Abrir menu principal

Cleveland Cavaliers

O Cleveland Cavaliers, conhecido como Cavs, é um time americano de basquete profissional sediado em Cleveland, Ohio. Os Cavs competem na National Basketball Association (NBA) como membro da Divisão Central da Conferência Leste.[4] A equipe começou a jogar como uma equipe de expansão em 1970, junto com o Portland Trail Blazers e Buffalo Braves. Os jogos em casa foram realizados pela primeira vez no Cleveland Arena de 1970 a 1974, seguidos pelo Richfield Coliseum de 1974 a 1994. Desde 1994, os Cavs jogam em casa no Rocket Mortgage FieldHouse, no centro de Cleveland, que é compartilhado com o Cleveland Gladiators da Arena Football League e o Cleveland Monsters da National Hockey League. Dan Gilbert é dono da equipe desde março de 2005.

Cleveland Cavaliers
Temporada da NBA de 2019–20
Cleveland Cavaliers logo
Conferência Conferência Leste
Divisão Divisão Central
Fundado 1970 (49 anos)
História Cleveland Cavaliers
(1970-presente)
Arena Rocket Mortgage FieldHouse
Cidade Cleveland, Ohio
Cores do time Vinho, Dourado, Azul e Branco[1][2]

                   

Dono(s) Dan Gilbert, Gordon Gund e Usher
General manager Koby Altman
Técnico John Beilein
Afiliado na G League Canton Charge[3]
Campeonatos 1 (2016)
Títulos de Conferência 5 (2007, 2015, 2016, 2017 e 2018)
Títulos de Divisão 7 (1976, 2009, 2010, 2015, 2016, 2017 e 2018)
Números retirados 8 (7, 11, 22, 23, 25, 34, 42 e 43)
Site oficial

LeBron James retornou ao Cavs em 2014 e levou a equipe a quatro aparições nas finais da NBA. Em 2016, os Cavaliers venceram seu primeiro título da NBA, marcando o primeiro grande título esportivo de Cleveland desde 1964.

Os Cavaliers fez 22 aparições nos playoffs e ganhou sete títulos da Divisão Central, cinco títulos da Conferência Leste e um título da NBA.[5]

HistóriaEditar

O Cleveland Cavaliers começou a jogar na NBA em 1970 como uma equipe de expansão de propriedade de Nick Mileti. Jerry Tomko, ganhou o concurso para nomear o time de "Cavaliers" através de uma competição patrocinada pelo The Plain Dealer.[6]

Jogando seus jogos em casa no Cleveland Arena, sob a direção do técnico Bill Fitch, eles compilaram o pior recorde da liga com 15-67 na temporada inaugural.[7]

A equipe esperava se construir em torno da primeira escolha do Draft da NBA de 1971, Austin Carr,[8] que havia estabelecido vários recordes em Notre Dame, mas Carr se machucou gravemente e nunca foi capaz de realizar seu potencial.

1970-1980: Era Austin CarrEditar

 
Austin Carr - a primeira escolha geral do Draft da NBA de 1971, um All-Star da NBA de 1974 e analista de TV.

Nas temporadas seguintes, os Cavaliers melhoraram gradualmente o desempenho em quadra, graças às adições de jogadores talentosos como Bobby "Bingo" Smith, Jim Chones, Jim Cleamons e Dick Snyder. Os Cavaliers melhorou para 23-59 em sua segunda temporada,[9] seguido de 32-50 na temporada de 1972-73[10] e 29-53 na temporada de 1973-74.[11]

Em 1974, os Cavaliers mudou-se para o novíssimo Coliseu Richfield, localizado na zona rural de Richfield, Ohio - 32 km ao sul do centro de Cleveland. A mudança foi feita porque a Cleveland Arena havia caído em ruínas e o local foi escolhido em um esforço para atrair fãs da vizinha Akron e de outras áreas do nordeste de Ohio. Naquela temporada, os Cavaliers terminaram com um recorde de 40–42.[12]

"Milagre de Richfield"Editar

Na temporada de 1975-76, Fitch levou os Cavaliers a um recorde de 49-33 e o Título da Divisão.[13] Fitch recebeu o prêmio de Treinador do ano da NBA quando os Cavaliers conquistou sua primeira temporada vitoriosa, fez sua primeira aparição nos playoffs e conquistou seu primeiro título da Divisão Central.

Nos playoffs, os Cavaliers venceu sua série contra o Washington Bullets por 4-3.[14] Por causa das muitas cenas heroicas e de vitórias nos últimos segundos, a série ficou conhecida localmente como o "Milagre de Richfield". A equipe ficou prejudicada por lesões, principalmente de Jim Chones, e perdeu para o Boston Celtics nas finais da Conferência Leste.[15]

Acredita-se amplamente entre os fãs e jogadores dos Cavaliers que a equipe "Miracle" teria vencido o título da NBA se Chones tivesse se mantido saudável.[16]

Cleveland venceu 43 jogos nas temporadas de 1976-77[17] e de 1977-78,[18] mas ambas as temporadas resultaram em eliminações precoces dos playoffs. Após uma temporada de 30-52 na temporada de 1978-79, Fitch renunciou ao cargo de treinador.[19]

1980-1983: Ted Stepien como novo donoEditar

Na temporada seguinte, depois de ter um recorde de 37-45 sob o comando do sucessor de Fitch, Stan Albeck,[20] o proprietário original Mileti vendeu suas ações a Louis Mitchell, que as vendeu ao proprietário minoritário Joe Zingale.[21] Em 1980, depois de alguns meses, Zingale vendeu a equipe ao magnata da publicidade nacional, Ted Stepien, em 12 de abril de 1980.[22]

No início de seu mandato, Stepien propôs renomear a equipe como "Ohio Cavaliers", parte de um plano que incluía jogar seus jogos em casa, não apenas na área de Cleveland, mas em Cincinnati e em mercados fora de Ohio, como Buffalo e Pittsburgh. Ele também fez mudanças no entretenimento do dia do jogo, como a introdução de uma música e um time de dança conhecido como "Os ursos de pelúcia". Stepien também supervisionou a contratação e demissão de uma sucessão de treinadores e esteve envolvido na tomada de uma série de decisões ruins sobre jogadores. O resultado de sua perspicácia comercial questionável foi a perda de várias escolhas de primeira rodada de draft, o que levou a uma mudança de regra na NBA, proibindo as equipes de negociar as escolhas de draft da primeira rodada em anos consecutivos. Esta regra é conhecida como "Regra de Ted Stepien".

O caos que se seguiu teve um efeito importante no desempenho em quadra dos Cavaliers e na falta de apoio local, tendo um recorde de 28-54 na temporada de 1980-81 (primeiro ano de Stepien como proprietário),[23] seguido por uma marca abismal de 15-67 na temporada de 1981-82.[24] Embora a equipe tenha melhorado seu recorde para 23–59 na temporada seguinte,[25] o apoio local aos Cavaliers corroeu e eles tiveram uma média de apenas 3.900 fãs por jogo.

Embora Stepien tenha ameaçado mudar a franquia para Toronto e renomeá-la de Toronto Towers, os irmãos George e Gordon Gund compraram o Cavaliers em 1983 e decidiram manter a equipe em Cleveland (levaria mais 12 anos até Toronto finalmente conseguir uma equipe da NBA). Como incentivo ao Gunds, os proprietários da NBA concediam à equipe escolhas bônus da primeira rodada de cada ano, de 1983 a 1986, para ajudar a compensar os que Stepien negociou.

1983-1986: Os Gunds assumemEditar

Logo após a compra dos Cavaliers em 1983, os Gunds mudaram as cores da equipe de vinho e ouro para laranja e azul marinho. Além disso, eles adotaram oficialmente "Cavs" como um apelido mais curto para fins de marketing, pois havia sido usado não oficialmente por fãs e escritores desde o início da equipe.

Sob o comando de George Karl, os Cavaliers fracassaram novamente e não foram aos playoffs com um recorde de 28-54 na temporada de 1983-84.[26] Os Cavaliers finalmente voltaram aos playoffs em 1985, perdendo para o Boston Celtics na primeira rodada.[27]

Nesse ponto, a equipe estava em transição, liderada por jogadores dinâmicos como World B. Free, Roy Hinson e John Bagley. Mas em 1986, Karl foi demitido após 66 jogos. O técnico interino Gene Littles guiou a equipe pelo resto do caminho e os Cavaliers terminou a temporada com um recorde de 29-53.[28]

Durante o período de sete temporadas, os Cavaliers tiveram nove treinadores: Stan Albeck, Bill Musselman, Don Delaney, Bob Kloppenburg, Chuck Daly, Bill Musselman (novamente), Tom Nissalke, George Karl e Gene Littles. A única aparição nos playoffs conquistada durante esse trecho foi durante a temporada de 1984-1985 sob o comando de Karl.

1986–1995: Era Daugherty/Nance/PriceEditar

 
Brad Daugherty, a primeira escolha geral no Draft da NBA de 1986 e cinco vezes All-Star pelos Cavaliers

Durante o Draft da NBA de 1986, os Cavaliers adquiriram Brad Daugherty, Mark Price e Ron Harper.[29] Eles também adicionariam Larry Nance em um acordo com o Phoenix Suns. Esses quatro jogadores formaram o núcleo da equipe, sob a direção do técnico Lenny Wilkens, que levou os Cavaliers a oito temporadas nos playoffs, incluindo três temporadas de 50 ou mais vitórias.

O auge do sucesso dos Cavaliers aconteceu na temporada de 1991–92, quando eles compilaram um recorde de 57–25 e avançaram para as finais da Conferência Leste, perdendo para o Chicago Bulls por 4–2.[30]

Logo depois, os Cavaliers entraram em um período de declínio: com as aposentadorias e partidas de Nance, Daugherty e Price, a equipe perdeu muito de seu domínio e não conseguiu mais disputar fortemente. Após a temporada de 1992-93, na qual os Cavaliers tinham um recorde de 54-28 na temporada regular,[31] mas foi eliminados nas semis-finais da Conferência Leste para o Chicago Bulls, Wilkens saiu para treinar o Atlanta Hawks.

Após a contratação de Mike Fratello como treinador, a partir da temporada de 1993-94, os Cavaliers se tornou uma das melhores equipes defensivas da NBA sob a liderança do armador Terrell Brandon. Embora os Cavaliers fizessem aparições regulares nos playoffs, eles não conseguiram avançar além da primeira rodada.

Em 1994, os Cavaliers voltou ao centro de Cleveland com a abertura da Arena Gund, com 20.562 lugares. Conhecido pelos habitantes locais como "Gund", o local serviu como local do jogo do All-Star Game de 1997. A arena e o Jacobs Field do Cleveland Indians foram construídos juntos como parte do projeto Gateway da cidade.

1995-2003: Década dificilEditar

Era Mike FratelloEditar

 
Žydrūnas Ilgauskas foi duas vezes All Star pelos Cavaliers e o líder de todos os tempos da equipe em jogos disputados, rebotes e bloqueios. Atualmente, é consultor especial dos Cavaliers.

Os Cavaliers renovou sua formação inicial durante a entressafra de 1997 e jogadores como Shawn Kemp e Žydrūnas Ilgauskas acrescentaram qualidade à equipe, mas sem mais sucesso na pós-temporada.

Nas três temporadas em que Kemp jogou pelos Cavaliers, eles conseguiram apenas uma aparição nos playoffs e uma vitória nos playoffs. Fratello foi demitido após a encurtada temporada de 1998-99.[32]

Dificuldades do início dos anos 2000Editar

Apesar das chegadas de Andre Miller, Brevin Knight, Lamond Murray, Chris Mihm e Carlos Boozer, os Cavaliers eram uma equipe que frequentemente estavam na parte de baixo da tabela. A equipe de 2002-03 terminou com o terceiro pior recorde da história da franquia (17-65), o que lhes rendeu 22,5% de chance de ganhar a primeira seleção geral no Draft.

2003–2010: A primeira era LeBron JamesEditar

 
LeBron James foi a primeira escolha geral do Draft de 2003 pelos Cavaliers. Em sua primeira passagem, ele foi o Novato do Ano em 2004, duas vezes MVP da NBA (2009, 2010), seis vezes All Star, levou a equipe a primeira final de NBA em 2007 e tornou-se artilheiro de todos os tempos da equipe.

Os Cavaliers conseguiram a primeira escolha no Draft de 2003 e selecionaram LeBron James.[33] Como se estivesse comemorando uma nova era no basquete do Cleveland Cavaliers, as cores da equipe foram alteradas de laranja, preto e azul para vinho e ouro, com a adição de azul marinho e um novo logotipo principal.

O status de James como estrela da área e como uma das perspectivas mais elogiadas da história da NBA, levou muitos a ver sua seleção como uma ponto de viragem na história da franquia. Abraçada por Cleveland como "King James", James se tornou um jogador dominante e venceu o Prêmio de Novato do Ano.

A esperança foi ainda maior para a temporada de 2004-05 com James aumentando sua produção de pontos, rebotes e assistências por jogo. Depois de um começo promissor, os Cavaliers iniciou uma espiral descendente que acabou levando à demissão do técnico Paul Silas e do gerente geral Jim Paxson. A equipe não conseguiu chegar aos playoffs naquele ano com um recorde de 42–40.[34]

Dan Gilbert assume o comandoEditar

Os Cavaliers fizeram muitas mudanças na offseason de 2005. Sob o comando do novo proprietário Dan Gilbert, a equipe contratou um novo treinador, Mike Brown, e um novo gerente geral, Danny Ferry.

A equipe teve sucesso na quadra na temporada seguinte, conquistando sua primeira participação nos playoffs desde 1998.[35] Após uma vitória sobre o Washington Wizards, os Cavaliers foram eliminados pelo Detroit Pistons. Os playoffs foram uma vitrine para o surgimento de James, que alcançou muitos recordes de "mais jovem de todos os tempos" durante a corrida.

2006-07: Campeões da Conferência LesteEditar

Os Cavaliers continuaram seu sucesso na temporada de 2006-07. A equipe teve um recorde de 50-32[36] e eliminaram os Wizards e o New Jersey Nets.[37][38] Os Cavaliers enfrentaram os Pistons nas finais da Conferência Leste e venceram a série por 4-2, conquistando o seu primeiro título da conferência.[39] A primeira viagem da equipe às finais da NBA foi curta, pois foram superadas pelo San Antonio Spurs por 4-0.[40]

Os Cavaliers deram um passo atrás na temporada de 2007-08. Eles lutaram contra lesões e tiveram muitas mudanças no elenco, incluindo uma negociação de três equipes no prazo final em que a equipe adquiriu Joe Smith, Wally Szczerbiak, Ben Wallace e Delonte West. Os Cavaliers terminou com um recorde de 45-37 e perdeu na segunda rodada dos playoffs contra o Boston Celtics.[41]

2008–2010: Grandes expectativasEditar

 
Mike Brown foi o Treinador do Ano da NBA na temporada de 2008-09 e liderou a equipe até finais da NBA de 2007.

Na temporada seguinte, os Cavaliers fizeram progressos. Eles terminaram com um recorde de 66-16, o melhor recorde da temporada regular na história da franquia.[42] Os Cavaliers entrou nos playoffs com vantagem em quadra em casa durante os playoffs. O técnico Mike Brown ganhou o prêmio de Treinador do Ano da NBA e LeBron James terminou em segundo lugar no prêmio de Jogador Defensivo da NBA e ganhou o Prêmio de MVP da NBA.

Nos playoffs, os Cavaliers varreram o Detroit Pistons, vencendo todos os jogos por dez ou mais pontos.[43] Nas semifinais da conferência, os Cavaliers varreram o Atlanta Hawks, vencendo novamente cada jogo por pelo menos dez pontos, tornando-se o primeiro time na história da NBA a vencer oito jogos consecutivos nos playoffs por uma margem de dois dígitos.[44] Os Cavaliers encontraram o Orlando Magic nas finais da Conferência Leste e Orlando venceu a série em seis jogos.[45]

Durante a entressafra de 2009, os Cavaliers adquiriram Shaquille O'Neal do Phoenix Suns. Os Cavaliers conseguiu terminar com o melhor recorde da NBA pela segunda temporada consecutiva com um recorde de 61–21.[46] James foi nomeado MVP da NBA, pelo segundo ano consecutivo. Os Cavaliers derrotaram o Chicago Bulls por 4-1 na primeira rodada dos playoffs mas perderam para o Boston Celtics na rodada seguinte.[47][48]

The DecisionEditar

Com os Cavaliers fora dos playoffs, o foco voltou-se para a iminente saida de James. Em 8 de julho de 2010, James anunciou em um especial de uma hora televisionado nacionalmente chamado The Decision on ESPN que assinaria com o Miami Heat.[49] As repercussões deste anúncio deixaram muitos na cidade de Cleveland enfurecidos e se sentiram traídos. Várias camisas de LeBron James foram queimadas e o famoso mural da Nike "Witness" de James, no centro de Cleveland, foi imediatamente retirado.

Logo após James fazer seu anúncio, Dan Gilbert, o proprietário dos Cavaliers, anunciou em uma carta aberta no site dos Cavaliers que a decisão de James era uma "traição covarde" e prometeu um título da NBA para o Cleveland Cavaliers antes que LeBron James ganhasse um.[50]

2010-2011: Dificuldades e infâmiaEditar

 
Byron Scott teve um recorde de 64-166 nos Cavaliers e passou pela (então) sequência de derrotas mais longa do esportes profissionais.

Durante a entressafra de 2010, antes de LeBron James deixar o time, os Cavaliers demitiram o técnico Mike Brown, junto com a maioria de sua equipe técnica. O gerente geral Danny Ferry renunciou em 4 de junho de 2010 e o gerente geral assistente Chris Grant foi promovido para substituir Ferry. Em 1º de julho, os Cavaliers contratou Byron Scott como o 18º técnico na história da franquia.

Os Cavaliers passaram o resto da temporada de 2010 reconstruindo sua equipe após a partida de James. Eles assinaram contrato com Christian Eyenga, escolhido na primeira rodada de 2009,[51] e adquiriram Ramon Sessions e Ryan Hollins do Minnesota Timberwolves. Os Cavaliers também contrataram Joey Graham, Samardo Samuels e Manny Harris.[52]

Na quadra, a temporada de 2010-11 foi um forte contraste em relação à temporada anterior. Eles passaram das 61 vitórias da liga em 2009-10 para 19 vitória, a maior queda de uma temporada da história da NBA.[53] Nesta temporada, os Cavaliers também perdeu 63 jogos, incluindo uma sequência de 26 derrotas, que estabeleceu um recorde na NBA como a maior sequência de derrotas em qualquer esporte profissional americanos.

2011–2014: Recontrução com Kyrie IrvingEditar

 
Kyrie Irving foi a primeira escolha geral no Draft da NBA de 2011 e o novato do ano na temporada de 2011-12.

Tendo o segundo pior time da temporada de 2010-11, os Cavaliers ganharam a primeira escolhar no Draft de 2011. Os Cavaliers selecionaram Kyrie Irving como a primeira escolha. Com a quarta escolha, os Cavaliers selecionaram Tristan Thompson.[54]

A temporada abreviada de 2011-12 foi uma melhoria para os Cavaliers, que terminaram 21-45.[55] Irving foi nomeado Novato do Ano na NBA e Thompson foi nomeado para o Segundo-Time de Novatos.

Pelo segundo ano consecutivo, os Cavaliers tiveram duas escolhas na primeira rodada no Draft da NBA. Com a escolha nº 4, eles selecionaram Dion Waiters e com a opção nº 17, eles selecionaram Tyler Zeller.[56]

A equipe teve dificuldades na temporada de 2012–13, o que os levou a demitir o técnico Byron Scott após um recorde de 64–166 em três temporadas.[57] Na semana seguinte, os Cavaliers contrataram Mike Brown como treinador.[58]

Pelo terceiro ano consecutivo, os Cavaliers tiveram duas escolhas na primeira rodada do Draft da NBA. Os Cavaliers selecionaram Anthony Bennett com a primeira escolha geral. Isso fez de Bennett o primeiro jogador canadense a ser a escolha número um. Com a 19ª escolha, os Cavaliers selecionaram Sergey Karasev.[59]

Em 6 de fevereiro, os Cavaliers demitiram o GM Chris Grant. A equipe então anunciou que o vice-presidente de operações de basquete David Griffin atuaria como GM interino. Em 12 de maio de 2014, os Cavaliers anunciaram que Griffin havia sido nomeado GM em tempo integral, além de anunciar que Mike Brown havia sido demitido após uma temporada com um recorde de 33-49.[60]

Os Cavaliers conseguiram a primeira escolha geral pela terceira vez em quatro anos.[61]

2014–2018: Retorno de LeBron James / Big 3Editar

 
Kevin Love (à esquerda), Kyrie Irving (ao centro) e LeBron James (à direita) se uniram em 2014 para formar um "Big Three" em Cleveland.

Em 11 de julho de 2014, James revelou por meio de uma entrevista na Sports Illustrated que pretendia retornar aos Cavaliers.[62] Em contraste com a decisão, seu anúncio de retornar a Cleveland foi bem recebido.[63] Um dia depois, ele assinou oficialmente com a equipe, que havia compilado o pior recorde de 97-215 nas quatro temporadas seguintes à sua partida.[64]

Um mês após a contratação de James, os Cavaliers adquiriram Kevin Love do Minnesota Timberwolves, formando um novo trio de estrelas junto com Kyrie Irving.[65]

2014-2015: Retorno às finais da NBAEditar

Os Cavaliers passaram por dificuldades durante os dois primeiros meses da temporada de 2014-15. Foi quando o gerente geral David Griffin salvou a temporada com duas jogadas. Primeiro, Dion Waiters foi enviado ao Oklahoma City Thunder em um contrato de três equipes que trouxe J. R. Smith e Iman Shumpert. Dois dias depois, Griffin desistiu de duas escolhas na primeira rodada em troca de Timofey Mozgov do Denver Nuggets.

Os Cavaliers entraram nos Playoffs da NBA de 2015 como a segunda melhor campanha no Leste com um recorde de 53–29.[66] Eles avançaram nas três primeiras rodadas dos playoffs praticamente sem perder, varrendo o Boston Celtics na primeira rodada, derrotando o Chicago Bulls em seis jogos na segunda rodada e varrendo Atlanta nas finais da conferência para reivindicar o segundo título da Conferência Leste da franquia e uma viagem para as finais da NBA.[67]

Os Cavaliers tiveram problemas nas finais pois estavam sem Love, que sofreu uma lesão no ombro, e Irving, que fraturou a rótula na prorrogação do primeiro jogo da final. Para piorar a situação, Smith e Shumpert tiveram desempenhos fracos nas finais, o que levou jogadores como Matthew Dellavedova e James Jones a desempenhar papéis que estavam além de suas capacidades. Apesar da derrota, James recebeu sérias considerações para o Prêmio de MVP das Finais, depois de ter uma média de 35,8 pontos, 13,3 rebotes e 8,8 assistências nos seis jogos.[68] Os Cavaliers perderam a série para o Golden State Warriors por 4-2.[69]

2015–2016: Primeiro título da NBAEditar

 
Tyronn Lue assumiu o cargo de treinador no meio da temporada de 2015-16.

Os Cavaliers entraram na temporada de 2015-16 buscando redenção após uma saída decepcionante e cheia de lesões das finais da NBA. Enquanto os Cavaliers mantinham apenas cinco jogadores em 2015, eles tinham um elenco de 11 jogadores retornando para a temporada 2015-16. Love silenciou muitos que duvidam de sua decisão de assinar um contrato de cinco anos para ficar em Cleveland, desprezando mercados e papéis maiores no processo. Smith, Shumpert e Dellavedova também concordaram com novos contratos.[70]

Durante a temporada de 2015-16, James foi criticado por seu papel em várias controvérsias fora da quadra, incluindo a demissão no meio da temporada do treinador David Blatt.[71] Apesar dos Cavaliers terem o melhor recorde na Conferência Leste com 30-11, Blatt foi demitido em 22 de janeiro e substituído por seu assistente Tyronn Lue. A falta de química e coesão foi o catalisador da mudança. Lue tinha uma abordagem firme e imparcial para treinar os Cavs, construindo confiança dentro de uma equipe que muitas vezes parecia prestes a se fragmentar. Ele administrou egos, implementou um ataque acelerado e tomou algumas decisões hábeis.

Os Cavaliers entraram nos Playoffs da NBA de 2016 como a melhor campanha no Leste com um recorde de 57-25[72] e mais uma vez avançaram nas três primeiras rodadas dos playoffs praticamente sem contestação, chegando às finais da NBA com um recorde de 12-2.

Nas finais da NBA, o Cavaliers enfrentou uma revanche com o Golden State Warriors. Os Warriors, com um recorde da temporada regular de 73-9, alcançou uma vantagem de 2-0 depois de derrotar os Cavaliers nos Jogos 1 e 2. Os Cavaliers respondeu com uma vitória no Jogo 3, antes de ficar para trás por 3-1 na série, com uma derrota no Jogo 4. James e Irving responderam no Jogo 5, com ambos marcando 41 pontos para levar os Cavaliers à vitória por 112-97 em Oakland. James continuou sua forma no Jogo 6, ao ter seu segundo jogo consecutivo de 41 pontos, levando os Cavaliers a duas vitórias consecutivas para evitar a eliminação. No Jogo 7, no Oracle Arena, em Oakland, várias jogadas importantes no quarto período colocaram os Cavaliers em posição de vitória: o bloqueio de James em Andre Iguodala a 1:50 do final; A cesta de três pontos de Irving, com 53 segundos restantes, levaram os Cavaliers a uma vantagem de 92-89; e o jogo defensivo de Love contra Stephen Curry na posse que se seguiu. Cleveland saiu vitorioso com uma vitória de 93-89 para conquistar o primeiro título esportivo profissional da cidade em 52 anos. James foi nomeado MVP unânime das finais.

2016–2018: Continuação do domínio da Conferência LesteEditar

A temporada de 2016-17 foi marcada por lesões e perdas inesperadas para os Cavaliers. LeBron James o descreveu como um dos anos "mais estranhos" de sua carreira e sentiu que o elenco dos Cavs estava "muito pesado". Os Cavaliers terminaram a temporada regular como a segunda melhor campanha no Leste com um recorde de 51–31, depois de perder os quatro últimos jogos.[73]

Apesar disso, os Cavaliers teve um recorde de 12-1 nos playoffs da Conferência Leste, tendo a melhor eficiência ofensiva da história da pós-temporada nas três primeiras rodadas, superando o "Showtime" dos Los Angeles Lakers da década de 1980.[74] No entanto, eles enfrentaram o Golden State Warriors nas Finais da NBA em uma revanche muito aguardada. Os Warriors derrotaram os Cavaliers em cinco jogos, apesar de James ter uma média de 33,6 pontos, 12,0 rebotes e 10,0 assistências.[75]

No período de entressafra de 2017, Kyrie Irving exigiu uma troca, alegando que ele não queria mais ser a sombra de LeBron. Mais tarde, o desejo de Irving foi atendido, enviando-o ao Boston Celtics.

No meio da temporada, houve uma grande reforma no elenco dos Cavaliers com a chegada de Larry Nance Jr., Jordan Clarkson e George Hill. Este novo elenco fez os Cavaliers jogar melhor. Eles chegaram às finais da NBA pelo quarto ano consecutivo, mas novamente foram derrotados pelos Warriors, desta vez por 4-0.[76]

Após a final, três times emergiram como favoritos para assinar com LeBron: Cavs, Los Angeles Lakers e Philadelphia 76ers. LeBron assinou com os Lakers, deixando Cleveland novamente. Tentando se manter competitivo, os Cavs renovaram com Kevin Love para uma extensão de US $ 120 milhões em 4 anos.

2018-Presente: ReconstruçãoEditar

Depois que LeBron partiu, o plano de Cleveland era permanecer competitivo com Collin Sexton e Cedi Osman se desenvolvendo e sendo liderados por Kevin Love. Os Cavs perderiam os playoffs e receberiam a 5ª escolha no Draft da NBA de 2019, apesar de terem o segundo pior recorde (19-63).[77]

Com a 5ª Escolha no Draft da NBA, os Cavs selecionaram Darius Garland.[78] Os Cavs também selecionaram Dylan Windler em uma outra escolha de primeira rodada. Os Cavs também contrataram John Beilein como técnico da equipe.

RivalidadesEditar

Chicago BullsEditar

Bulls e Cavaliers se enfrentaram desde que os Cavaliers ingressaram na NBA como uma equipe de expansão em 1970, mas a rivalidade não começou a valer até que os Bulls selecionou Michael Jordan com a terceira escolha geral em 1984.

Depois que Jordan foi para o Washington Wizards e, eventualmente, se aposentou, a rivalidade desapareceu, mas quando Cleveland escolheu LeBron James com a primeira escolha em 2003, a rivalidade esquentou novamente.

Ao todo, os Bulls venceram 125 jogos contra 90 dos Cavaliers.[79]

Golden State WarriorsEditar

Apesar das duas equipes se enfrentam desde que os Cavaliers entrou para a liga em 1970, sua rivalidade começou a se desenvolver na temporada de 2014-15, quando se encontraram na primeira das quatro finais consecutivas da NBA, de 2015 a 2018. Dessas quatro séries, os Warriors venceram três títulos (2015, 2017 e 2018) e os Cavaliers, um (2016). A série de finais terminou na temporada de 2018-19, quando os Cavaliers não foram para os playoffs após a mudança de LeBron James para o Los Angeles Lakers.

Ao todo, os Warriors venceram 61 jogos contra 52 dos Cavaliers.[80]

ArenasEditar

JogadoresEditar

Elenco atualEditar

Cleveland Cavaliers
Jogadores Comissão Técnica
Estrela(s) do time: 
Pos. # País Nome Altura Peso Universidade/País
F/C 0   Kevin Love 2 08 m 114 kg UCLA
C 1   Marques Bolden 2 11 m 113 kg Duke
G 2   Collin Sexton 1 88 m 86 kg Alabama
G 3   Sindarius Thornwell 1 96 m 98 kg South Carolina
G 4   Kevin Porter 1 98 m 98 kg Southern California
G 5   Daniel Hamilton 2 01 m 88 kg Connecticut
G 8   Jordan Clarkson 1 96 m 88 kg Missouri
G/F 9   Dylan Windler 2 03 m 89 kg Belmont*
G 10   Darius Garland 1 88 m 79 kg Brentwood Academy*
F/C 13   Tristan Thompson 2 06 m 108 kg Texas
G 15   Timothé Luwawu-Cabarrot 1 98 m 95 kg
G 16   Cedi Osman 2 03 m 95 kg
G 18   Matthew Dellavedova 1 93 m 91 kg Saint Mary's*
G 20   Brandon Knight 1 91 m 88 kg Kentucky
F 22   Larry Nance Jr 2 06 m 104 kg Wyoming
F 24   Jarell Martin 2 08 m 108 kg Louisiana State
F 37   Dean Wade 2 08 m 103 kg Kansas State
C 41   Ante Žižić 2 11 m 113 kg Croácia
G 55   J. P. Macura 1 96 m 93 kg Xavier
Treinador
Assistente(s) Técnico(s)



Legend
  • (C) Capitão
  • (DP) Escolha de Draft sem-assinatura
  • (FA) Free agent
  • (S) Suspenso
  • (DL) Na atribuição no afiliado na D-League
  •   Machucado

ElencoTransações
Última transação: 10/10/2019


Direitos de draftEditar

Os Bulls detém os direitos de draft para as seguintes escolhas não assinadas que jogam fora da NBA. Um jogador selecionado, um selecionado internacional ou um selecionado da faculdade que não seja contratado pela equipe que o selecionou, poderá assinar com qualquer time que não seja da NBA. Nesse caso, a equipe mantém os direitos de Draft do jogador na NBA até um ano após o término do contrato do jogador com a equipe que não é da NBA. Esta lista inclui direitos de Draft que foram adquiridos de negociações com outras equipes.

Draft Rodada Escolha Jogador Nacionalidade Time atual Nota Ref
2015 2 47 Artūras Gudaitis Lituânia Olimpia Milão (Itália) Adquirido do Sacramento Kings [81]
2015 2 53 Sir'Dominic Pointer Estados Unidos Canton Charge (G League) [82]
2012 2 57 İlkan Karaman Turquia Pınar Karşıyaka (Turquia) Adquirido do Brooklyn Nets [83]
2011 2 54 Milan Mačvan Sérvia Bayern München (Alemanha) [84]
2011 2 56 Chukwudiebere Maduabum Nigéria Pass Labs Yamagata Wyverns (Japão) Adquirido do Los Angeles Lakers (via Denver e Philadelphia) [85]
2009 2 49 Sergiy Gladyr Ucrânia Monaco (França) Adquirida do Atlanta Hawks [86]
2007 2 50 Renaldas Seibutis Lituânia Zaragoza (Espanha) Adquirido do Dallas Mavericks (via LA Clippers) [87]
2006 2 55 Ejike Ugboaja Nigéria Sem clube [88]
2006 2 56 Edin Bavčić Bósnia e Herzegovina Xion Dukes Klosterneuburg (Austria) Adquirido do Toronto Raptors (via Filadélfia, Nova Orleans e Brooklyn) [89]

Membros no Hall da FamaEditar

Cleveland Cavaliers - Hall da Fama do Basquetebol
Jogadores
Número Nome Posição Período
11 Walt Frazier PG 1977-1980
19 Lenny Wilkens PG 1972-1974
25 Mark Price PG 1986-1995
33 Shaquille O'Neal CE 2009-2010
42 Nate Thurmond PF 1975-1977
Técnicos
Número Nome Posição Período
Chuck Daly Técnico 1981-1982
Lenny Wilkens Técnico 1986-1993
Contribuidores
Número Nome Posição Período
Wayne Embry Gerente 1986-1999

Números AposentadosEditar

Cleveland Cavaliers - Números Aposentados e Honras
Número Nome Posição Período
07 Bingo Smith SF 1970-1979
11 Žydrūnas Ilgauskas CE 1997-2010
22 Larry Nance PF 1988-1994
34 Austin Carr SG 1971-1980
42 Nate Thurmond PF 1975-1977
43 Brad Daugherty CE 1986-1994
  Joe Tait Locutor 1970-1981
1983-2011

Estatísticas GeraisEditar

Estatísticas atualizadas em 9 de outubro de 2019.[90]

JogosEditar

# País Nome Período Jogos
1   LeBron James 2003-2010, 2014-2018 849
2   Žydrūnas Ilgauskas 1997–2010 771
3   Danny Ferry 1990-2000 723
4   Bingo Smith 1970-1980 720
5   Hot Rod Williams 1986–1995 661
6   Austin Carr 1971–1980 635
7   Anderson Varejão 2004–2016 591
8   Mark Price 1986–1995 582
9   Tristan Thompson 2011–Presente 562
10   Brad Daugherty 1986–1994 548

PontosEditar

# País Nome Período Pontos
1   LeBron James 2003-2010, 2014-2018 23.119
2   Žydrūnas Ilgauskas 1997–2010 10.616
3   Brad Daugherty 1986–1994 10.389
4   Austin Carr 1971–1980 10.265
5   Mark Price 1986–1995 9.543
6   Bingo Smith 1970-1980 9.513
7   Hot Rod Williams 1986–1995 8.504
8   Kyrie Irving 2011–2017 8.232
9   Larry Nance 1987–1994 7.257
10   Campy Russell 1974–1985 6.588

RebotesEditar

# País Nome Período Rebotes
1   LeBron James 2003-2010, 2014-2018 6.190
2   Žydrūnas Ilgauskas 1997–2010 5.904
3   Brad Daugherty 1986–1994 5.227
4   Tristan Thompson 2011–Presente 4.816
5   Hot Rod Williams 1986–1995 4.669
6   Anderson Varejão 2004–2016 4.434
7   Jim Chones 1974-1979 3.790
8   Larry Nance 1987–1994 3.561
9   Jim Brewer 1973-1979 3.551
10   Bingo Smith 1970-1980 3.057

AssistênciasEditar

# País Nome Período Assistências
1   LeBron James 2003-2010, 2014-2018 6.228
2   Mark Price 1986–1995 4.206
3   John Bagley 1982-1987 2.311
4   Terrell Brandon 1991-1997 2.235
5   Foots Walker 1974-1980 2.115
6   Kyrie Irving 2011–2017 2.114
7   Brad Daugherty 1986–1994 2.028
8   Andre Miller 1999-2002 2.015
9   Austin Carr 1971–1980 1.820
10   Craig Ehlo 1986-1993 1.803

TreinadoresEditar

Temporada regular Playoffs
# Nome Tempo J V D % J V D % Conquistas Referência
1 Bill Fitch 1970–1979 738 304 434 .412 18 7 11 .389 Treinador do Ano da NBA de 1975–76

Um dos 10 melhores treinadores da história da NBA

[91]
2 Stan Albeck 1979–1980 82 37 45 .451 [92]
3 Bill Musselman 1980–1981 71 25 46 .352 [93]
4 Don Delaney 1981 26 7 19 .269 [94]
5 Bob Kloppenburg 1981 3 0 3 .000 [95]
6 Chuck Daly 1981–1982 41 9 32 .220 Um dos 10 melhores treinadores da história da NBA [96]
Bill Musselman 1982 15 4 11 .267
7 Tom Nissalke 1982–1984 164 51 113 .311 [97]
8 George Karl 1984–1986 149 61 88 .409 4 1 3 .250 [98]
9 Gene Littles 1986 15 4 11 .267 [99]
10 Lenny Wilkens 1986–1993 574 316 258 .551 41 18 23 .439 Um dos 10 melhores treinadores da história da NBA [100]
11 Mike Fratello 1993–1999 460 248 212 .539 14 2 12 .143 [101]
12 Randy Wittman 1999–2001 164 62 102 .378 [102]
13 John Lucas 2001–2003 124 37 87 .298 [103]
14 Keith Smart 2003 40 9 31 .225 [104]
15 Paul Silas 2003–2005 146 69 77 .473 [105]
16 Brendan Malone 2005 18 8 10 .444 [106]
17 Mike Brown 2005–2010 410 272 138 .663 71 42 29 .592 Título da Conferência Leste (2007)

Treinador do Ano da NBA em 2008-09

[107]
18 Byron Scott 2010–2013 230 64 166 .278 [108]
Mike Brown 2013–2014 82 33 49 .402
19 David Blatt 2014–2016 113 83 40 .675 20 14 6 .700 Título da Conferência Leste (2015) [109]
20 Tyronn Lue 2016–2018 211 128 83 .607 56 40 16 .714 Título da NBA (2016) [110]
21 Larry Drew 2018–2019 76 19 57 .250 [111]
21 John Beilein 2019–Presente [112]

Meios de comunicaçãoEditar

O WTAM (1100 AM) e o WMMS (100,7 FM) atualmente atuam como as principais estações da rede de rádio do Cleveland Cavaliers. Tim Alcorn e Jim Chones são a equipe de rádio, com o co-apresentador / diretor esportivo da manhã do WTAM, Mike Snyder, organizando os programas pré-jogo / intervalo / pós-jogo. Chones (jogos em casa) ou Brad Sellers (jogos fora de casa) se juntarão a Snyder para o programa pós-jogo.[113]

O WLFM-LP (87,7 FM) serve como a casa de rádio dos Cavaliers em língua espanhola, com a temporada de 2014-15 marcando a primeira vez que os Cavaliers foram transmitidos em um segundo idioma. Rafael Hernández Brito atua como locutor, além de apresentar os programas antes e depois do jogo.[114]

Os Cavaliers vão ao ar na Fox Sports Ohio com transmissão simultânea de jogos selecionados na WUAB (canal de TV 43). A equipe de transmissão inclui o locutor John Michael, Austin Carr e o repórter Angel Gray.[115] Jeff Phelps e Campy Russell apresentam os programas pré-jogo, intervalo e pós-jogo.

MascotesEditar

 
Os mascotes atuais: Sir C.C. (esquerda) e Moondog (direita)

Os Cavaliers têm dois mascotes oficiais: Moondog e Sir C.C.[116] Os personagens tem uma conexão única, não apenas com a equipe, mas com a cidade e os arredores.

Durante os anos 1990 e início dos anos 2000, os Cavs tinham um mascote urso polar chamado Whammer, que foi apresentado em 9 de novembro de 1995. Ele ainda faz aparições ocasionais ao longo da temporada nos jogos do Cavaliers.

Referências

  1. «Cavaliers Uniform and Logo History». Cleveland Cavaliers. 13 de setembro de 2013. Consultado em 25 de abril de 2016. The new colors were announced on October 9, 2003 – the "new expression of wine and gold" – a crimson-hued wine color and a metallic, almost copper, gold. Dark blue, the secondary color, was a tribute to the Cavalier teams of the 1990s. 
  2. «Cleveland Cavaliers Reproduction and Usage Guideline Sheet». NBA Media Central. 31 de maio de 2016. Consultado em 31 de maio de 2016 
  3. nba.com/cavaliers. «Cavaliers' New NBA D-League Team is Coming to Canton» (em inglês). Consultado em 2 de fevereiro de 2018 
  4. «Cleveland Cavaliers | The Official Site of the Cleveland Cavaliers». Cleveland Cavaliers (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  5. «Cleveland Cavaliers Franchise Index». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  6. Lubinger, Bill (11 de março de 2010). «Cleveland Cavaliers are named by an Eastlake man who wins contest: The Plain Dealer front page from 1970 on Cleveland's new NBA team». cleveland (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  7. «1970-71 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  8. «1971 NBA Draft». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  9. «1971-72 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  10. «1972-73 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  11. «1973-74 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  12. «1974-75 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  13. «1975-76 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  14. «1976 NBA Eastern Conference Semifinals - Washington Bullets vs. Cleveland Cavaliers». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  15. «1976 NBA Eastern Conference Finals - Cleveland Cavaliers vs. Boston Celtics». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  16. Mourton, Ryan (27 de fevereiro de 2014). «CavsRank! #14 Jim Chones». Fear The Sword (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  17. «1976-77 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  18. «1977-78 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  19. «Bill Fitch». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  20. «1979-80 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  21. «Ex-NBA Owner Who Ruled an Empire Wants Back in the Game». Los Angeles Times (em inglês). 8 de março de 1987. Consultado em 9 de outubro de 2019 
  22. «Toledo Blade - Pesquisa no arquivo do Google Notícias». news.google.com. Consultado em 9 de outubro de 2019 
  23. «1980-81 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  24. «1981-82 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  25. «1982-83 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  26. «1983-84 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  27. «1984-85 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  28. «1985-86 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  29. «1986 NBA Draft». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  30. «1991-92 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  31. «1992-93 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  32. «1998-99 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  33. «2003 NBA Draft». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  34. «2004-05 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  35. «2005-06 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  36. «2006-07 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  37. «2007 NBA Eastern Conference First Round - Washington Wizards vs. Cleveland Cavaliers». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  38. «2007 NBA Eastern Conference Semifinals - New Jersey Nets vs. Cleveland Cavaliers». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  39. «2007 NBA Eastern Conference Finals - Cleveland Cavaliers vs. Detroit Pistons». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  40. «2007 NBA Finals - Cleveland Cavaliers vs. San Antonio Spurs». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  41. «2007-08 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  42. «2008-09 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  43. «2009 NBA Eastern Conference First Round - Detroit Pistons vs. Cleveland Cavaliers». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  44. «2009 NBA Eastern Conference Semifinals - Atlanta Hawks vs. Cleveland Cavaliers». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  45. «2009 NBA Eastern Conference Finals - Orlando Magic vs. Cleveland Cavaliers». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  46. «2009-10 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  47. «2010 NBA Eastern Conference First Round - Chicago Bulls vs. Cleveland Cavaliers». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  48. «2010 NBA Eastern Conference Semifinals - Boston Celtics vs. Cleveland Cavaliers». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  49. «ESPN's Disgraceful LeBron James 'Decision'». TheWrap (em inglês). 8 de julho de 2010. Consultado em 9 de outubro de 2019 
  50. «Cavaliers: Open Letter to Fans from Cavaliers Majority Owner Dan Gilbert». web.archive.org. 10 de julho de 2010. Consultado em 9 de outubro de 2019 
  51. «2009 NBA Draft». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  52. «Cavaliers Acquire 2011 First Round Pick and Two-Time All-Star Baron Davis From Clippers». Cleveland Cavaliers (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  53. «2010-11 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  54. «2011 NBA Draft». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  55. «2011-12 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  56. «2012 NBA Draft». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  57. «2012-13 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  58. «Mike Brown Returns As Head Coach Of The Cleveland Cavaliers». Cleveland Cavaliers (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  59. «2013 NBA Draft». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  60. «2013-14 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  61. web.archive.org https://web.archive.org/web/20140513023521/http://www.espncleveland.com/common/more.php?m=49&post_id=32691. Consultado em 10 de outubro de 2019  Em falta ou vazio |título= (ajuda)
  62. Zillgitt, Jeff. «LeBron James rejoins Cleveland Cavaliers in free agency». USA TODAY (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  63. Lowe, Zach (11 de julho de 2014). «The Decision 2.0: OK, What's Next?». Grantland (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  64. News, Bloomberg. «LeBron to Cleveland: I'm coming home». chicagotribune.com. Consultado em 10 de outubro de 2019 
  65. «Love officially traded to Cavs in 3-team deal». ESPN.com (em inglês). 23 de agosto de 2014. Consultado em 10 de outubro de 2019 
  66. «2014-15 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  67. «Cavs win Eastern Conference title, 118-88, advance to NBA Finals». fox8.com (em inglês). 27 de maio de 2015. Consultado em 10 de outubro de 2019 
  68. Jun 17, foxsports; ET, 2015 at 1:01a (17 de junho de 2015). «Neck and neck: Just how close was Finals MVP voting?». FOX Sports (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  69. «2015 NBA Finals - Cleveland Cavaliers vs. Golden State Warriors». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  70. Swartz, Greg. «Everything You Need to Know About the Cleveland Cavaliers' 2015-16 NBA Season». Bleacher Report (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  71. «Windhorst: Is LeBron a killer of coaches?». ESPN.com (em inglês). 28 de janeiro de 2016. Consultado em 10 de outubro de 2019 
  72. «2015-16 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  73. «2016-17 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  74. «Cavaliers' season of highs and lows ends on sour note». ESPN.com (em inglês). 13 de junho de 2017. Consultado em 10 de outubro de 2019 
  75. «2017 NBA Finals - Cleveland Cavaliers vs. Golden State Warriors». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  76. «2018 NBA Finals - Cleveland Cavaliers vs. Golden State Warriors». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  77. «2018-19 Cleveland Cavaliers Roster and Stats». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  78. «2019 NBA Draft». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  79. «Chicago Bulls vs. Cleveland Cavaliers All-Time Head-to-Head Record in the NBA». www.landofbasketball.com. Consultado em 10 de outubro de 2019 
  80. «Cleveland Cavaliers vs. Golden State Warriors All-Time Head-to-Head Record in the NBA». www.landofbasketball.com. Consultado em 10 de outubro de 2019 
  81. «Cavaliers Acquire George Hill and Rodney Hood in Three-Team Trade». Cleveland Cavaliers (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  82. «Cavaliers Acquire Draft Rights to Cedi Osman and Rakeem Christmas from Minnesota». Cleveland Cavaliers (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  83. «Sources: Cavs, Nets, Celtics partner in trade». ESPN.com (em inglês). 9 de julho de 2014. Consultado em 10 de outubro de 2019 
  84. «Cavaliers Select Irving and Thompson with First and Fourth Overall Picks in The 2011 NBA Draft». Cleveland Cavaliers (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  85. «Cavaliers Select Irving and Thompson with First and Fourth Overall Picks in The 2011 NBA Draft». Cleveland Cavaliers (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  86. «Cavaliers Complete Trade with Atlanta». Cleveland Cavaliers (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  87. «Cavaliers Acquire Sam Dekker». Cleveland Cavaliers (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  88. «Cleveland Cavaliers Draft Shannon Brown, Daniel Gibson and Ejike Ugboaja in 2006 NBA Draft». Cleveland Cavaliers (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  89. «Sources: Cavs, Nets, Celtics partner in trade». ESPN.com (em inglês). 9 de julho de 2014. Consultado em 10 de outubro de 2019 
  90. «Cleveland Cavaliers Career Leaders». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 9 de outubro de 2019 
  91. «Bill Fitch». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  92. «Stan Albeck». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  93. «Bill Musselman». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  94. «Don Delaney». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  95. «Bob Kloppenburg». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  96. «Chuck Daly». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  97. «Tom Nissalke». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  98. «George Karl». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  99. «Gene Littles». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  100. «Lenny Wilkens». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  101. «Mike Fratello». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  102. «Randy Wittman». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  103. «John Lucas». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  104. «Keith Smart». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  105. «Paul Silas». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  106. «Brendan Malone». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  107. «Mike Brown». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  108. «Byron Scott». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  109. «David Blatt». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  110. «Tyronn Lue». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  111. «Larry Drew». Basketball-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  112. «John Beilein Coaching Record». College Basketball at Sports-Reference.com (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  113. «John Michael to Join Cavs TV Broadcast, Tim Alcorn to Join Radio Broadcast». Cleveland Cavaliers (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  114. «Cleveland Cavs games will be broadcast in Spanish on 87.7 FM La Mega». Crain's Cleveland Business (em inglês). 16 de outubro de 2014. Consultado em 10 de outubro de 2019 
  115. «FOX Sports Ohio Announces Two New Additions to Cavaliers Broadcast Team». Cleveland Cavaliers (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 
  116. «Cavaliers Mascot | Moondog». Cleveland Cavaliers (em inglês). Consultado em 10 de outubro de 2019 

Ligações externasEditar