de janeiro de 1937 Rio Branco   2 – 0
(pro)
  Liga da Marinha Estádio Governador Bley, Vitória (ES)
Árbitro: Roberto Porto

   Caxambú

Quadrangular final editar

Pos Equipe Pts J V E D GP GC SG Classificado
1   Atlético Mineiro 9 6 4 1 1 18 11 +7 Campeão
2   Fluminense 6 6 3 0 3 22 16 +6 Vice-campeão
3   Rio Branco-ES 5 6 2 1 3 11 20 −9
4   Portuguesa 4 6 2 0 4 14 18 −4
Fonte:

Partidas editar

10 de janeiro de 1937 Portuguesa   4 – 1   Fluminense Campo do Cambuci, São Paulo (SP)
Árbitro: José Fockler

  Laércio
   Aurélio
  Joãozinho
  Hélio

13 de janeiro de 1937 Fluminense   6 – 0   Atlético Mineiro Estádio das Laranjeiras, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Carlos de Oliveira Monteiro

   Russo
  Romeu
    Hércules

13 de janeiro de 1937 Rio Branco   3 – 2   Portuguesa Estádio Governador Bley, Vitória (ES)
Árbitro: Theobaldo Santos

  Caxambú
  Lacínio
  Pereira
  Joãozinho
  Aurélio

17 de janeiro de 1937 Rio Branco   1 – 1   Atlético Mineiro Estádio Governador Bley, Vitória (ES)
Árbitro: Alcebíades Monjardim

  Pereira   Alfredo Bernardino

20 de janeiro de 1937 Fluminense   6 – 2   Portuguesa Estádio das Laranjeiras, Rio de Janeiro (RJ)
Árbitro: Guilherme Gomes

  Brant
  Sobral
  Russo
  Romeu
   Hércules
  Laércio
  Paschoalino

24 de janeiro de 1937 Rio Branco   4 – 3   Fluminense Estádio Governador Bley, Vitória (ES)
Árbitro: Carlos de Oliveira Monteiro

   Caxambú
 Alcyr
 Lacínio
   Russo
  Romeu

24 de janeiro de 1937 Atlético Mineiro   5 – 0   Portuguesa Estádio de Lourdes, Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Abílio Lopes de Almeida

     Paulista
  Duilio (contra)

28 de janeiro de 1937 Fluminense   5 – 2   Rio Branco Estádio das Laranjeiras, Rio de Janeiro (DF)
Árbitro: Roberto Porto

  Lara
   Russo
  Romeu
  Hércules
  Lacínio
  Marcionillo

31 de janeiro de 1937 Atlético Mineiro   4 – 1   Fluminense Estádio de Lourdes, Belo Horizonte (MG)
Árbitro: João Rodrigues Filho

   Nicola
  Alfredo
  Paulista
Fluminense abandona o campo aos 63'   Vicentino

31 de janeiro de 1937 Portuguesa   4 – 0   Rio Branco Campo do Cambuci, São Paulo (SP)
Árbitro: Carlos Rustidelli

  Joãozinho
   Paschoalino
  Mundico

3 de fevereiro de 1937 Atlético Mineiro   5 – 1   Rio Branco Estádio de Lourdes, Belo Horizonte (MG)
Árbitro: Júlio Corrêa de Melo

  Guará
   Paulista
  Nicola
  Bazzoni
  Lacínio

14 de fevereiro de 1937 Portuguesa   2 – 3   Atlético Mineiro Campo do Cambuci, São Paulo (SP)
Árbitro: José Fockler

  Aurélio
  Heitor
   Guará
  Paulista

Premiação editar

Campeonato Brasileiro de Futebol de 1937
 
ATLÉTICO MINEIRO
Campeão
(1° título)

Classificação geral editar

A classificação geral é determinada através da fase em que o time alcançou e a sua pontuação, levando em conta os critérios de desempate.

Pos. Equipe Pts J V E D GP GC SG
Quadrangular final
1   Atlético Mineiro 9 6 4 1 1 18 11 +7
2   Fluminense 6 6 3 0 3 22 16 +6
3   Rio Branco 7 7 3 1 3 13 20 –7
4   Portuguesa 4 6 2 0 4 14 18 –4
Eliminados na fase preliminar
5   Liga da Marinha 2 2 1 0 1 2 2 0
6   Aliança 0 1 0 0 1 0 2 −2

Artilheiros editar

Gols Jogador Clube
8 Paulista   Atlético-MG
7 Russo   Fluminense
6 Hércules   Fluminense
5 Caxambú   Rio Branco

Repercussão editar

O Globo, destacando a conquista do Atlético em 1937:[1]

Os principais jornais da época trataram o Atlético como "campeão brasileiro" em fevereiro de 1937.[9]

O jornal O Dia, do Paraná citou:


O Correio da Manhã (RJ):

- O Correio da Manhã, trouxe durante toda a disputa, chamando como tal, a tabela do ‘Campeonato Brasileiro’ em suas páginas.


Em São Paulo, o Correio de S. Paulo, trazia em sua capa:

Após a conquista, o técnico do Atlético, Floriano Peixoto, dava entrevistas e era tratado como o treinador do campeão brasileiro de 1937. “Sinto-me satisfeito em ter levado para Minas o primeiro campeonato nacional. E o Atlético, o líder dos clubes montanheses, bem mereceu tão honroso título", afirmou Peixoto, 1937.

Em dezembro de 1950, antes da partida contra o Stade Français no Parc des Princes, o Le Monde estampou em seu caderno de esportes: “Stade Français, contra o campeão brasileiro”,[25] em referência ao título de 37.

Quando o Atlético conquistou o Campeonato Brasileiro de 1971, meios de comunicação apontavam que se tratava do segundo título nacional do clube.[39]

Citação no Hino editar

O título está eternizado no Hino do Atlético-MG, composto em 1969, por Vicente Mota:


Ver também editar

Notas

  1. Após a boa campanha da Portuguesa nos dois certames de 1933 (estadual e Rio-SP), ambos em 3º lugar, o mesmo jornal colocava o clube como favorito ao título de "campeão paulista e brasileiro" de 1934. Assim como na edição seguinte, também gerida pela FBF, o Palestra Italia foi tratado como "campeão paulista e nacional de profissionais."[16][17]
  2. Em seus boletins oficiais entre 1971 e 1975, a CBF colocava as edições do Torneio Roberto Gomes Pedrosa/Taça de Prata em igualdade de condições com as edições posteriores do Campeonato Brasileiro, apenas mantendo os nomes próprios, excluindo esta informação a partir do boletim de 1976.

Referências

  1. a b c d e f «Decidido o certamen dos campeões». Acervo O Globo. Consultado em 3 de setembro de 2015 
  2. a b Correio da Manhã (RJ) (6 de janeiro de 1937). «Inicia-se hoje o Torneio dos Campeões». Consultado em 9 de abril de 2023 
  3. «Jornal do Brasil - Pesquisa de arquivos de notícias Google». news.google.com. Consultado em 26 de agosto de 2023 
  4. a b «Atlético-MG reforça pedido para reconhecer a Copa dos Campeões de 1937 como título Brasileiro». www.lance.com.br. Consultado em 26 de agosto de 2023 
  5. «Atlético-MG fica "na cola" de presidente da CBF para reconhecer troféu de 1937 como título Brasileiro». ISTOÉ. 12 de abril de 2022. Consultado em 18 de agosto de 2022 
  6. «Veja o documento que oficializou o Atlético-MG como campeão brasileiro de 1937». CNN. 25 de agosto de 2023. Consultado em 27 de agosto de 2023 
  7. a b c «CBF reconhece título de campeão brasileiro do Atlético Mineiro em 1937». CBF. 26 de agosto de 2023. Consultado em 26 de agosto de 2023 
  8. «Atlético-MG é reconhecido pela CBF como campeão brasileiro de 1937». lance. 25 de agosto de 2023. Consultado em 26 de agosto de 2023 
  9. a b c d e «Dossiê: Atlético-MG se pauta em "isonomia e jurisprudência" para CBF reconhecer título de 1937». ge. 8 de março de 2022. Consultado em 26 de agosto de 2023 
  10. Superesportes (14 de fevereiro de 2012). «Há 75 anos, Galo conquistava sua 1ª taça nacional: Campeão dos Campeões». Superesportes. Consultado em 26 de agosto de 2023 
  11. Quais as competições que antecederam o Brasileirão?. [S.l.]: Revista Placar; Editora Abril. Outubro de 2002 
  12. «Campeonato Brasileiro de seleções - Que fim levou?». Terceiro Tempo. Consultado em 16 de setembro de 2023 
  13. a b c BRAGA, Rodrigo Guimarães Saturnino. Campeonato brasileiro de seleções estaduais de futebol: Uma história política do futebol brasileiro da Primeira República ao Estado Novo (1922-1945). 2021. 244 f. Dissertação (Mestrado em História) - Programa de Pós-Graduação em História, Bens Culturais e Projetos Sociais, Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 2021.
  14. «No Torneio dos Campeões da Federação Brasileira de futebol». Bn Digital Brasil. Correio da Manhã (RJ). 10 de janeiro de 1937 
  15. A origem de 11 expressões futebolísticas. [S.l.]: Super Interessante; Editora Abril. Maio de 2002 
  16. «O Palestra vai a S. Carlos». Bn Digital Brasil. Correio de São Paulo. 16 de dezembro de 1933 
  17. «A equipe da Portuguesa foi a revelação de 1933». Bn Digital Brasil. Correio de São Paulo. 20 de dezembro de 1933 
  18. a b «III Campeonato Brasileiro de futebol». Bn Digital Brasil. Correio de São Paulo. 7 de janeiro de 1937 
  19. a b Simões, Alexandre (25 de agosto de 2023). «Como o Atlético buscou o reconhecimento do título de 1937». Rádio Itatiaia. Consultado em 15 de outubro de 2023 
  20. a b «Atlético-MG agora é tricampeão brasileiro, mas o que está por trás da decisão?». www.band.uol.com.br. 25 de agosto de 2023. Consultado em 15 de outubro de 2023. À época, o troféu foi tratado como campeonato nacional, uma vez que o Campeonato Brasileiro de Seleções Estaduais não aconteceu em 1937. 
  21. a b «CBF reconhece Atlético-MG como campeão brasileiro de 1937». UOL. 25 de agosto de 2023. Consultado em 15 de outubro de 2023. A façanha foi tratada como conquista nacional porque o Brasileiro de Seleções Estaduais havia sido interrompido na época. 
  22. Quais as competições que antecederam o Brasileirão?. [S.l.]: Revista Placar; Editora Abril. Outubro de 2002 
  23. «O Futebol no Brasil». Ranking de Clubes Brasileiros 
  24. Pinheiro, Mauro (14 de maio de 1976). Primeiro título nacional ficou com o Paulistano. [S.l.]: Revista Placar; Editora Abril. Ano de 1920, ainda em pleno amadorismo, a CBD organizou o primeiro Campeonato Brasileiro de Clubes Campeões (...) 
  25. a b «Le Stade français contre le champion du Brésil». Le Monde. Consultado em 15 de setembro de 2015 
  26. «Edição do Dia | Acervo O Globo». acervo.oglobo.globo.com. Consultado em 26 de agosto de 2023 
  27. «É tri! CBF reconhece Atlético-MG como campeão brasileiro de 1937». ge. 25 de agosto de 2023. Consultado em 25 de agosto de 2023 
  28. Kaizer, Túlio (25 de agosto de 2023). «Tricampeão: CBF reconhece Atlético como campeão brasileiro de 1937». Rádio Itatiaia. Consultado em 25 de agosto de 2023 
  29. «Há exatos 85 anos, Atlético-MG conquistava seu primeiro título nacional, a Copa dos Campeões». www.uol.com.br. Consultado em 12 de abril de 2024. A primeira fase do torneio reuniu o Aliança, Campeão Campista 
  30. a b c BERRIEL, Matheus (2 de setembro de 2023). «Aliança: uma história curta, mas gloriosa». Folha1 - Esporte. Consultado em 12 de abril de 2024 
  31. «Histórico | CEFAN». www.marinha.mil.br. Consultado em 12 de abril de 2024 
  32. Acervo Jornal OGLOBOPágina visitada em 05 de Setembro de 2014.
  33. Historia do Fluminense Página visitada em 05 de Setembro de 2014.
  34. «Kafunga 100 anos». Rádio Itatiaia. Consultado em 25 de setembro de 2015 
  35. «Zezé Procópio». Sociedade Esportiva Palmeiras. Consultado em 25 de setembro de 2015 
  36. «Que fim levou? Luiz Bazzoni». Terceiro Tempo. Consultado em 25 de agosto de 2014 
  37. «Troféu Guará». Rádio Itatiaia. Consultado em 25 de setembro de 2015 
  38. «Atlético-MG pede à CBF o reconhecimento do título de 1937 como Brasileirão». www.uol.com.br. Consultado em 26 de agosto de 2023 
  39. a b «Atlético obteve 1º título de campeão nacional em 1937». Acervo O Globo. Consultado em 10 de setembro de 2014 
  40. «1927, o ano da decolagem». EBC especiais. 20 de dezembro de 2017. Consultado em 12 de abril de 2024 
  41. «Atlético-MG fará estudo para continuar como primeiro campeão brasileiro caso CBF unifique os títulos». R7. Consultado em 20 de setembro de 2013. Arquivado do original em 4 de março de 2016 
  42. «Atlético-MG quer que CBF reconheça título de 1937 para que clube seja tricampeão brasileiro». esportes.yahoo.com. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  43. Schwartsman, Maria Fernanda. «O que foi a Copa dos Campeões 1937, que o Atlético quer reconhecer como título brasileiro? | Goal.com». www.goal.com. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  44. «Atlético-MG já acionou CBF para ser considerado tricampeão brasileiro, revela presidente; entenda o pedido». ESPN.com. 21 de dezembro de 2021. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  45. «Atlético-MG entra com pedido para que CBF reconheça título brasileiro de 1937». TNT Sports. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  46. «Em busca do tri? Atlético-MG reúne dossiê para CBF reconhecer título de 1937 como análogo ao Brasileiro». ge. Consultado em 29 de janeiro de 2022 
  47. «Presidente do Atlético-MG fala em evitar 'mico' e detalha conversa com CBF para reconhecer tri brasileiro». ESPN.com. 23 de dezembro de 2021. Consultado em 26 de agosto de 2023